A maior rede de estudos do Brasil

UMA EXPLICAÇÃO SOBRE LUXAÇÃO PATELAR EM DIVERSAS RAÇAS DE ANIMAIS .


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

A luxação em animais pode ocorrer de forma congênita, ou seja estar presente desde seu nascimento (genética), ou provocada por um traumatismo (geralmente em animais filhotes ou de pequeno porte).
Quando ocorre esta luxação, ou seja deslocamento da rotula, o animal sofre dor e problemas para se movimentar, e em casos mais graves inutilizar a área.
Existem diferentes graus de luxação da patela:

Grau 1: interrupção na luxação, fazendo com que o animal manque ao tentar andar.

Grau 2: luxação mais frequente, e pode gerar um artrite depois de anos. Ligeira rotação ao caminhar, podendo fazer com que o animal fique sem caminhar.

Grau 3: a luxação é permanente e o animal manca moderadamente.

Grau 4: a luxação é permanente, causando uma dor extrema ao animal caminhar e impede que ele realize atividades de esforço.

A luxação em animais pode ocorrer de forma congênita, ou seja estar presente desde seu nascimento (genética), ou provocada por um traumatismo (geralmente em animais filhotes ou de pequeno porte).
Quando ocorre esta luxação, ou seja deslocamento da rotula, o animal sofre dor e problemas para se movimentar, e em casos mais graves inutilizar a área.
Existem diferentes graus de luxação da patela:

Grau 1: interrupção na luxação, fazendo com que o animal manque ao tentar andar.

Grau 2: luxação mais frequente, e pode gerar um artrite depois de anos. Ligeira rotação ao caminhar, podendo fazer com que o animal fique sem caminhar.

Grau 3: a luxação é permanente e o animal manca moderadamente.

Grau 4: a luxação é permanente, causando uma dor extrema ao animal caminhar e impede que ele realize atividades de esforço.

User badge image

Rafaela Custodio Verified user icon

Há mais de um mês

A displasia coxofemoral acomete cães das raças de raças grandes e gigantes, devido a fatores geneticos e o peso do animal, mas qualquer raça pode desenvolver a doença. Fatores como piso e nutricao devem ser levados em consideração no desenvolvimento da displasia.

A doença raramente ocorre em caes que possuem peso abaixo de 11 a 12 kg, quando adulto.

A predisposicao genetica é devido genes que alteram a conformacao de cartilagens, e os musculos da regiao coxofemoral. Com o crescimento o animal apresenta disparidade entre a massa muscular e o crescimento esqueletico, causando uma desproporcao.

Raças comuns: Labrador, Golden Retrievers, Rottweiler, Pastor Alemão,  Bernese Mountain Dog, São Bernardo,  Dogue Alemão, e o Buldogue Inglês. Qualquer raça canina considerada de tamanho médio, grande e ou gigante, poderá desenvolver a displasia.

Literatura:Piermattei, Ortopedia e Tratamento de Fraturas de Pequenos Animais. p 539

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas