A maior rede de estudos do Brasil

Vias dos sentidos alguém poderia explicar?


1 resposta(s)

User badge image

Pedro Henrique

Há mais de um mês

Através dos receptores, o indivíduo capta estímulos e informações do 

O sistema sensorial é constituido pelos órgãos do sentido, como pele, ouvido, olhos, fossas nasais e língua, onde são encontradas as terminações sensitivas do sistema nervoso periférico. Os diferentes estímulos do ambiente são transformados em estímulos nervosos devido à capacidade que esses órgãos possuem.s receptores podem ser classificados, de acordo com a natureza do estímulo que são capazes de captar, como: quimiorreceptores, fotorreceptores, termorreceptores, mecanorreceptores. Os quimiorreceptores, língua e nariz, são perceptíveis à substâncias químicas, responsáveis pelo paladar e o olfato.

Os termorreceptores respondem pela variação da temperatura, captando estímulos de natureza térmica. Os mecanorreceptores correspondem a estímulos mecânicos. Os fotorreceptores detectam a luz. A sensação do tato é proporcionada pelos mecanorreceptores, termorreceptores e receptores de dor, existentes na pele humana. As papilas gustativas situadas na língua, são os quimiorreceptores relacionados com o paladar, estabelece distinção entre os quatro sabores: salgado, doce, amargo e azedo. O epitélio olfatório é formado pelos quimiorreceptores relacionados com o olfato, estes estão localizados no teto das cavidades nasais.

Os fotorreceptores estão situados nos olhos. Os olhos são bolsas membranosas cheias de líquido, composto de três camadas: esclera, coróide e retina. Na retina estão situadas as células fotorreceptoras. As células fotorreceptoras são os cones e os bastonetes. As estruturas responsáveis pela recepção dos estímulos sonoros são o ouvido externo, o ouvido médio e a cóclea.

Vamos estudar separadamente cada órgão do sentido.

Tato:

O tato é o sentido responsável pela percepção de diferentes sensações na pele. Tal percepção somente é permitida por meio das terminações nervosas e corpúsculos que formam os receptores táteis responsáveis pela captura dessas sensações e pela transmissão das mesmas para os nervos. Dos nervos as sensações são encaminhadas para o sistema nervoso central e chega até o córtex cerebral, onde são processados.

Apesar de ser o primeiro sentido desenvolvido no homem, o tato é importantíssimo para o crescimento, desenvolvimento e aprendizado da criança, pois por meio do toque ela consegue receber estímulos de outras pessoas, adquirindo confiança e auto-estima. Além disso, o tato é o único sentido que se conserva atento no período em que o indivíduo está dormindo, funcionando como uma espécie de guarda do sono.

Existem algumas partes do corpo que armazenam maior quantidade de receptores táteis, ou seja, terminações nervosas e corpúsculos que capturam as sensações. As mãos, os pés e os lábios são algumas dessas partes que possuem maior facilidade em receber estímulos por meio da pele.

São vários os receptores táteis, porém cada um com sua função específica:

As terminações nervosas livres são responsáveis pela percepção dos estímulos mecânicos, térmicos e dolorosos. Todas as vezes que sentimos dor, a sentimos pela captação do estímulo recebido por meio destas.

O corpúsculo de Ruffini é responsável por captar sensações do calor.
O corpúsculo de Krause é responsável por captar sensações de frio.
O corpúsculo de Meissner é responsável pelas sensações que experimentamos rapidamente por meio do toque.

Órgão do Sentido - Tato

Olfato

O olfato é formado por meio de um espessamento epidérmico localizado no crânio cuja função é captar os odores liberados por diferentes objetos, porém só consegue realizar tal captação quando os neuroreceptores recebem as moléculas de uma determinada substância por meio da dissolução dessa no muco.

O teto das cavidades nasais abriga o órgão olfatório que possui células sensoriais e neurônios que ao serem estimulados originam impulsos nervosos que são encaminhados até o lobo olfatório cerebral, produzindo a sensação de cheiro.

Existem diferentes genes receptores que detectam os odores. Para que o odor de cada objeto seja identificado imediatamente ao ser sentido por outras vezes é necessário que o gene receptor específico de cada odor esteja presente no revestimento do nariz.

Curiosidade: Apesar de o olfato ser um sentido distinto do paladar, ele é aliado na percepção do gosto dos alimentos. Pode-se verificar tal união quando se está gripado, pois nesse período o olfato é prejudicado pela secreção que a gripe produz alterando a capacidade de sentir o gosto dos alimentos.

Olfato

Paladar

O paladar é uma sensação química percebida por células específicas, denominadas papilas gustatórias. Localizadas na língua e palato, estas promovem, além de sensações táteis, aquelas relacionadas aos sabores. As papilas filiformes são as responsáveis pelo primeiro caso citado; já as papilas circunvaladas, fungiformes e foliáceas, pelo segundo.

O que chamamos de sabor é, na verdade, uma combinação de odores e gostos percebidos pelo sentido gustativo e olfativo; ativados pelos seus quimiorreceptores. Surpreendentemente, este último é responsável por aproximadamente 80% da sensação que temos ao ingerir um alimento. Assim, considerando a estreita relação entre estes, é fácil compreender porque, quando estamos gripados ou com alergia, não conseguimos distinguir os sabores com a mesma eficácia.

A textura, temperatura, ardência e cor dos alimentos também influenciam nas sensações palatais, sendo o gosto final a resultante de todos os estímulos recebidos, enviados ao cérebro e ali interpretados.

Evolutivamente falando, essas sensações são importantes, pois estão geralmente associadas à qualidade do alimento. Gostos adocicados, por exemplo, nos remete a alimentos nutritivos e/ou calóricos; enquanto o amargo indica, muitas vezes, substâncias tóxicas.

Paladar

Visão

Os olhos são os órgãos responsáveis pela percepção de luz e pela transformação dessa em impulsos elétricos que são enviados ao cérebro. Os olhos são bolsas membranosas com grande quantidade de líquido em seu interior.

A camada mais externa do olho é chamada esclera. Ela é formada por tecidos conjuntivos que preservam a forma dos olhos e faz ligação entre os músculos de movimentação do mesmo. A córnea, área transparente e curva é responsável pela passagem da luz. Após a passagem pela córnea a luz é encaminhada para o humor aquoso que nada mais é do que o líquido que existe no interior do olho.

Abaixo da esclera encontra-se a corióide, película pigmentada que contém os vasos sanguíneos responsáveis pela nutrição e oxigenação das células dos olhos. Na corióide pode-se perceber a íris, a parte mais visível do olho que tem sua coloração variada de indivíduo para indivíduo. No centro da íris está a pupila, orifício que controla a quantidade de luz que é transmitida ao olho. Por trás da íris localiza-se o cristalino, também chamado de lente. Essa estrutura é responsável pela nitidez e pela focalização das imagens formadas na córnea se projetando na área sensível do fundo do olho.

A retina encontra-se internamente nos olhos contendo os bastonetes que recebem a luz e os cones que distinguem as cores. Os bastonetes normalmente se concentram nas laterais dos olhos enquanto os cones se concentram na parte central, a fóvea. Por conter grande quantidade de cones, a fóvea é menos sensível à luz.

Visão

Audição

Quando um corpo qualquer está vibrando, o ar que está em volta também vibra. Essas vibrações são percebidas pelo ouvido humano, que é capaz de captar ondas com vibrações compreendidas entre 16 Hz e 20.000 Hz (ondas que se repetem de 16 a 20.000 vezes por segundo).

O ouvido humano é dividido em três regiões: ouvido externo, ouvido médio e ouvido interno. A função básica dessas três regiões é transformar a energia das ondas sonoras em vibrações mais potentes a fim de serem captadas pelo sistema nervoso auditivo.

OUVIDO EXTERNO: formado pelo pavilhão e pelo canal auditivo, que termina no tímpano que é uma membrana recoberta externamente por uma delgada camada de pele e internamente por epitélio cúbico simples. Entre as duas camadas epiteliais encontramos duas camadas de fibras colágenas, fibroblastos e fibras elásticas que entram em vibração quando recebem as ondas sonoras. Esta vibração tem função amplificadora do som. O pavilhão externo capta o som e pode ser fixo ou móvel (dependendo da classe animal, no homem, em geral é fixo). O canal auditivo ou meato acústico externo é revestido internamente por pele rica em pêlos e glândulas sebáceas e ceruminosas cuja função é a proteção do tímpano.

OUVIDO MÉDIO: vai do tímpano até as janelas redonda e oval (membranas entre o ouvido médio e o ouvido interno) Contêm três minúsculos ossos que transmitem a vibração do tímpano até a janela oval.

São eles o martelo, a bigorna e o estribo. Um canal chamado trompa de Eustáquio comunica o ouvido médio com a faringe. Este tubo serve para que as pressões do ar de um lado e do outro do tímpano fiquem equilibradas.

OUVIDO INTERNO: A janela oval transmite as vibrações ao ouvido interno, que é formado pela cóclea ou caracol (percepção dos sons) e pelos canais semicirculares (relacionados com o equilíbrio). Na cóclea, onde o som é amplificado, encontram-se as terminações do nervo auditivo.

Audição

Classificação dos Receptores Sensoriais

De acordo com a natureza do estímulo que são capazes de captar, os receptores sensoriais podem ser classificados em:

Quimiorreceptores – Detectam substâncias químicas. Exemplo: na língua e no nariz, responsáveis pelos sentidos do paladar e olfato;
Termorreceptores – Capta estímulos de natureza térmica, distribuídos por toda pele e mais concentrado em regiões da face, pés e das mãos;
Mecanorreceptores – Capta estímulos mecânicos. Nos ouvidos, por exemplo, capazes de captar ondas sonoras, e como órgãos de equilíbrio;
Fotorreceptores – Capta estímulos luminosos, como nos olhos.

De acordo com o local onde captam estímulos, os receptores sensoriais podem ser classificados em:

Exterorreceptores – Localizadas na superfície do corpo, especializadas em captar estímulos provenientes do ambiente, como a luz, calor, sons e pressão.

Exemplo: os órgãos de tato, visão, audição, olfato e paladar;

Propriorreceptores – Localizadas nos músculos, tendões, juntas e órgãos internos. Captam estímulos do interior do corpo;

Interorreceptores – Percebem as condições internas do corpo (pH, pressão osmótica, temperatura e composição química do sangue).

Através dos receptores, o indivíduo capta estímulos e informações do 

O sistema sensorial é constituido pelos órgãos do sentido, como pele, ouvido, olhos, fossas nasais e língua, onde são encontradas as terminações sensitivas do sistema nervoso periférico. Os diferentes estímulos do ambiente são transformados em estímulos nervosos devido à capacidade que esses órgãos possuem.s receptores podem ser classificados, de acordo com a natureza do estímulo que são capazes de captar, como: quimiorreceptores, fotorreceptores, termorreceptores, mecanorreceptores. Os quimiorreceptores, língua e nariz, são perceptíveis à substâncias químicas, responsáveis pelo paladar e o olfato.

Os termorreceptores respondem pela variação da temperatura, captando estímulos de natureza térmica. Os mecanorreceptores correspondem a estímulos mecânicos. Os fotorreceptores detectam a luz. A sensação do tato é proporcionada pelos mecanorreceptores, termorreceptores e receptores de dor, existentes na pele humana. As papilas gustativas situadas na língua, são os quimiorreceptores relacionados com o paladar, estabelece distinção entre os quatro sabores: salgado, doce, amargo e azedo. O epitélio olfatório é formado pelos quimiorreceptores relacionados com o olfato, estes estão localizados no teto das cavidades nasais.

Os fotorreceptores estão situados nos olhos. Os olhos são bolsas membranosas cheias de líquido, composto de três camadas: esclera, coróide e retina. Na retina estão situadas as células fotorreceptoras. As células fotorreceptoras são os cones e os bastonetes. As estruturas responsáveis pela recepção dos estímulos sonoros são o ouvido externo, o ouvido médio e a cóclea.

Vamos estudar separadamente cada órgão do sentido.

Tato:

O tato é o sentido responsável pela percepção de diferentes sensações na pele. Tal percepção somente é permitida por meio das terminações nervosas e corpúsculos que formam os receptores táteis responsáveis pela captura dessas sensações e pela transmissão das mesmas para os nervos. Dos nervos as sensações são encaminhadas para o sistema nervoso central e chega até o córtex cerebral, onde são processados.

Apesar de ser o primeiro sentido desenvolvido no homem, o tato é importantíssimo para o crescimento, desenvolvimento e aprendizado da criança, pois por meio do toque ela consegue receber estímulos de outras pessoas, adquirindo confiança e auto-estima. Além disso, o tato é o único sentido que se conserva atento no período em que o indivíduo está dormindo, funcionando como uma espécie de guarda do sono.

Existem algumas partes do corpo que armazenam maior quantidade de receptores táteis, ou seja, terminações nervosas e corpúsculos que capturam as sensações. As mãos, os pés e os lábios são algumas dessas partes que possuem maior facilidade em receber estímulos por meio da pele.

São vários os receptores táteis, porém cada um com sua função específica:

As terminações nervosas livres são responsáveis pela percepção dos estímulos mecânicos, térmicos e dolorosos. Todas as vezes que sentimos dor, a sentimos pela captação do estímulo recebido por meio destas.

O corpúsculo de Ruffini é responsável por captar sensações do calor.
O corpúsculo de Krause é responsável por captar sensações de frio.
O corpúsculo de Meissner é responsável pelas sensações que experimentamos rapidamente por meio do toque.

Órgão do Sentido - Tato

Olfato

O olfato é formado por meio de um espessamento epidérmico localizado no crânio cuja função é captar os odores liberados por diferentes objetos, porém só consegue realizar tal captação quando os neuroreceptores recebem as moléculas de uma determinada substância por meio da dissolução dessa no muco.

O teto das cavidades nasais abriga o órgão olfatório que possui células sensoriais e neurônios que ao serem estimulados originam impulsos nervosos que são encaminhados até o lobo olfatório cerebral, produzindo a sensação de cheiro.

Existem diferentes genes receptores que detectam os odores. Para que o odor de cada objeto seja identificado imediatamente ao ser sentido por outras vezes é necessário que o gene receptor específico de cada odor esteja presente no revestimento do nariz.

Curiosidade: Apesar de o olfato ser um sentido distinto do paladar, ele é aliado na percepção do gosto dos alimentos. Pode-se verificar tal união quando se está gripado, pois nesse período o olfato é prejudicado pela secreção que a gripe produz alterando a capacidade de sentir o gosto dos alimentos.

Olfato

Paladar

O paladar é uma sensação química percebida por células específicas, denominadas papilas gustatórias. Localizadas na língua e palato, estas promovem, além de sensações táteis, aquelas relacionadas aos sabores. As papilas filiformes são as responsáveis pelo primeiro caso citado; já as papilas circunvaladas, fungiformes e foliáceas, pelo segundo.

O que chamamos de sabor é, na verdade, uma combinação de odores e gostos percebidos pelo sentido gustativo e olfativo; ativados pelos seus quimiorreceptores. Surpreendentemente, este último é responsável por aproximadamente 80% da sensação que temos ao ingerir um alimento. Assim, considerando a estreita relação entre estes, é fácil compreender porque, quando estamos gripados ou com alergia, não conseguimos distinguir os sabores com a mesma eficácia.

A textura, temperatura, ardência e cor dos alimentos também influenciam nas sensações palatais, sendo o gosto final a resultante de todos os estímulos recebidos, enviados ao cérebro e ali interpretados.

Evolutivamente falando, essas sensações são importantes, pois estão geralmente associadas à qualidade do alimento. Gostos adocicados, por exemplo, nos remete a alimentos nutritivos e/ou calóricos; enquanto o amargo indica, muitas vezes, substâncias tóxicas.

Paladar

Visão

Os olhos são os órgãos responsáveis pela percepção de luz e pela transformação dessa em impulsos elétricos que são enviados ao cérebro. Os olhos são bolsas membranosas com grande quantidade de líquido em seu interior.

A camada mais externa do olho é chamada esclera. Ela é formada por tecidos conjuntivos que preservam a forma dos olhos e faz ligação entre os músculos de movimentação do mesmo. A córnea, área transparente e curva é responsável pela passagem da luz. Após a passagem pela córnea a luz é encaminhada para o humor aquoso que nada mais é do que o líquido que existe no interior do olho.

Abaixo da esclera encontra-se a corióide, película pigmentada que contém os vasos sanguíneos responsáveis pela nutrição e oxigenação das células dos olhos. Na corióide pode-se perceber a íris, a parte mais visível do olho que tem sua coloração variada de indivíduo para indivíduo. No centro da íris está a pupila, orifício que controla a quantidade de luz que é transmitida ao olho. Por trás da íris localiza-se o cristalino, também chamado de lente. Essa estrutura é responsável pela nitidez e pela focalização das imagens formadas na córnea se projetando na área sensível do fundo do olho.

A retina encontra-se internamente nos olhos contendo os bastonetes que recebem a luz e os cones que distinguem as cores. Os bastonetes normalmente se concentram nas laterais dos olhos enquanto os cones se concentram na parte central, a fóvea. Por conter grande quantidade de cones, a fóvea é menos sensível à luz.

Visão

Audição

Quando um corpo qualquer está vibrando, o ar que está em volta também vibra. Essas vibrações são percebidas pelo ouvido humano, que é capaz de captar ondas com vibrações compreendidas entre 16 Hz e 20.000 Hz (ondas que se repetem de 16 a 20.000 vezes por segundo).

O ouvido humano é dividido em três regiões: ouvido externo, ouvido médio e ouvido interno. A função básica dessas três regiões é transformar a energia das ondas sonoras em vibrações mais potentes a fim de serem captadas pelo sistema nervoso auditivo.

OUVIDO EXTERNO: formado pelo pavilhão e pelo canal auditivo, que termina no tímpano que é uma membrana recoberta externamente por uma delgada camada de pele e internamente por epitélio cúbico simples. Entre as duas camadas epiteliais encontramos duas camadas de fibras colágenas, fibroblastos e fibras elásticas que entram em vibração quando recebem as ondas sonoras. Esta vibração tem função amplificadora do som. O pavilhão externo capta o som e pode ser fixo ou móvel (dependendo da classe animal, no homem, em geral é fixo). O canal auditivo ou meato acústico externo é revestido internamente por pele rica em pêlos e glândulas sebáceas e ceruminosas cuja função é a proteção do tímpano.

OUVIDO MÉDIO: vai do tímpano até as janelas redonda e oval (membranas entre o ouvido médio e o ouvido interno) Contêm três minúsculos ossos que transmitem a vibração do tímpano até a janela oval.

São eles o martelo, a bigorna e o estribo. Um canal chamado trompa de Eustáquio comunica o ouvido médio com a faringe. Este tubo serve para que as pressões do ar de um lado e do outro do tímpano fiquem equilibradas.

OUVIDO INTERNO: A janela oval transmite as vibrações ao ouvido interno, que é formado pela cóclea ou caracol (percepção dos sons) e pelos canais semicirculares (relacionados com o equilíbrio). Na cóclea, onde o som é amplificado, encontram-se as terminações do nervo auditivo.

Audição

Classificação dos Receptores Sensoriais

De acordo com a natureza do estímulo que são capazes de captar, os receptores sensoriais podem ser classificados em:

Quimiorreceptores – Detectam substâncias químicas. Exemplo: na língua e no nariz, responsáveis pelos sentidos do paladar e olfato;
Termorreceptores – Capta estímulos de natureza térmica, distribuídos por toda pele e mais concentrado em regiões da face, pés e das mãos;
Mecanorreceptores – Capta estímulos mecânicos. Nos ouvidos, por exemplo, capazes de captar ondas sonoras, e como órgãos de equilíbrio;
Fotorreceptores – Capta estímulos luminosos, como nos olhos.

De acordo com o local onde captam estímulos, os receptores sensoriais podem ser classificados em:

Exterorreceptores – Localizadas na superfície do corpo, especializadas em captar estímulos provenientes do ambiente, como a luz, calor, sons e pressão.

Exemplo: os órgãos de tato, visão, audição, olfato e paladar;

Propriorreceptores – Localizadas nos músculos, tendões, juntas e órgãos internos. Captam estímulos do interior do corpo;

Interorreceptores – Percebem as condições internas do corpo (pH, pressão osmótica, temperatura e composição química do sangue).

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes