A maior rede de estudos do Brasil

Calculo de matriz de admitancia para fluxo de potencia atraves do matlab?


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Neste exercício, será explicado como obter a matriz de admitância (também conhecida como Ybarra) para fluxo de potência através do software MATLAB. Para isso, será considerada a matriz de dados de linha escrita (no MATLAB) a seguir.

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];


A matriz de dados de linha contém as seguintes informações:

- Coluna “De”: Barras de origem da linha (barra k)

- Coluna “Para”: Barra de destino da linha (barra m)

- Coluna “r (pu)”: resistências série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “x (pu)”: reatâncias série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “bsh (pu)”: susceptância em paralelo (shunt – sh) de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

O modelo de linha de transmissão está apresentado na imagem a seguir:


O algoritmo completo do cálculo da matriz Ybarra está apresentada a seguir. É importante prestar atenção nos comentários escritos em verde.

clc; clear all

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];

% Matrizes coluna:

De = Dados_linha(:,1);

Para = Dados_linha(:,2);

r = Dados_linha(:,3);

x = Dados_linha(:,4);

bsh = Dados_linha(:,5);

% Admitância série:

Admit = (r + 1j*x).^(-1);

% Cálculo do número de barras (ou nós) do sistema:

n_lin = numel(De); % Número de linhas

m1 = max(De);

m2 = max(Para);

n_nos = max(m1,m2); % Número de nós

% Inicialização da matriz Ybarra com zeros:

Ybarra = zeros(n_nos,n_nos);

% Montagem de Ybarra:

for u = 1:n_lin

k = De(u);

m = Para(u);

ykm = Admit(u);

ysh = j*bsh(u);

% Elementos da matriz Ybarra:

Ybarra(k,k) = Ybarra(k,k) + ykm + ysh;

Ybarra(m,m) = Ybarra(m,m) + ykm + ysh;

Ybarra(k,m) = Ybarra(k,m) - ykm;

Ybarra(m,k) = Ybarra(m,k) - ykm;

end

% Escrita da matriz Ybarra na janela de comando:

disp('Matriz de admitância Ybarra:')

disp(' ')

disp(Ybarra)


O resultado desse algoritmo é:

O algoritmo realizou as seguintes operações:

- Separou a matriz de dados de linha em matrizes coluna;

- Calculou a admitância série presente em cada linha com base nos valores de resistência a reatância (todos em pu);

- Calculou o número de nós do sistema com base nas matrizes coluna “De” e “Para”;

- Inicializou a matriz quadrada Ybarra com dimensões de acordo com o número de nós do sistema. Os valores iniciais da matriz foram zero;

- Realizou uma varredura nas linhas presentes no sistema através da estrutura de repetição “for”. Dependendo das barras ligadas à linha correspondente, eram somados os valores de admitâncias correspondentes. Por exemplo, se a linha em questão liga as barras 1 e 2, os elementos da primeira linha, primeira coluna, segunda linha e segunda coluna da matriz Ybarra eram alterados.

- Por fim, a matriz Ybarra resultante foi impressa na janela de comando do MATLAB.


Resumindo, no MATLAB, o cálculo de matriz de admitância (Ybarra) para fluxo de potência é realizado através de uma estrutura de repetição que realiza uma varredura nas linhas presentes no sistema de potência.

Neste exercício, será explicado como obter a matriz de admitância (também conhecida como Ybarra) para fluxo de potência através do software MATLAB. Para isso, será considerada a matriz de dados de linha escrita (no MATLAB) a seguir.

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];


A matriz de dados de linha contém as seguintes informações:

- Coluna “De”: Barras de origem da linha (barra k)

- Coluna “Para”: Barra de destino da linha (barra m)

- Coluna “r (pu)”: resistências série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “x (pu)”: reatâncias série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “bsh (pu)”: susceptância em paralelo (shunt – sh) de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

O modelo de linha de transmissão está apresentado na imagem a seguir:


O algoritmo completo do cálculo da matriz Ybarra está apresentada a seguir. É importante prestar atenção nos comentários escritos em verde.

clc; clear all

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];

% Matrizes coluna:

De = Dados_linha(:,1);

Para = Dados_linha(:,2);

r = Dados_linha(:,3);

x = Dados_linha(:,4);

bsh = Dados_linha(:,5);

% Admitância série:

Admit = (r + 1j*x).^(-1);

% Cálculo do número de barras (ou nós) do sistema:

n_lin = numel(De); % Número de linhas

m1 = max(De);

m2 = max(Para);

n_nos = max(m1,m2); % Número de nós

% Inicialização da matriz Ybarra com zeros:

Ybarra = zeros(n_nos,n_nos);

% Montagem de Ybarra:

for u = 1:n_lin

k = De(u);

m = Para(u);

ykm = Admit(u);

ysh = j*bsh(u);

% Elementos da matriz Ybarra:

Ybarra(k,k) = Ybarra(k,k) + ykm + ysh;

Ybarra(m,m) = Ybarra(m,m) + ykm + ysh;

Ybarra(k,m) = Ybarra(k,m) - ykm;

Ybarra(m,k) = Ybarra(m,k) - ykm;

end

% Escrita da matriz Ybarra na janela de comando:

disp('Matriz de admitância Ybarra:')

disp(' ')

disp(Ybarra)


O resultado desse algoritmo é:

O algoritmo realizou as seguintes operações:

- Separou a matriz de dados de linha em matrizes coluna;

- Calculou a admitância série presente em cada linha com base nos valores de resistência a reatância (todos em pu);

- Calculou o número de nós do sistema com base nas matrizes coluna “De” e “Para”;

- Inicializou a matriz quadrada Ybarra com dimensões de acordo com o número de nós do sistema. Os valores iniciais da matriz foram zero;

- Realizou uma varredura nas linhas presentes no sistema através da estrutura de repetição “for”. Dependendo das barras ligadas à linha correspondente, eram somados os valores de admitâncias correspondentes. Por exemplo, se a linha em questão liga as barras 1 e 2, os elementos da primeira linha, primeira coluna, segunda linha e segunda coluna da matriz Ybarra eram alterados.

- Por fim, a matriz Ybarra resultante foi impressa na janela de comando do MATLAB.


Resumindo, no MATLAB, o cálculo de matriz de admitância (Ybarra) para fluxo de potência é realizado através de uma estrutura de repetição que realiza uma varredura nas linhas presentes no sistema de potência.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Calculo de matriz de admitancia para fluxo de potencia atraves do matlab?

#Potência#fluxo


Neste exercício, será explicado como obter a matriz de admitância (também conhecida como Ybarra) para fluxo de potência através do software MATLAB. Para isso, será considerada a matriz de dados de linha escrita (no MATLAB) a seguir.

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];


A matriz de dados de linha contém as seguintes informações:

- Coluna “De”: Barras de origem da linha (barra k)

- Coluna “Para”: Barra de destino da linha (barra m)

- Coluna “r (pu)”: resistências série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “x (pu)”: reatâncias série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “bsh (pu)”: susceptância em paralelo (shunt – sh) de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

O modelo de linha de transmissão está apresentado na imagem a seguir:


O algoritmo completo do cálculo da matriz Ybarra está apresentada a seguir. É importante prestar atenção nos comentários escritos em verde.

clc; clear all

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];

% Matrizes coluna:

De = Dados_linha(:,1);

Para = Dados_linha(:,2);

r = Dados_linha(:,3);

x = Dados_linha(:,4);

bsh = Dados_linha(:,5);

% Admitância série:

Admit = (r + 1j*x).^(-1);

% Cálculo do número de barras (ou nós) do sistema:

n_lin = numel(De); % Número de linhas

m1 = max(De);

m2 = max(Para);

n_nos = max(m1,m2); % Número de nós

% Inicialização da matriz Ybarra com zeros:

Ybarra = zeros(n_nos,n_nos);

% Montagem de Ybarra:

for u = 1:n_lin

k = De(u);

m = Para(u);

ykm = Admit(u);

ysh = j*bsh(u);

% Elementos da matriz Ybarra:

Ybarra(k,k) = Ybarra(k,k) + ykm + ysh;

Ybarra(m,m) = Ybarra(m,m) + ykm + ysh;

Ybarra(k,m) = Ybarra(k,m) - ykm;

Ybarra(m,k) = Ybarra(m,k) - ykm;

end

% Escrita da matriz Ybarra na janela de comando:

disp('Matriz de admitância Ybarra:')

disp(' ')

disp(Ybarra)


O resultado desse algoritmo é:

O algoritmo realizou as seguintes operações:

- Separou a matriz de dados de linha em matrizes coluna;

- Calculou a admitância série presente em cada linha com base nos valores de resistência a reatância (todos em pu);

- Calculou o número de nós do sistema com base nas matrizes coluna “De” e “Para”;

- Inicializou a matriz quadrada Ybarra com dimensões de acordo com o número de nós do sistema. Os valores iniciais da matriz foram zero;

- Realizou uma varredura nas linhas presentes no sistema através da estrutura de repetição “for”. Dependendo das barras ligadas à linha correspondente, eram somados os valores de admitâncias correspondentes. Por exemplo, se a linha em questão liga as barras 1 e 2, os elementos da primeira linha, primeira coluna, segunda linha e segunda coluna da matriz Ybarra eram alterados.

- Por fim, a matriz Ybarra resultante foi impressa na janela de comando do MATLAB.


Resumindo, no MATLAB, o cálculo de matriz de admitância (Ybarra) para fluxo de potência é realizado através de uma estrutura de repetição que realiza uma varredura nas linhas presentes no sistema de potência.

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Sim. Tem só que é meio complicadinho

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Neste exercício, será explicado como obter a matriz de admitância (também conhecida como Ybarra) para fluxo de potência através do software MATLAB. Para isso, será considerada a matriz de dados de linha escrita (no MATLAB) a seguir.

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];


A matriz de dados de linha contém as seguintes informações:

- Coluna “De”: Barras de origem da linha (barra k)

- Coluna “Para”: Barra de destino da linha (barra m)

- Coluna “r (pu)”: resistências série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “x (pu)”: reatâncias série de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

- Coluna “bsh (pu)”: susceptância em paralelo (shunt – sh) de cada linha em pu, conforme o modelo de linha de transmissão

O modelo de linha de transmissão está apresentado na imagem a seguir:


O algoritmo completo do cálculo da matriz Ybarra está apresentada a seguir. É importante prestar atenção nos comentários escritos em verde.

clc; clear all

% DE PARA r(pu) x(pu) bsh(pu)

Dados_linha = [1 2 0.1 1 0.01;

1 3 0.2 2 0.02;

2 3 0.1 1 0.01 ];

% Matrizes coluna:

De = Dados_linha(:,1);

Para = Dados_linha(:,2);

r = Dados_linha(:,3);

x = Dados_linha(:,4);

bsh = Dados_linha(:,5);

% Admitância série:

Admit = (r + 1j*x).^(-1);

% Cálculo do número de barras (ou nós) do sistema:

n_lin = numel(De); % Número de linhas

m1 = max(De);

m2 = max(Para);

n_nos = max(m1,m2); % Número de nós

% Inicialização da matriz Ybarra com zeros:

Ybarra = zeros(n_nos,n_nos);

% Montagem de Ybarra:

for u = 1:n_lin

k = De(u);

m = Para(u);

ykm = Admit(u);

ysh = j*bsh(u);

% Elementos da matriz Ybarra:

Ybarra(k,k) = Ybarra(k,k) + ykm + ysh;

Ybarra(m,m) = Ybarra(m,m) + ykm + ysh;

Ybarra(k,m) = Ybarra(k,m) - ykm;

Ybarra(m,k) = Ybarra(m,k) - ykm;

end

% Escrita da matriz Ybarra na janela de comando:

disp('Matriz de admitância Ybarra:')

disp(' ')

disp(Ybarra)


O resultado desse algoritmo é:

O algoritmo realizou as seguintes operações:

- Separou a matriz de dados de linha em matrizes coluna;

- Calculou a admitância série presente em cada linha com base nos valores de resistência a reatância (todos em pu);

- Calculou o número de nós do sistema com base nas matrizes coluna “De” e “Para”;

- Inicializou a matriz quadrada Ybarra com dimensões de acordo com o número de nós do sistema. Os valores iniciais da matriz foram zero;

- Realizou uma varredura nas linhas presentes no sistema através da estrutura de repetição “for”. Dependendo das barras ligadas à linha correspondente, eram somados os valores de admitâncias correspondentes. Por exemplo, se a linha em questão liga as barras 1 e 2, os elementos da primeira linha, primeira coluna, segunda linha e segunda coluna da matriz Ybarra eram alterados.

- Por fim, a matriz Ybarra resultante foi impressa na janela de comando do MATLAB.


Resumindo, no MATLAB, o cálculo de matriz de admitância (Ybarra) para fluxo de potência é realizado através de uma estrutura de repetição que realiza uma varredura nas linhas presentes no sistema de potência.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas