A maior rede de estudos do Brasil

Disciplina(s): Fundamentos Históricos da Educação Brasileira Sistemas de Ensino e Políticas Educacionais

Disciplina(s):

Fundamentos Históricos da Educação Brasileira

Sistemas de Ensino e Políticas Educacionais

Data de início: 30/03/2016 20:26
Prazo máximo entrega: 30/03/2016 21:41
Data de entrega: 30/03/2016 21:41
 
Questão 1/5

O documento não é inócuo. É antes de mais nada, o resultado de uma montagem, consciente ou inconscientes da história, da época, da sociedade que produziu, mas também das épocas durante os quais continuou a viver, talvez esquecido, durante as quais continuou a ser manipulado, ainda que pelo silencio.

LE GOFF, J. Documento/monumento. In: História e Memória. 5 ed. Campinas: Ed. Da Unicamp, n. 32 p. 2003 (p. 537-538)

Com base no texto apresentado acima, nos conteúdos abordados nas teleaulas e no livro da disciplina, discorra sobre a importância para o historiador dos termos documentos e fontes.

Nota: 16.0

Fonte - o historiador extraí informações específicas, de acordo com a pergunta que quer responder. Meio por qual é possível selecionar e interrogar, tornando-se informações para o historiador.  As fontes históricas devem ser lidas com vistas nas múltiplas relações subjacentes à produção e o historiador deve ter conhecimento dos diversos tipos de fontes.  Toda fonte histórica é um documento, mas nem todo documento se torna uma fonte histórica. Documento -  É inócuo, durável e pode ser analisado. Registro ou testemunho do passado humano. É todo registro ou testemunho do passado humano. Todo documento traz inerente uma visão possível – individual, institucional ou coletiva – sobre o evento ou fenômeno a que se refere (p. 26-28)

Resposta:
documentos são passagens de sabedoria, porque detêm a pesquisa e o trabalho de alguém, que depois serve para estudo de muitos e para base de novas descobertas e aprimoramentos, ter documentos é ter a fonte de que fez ou do que aconteceu em determinado momento da historia , ele traz todo o estudo e sabedoria de nossos antepassados e que ajudam em muito nosso futuro,tudo que você faz ou escreve sobre algo tem que ter uma fonte ou um documento base para seu argumento, sem os documentos a humanidade teria que descobrir tudo novamente e atrasaria nossa evolução.

Questão 2/5

Leia o fragmento de texto a seguir:

 

O Plano de Metas é apresentado pelo MEC como uma possibilidade para inaugurar um novo regime de colaboração, fundado em diretrizes e consubstanciado em um plano de metas concretas, efetivas, voltadas para a melhoria da qualidade da educação

 Em relação ao acesso e à permanência ,  quais são as quatro metas   inseridas no Plano de Metas “Compromisso Todos pela Educação  “ ?

Nota: 6.0

O acesso e a permanência correspondem a quatro das metas:

  • “combater a evasão pelo acompanhamento individual das razões da não frequência do educando e sua superação” (Meta V);
  • “matricular o aluno na escola mais próxima da sua residência” (Meta VI);
  • “ampliar as possibilidades de permanência do educando sob responsabilidade da escola para além da jornada regular” (Meta Vil);
  • “garantir o acesso e permanência das pessoas com necessidades educacionais especiais nas classes comuns do ensino regular, fortalecendo a inclusão educacional nas escolas públicas” (Meta IX). (p. 117)

 

Resposta:
melhorar o ambiente de estudo, oferecer cursos técnicos para as áreas de trabalho, manter adolescentes ate os 17 anos estudando, oferecer eja gratuitamente, melhorar os materiais de estudo, melhor qualificação dos professores, oferecer projetos com a realidade da sua comunidade, ajuda de custo para o pro jovem, melhora na pedagogia tendo o aluno como centro da aprendizagem , mais verba para manutenção da escola, aumento da verba para o ensino.

Questão 3/5

Leia o fragmento de texto a seguir:

 

Não é de surpreender que, nas atuais condições de crise, o canto de sereia do keynesianismo seja ouvido novamente como um remédio milagroso, corno um apelo ao antigo espírito do “consenso expansionista” a serviço do «desenvolvimento”. Entretanto, hoje mal se ouve a canção que sai do fundo do túmulo do keynesianismo, pois o tipo de consenso mantido pelas variedades existentes de movimento operário acomodado visa tornar aceitável a inviabilidade estrutural da expansão e acumulação do capital, em nítido contraste com as condições que tornaram possível a implantação das políticas keynesianas durante um período muito limitado de tempo.  [...]

 

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2011. (p. 25)

 

De acordo com o livro-base da disciplina, no que diz respeito à implantação de políticas públicas do Estado de bem-estar, o keynesianismo foi uma das teorias que sustentava tal ideário. Nesse contexto, responda: Como se caracteriza o keynesianismo?

 

Nota: 20.0

O keynesianismo foi a teoria que fundamentou o intervencionismo estatal, a constituição do Estado de bem-estar e firmou-se, ao longo das décadas de 1950 e 1960, como a formulação básica que reorientou o curso da economia e das políticas capitalistas. Propondo inicialmente garantir empregos a partir da redução da taxa de juros e dos investimentos estatais, constitui-se rapidamente num corpo teórico defensor da regulação estatal sobre os setores da economia considerados estratégicos. Foi a teoria formuladora dc políticas públicas para o pleno emprego e incentivadora da estatização e/ou regulação estatal dos bens sociais (principalmente saúde, a educação e a seguridade social). (p. 52)

Resposta:
defesa da intervenção estatal na economia, onde a iniciativa privada não deseja atuar ou não tem capacidade, defesa de ações politicas voltadas para o protecionismo econômico, contra o liberalismo econômico, defesa de politicas econômicas estatais que garantisse o emprego com o equilíbrio da demanda e a capacidade de produção, o estado tem um papel fundamental de estimular a economia em momentos de crise e recessão econômica a intervenção do estado teria que ser feita através de uma politica fiscal para não fazer a inflação subir, ele acreditava em uma politica capitalista mas com intervenção do estado em alguns pontos, hoje pouco usada perdeu para o neoliberalismo.

Questão 4/5

A necessidade da formação docente já fora preconizada por Comenius, no século XVII, e o primeiro estabelecimento de ensino destinado à formação de professores teria sido instituído por São João Batista de La Salle em 1684, em Reims, com o nome de Seminário dos Mestres. Mas a questão da formação de professores exigiu uma resposta institucional apenas no século XIX, quando, após a Revolução Francesa, foi colocado o problema da instrução popular

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação v. 14 n. 40 jan./abr. 2009. (p. 143-144. )

 

Com base no texto apresentado acima, nos conteúdos abordados nas teleaulas e no livro da disciplina, apresente características dos primeiros cursos de formação de professores implementados no Brasil durante o século XIX.

Nota: 20.0

O ensino normal estava entre os cursos técnico-profissionalizantes. Originalmente eram voltados para os alunos do sexo masculino, mas a partir do século XIX a formação feminina tornou-se mais comum. Em 1860 havia apenas seis escolas normais no Brasil e isso decorria aos poucos atrativos da profissão: em geral os salários eram baixos e a estabilidade precária (p.104)

Resposta:
os cursos eram voltados para homens e o ensino normal estava entre os cursos técnico-profissionalizante, mas a partir do séc XIX a formação de mulheres se tornou mais comum e em 1860 só tinham 6 escolas normais no Brasil e a profissão não era atrativa com salários baixos e instabilidade precária.

Questão 5/5

A História Tradicional é de caráter positivista, com embasamento em documentos escritos e história de grandes homens. O modelo de história tradicional e do marxismo ortodoxo peca a privilegiar somente uma linha de aspectos chaves, causando pouca vontade nos alunos em aprender, pois esta história fica distante de sua realidade, e após um determinado tempo nem sequer lembra-se do que foi estudado.

 

FONSECA, Selma Guimaraes. Didática e prática de ensino de história: experiências, reflexões e aprendizados. São Paulo: Papirus, 2003 (p. 9)

 

Com base no texto apresentado acima, nos conteúdos abordados nas teleaulas e no livro da disciplina, discorra sobre os paradigmas da história conhecida como tradicional.

Nota: 16.0

Na história tradicional os fatos são apresentados pelo historiador de forma objetiva, como aconteceram, valorizando somente documentos oficiais como fontes válidas para a história. A história tradicional está voltada para os grandes acontecimentos e “grandes homens”. O interesse principal está centrado em aspectos políticos e da história mundial. (p. 16 e 17)

Resposta:
o professor e detentor do saber e alunos eram tabulas rasas, não se preocupava com o conhecimento do aluno e sim em ele aprender e repetir tudo conforme lhe foi ensinado , o professor depositava todo o saber no aluno e o sacava através de provas, o aluno era identificado pelas notas que provavam o que ele "aprendeu" , o não aprendizado do aluno gerava reprovação e castigo, só passava de serie se ele decora-se toda a matéria.a importância da escola era toda sobre o conteúdo e não sobre o aluno.O aluno apenas decora as matérias para a para mas detém pouca coisa para sua vida.

4 resposta(s)

User badge image

Thiago

Há mais de um mês

Questão 1/5

O documento não é inócuo. É antes de mais nada, o resultado de uma montagem, consciente ou inconscientes da história, da época, da sociedade que produziu, mas também das épocas durante os quais continuou a viver, talvez esquecido, durante as quais continuou a ser manipulado, ainda que pelo silencio.

LE GOFF, J. Documento/monumento. In: História e Memória. 5 ed. Campinas: Ed. Da Unicamp, n. 32 p. 2003 (p. 537-538)

Com base no texto apresentado acima, nos conteúdos abordados nas teleaulas e no livro da disciplina, discorra sobre a importância para o historiador dos termos documentos e fontes.

Nota: 16.0

Fonte - o historiador extraí informações específicas, de acordo com a pergunta que quer responder. Meio por qual é possível selecionar e interrogar, tornando-se informações para o historiador.  As fontes históricas devem ser lidas com vistas nas múltiplas relações subjacentes à produção e o historiador deve ter conhecimento dos diversos tipos de fontes.  Toda fonte histórica é um documento, mas nem todo documento se torna uma fonte histórica. Documento -  É inócuo, durável e pode ser analisado. Registro ou testemunho do passado humano. É todo registro ou testemunho do passado humano. Todo documento traz inerente uma visão possível – individual, institucional ou coletiva – sobre o evento ou fenômeno a que se refere (p. 26-28)

Resposta:
documentos são passagens de sabedoria, porque detêm a pesquisa e o trabalho de alguém, que depois serve para estudo de muitos e para base de novas descobertas e aprimoramentos, ter documentos é ter a fonte de que fez ou do que aconteceu em determinado momento da historia , ele traz todo o estudo e sabedoria de nossos antepassados e que ajudam em muito nosso futuro,tudo que você faz ou escreve sobre algo tem que ter uma fonte ou um documento base para seu argumento, sem os documentos a humanidade teria que descobrir tudo novamente e atrasaria nossa evolução.

Questão 2/5

Leia o fragmento de texto a seguir:

 

O Plano de Metas é apresentado pelo MEC como uma possibilidade para inaugurar um novo regime de colaboração, fundado em diretrizes e consubstanciado em um plano de metas concretas, efetivas, voltadas para a melhoria da qualidade da educação

 Em relação ao acesso e à permanência ,  quais são as quatro metas   inseridas no Plano de Metas “Compromisso Todos pela Educação  “ ?

Nota: 6.0

O acesso e a permanência correspondem a quatro das metas:

  • “combater a evasão pelo acompanhamento individual das razões da não frequência do educando e sua superação” (Meta V);
  • “matricular o aluno na escola mais próxima da sua residência” (Meta VI);
  • “ampliar as possibilidades de permanência do educando sob responsabilidade da escola para além da jornada regular” (Meta Vil);
  • “garantir o acesso e permanência das pessoas com necessidades educacionais especiais nas classes comuns do ensino regular, fortalecendo a inclusão educacional nas escolas públicas” (Meta IX). (p. 117)

 

Resposta:
melhorar o ambiente de estudo, oferecer cursos técnicos para as áreas de trabalho, manter adolescentes ate os 17 anos estudando, oferecer eja gratuitamente, melhorar os materiais de estudo, melhor qualificação dos professores, oferecer projetos com a realidade da sua comunidade, ajuda de custo para o pro jovem, melhora na pedagogia tendo o aluno como centro da aprendizagem , mais verba para manutenção da escola, aumento da verba para o ensino.

Questão 3/5

Leia o fragmento de texto a seguir:

 

Não é de surpreender que, nas atuais condições de crise, o canto de sereia do keynesianismo seja ouvido novamente como um remédio milagroso, corno um apelo ao antigo espírito do “consenso expansionista” a serviço do «desenvolvimento”. Entretanto, hoje mal se ouve a canção que sai do fundo do túmulo do keynesianismo, pois o tipo de consenso mantido pelas variedades existentes de movimento operário acomodado visa tornar aceitável a inviabilidade estrutural da expansão e acumulação do capital, em nítido contraste com as condições que tornaram possível a implantação das políticas keynesianas durante um período muito limitado de tempo.  [...]

 

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2011. (p. 25)

 

De acordo com o livro-base da disciplina, no que diz respeito à implantação de políticas públicas do Estado de bem-estar, o keynesianismo foi uma das teorias que sustentava tal ideário. Nesse contexto, responda: Como se caracteriza o keynesianismo?

 

Nota: 20.0

O keynesianismo foi a teoria que fundamentou o intervencionismo estatal, a constituição do Estado de bem-estar e firmou-se, ao longo das décadas de 1950 e 1960, como a formulação básica que reorientou o curso da economia e das políticas capitalistas. Propondo inicialmente garantir empregos a partir da redução da taxa de juros e dos investimentos estatais, constitui-se rapidamente num corpo teórico defensor da regulação estatal sobre os setores da economia considerados estratégicos. Foi a teoria formuladora dc políticas públicas para o pleno emprego e incentivadora da estatização e/ou regulação estatal dos bens sociais (principalmente saúde, a educação e a seguridade social). (p. 52)

Resposta:
defesa da intervenção estatal na economia, onde a iniciativa privada não deseja atuar ou não tem capacidade, defesa de ações politicas voltadas para o protecionismo econômico, contra o liberalismo econômico, defesa de politicas econômicas estatais que garantisse o emprego com o equilíbrio da demanda e a capacidade de produção, o estado tem um papel fundamental de estimular a economia em momentos de crise e recessão econômica a intervenção do estado teria que ser feita através de uma politica fiscal para não fazer a inflação subir, ele acreditava em uma politica capitalista mas com intervenção do estado em alguns pontos, hoje pouco usada perdeu para o neoliberalismo.

Questão 4/5

A necessidade da formação docente já fora preconizada por Comenius, no século XVII, e o primeiro estabelecimento de ensino destinado à formação de professores teria sido instituído por São João Batista de La Salle em 1684, em Reims, com o nome de Seminário dos Mestres. Mas a questão da formação de professores exigiu uma resposta institucional apenas no século XIX, quando, após a Revolução Francesa, foi colocado o problema da instrução popular

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação v. 14 n. 40 jan./abr. 2009. (p. 143-144. )

 

Com base no texto apresentado acima, nos conteúdos abordados nas teleaulas e no livro da disciplina, apresente características dos primeiros cursos de formação de professores implementados no Brasil durante o século XIX.

Nota: 20.0

O ensino normal estava entre os cursos técnico-profissionalizantes. Originalmente eram voltados para os alunos do sexo masculino, mas a partir do século XIX a formação feminina tornou-se mais comum. Em 1860 havia apenas seis escolas normais no Brasil e isso decorria aos poucos atrativos da profissão: em geral os salários eram baixos e a estabilidade precária (p.104)

Resposta:
os cursos eram voltados para homens e o ensino normal estava entre os cursos técnico-profissionalizante, mas a partir do séc XIX a formação de mulheres se tornou mais comum e em 1860 só tinham 6 escolas normais no Brasil e a profissão não era atrativa com salários baixos e instabilidade precária.

Questão 5/5

A História Tradicional é de caráter positivista, com embasamento em documentos escritos e história de grandes homens. O modelo de história tradicional e do marxismo ortodoxo peca a privilegiar somente uma linha de aspectos chaves, causando pouca vontade nos alunos em aprender, pois esta história fica distante de sua realidade, e após um determinado tempo nem sequer lembra-se do que foi estudado.

 

FONSECA, Selma Guimaraes. Didática e prática de ensino de história: experiências, reflexões e aprendizados. São Paulo: Papirus, 2003 (p. 9)

 

Com base no texto apresentado acima, nos conteúdos abordados nas teleaulas e no livro da disciplina, discorra sobre os paradigmas da história conhecida como tradicional.

Nota: 16.0

Na história tradicional os fatos são apresentados pelo historiador de forma objetiva, como aconteceram, valorizando somente documentos oficiais como fontes válidas para a história. A história tradicional está voltada para os grandes acontecimentos e “grandes homens”. O interesse principal está centrado em aspectos políticos e da história mundial. (p. 16 e 17)

Resposta:
o professor e detentor do saber e alunos eram tabulas rasas, não se preocupava com o conhecimento do aluno e sim em ele aprender e repetir tudo conforme lhe foi ensinado , o professor depositava todo o saber no aluno e o sacava através de provas, o aluno era identificado pelas notas que provavam o que ele "aprendeu" , o não aprendizado do aluno gerava reprovação e castigo, só passava de serie se ele decora-se toda a matéria.a importância da escola era toda sobre o conteúdo e não sobre o aluno.O aluno apenas decora as matérias para a para mas detém pouca coisa para sua vida.

 
carregando...