A maior rede de estudos do Brasil

Explique o processo de glicólise realizado por uma célula eucariótica


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Leilane Lopes Verified user icon

Há mais de um mês

A via glicolítica é dividida em duas fases, uma de investimento que se inicia com a entrada da glicose na célula pelo translocador GLUT4, com o auxilio do hormônio insulina. Ao entrar na célula a glicose é fosforilada pela hexoquinase, tornando-se assim a glicose 6P, essa reação consome a energia armazenada na quebra de um grupamento fosfato do ATP, ficando ele um ADP e o grupamento fosfato sendo encorporado a molécula de glicose. A segunda reação é a isomerização da molécula de glicose 6P, ela será transformada em frutose 6P, pela ação da enzima fosfoexose isomerase. A terceira reação é mais uma fosforilação, essa considerada uma das reações chave da via glicolítica, nela ocorre a quebra de uma molécula de ATP, e seu grupamento fosfato vai para a frutose 6P, que agora se torna a frutose 1,6 BiP, essa reação é catalizada pela enzima fosfofrutoquinase 1. Na quarta reação, temos a frutose 1,6 BiP sendo quebrada em duas moléculas, cada um de 3 carbonos, essa reação é catalizada pela enzima aldolase e as duas moléculas finais são o gliceraldeído 3P e a diihidroxiacetona P. A diihidroxiacetona P sofre uma mudança, catalizada pela triose fosfato isomerase e é convertida a gliceraldeído 3P. Agora a via glicolítica entra em sua segunda fase, denominada fase de pagamento, e daqui para a frente todas as reações ocorrem duas vezes, pois temos duas moléculas de gliceraldeído 3P. Esse gliceraldeído 3P sofre uma retirada de hidrogênio, no caso uma desidrogenização, catalizada pela enzima gliceraldeído 3P desidrogenase, esses hidrogênios retirados são inseridos em duas moléculas  de NAD+ que é um carreador de elétrons, e agora ele está reduzido a NADH.H+, nesse processo também entram duas moléculas de fosfato inorgânico (Pii), o produto dessa reação são 2 moléculas de 1,3 bifosfoglicerato. O 1,3 bifosfoglicerato sofre uma reação de quebra, catalizada pela fosfoglicerato quinase, nessa reação 1 dos grupamentos fosfatos é quebrado e se une a uma molécula de ADP, formando ao final duas moléculas de 3 fosfoglicerato e 2 moléculas de ATP. O 3 fosfoglicerato sofre uma mudança, catalizada pela enzima fosfoglicerato mutase, onde ele se tem seu grupamento fosfato mudado do carbono 3, para o carbono 2, sendo assim agora ele é 2 fosfoglicerato. O 2 fosfoglicerato sobre uma reação catalizada pela enzima Enolase, onde há a saída de um molécula de água, tornando-se fosfoenolpiruvato. O fosfoenolpiruvato irá sofrer a ação da enzima piruvato quinase, onde o ultimo dos grupamentos fosfatos que se encontram nela, será quebrado e direcionado a molécula de ADP. A ultima reação da via glicolítica tem como produto final, mais duas moléculas de ATP e duas moléculas de piruvato. O piruvato terá dois destinos possíveis, na presença de oxigênio ele será direcionado a mitocôndria e sem oxigênio ele irá sofrer o processo de redução, onde o NADH.H+ irá lhe dar seu hidrogênio, esse processo é conhecido como fermentação e pode ser alcoólica ou láctica. 

A via glicolítica é dividida em duas fases, uma de investimento que se inicia com a entrada da glicose na célula pelo translocador GLUT4, com o auxilio do hormônio insulina. Ao entrar na célula a glicose é fosforilada pela hexoquinase, tornando-se assim a glicose 6P, essa reação consome a energia armazenada na quebra de um grupamento fosfato do ATP, ficando ele um ADP e o grupamento fosfato sendo encorporado a molécula de glicose. A segunda reação é a isomerização da molécula de glicose 6P, ela será transformada em frutose 6P, pela ação da enzima fosfoexose isomerase. A terceira reação é mais uma fosforilação, essa considerada uma das reações chave da via glicolítica, nela ocorre a quebra de uma molécula de ATP, e seu grupamento fosfato vai para a frutose 6P, que agora se torna a frutose 1,6 BiP, essa reação é catalizada pela enzima fosfofrutoquinase 1. Na quarta reação, temos a frutose 1,6 BiP sendo quebrada em duas moléculas, cada um de 3 carbonos, essa reação é catalizada pela enzima aldolase e as duas moléculas finais são o gliceraldeído 3P e a diihidroxiacetona P. A diihidroxiacetona P sofre uma mudança, catalizada pela triose fosfato isomerase e é convertida a gliceraldeído 3P. Agora a via glicolítica entra em sua segunda fase, denominada fase de pagamento, e daqui para a frente todas as reações ocorrem duas vezes, pois temos duas moléculas de gliceraldeído 3P. Esse gliceraldeído 3P sofre uma retirada de hidrogênio, no caso uma desidrogenização, catalizada pela enzima gliceraldeído 3P desidrogenase, esses hidrogênios retirados são inseridos em duas moléculas  de NAD+ que é um carreador de elétrons, e agora ele está reduzido a NADH.H+, nesse processo também entram duas moléculas de fosfato inorgânico (Pii), o produto dessa reação são 2 moléculas de 1,3 bifosfoglicerato. O 1,3 bifosfoglicerato sofre uma reação de quebra, catalizada pela fosfoglicerato quinase, nessa reação 1 dos grupamentos fosfatos é quebrado e se une a uma molécula de ADP, formando ao final duas moléculas de 3 fosfoglicerato e 2 moléculas de ATP. O 3 fosfoglicerato sofre uma mudança, catalizada pela enzima fosfoglicerato mutase, onde ele se tem seu grupamento fosfato mudado do carbono 3, para o carbono 2, sendo assim agora ele é 2 fosfoglicerato. O 2 fosfoglicerato sobre uma reação catalizada pela enzima Enolase, onde há a saída de um molécula de água, tornando-se fosfoenolpiruvato. O fosfoenolpiruvato irá sofrer a ação da enzima piruvato quinase, onde o ultimo dos grupamentos fosfatos que se encontram nela, será quebrado e direcionado a molécula de ADP. A ultima reação da via glicolítica tem como produto final, mais duas moléculas de ATP e duas moléculas de piruvato. O piruvato terá dois destinos possíveis, na presença de oxigênio ele será direcionado a mitocôndria e sem oxigênio ele irá sofrer o processo de redução, onde o NADH.H+ irá lhe dar seu hidrogênio, esse processo é conhecido como fermentação e pode ser alcoólica ou láctica. 

User badge image

Izadora

Há mais de um mês

quebra de uma glicose em 2 piruvatos, produzindo 2 atp e 2 nadh

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas