A maior rede de estudos do Brasil

transexual tem direito ao esquecimento


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

Sim. Todos os indivíduos podem alegar o direito ao esquecimento, dependendo da situação concreta.

O direito ao esquecimento possui assento constitucional e legal. É visto como uma consequência do direito à vida privada, intimidade e honra, assegurados pela CF/88 (art. 5º, X) e pelo CC/02 (art. 21).

"Art. 5º, X da CRFB. São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação".

"Art. 21 do CC. A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrário a esta norma."

Alguns autores também afirmam que o direito ao esquecimento é uma decorrência da dignidade da pessoa humana (art. 1º, III, da CF/88).

Na VI Jornada de Direito Civil do CJF/STJ, foi aprovado um enunciado defendendo a existência do direito ao esquecimento como uma expressão da dignidade da pessoa humana:

"Enunciado 531: A tutela da dignidade da pessoa humana na sociedade da informação inclui o direito ao esquecimento."

 

Sim. Todos os indivíduos podem alegar o direito ao esquecimento, dependendo da situação concreta.

O direito ao esquecimento possui assento constitucional e legal. É visto como uma consequência do direito à vida privada, intimidade e honra, assegurados pela CF/88 (art. 5º, X) e pelo CC/02 (art. 21).

"Art. 5º, X da CRFB. São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação".

"Art. 21 do CC. A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrário a esta norma."

Alguns autores também afirmam que o direito ao esquecimento é uma decorrência da dignidade da pessoa humana (art. 1º, III, da CF/88).

Na VI Jornada de Direito Civil do CJF/STJ, foi aprovado um enunciado defendendo a existência do direito ao esquecimento como uma expressão da dignidade da pessoa humana:

"Enunciado 531: A tutela da dignidade da pessoa humana na sociedade da informação inclui o direito ao esquecimento."

 

User badge image

Marcelo

Há mais de um mês

Nas palavras do professor Luiz Alberto David Araújo, Professor Doutor da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: "O transexual que se submeteu à cirurgia tem direito ao esquecimento de sua situação, como forma de dignidade humana. Não é obrigado a carregar por toda a vida a situação de dualidade já tão minorada pela cirurgia. O transexual deve, portanto, integrar-se socialmente, sem qualquer referência ao seu estado anterior, ou a seu estado de transexualidade"

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas