A maior rede de estudos do Brasil

O psicólogo jurídico que necessita fazer um psicodiagnostico deverá utilizar quais procedimentos???


1 resposta(s)

User badge image

Milena Figueiredo

Há mais de um mês

A avaliação psicológica no âmbito da justiça prevê alguns conhecimentos mais específicos do que somente o conhecimento da avaliação psicológica em si, como é feita na área clínica. Pretendemos abrir uma lacuna com este texto para que possam ser feitas algumas discussões importantes neste contexto.

Devemos ressaltar sempre que o psicólogo que for atuar nesse marco teórico deve possuir conhecimentos não apenas da área psicológica que está investigando, mas, também, do sistema jurídico em que vai operar.

Deve conhecer as jurisdições e instâncias com as quais se relaciona, a legislação vigente relacionada ao seu objeto de estudo e às normas estabelecidas quanto à sua atividade. (Lösel, 1992, apud Rovinski, 2007, p. 16). Deve estar a par das Resoluções do Conselho Federal de Psicologia e das legislações e portarias que influenciem na área.

Deve também familiarizar-se com a terminologia da área jurídica, pois será constantemente interrogado sob o ponto de vista legal, o que poderá acarretar inúmeras dificuldades na ‘tradução’ dos questionamentos jurídicos e conseqüentemente na definição dos objetivos de seu trabalho. (Lösel, 1992, apud Rovinski, 2007, p. 16)

O psicólogo precisa atentar para as limitações dos instrumentos utilizados por ele, bem como ao caráter situacional da avaliação realizada (validade do diagnóstico). Hoje em dia, não entendemos que o trabalho do psicólogo jurídico se restrinja apenas ao trabalho avaliativo, fato que já foi falado nos artigos anteriores

A avaliação psicológica no âmbito da justiça prevê alguns conhecimentos mais específicos do que somente o conhecimento da avaliação psicológica em si, como é feita na área clínica. Pretendemos abrir uma lacuna com este texto para que possam ser feitas algumas discussões importantes neste contexto.

Devemos ressaltar sempre que o psicólogo que for atuar nesse marco teórico deve possuir conhecimentos não apenas da área psicológica que está investigando, mas, também, do sistema jurídico em que vai operar.

Deve conhecer as jurisdições e instâncias com as quais se relaciona, a legislação vigente relacionada ao seu objeto de estudo e às normas estabelecidas quanto à sua atividade. (Lösel, 1992, apud Rovinski, 2007, p. 16). Deve estar a par das Resoluções do Conselho Federal de Psicologia e das legislações e portarias que influenciem na área.

Deve também familiarizar-se com a terminologia da área jurídica, pois será constantemente interrogado sob o ponto de vista legal, o que poderá acarretar inúmeras dificuldades na ‘tradução’ dos questionamentos jurídicos e conseqüentemente na definição dos objetivos de seu trabalho. (Lösel, 1992, apud Rovinski, 2007, p. 16)

O psicólogo precisa atentar para as limitações dos instrumentos utilizados por ele, bem como ao caráter situacional da avaliação realizada (validade do diagnóstico). Hoje em dia, não entendemos que o trabalho do psicólogo jurídico se restrinja apenas ao trabalho avaliativo, fato que já foi falado nos artigos anteriores

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes