A maior rede de estudos do Brasil

explique como funcionam os canais dependentes de ligante e de exemplo desses canais

Fisiologia IUNIFOA

4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Os receptores de sulfonilureia (SUR) são proteínas de membrana que são os alvos moleculares da classe das drogas antidiabéticas da sulfonilureia cujo mecanismo de ação é promover a liberação de insulina pelas células beta pancreáticas. Mais especificamente, as proteínas SUR são subunidades dos canais de íons de potássio do retificador para dentro.


Assim, o canal K ATP monitora o balanço de energia dentro da célula. Dependendo do tecido em que o canal KATP é expresso, a alteração do potencial de membrana pode desencadear uma variedade de eventos a jusante. Por exemplo, nas células beta pancreáticas, altos níveis de glicose levam ao aumento da produção de ATP, que, por sua vez, se liga ao canal KATP, resultando no fechamento do canal.


A relativa despolarização, por sua vez, abre canais de cálcio voltagem-dependentes, aumentando as concentrações intracelulares de cálcio, o que desencadeia a exocitose da insulina. Sob condições isquêmicas cerebrais, SUR1, a subunidade reguladora dos canais KATP e NC Ca-ATP, é expressa em neurônios, astrócitos, oligodendrócitos, células endoteliais e por micróglia reativa.

Os receptores de sulfonilureia (SUR) são proteínas de membrana que são os alvos moleculares da classe das drogas antidiabéticas da sulfonilureia cujo mecanismo de ação é promover a liberação de insulina pelas células beta pancreáticas. Mais especificamente, as proteínas SUR são subunidades dos canais de íons de potássio do retificador para dentro.


Assim, o canal K ATP monitora o balanço de energia dentro da célula. Dependendo do tecido em que o canal KATP é expresso, a alteração do potencial de membrana pode desencadear uma variedade de eventos a jusante. Por exemplo, nas células beta pancreáticas, altos níveis de glicose levam ao aumento da produção de ATP, que, por sua vez, se liga ao canal KATP, resultando no fechamento do canal.


A relativa despolarização, por sua vez, abre canais de cálcio voltagem-dependentes, aumentando as concentrações intracelulares de cálcio, o que desencadeia a exocitose da insulina. Sob condições isquêmicas cerebrais, SUR1, a subunidade reguladora dos canais KATP e NC Ca-ATP, é expressa em neurônios, astrócitos, oligodendrócitos, células endoteliais e por micróglia reativa.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Fisiologia


Os receptores de sulfonilureia (SUR) são proteínas de membrana que são os alvos moleculares da classe das drogas antidiabéticas da sulfonilureia cujo mecanismo de ação é promover a liberação de insulina pelas células beta pancreáticas. Mais especificamente, as proteínas SUR são subunidades dos canais de íons de potássio do retificador para dentro.


Assim, o canal K ATP monitora o balanço de energia dentro da célula. Dependendo do tecido em que o canal KATP é expresso, a alteração do potencial de membrana pode desencadear uma variedade de eventos a jusante. Por exemplo, nas células beta pancreáticas, altos níveis de glicose levam ao aumento da produção de ATP, que, por sua vez, se liga ao canal KATP, resultando no fechamento do canal.


A relativa despolarização, por sua vez, abre canais de cálcio voltagem-dependentes, aumentando as concentrações intracelulares de cálcio, o que desencadeia a exocitose da insulina. Sob condições isquêmicas cerebrais, SUR1, a subunidade reguladora dos canais KATP e NC Ca-ATP, é expressa em neurônios, astrócitos, oligodendrócitos, células endoteliais e por micróglia reativa.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Os receptores de sulfonilureia (SUR) são proteínas de membrana que são os alvos moleculares da classe das drogas antidiabéticas da sulfonilureia cujo mecanismo de ação é promover a liberação de insulina pelas células beta pancreáticas. Mais especificamente, as proteínas SUR são subunidades dos canais de íons de potássio do retificador para dentro.


Assim, o canal K ATP monitora o balanço de energia dentro da célula. Dependendo do tecido em que o canal KATP é expresso, a alteração do potencial de membrana pode desencadear uma variedade de eventos a jusante. Por exemplo, nas células beta pancreáticas, altos níveis de glicose levam ao aumento da produção de ATP, que, por sua vez, se liga ao canal KATP, resultando no fechamento do canal.


A relativa despolarização, por sua vez, abre canais de cálcio voltagem-dependentes, aumentando as concentrações intracelulares de cálcio, o que desencadeia a exocitose da insulina. Sob condições isquêmicas cerebrais, SUR1, a subunidade reguladora dos canais KATP e NC Ca-ATP, é expressa em neurônios, astrócitos, oligodendrócitos, células endoteliais e por micróglia reativa.

User badge image

Vitória

Há mais de um mês

Os canais dependentes de ligantes, ou canais de comporta, precisam de uma substância química (o ligante) para se ligar a sua proteína (pois esse canal é proteico). Essa ligação acarreta uma mudança na conformação da molécula que irá abrir ou fechar o canal (comporta). Um dos exemplos mais importantes é o efeito da acetilcolina no canal de acetilcolina, essa comporta é extremamente importante para a transmissão dos sinais neurais de uma célula nervosa para outra e da célula nervosa para as células musculares, para que ocorra a contração muscular. 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas