Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Você é contra ou a favor da redução da maioridade penal? Porque?


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Sou a favor da redução da maioridade penal, pelo fato de que, diversos direitos já podem ser exercidos aos 16 anos de idade. Com relação à constitucionalidade, não parece haver inconstitucionalidade na redução da maioridade penal, pois, o art. 60, 4§ que se refere às clausulas pétreas, em seu inciso IV, afirma a respeito dos direitos e garantias individuais, que são os direitos do art. 5º da Constituição. Já o artigo da Constituição Federal (CF) que se refere à maioridade penal (18 anos de idade atualmente) é o artigo 228, cujo o título é Da Ordem Social (assim como os arts. 193 ao 232). Assim, a mudança da maioridade penal não feriria a Constituição caso fosse realizada por emenda constitucional.

Sou a favor da redução da maioridade penal, pelo fato de que, diversos direitos já podem ser exercidos aos 16 anos de idade. Com relação à constitucionalidade, não parece haver inconstitucionalidade na redução da maioridade penal, pois, o art. 60, 4§ que se refere às clausulas pétreas, em seu inciso IV, afirma a respeito dos direitos e garantias individuais, que são os direitos do art. 5º da Constituição. Já o artigo da Constituição Federal (CF) que se refere à maioridade penal (18 anos de idade atualmente) é o artigo 228, cujo o título é Da Ordem Social (assim como os arts. 193 ao 232). Assim, a mudança da maioridade penal não feriria a Constituição caso fosse realizada por emenda constitucional.

User badge image

Lázaro Machado de Carvalho

Há mais de um mês

Sou contra a reduação da maior idade penal!!! Se observamos as estatísticas irememos perceber que o percentual de adolescentes que cometem crimes é muito pequeno, iremos perceber também que durante toda a história o estado sempre foi omisso: omisso na educação, na saúde, na segurança. Por essa situação que se surgiram os pequenos marginais; marginais que seriam o futuro se o estado não fosse omisso. Na minha opinião essa medida só irá aumentar a população carcerária, dar mais enfase ao estado policia, que apenas assegura o direito a propriedade privada, seria retroceder aos direitos de segunda geração. Outro fator muito importante pelo qual sou contra a redução da maior idade penal, é que reduzindo para desséseis anos o menor de quatorze anos, continuará praticando as mesmas infrações. 

User badge image

eliziomar pascoal da silva

Há mais de um mês

 ola , A maioridade penal eu particurlarmente sou contra , pois, esta proposta ele um pouco acreciva ,e uma morma que fere diretamente a contituiçao federal do brasil que diz no seu bojo que a idade para adiquiris a maioridade e de 18 anos. Agora vamos nos pensar que esta norma seja aprovada, e que os menores de 16 anos , que agora seja maiores , pois essa norma e só para colocar os imiputaves nas crades mada mas. E como seria , ele dentro de um sistema pricional a qual o governo dando federal como Estadual nao importa com quem esta lá dentro , pois já esta provado que o sistama pricional do nosso pais esta falido ,a qual acarretaria nada mais do que 40% a mais da populaçao carceraria do nosso pais .   e o meu ponto de vista  ok

 

User badge image

Nayara de Oliveira

Há mais de um mês

Realmente é um tema cerceado de polêmicas, e particularmente respeito a opnião dos caros colegas, mas a princípio sou a favor, e irei expor o porque:

1. Da capacidade civil e penal: Começa pelo fato de que o indivíduo cuja a idade seja inferior a 18 anos e superior a 16, pode adquirir a plena capacidade civil por meio da emancipação (voluntária, judicial ou legal), dispostas no artigo 5ª do Código Civil de 2002, que por sinal é um ato irrevogável. Dentre outros: possuem o direito constitucional facultativo de votar (artigo 14 CF), podendo eleger nossos representantes, que é uma das ações mais importantes para o futuro da país; podem casar nos termos da lei; aos 17 anos, o indivíduo homem já pode se alistar nas forças armadas; a incapacidade cessa aos 14 anos, para fins de trabalho, podendo ser empregados como aprendizes; com respeito a relações sexuais, a incapacidade de consentir cessa aos 14 anos, vedada a prática de prostituição ou pornografia; enfim, para vários atos importantes da vida civil, que exigem um grau mínimo de responsabilidade o menor pode ser tratado como capaz, mas para se responsabilizar, por exemplo, por desrespeitar o preceito constitucional mais precioso, que é o direito à vida, são considerados inimputáveis, ainda que haja por parte do menor consciência do fato típico praticado;

2. Da omissão estatal à falência do sistema carcerário e volume de sua população: Não podemos mais utilizarmos da omissão estatal para justificar quaisquer atos errôneos que algum indivíduo venha a tomar. Todos somos vítimas do descaso do Estado, nem por isso toda a população pobre (e negra) é criminosa, não sejamos genéricos. Já no que diz respeito à falência do sistema penitenciário, é um fato que precisa de solução, os fundos existem, o que falta é disposição de empregá-los de forma correta; mas se verificarmos pelo senso comum, o que ocorre na prática é a materialização da vontade do povo, ninguém quer que um criminoso tenha conforto e comodidade na prisão, a ideia geral é de punição, assim, o condenado vai para o presídio para ser punido, e não ressocializado, não importando de qual forma será a sua permanência (se humana ou não); quanto ao volume, se torna obvio, se observado o descaso com a educação, que por sinal não é de interesse dos que estão no poder, ter o povo ciente de seus direitos e deveres - começa que a questão de educação está toda errada, não somos ensinados a gostar de estudar, somos obrigados a engolir o que nos empurram goela abaixo, assim não dá outra coisa a não ser: um povo ignorante, incosciente de seus direitos e deveres, impotente perante o poderio do Estado, e subjugado a inúmeras leis defazadas;

3. Da proteção exarcebada: 'Avançamos' com o ECRIAD, em termos de proteção, blá blá blá... O que ocorre é que há protecionismo demais; ao menor que furta e ao que retira a vida de alguém, o tratamento será o mesmo nos IASES da vida: saída para praia, cinema, churrascaria, ida ao shopping, visita à família em casa, videogame, tv a cabo, destruição da Unidade com tudo reposto de imediato, isso mais parece premiação - slogan: faça o errado e venha ser acolhido, tudo o que o Estado não te deu até agora lhe será fornecido; o pior é que permanecem beneficiados com a medida (é assim mesmo que se fala) por no máximo 03 anos, e é claro que nunca chega a este tempo todo. Como se não bastasse, misturam em alguns casos, pessoas de dezoito a vinte e um anos de idade, com os menores, numa total incoerência, uma vez que não podem ficar juntos na penitenciária, mas podem nas Instituições de atendimento socioeducativo. O que se pinta é um lindo quadro de que o ECRIAD, leva por fim ao País das Maravilhas, como se todo esse circo fosse sinônimo de reeducação social, o que acontece é que a IMPUNIDADE está esburrando por entre nossos dedos;

4. Da contradição dos dados: Entendo que medidas precisam ser tomadas, e não é somente, a meu ver, a redução da maioridade que irá trazer o paraíso à terra, acredito ser necessário que a legislação evolua de acordo com a sociedade, mas de imediato acredito que esta ação minimizará o crescente avanço dessa vertente criminosa, falando nisso, o principal argumento contrário à redução da maioridade é de que o número de crimes cometidos por menores seria inferior a 1%, porém esta informação condiz com "uma estatística de 2004, na qual um pesquisador da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo lançou um estudo afirmando que menores de idade eram responsáveis por 0,97% dos homicídios e 1,5% dos roubos. Foi assim que nasceu a lenda do 1% de crimes cometidos por adolescentes". Atualmente, todos os órgãos (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc), Ministério da Justiça, Unicef, o Globo, Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), negam a autoria da tal pesquisa fantasma, e ficam reproduzindo a informação de 2004 como se fosse atual. Aliás, "pode-se dizer que o número de jovens homicidas continua baixo. Mesmo se for 1% ou 10%, a redução da maioridade não resolveria muita coisa. Acontece que os brasileiros entre 15 e 18 anos são, segundo o IBGE, 8% da população. Afirmar que adolescentes respondem por uma pequena parte dos crimes faz parecer que eles não são culpados pela violência do país, quando provavelmente são tão ou um pouco mais violentos que a média dos cidadãos". Disponível em<http://veja.abril.com.br/blog/cacador-de-mitos/2015/04/09/mito-os-adolescentes-cometem-menos-de-1-dos-homicidios-do-brasil-e-sao-36-das-vitimas/>;

5. Do desenvolvimento: Quanto ao fator biológico, realmente não sei, tenho que pesquisar, mas conforme a visão científica, é provável que irão dizer a idade e o grau de influência na atitude do indivíduo, baseada na concretização do desenvolvimento cerebral;

Enfim, fato é que já vivenciei muito deste universo e sei como as coisas funcionam na prática, posto que, por ora, este se faz meu posicionamento, não quer dizer que futuramente não venha a mudá-lo, e nem que por isto esta seja uma verdade absoluta, mas é a minha verdade, e é no que eu acredito.

Nada mais tendo a declarar, somente espero ter contribuído para a troca sadia de ideias, não ter tranparecido nenhuma sandice, bem como, não ter ofendido a ninguém.

Saudações a todos! E um forte abraço à minha querida amiga Débora.

Essa pergunta já foi respondida!