Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Diferencie agravante, atenuante de causa de aumento e qualificadora


2 resposta(s)

User badge image

Jorge Lucas Pereira

Há mais de um mês

Olá! As agravante e atenuantes são calculadas em cima da pena-base (a pena simples ou qualificada) e serão analisadas na segunda fase da dosimetria da pena. A principal característica é que elas estão elencadas nos arts. 61, 62, 65 e 66, do Código Penal e o quantum atenuante ou o quantum agravante é o Juiz que decide (ex. agravar a pena em 1/6, ou 1/8). Ademais, as atenuantes e agravantes devem obedecer ao limite das penas (ex. reclusão de 6 a 20 anos).

Já as causas de aumento e diminuição da pena estão sortidas no código e podem estar além do máximo ou aquém do mínimo estabelecido em lei, sendo analisadas na terceira fase da dosimetria da pena. Outra característa é que o juiz está restrito aos quantuns legais, ou seja, a própria lei diz se aumentar em 1/3, ou 1/4.

Por fim, as qualificadoras alteram o mínimo e máximo na pena. Logo, são vistas na primeira fase do cálculo penal. Espero ter ajudado. 

 

(Por favor, se gostou da resposta, aprove-a. É a forma mais gentil de agradecer-me pela resposta solidária.)

Olá! As agravante e atenuantes são calculadas em cima da pena-base (a pena simples ou qualificada) e serão analisadas na segunda fase da dosimetria da pena. A principal característica é que elas estão elencadas nos arts. 61, 62, 65 e 66, do Código Penal e o quantum atenuante ou o quantum agravante é o Juiz que decide (ex. agravar a pena em 1/6, ou 1/8). Ademais, as atenuantes e agravantes devem obedecer ao limite das penas (ex. reclusão de 6 a 20 anos).

Já as causas de aumento e diminuição da pena estão sortidas no código e podem estar além do máximo ou aquém do mínimo estabelecido em lei, sendo analisadas na terceira fase da dosimetria da pena. Outra característa é que o juiz está restrito aos quantuns legais, ou seja, a própria lei diz se aumentar em 1/3, ou 1/4.

Por fim, as qualificadoras alteram o mínimo e máximo na pena. Logo, são vistas na primeira fase do cálculo penal. Espero ter ajudado. 

 

(Por favor, se gostou da resposta, aprove-a. É a forma mais gentil de agradecer-me pela resposta solidária.)

User badge image

Julian Bacca

Há mais de um mês

QUALIFICADORAS: Circunstâncias LEGAIS que tem o especial poder de, acoplando-se a tipo básico de determinado ilícito penal, elevar os limites (mínimo e máximo) de apenamento, criando um “novo” tipo penal – o tipo qualificado. As qualificadoras terão penas mínimas e máximas superiores às previstas no caput. Ex: Art. 121 §2º, incisos; Art. 129 §1º, incisos.

  1.     Diante do reconhecimento concomitante de 2 ou mais qualificadoras em relação ao mesmo crime, como deve proceder o juiz na fixação da pena em tais casos? (Ex: art. 121, §2º, II e III do CP – homicídio duplamente qualificado)

 

 

*Atenção: se determinada circunstância for utilizada como qualificadora, não poderá ser utilizada, concomitantemente, como agravante e/ou circunstância judicial. Tal fato deve-se ao princípio da especialidade e ao “ne bis in idem”.

 

CAUSAS DE AUMENTO (MAJORANTES): Podem ser encontradas tanto na parte geral, quanto na parte especial do Código Penal, assim como, na legislação específica. São identificadas por incluírem uma fração ou múltiplo no cálculo da pena, como por exemplo: “aumenta-se o dobro”; “a pena será aumentada de um terço a dois terços”. Ex: Art. 71; Art 121 §4º, Art. 129 §7º, etc.

  1.     Em que etapa do cálculo da pena são consideradas?

 

CAUSAS DE DIMINUIÇÃO (MINORANTES): Podem ser encontradas tanto na parte geral, quanto na parte especial do Código Penal, assim como, na legislação específica. São identificadas por uma fração, como por exemplo: “diminui-se a metade”; “a pena será diminuída de um terço a dois terços”. Ex: Art. 14-II; 121§1º

 

AGRAVANTES: Circunstâncias LEGAIS listadas de forma taxativa nos art. 61 e 62 do Código Penal. Não trazem a indicação da quantidade de aumento da pena. Não serão aplicadas quando constituir o crime ou figurar como elementar, qualificadora, causa de aumento ou redução de pena, sob pena de violar o princípio da dupla incriminação ne bis in idem[1].

 

ATENUANTES: Circunstâncias legais de diminuição da pena previstas nos artigos 65 e 66 do Código. O rol do art. 65 é exemplificativo. Não há indicação da quantidade de diminuição da pena.

- Ver Súmula 231 STJ!

 

[1] Ne bis in idem: uma mesma circunstância não deverá ser valorada em mais de um momento ou em mais de uma das fases que compõem o sistema trifásico estabelecido pelo art. 68 do Código Penal. Ex: a agravante do art. 61, II, h, do Código Penal (“contra mulher grávida”) não será utilizado no caso do art. 125 ou 126 do Código Penal (modalidades de aborto – conduta típica cujo pressuposto básico é a gestação). 

Essa pergunta já foi respondida!