A maior rede de estudos do Brasil

Diferencie controle repressivo e preventivo de constitucionalidade


3 resposta(s)

User badge image

Vanessa Oliveira

Há mais de um mês

A diferença entre os dois controles está no momento de sua efetiva realização.

Deste modo, podemos dizer que será preventivo se o controle for exercido antes da norma ingressar no ordenamento juríco. Diferindo assim, do repressivo que ocorre sob norma que já existe.

Por fim, é de suma importância observar que, EM REGRA, o controle de constitucionalidade exercido pelo poder Executivo e Legislativo ocorre antes do fim do processo da instituição da lei, correspondendo, portanto, ao CONTROLE PREVENTIVO. Já o controle de constitucionalidade exercido pelo poder Judiciário ocorre depois que a norma já existe (CONTROLE REPRESSIVO).

EXCEÇÕES:

Existe a possibilidade do controle repressivo pelo poder Legislativo em duas situações:
 

  • segundo o artigo 49 da Constituição Federal de 1988, compete ao Congresso Nacional sustar, através de decreto legislativo, a eficácia dos atos do poder Executivo que exorbitem seu poder regulamentar ou da delegação legislativa.
  • Outro exemplo de controle repressivo realizado pelo poder Legislativo encontra-se no artigo 62 da Constituição Federal, sobre medidas provisórias. Quando a medida provisória é editada pelo presidente da república, ela possui força de lei. Entretanto, ela deve ser submetida de imediato ao Congresso Nacional, que poderá aprová-la ou rejeitá-la. Se rejeitá-la por entender a medida provisória inconstitucional, estará exercendo o controle repressivo.
  • quando o Congresso Nacional analisa a constitucionalidade das Medidas Provisórias editadas pelo Presidente da República (art. 62 e parágrafos da CF/88).

REFERÊNCIA:

GALANTE, Marcelo. Para aprender Direito. Direito Constitucional. São Paulo: Barros, Fischer e Associados, 2005, p.169-171.(Para aprender Direito; 4);

 

A diferença entre os dois controles está no momento de sua efetiva realização.

Deste modo, podemos dizer que será preventivo se o controle for exercido antes da norma ingressar no ordenamento juríco. Diferindo assim, do repressivo que ocorre sob norma que já existe.

Por fim, é de suma importância observar que, EM REGRA, o controle de constitucionalidade exercido pelo poder Executivo e Legislativo ocorre antes do fim do processo da instituição da lei, correspondendo, portanto, ao CONTROLE PREVENTIVO. Já o controle de constitucionalidade exercido pelo poder Judiciário ocorre depois que a norma já existe (CONTROLE REPRESSIVO).

EXCEÇÕES:

Existe a possibilidade do controle repressivo pelo poder Legislativo em duas situações:
 

  • segundo o artigo 49 da Constituição Federal de 1988, compete ao Congresso Nacional sustar, através de decreto legislativo, a eficácia dos atos do poder Executivo que exorbitem seu poder regulamentar ou da delegação legislativa.
  • Outro exemplo de controle repressivo realizado pelo poder Legislativo encontra-se no artigo 62 da Constituição Federal, sobre medidas provisórias. Quando a medida provisória é editada pelo presidente da república, ela possui força de lei. Entretanto, ela deve ser submetida de imediato ao Congresso Nacional, que poderá aprová-la ou rejeitá-la. Se rejeitá-la por entender a medida provisória inconstitucional, estará exercendo o controle repressivo.
  • quando o Congresso Nacional analisa a constitucionalidade das Medidas Provisórias editadas pelo Presidente da República (art. 62 e parágrafos da CF/88).

REFERÊNCIA:

GALANTE, Marcelo. Para aprender Direito. Direito Constitucional. São Paulo: Barros, Fischer e Associados, 2005, p.169-171.(Para aprender Direito; 4);

 

User badge image

Especialistas PD

Há mais de um mês

Controle Preventivo é o controle realizado durante o processo legislativo de formação do ato normativo, ou seja, antes mesmo da sua vigência.

Controle Repressivo é o realizado sobre lei já em vigor, e não sobre projeto de lei, como ocorre no controle preventivo.

User badge image

J. A

Há mais de um mês

A diferença entre os dois controles está no momento de sua efetiva realização.
 

"Preventivo______ORDENAMENTO JURÍCO______Repressivo"

Ou seja, se o controle for exercido antes da norma ingressar no ordenamento juríco, o controle é preventivo. Se ocorrer sob norma que já existe, é repressivo.

Interessante observar que, em regra, o controle de constitucionalidade exercido pelo poder Executivo e Legislativo ocorre antes do fim do processo da instituição da lei, correspondendo, portanto, ao controle preventivo. Já o controle de constitucionalidade exercido pelo poder Judiciário ocorre depois que a norma já existe.

Entretanto, existem exceções. Existe a possibilidade do controle repressivo pelo poder Legislativo em duas situações:
 

  • segundo o artigo 49 da Constituição Federal de 1988, compete ao Congresso Nacional sustar, através de decreto legislativo, a eficácia dos atos do poder Executivo que exorbitem seu poder regulamentar ou da delegação legislativa.
  • Outro exemplo de controle repressivo realizado pelo poder Legislativo encontra-se no artigo 62 da Constituição Federal, sobre medidas provisórias. Quando a medida provisória é editada pelo presidente da república, ela possui força de lei. Entretanto, ela deve ser submetida de imediato ao Congresso Nacional, que poderá aprová-la ou rejeitá-la. Se rejeitá-la por entender a medida provisória inconstitucional, estará exercendo o controle repressivo.


O poder Judiciário também pode controlar preventivamente a constitucionalidade de atos normativos na seguinte situação:
 

  • O Supremo Tribunal Federal poderá promover controle preventivo de constitucionalidade no momento em que receber provocação dos parlamentares, através de mandado de segurança, quando estes se sentirem prejudicados por uma violação constitucional durante o processo legislativo.

 

Referência:

 

GALANTE, Marcelo. Para aprender Direito. Direito Constitucional. São Paulo: Barros, Fischer e Associados, 2005, p.169-171.(Para aprender Direito; 4).

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes