A maior rede de estudos do Brasil

causas da malformacao fetais


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Lembrando que cerca de 50% das causas das malformações congênitas permanecem desconhecidas. Das restantes, aproximadamente 25% se devem a defeitos cromossomiais com base genética e menos de 10% são devidas a fatores ambientais, físicos ou químicos. Em resumo, as malformações podem ser devidas a fatores genéticos, herdados ou não, fatores extrínsecos, drogas e outras substâncias químicas, infecções viróticas ou outros defeitos congênitos.


Então quais as principais causas?

Causas genéticas/cromossômicas – sabe-se que as alterações de formação fetal podem decorrer de erros em quantidade ou morfologia dos genes e dos cromossomos. São exemplos clássicos a síndrome de Down e a Anemia falciforme. Possuem descendência geralmente familiar embora possam acontecer como um evento novo, ou seja, sem causa de ascendência paterna ou materna que a justifique.

Fatores ambientais – são aqueles externos, dependentes de condições maternas ou do ambiente em que esta se encontra, substâncias a que foi exposta, etc. Nesta categorias entram os teratógenos, substâncias ou condições capazes de alterar o desenvolvimento fetal fisiológico.

O maior exemplo dos teratógenos foi a Talidomida, causa de desenvolvimento incompleto dos membros(focomelia). Era comercializada como medicação sintomática em gestantes com pirose.

Mais recentemente, o Zika vírus surgiu como um causador de malformações fetais como a microcefalia, ventriculomegalia, artrogriposes e óbitos fetais. A epidemia começou no Brasil, fato que não ocorreu em outros locais com a presença de gestantes infectadas pelo vírus. Permanece em pesquisa as causas que levaram a isso. Outras infecções que fazem parte da triagem de pré-natal são causas de danos fetais como a Toxoplasmose, Sífilis e Rubéola.

Lembrando que cerca de 50% das causas das malformações congênitas permanecem desconhecidas. Das restantes, aproximadamente 25% se devem a defeitos cromossomiais com base genética e menos de 10% são devidas a fatores ambientais, físicos ou químicos. Em resumo, as malformações podem ser devidas a fatores genéticos, herdados ou não, fatores extrínsecos, drogas e outras substâncias químicas, infecções viróticas ou outros defeitos congênitos.


Então quais as principais causas?

Causas genéticas/cromossômicas – sabe-se que as alterações de formação fetal podem decorrer de erros em quantidade ou morfologia dos genes e dos cromossomos. São exemplos clássicos a síndrome de Down e a Anemia falciforme. Possuem descendência geralmente familiar embora possam acontecer como um evento novo, ou seja, sem causa de ascendência paterna ou materna que a justifique.

Fatores ambientais – são aqueles externos, dependentes de condições maternas ou do ambiente em que esta se encontra, substâncias a que foi exposta, etc. Nesta categorias entram os teratógenos, substâncias ou condições capazes de alterar o desenvolvimento fetal fisiológico.

O maior exemplo dos teratógenos foi a Talidomida, causa de desenvolvimento incompleto dos membros(focomelia). Era comercializada como medicação sintomática em gestantes com pirose.

Mais recentemente, o Zika vírus surgiu como um causador de malformações fetais como a microcefalia, ventriculomegalia, artrogriposes e óbitos fetais. A epidemia começou no Brasil, fato que não ocorreu em outros locais com a presença de gestantes infectadas pelo vírus. Permanece em pesquisa as causas que levaram a isso. Outras infecções que fazem parte da triagem de pré-natal são causas de danos fetais como a Toxoplasmose, Sífilis e Rubéola.

User badge image

Winne do Nascimento Borges

Há mais de um mês

Tabagismo, alcoolismo, uso de drogas, aporte dificiente de nutrientes.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas