A maior rede de estudos do Brasil

É errado a firmar que a história não é uma ciência? O que constitui uma ciência: quanto aos paradigmas das ciências da natureza/exatas?

HistóriaISCECAP

2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Ciência representa todo o conhecimento adquirido através do estudo ou da prática, baseando em princípios certos. Esta palavra deriva do latim scientia, sujo significado é "conhecimento" ou "saber".

Em geral, a ciência comporta vários conjuntos de saberes nos quais são elaboradas as suas teorias baseadas nos seus próprios métodos científicos. A metodologia é essencial na ciência, assim como a ausência de preconceitos e juízos de valor. A ciência tem evoluído ao longo dos séculos.


Sim, é errado afirmar que a História não é uma ciência. Mas ela não segue os padrões da Física e da Biologia, por exemplo. É uma ciência porque é um corpo de conhecimentos sistematizado e verificado, estando sujeito a contestações e revisões. Não é dogmática, como uma religião. Constrói modelos de análise e explicação dos fatos e procura determinar um modo de predição de eventos futuros com base nos passados. Todavia, como a Psicologia, a Sociologia, a Economia e a Geografia, está sujeita a linhas de interpretação diferentes e simultaneamente existentes, sem que toda a comunidade, a cada momento, se centre em um único paradigma, que seria modificado face a novos conhecimentos, mas que, a cada momento, prevaleceria único.


As Ciências Exatas produzem conhecimento baseado em expressões quantitativas, testando as suas hipóteses de forma rigorosa com base em experimentos ou cálculos. Ciências exatas são aquelas que só admitem princípios, consequências e fatos rigorosamente demonstráveis.

São exemplos de ciências exatas a Matemática, a Física, a Astronomia, a Engenharia, a Química e até mesmo certos ramos da Biologia ou da Economia.


Ciências Naturais são ciências que descrevem, ordenam e comparam os fenômenos naturais, isto é, os objetos da Natureza e os processos que nela têm lugar, e determinam as relações existentes entre eles, formulando leis e regras.

Pode distinguir-se entre ciências exatas (como a física e química) e ciências predominantemente descritivas (biologia, incluindo a microbiologia e a paleontologia, geografia, geologia, cristalografia, etc). O campo de atividade das ciências naturais é constituído principalmente pela investigação sem uma aplicação concreta. Fazem parte das ciências naturais a Biologia, a Geologia e a Medicina, por exemplo.

Ciência representa todo o conhecimento adquirido através do estudo ou da prática, baseando em princípios certos. Esta palavra deriva do latim scientia, sujo significado é "conhecimento" ou "saber".

Em geral, a ciência comporta vários conjuntos de saberes nos quais são elaboradas as suas teorias baseadas nos seus próprios métodos científicos. A metodologia é essencial na ciência, assim como a ausência de preconceitos e juízos de valor. A ciência tem evoluído ao longo dos séculos.


Sim, é errado afirmar que a História não é uma ciência. Mas ela não segue os padrões da Física e da Biologia, por exemplo. É uma ciência porque é um corpo de conhecimentos sistematizado e verificado, estando sujeito a contestações e revisões. Não é dogmática, como uma religião. Constrói modelos de análise e explicação dos fatos e procura determinar um modo de predição de eventos futuros com base nos passados. Todavia, como a Psicologia, a Sociologia, a Economia e a Geografia, está sujeita a linhas de interpretação diferentes e simultaneamente existentes, sem que toda a comunidade, a cada momento, se centre em um único paradigma, que seria modificado face a novos conhecimentos, mas que, a cada momento, prevaleceria único.


As Ciências Exatas produzem conhecimento baseado em expressões quantitativas, testando as suas hipóteses de forma rigorosa com base em experimentos ou cálculos. Ciências exatas são aquelas que só admitem princípios, consequências e fatos rigorosamente demonstráveis.

São exemplos de ciências exatas a Matemática, a Física, a Astronomia, a Engenharia, a Química e até mesmo certos ramos da Biologia ou da Economia.


Ciências Naturais são ciências que descrevem, ordenam e comparam os fenômenos naturais, isto é, os objetos da Natureza e os processos que nela têm lugar, e determinam as relações existentes entre eles, formulando leis e regras.

Pode distinguir-se entre ciências exatas (como a física e química) e ciências predominantemente descritivas (biologia, incluindo a microbiologia e a paleontologia, geografia, geologia, cristalografia, etc). O campo de atividade das ciências naturais é constituído principalmente pela investigação sem uma aplicação concreta. Fazem parte das ciências naturais a Biologia, a Geologia e a Medicina, por exemplo.

User badge image

Sidnei

Há mais de um mês

O conceito de ciência com os paradigmas das ciências da natureza/exatas remete ao século XIX tendo como base a Biologia, assim , é esse modelo que é transportado para as ciências humanas. Nesse contexto se constata a forte influência do Positivismo, ou seja, a ideia de ciência dotada de objetividade e neutralidade científica. É o empirismo, o observável, o que é repetido e quantificável. Assim a Teoria Positivista encadeia sincronicamente os fatos e normatiza o modelo biológico (Darwinismo Social e Funcionalismo) como o parâmetro universal de ciência.

Marilena Chauí em seu livro intitulado "Convite à Filosofia", aborda esse paradigma posto como modelo  para a História e as Ciências Humanas: "A ciência da Natureza, desde seus inícios gregos, sempre afirmou que  a natureza segue  leis naturais e racionais necessárias, isto é, nega que houvesse acaso ou contingência no mundo natural".

A História nesse cenário para se afirmar enquanto ciência sofreu com o enrejecimento de um método científico determinista. O paradigma está posto e, segundo Chauí, a ciência tem como base fatos objetivos, purificados de todos os elementos subjetivos, mas, o humano é carregado de sentimentos, afetos, subjetividades, questões valorativas e opinativas. Então, como transformar tudo isso em objetividade sem destruir sua subjetividade.

A partir principalmente da contribuição da Escola dos Annales, a História é entendida como uma construção humana da represetação do real e não do real em si mesmo em sua integralidade.

Portanto, a História é uma ciência que envolve todo um conjunto de ações humanas que impacta na estrutura social e política, assim sendo, não existe atividade  científica neutra.

Mais do que um erro crasso, seria uma completa falta de discernimento  político, social e epistemológico aceitar o discurso ideológico "científico" de que a História não seria uma ciência.

 

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas