A maior rede de estudos do Brasil

Relacione (enumere) os principais problemas enfrentados pelo Direito para que possa ser considerado como ciência.

Utilize livros dos autores. Machado Neto, Tercio Sampaio Ferraz Junior entre outros


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Temos que, segundo Passos, o Direito atua através de um discurso oficial do exercício do Poder, o que revela algo diferente de uma construção sólida e unívoca do conhecimento e, isso se torna essencial, pois, o conceito de ciência se baseia nesse tipo de construção, que não é o caso do Direito.

Em um pensamento parecido, Hans Kelsen, em sua obra' (Teoria Pura do Direito, 5ª ed. Da tradução, 2007, p. 45) distingue os significados entre o Direito e a Ciência Jurídica. À engrenagem, com frequência, divisa o enunciado descritivo (texto da lei) do conteúdo normativo (campo de incidência da lei).

Diante disso, a Ciência Jurídica afirma uma construção metodológica sobre a qual se constrói o ordenamento jurídico, exemplificando: divisão da pirâmide legal (com a Lei Fundamental, isto é, a Constituição, no topo), métodos de interpretação (hermenêutica) e critérios de solução de conflito entre leis (solução de antinomias). E o Direito, ao seu turno, corporifica a dinâmica prática da aplicação de toda essa teoria no mundo real, ou seja, incluindo as situações mais imprevisíveis possíveis, às quais a autoridade daquele que exerce o Poder restará por prevalecer sobre a teoria, não obstante passível de revisão por autoridade superior.

Por fim, vimos que existem alguns pontos em comuns em que os autores definem ciência e coloca o Direito fora dela, deixando isso apenas a cargo da Ciência Jurídica.

Temos que, segundo Passos, o Direito atua através de um discurso oficial do exercício do Poder, o que revela algo diferente de uma construção sólida e unívoca do conhecimento e, isso se torna essencial, pois, o conceito de ciência se baseia nesse tipo de construção, que não é o caso do Direito.

Em um pensamento parecido, Hans Kelsen, em sua obra' (Teoria Pura do Direito, 5ª ed. Da tradução, 2007, p. 45) distingue os significados entre o Direito e a Ciência Jurídica. À engrenagem, com frequência, divisa o enunciado descritivo (texto da lei) do conteúdo normativo (campo de incidência da lei).

Diante disso, a Ciência Jurídica afirma uma construção metodológica sobre a qual se constrói o ordenamento jurídico, exemplificando: divisão da pirâmide legal (com a Lei Fundamental, isto é, a Constituição, no topo), métodos de interpretação (hermenêutica) e critérios de solução de conflito entre leis (solução de antinomias). E o Direito, ao seu turno, corporifica a dinâmica prática da aplicação de toda essa teoria no mundo real, ou seja, incluindo as situações mais imprevisíveis possíveis, às quais a autoridade daquele que exerce o Poder restará por prevalecer sobre a teoria, não obstante passível de revisão por autoridade superior.

Por fim, vimos que existem alguns pontos em comuns em que os autores definem ciência e coloca o Direito fora dela, deixando isso apenas a cargo da Ciência Jurídica.

User badge image

Rodrigo

Há mais de um mês

Meu caro gostei do teu Texto e realmente foi uma pergunta o que fiz, pois não cheguei a a um entendimento se direito é ou não ciência. Vou colocar aqui um link de um livro que li (embora incompleto pois o mesmo tem 110 paginas). Espero que leia e goste.

http://www.passeidireto.com/arquivo/2218114/a-ciencia-do-direito---tercio-sampaio-ferraz-junior

User badge image

Bruno Ferreira

Há mais de um mês

Juridicamente, quando se quer levar ao conhecimento da pessoa a ciência de qualquer ato ou fato, por determinação legal, a ciência será provocada por intimação, notificação ou qualquer outro meio equivalente. Hoje não vejo o direito atuar sozinho, ele conta com varias ciências como a psicologia, sociologia, antropologia, (aff tudo que tem gia tem a ver com o direito kk), para dar uma base fundamental em suas buscas e pesquisas, para forma algo melhor, vamos dizer assim, para a sociedade. Mas, eu vejo mais a filosofia como o principal ponto do direito como ciência, não sendo ela a linha de chegada, mas sim, de largada, porque é ela que vai problematizar os problemas, levando eles até a cabeça dos indivíduos, e é isto que vai depender muito, porque cada autor vai pensar de um jeito diferente, mas todos vai ter um ponto em comum, estarão usando a filosofia para dar uma base instrumental, que formará o direito como uma ciência que busca o bem comum. É isto que eu penso, no direito, como ciência, mas agora se você não concorda com o meu pensamento, tudo bem, mas eu gostaria muito de ler o seu ponto de vista sobre à sua pergunta caso não concorde comigo, que achei super. interessante. 

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Temos que, segundo Passos, o Direito atua através de um discurso oficial do exercício do Poder, o que revela algo diferente de uma construção sólida e unívoca do conhecimento e, isso se torna essencial, pois, o conceito de ciência se baseia nesse tipo de construção, que não é o caso do Direito.

Em um pensamento parecido, Hans Kelsen, em sua obra' (Teoria Pura do Direito, 5ª ed. Da tradução, 2007, p. 45) distingue os significados entre o Direito e a Ciência Jurídica. À engrenagem, com frequência, divisa o enunciado descritivo (texto da lei) do conteúdo normativo (campo de incidência da lei).

Diante disso, a Ciência Jurídica afirma uma construção metodológica sobre a qual se constrói o ordenamento jurídico, exemplificando: divisão da pirâmide legal (com a Lei Fundamental, isto é, a Constituição, no topo), métodos de interpretação (hermenêutica) e critérios de solução de conflito entre leis (solução de antinomias). E o Direito, ao seu turno, corporifica a dinâmica prática da aplicação de toda essa teoria no mundo real, ou seja, incluindo as situações mais imprevisíveis possíveis, às quais a autoridade daquele que exerce o Poder restará por prevalecer sobre a teoria, não obstante passível de revisão por autoridade superior.

Por fim, vimos que existem alguns pontos em comuns em que os autores definem ciência e coloca o Direito fora dela, deixando isso apenas a cargo da Ciência Jurídica.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas