A maior rede de estudos do Brasil

O que é transplante de medula óssea?

Imunologia

UNIMES


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

O transplante de medula óssea é um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como as leucemias e os linfomas. Consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.


É na medula óssea que se localizam as células-tronco hematopoéticas, responsáveis pela geração de todo o sangue (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). Essas são as células substituídas no transplante de medula.


As células-tronco hematopoéticas também circulam no sangue periférico (caso estimuladas com medicamento fator de crescimento), podendo ser coletadas por aférese, e no sangue do cordão umbilical, quando são coletadas após o nascimento do bebê. Por isso, o termo “transplante de medula óssea” tem sido substituído por “transplante de células-tronco hematopoéticas” para estes procedimentos.


Portanto, resume-se que o transplante de medula óssea consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudáve com o intuito de tratar doenças que afetam as células do sangue.

Fonte: http://redome.inca.gov.br/medula-ossea/o-que-e-o-transplante-de-medula-ossea/. Acesso em 11 de julho de 2018.

O transplante de medula óssea é um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como as leucemias e os linfomas. Consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.


É na medula óssea que se localizam as células-tronco hematopoéticas, responsáveis pela geração de todo o sangue (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). Essas são as células substituídas no transplante de medula.


As células-tronco hematopoéticas também circulam no sangue periférico (caso estimuladas com medicamento fator de crescimento), podendo ser coletadas por aférese, e no sangue do cordão umbilical, quando são coletadas após o nascimento do bebê. Por isso, o termo “transplante de medula óssea” tem sido substituído por “transplante de células-tronco hematopoéticas” para estes procedimentos.


Portanto, resume-se que o transplante de medula óssea consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudáve com o intuito de tratar doenças que afetam as células do sangue.

Fonte: http://redome.inca.gov.br/medula-ossea/o-que-e-o-transplante-de-medula-ossea/. Acesso em 11 de julho de 2018.

User badge image

Ana Beatriz Reis Caló

Há mais de um mês

É um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como leucemia aguda; leucemia mieloide crônica; leucemia mielomonocítica crônica; linfomas ; anemias graves; anemias congênitas; hemoglobinopatias; imunodeficiências congênitas; mieloma múltiplo; Síndrome mielodisplásica hipocelular; imunodeficiência combinada severa; osteopetrose; mielofibrose primária em fase evolutiva; Síndrome mielodisplásica em transformação; talassemia major, etc. Consiste na substituição de uma medula óssea doente ou deficitária por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma medula saudável. O transplante pode ser autogênico, quando a medula vem do próprio paciente. No transplante alogênico a medula vem de um doador. O transplante também pode ser feito a partir de células precursoras de medula óssea, obtidas do sangue circulante de um doador ou do sangue de cordão umbilical.

User badge image

victor hugo rosa de almeida

Há mais de um mês

O transplante de medula óssea (TMO) é uma modalidade terapêutica que utiliza altas doses de quimioterapia e(ou) radioterapia, seguido do resgate com medula óssea, com células progenitoras do sangue periférico (CPSP) ou com células obtidas do sangue de cordão umbilical. Com base nesse procedimento, a assistência de enfermagem pós-transplante de medula óssea é direcionada para:


a.Monitorar sangramento.

b.Administrar hemoderivados e controlar hemogramas de rotina.

c.Evitar rejeição.



Essa pergunta já foi respondida!