A maior rede de estudos do Brasil

Explique como Santo Tomás de Aquino concebe o direito natural.

História do Direito

UNIHORIZONTES


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para responder essa pergunta devemos colocar em prática nosso conhecimento sobre Direito.O Direito é um conjunto de normas de conduta social imposto coercitivamente pelo Estado para conferir segurança ao cidadão e às suas relações, assim como ao seu patrimônio, seguindo os critérios da justiça, da moral e da ética. Ou seja, trata-se de um instrumento que conserva e regula as estruturas sociais através de um ordenamento jurídico, de forma que, caso o indivíduo faça algo que vá contra o disposto em lei, este deverá responder ao Estado, único que detém o jus puniendi (direito de punir), e que poderá, compelir o agente a responder civil ou penalmente de acordo com o estipulado em lei, visando evitar conflitos e promover a justiça. O direito positivo pode ser definido como um conjunto de normas estatais que regem o sistema de um país. como por exemplo o Brasil. Assim, com o surgimento desse direito, o Estado passa a fornecer subsídios para que os direitos de cada um dos cidadãos sejam reivindicados. Comparado ao Direito Natural, o direito positivo tem caráter oposto, ou seja, é subjetivo.

Podemos afirmar ainda que o direito positivo é aquele que existe apenas nas leis criadas pelo “homem”, e que é imposta pelo Estado. O seu objetivo é de atingir a justiça, ou seja, a resposta certa e mais justa para uma determinada situação, através de regras, leis, e normas, abordadas através do julgamento feito por um juiz.

O direito natural, diferente do positivo que visa fazer justiça através de regras e leis, defende a existência de um Direito maior que é regido pelos direitos humanos. Na visão dos jusnaturalistas, aqueles que defendem o direito natural, este último prevalece sobre o direito positivo por ser mais amplo e flexível nas resoluções de conflitos, já que não fica preso em regras e leis pré-estabelecidas.

Para responder essa pergunta devemos colocar em prática nosso conhecimento sobre Direito.O Direito é um conjunto de normas de conduta social imposto coercitivamente pelo Estado para conferir segurança ao cidadão e às suas relações, assim como ao seu patrimônio, seguindo os critérios da justiça, da moral e da ética. Ou seja, trata-se de um instrumento que conserva e regula as estruturas sociais através de um ordenamento jurídico, de forma que, caso o indivíduo faça algo que vá contra o disposto em lei, este deverá responder ao Estado, único que detém o jus puniendi (direito de punir), e que poderá, compelir o agente a responder civil ou penalmente de acordo com o estipulado em lei, visando evitar conflitos e promover a justiça. O direito positivo pode ser definido como um conjunto de normas estatais que regem o sistema de um país. como por exemplo o Brasil. Assim, com o surgimento desse direito, o Estado passa a fornecer subsídios para que os direitos de cada um dos cidadãos sejam reivindicados. Comparado ao Direito Natural, o direito positivo tem caráter oposto, ou seja, é subjetivo.

Podemos afirmar ainda que o direito positivo é aquele que existe apenas nas leis criadas pelo “homem”, e que é imposta pelo Estado. O seu objetivo é de atingir a justiça, ou seja, a resposta certa e mais justa para uma determinada situação, através de regras, leis, e normas, abordadas através do julgamento feito por um juiz.

O direito natural, diferente do positivo que visa fazer justiça através de regras e leis, defende a existência de um Direito maior que é regido pelos direitos humanos. Na visão dos jusnaturalistas, aqueles que defendem o direito natural, este último prevalece sobre o direito positivo por ser mais amplo e flexível nas resoluções de conflitos, já que não fica preso em regras e leis pré-estabelecidas.

User badge image

Fernanda

Há mais de um mês

Tomas de Aquino dirá que as duas leis( positiva e natural) se ligam por uma conexão racional. Se usássemos a lei que caracteriza o homicidio como crime, a conexão seria de fácil visualização: a vida humana é um bem; portanto, a lei positiva corrobora e afirma este bem. Uma segunda consideração importante é a que diz respeito à pergunta controversa "por que o Direito Positivo se subordina ao Direito Natural?" Não se trata de uma derivação logica entre um e outro, tampouco de uma razão divina ou natural que confira autoridade ao direito natural . Além disso, não se pode falar que o Direito Natural é um Direito coercivo , porque só parte de uma moralidade. O direito positivo se subordina ao direito natural por duas razões principais: pela necessidade [quem necessita] de compelir e forçar as pessoas egoistas [quem define] a agir de modo razoável e bom, e por buscar um padrão futuro de ordem social. Atentando para o fato de que ambos os argumentos derivam da razão prática.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas