A maior rede de estudos do Brasil

Sobre economia básica

Conforme nos contam VASCONCELLOS E GARCIA, na “década de 1930, a economia mundial atravessava uma crise que ficou conhecida como a Grande Depressão. A realidade econômica dos principais países capitalistas era crítica naquele momento. O desemprego na Inglaterra e em outros países da Europa era muito grande. Nos Estados Unidos, após a quebra da Bolsa de Valores de Nova York em 1929, o número de desempregados assumiu proporções elevadíssimas. A teoria econômica vigente acreditava que se tratava de um problema temporário, apesar de a crise estar durando alguns anos. A teoria geral de Keynes consegue mostrar que a combinação das políticas econômicas adotadas até então não funcionava adequadamente naquele novo contexto econômico, e aponta para soluções que poderiam tirar o mundo da recessão.” 
Fonte: VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de; GARCIA, Manuel Enriquez. Fundamentos de Economia. 4º ed. São Paulo: Saraiva, 2008, p. 27.
 
                     I.A forma usada pelo presidente americano no início dos anos 30 foi extremamente eficaz. Denominada New Deal , foi sobretudo uma ação de forte política fiscal expansionista.
  
PORQUE 
 
                   II. A política fiscal constitui-se em ações do governo para “ajustar a torneira” no que tange aos gastos públicos e a arrecadação fiscal. Investimentos maciços em obras de infraestrutura, por exemplo, são consideradas ações expansionistas de política fiscal.   
 
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

   

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da I.

   

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa correta da I.

   

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

   

As asserções I e II são proposições falsas.

   

A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.


6 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

b>I e II são verdadeiras e a II é resposta para I.

Política fiscal: é um conjunto de políticas públicas que servem para arrecadar impostos e realizar despesas que compra três ações: estabilizar macroeconomicamente promovendo o crescimento econômico, distribuir renda de forma igualitária e alocar os recursos, ou seja, fornecer serviços públicos.

Teoria geral de Kaynes: a obra desafia os conceitos tradicionais da economia, como por exemplo o longo prazo de ciclos econômicos e valor monetário. A teoria argumenta que assumir mercados competitivos é errado, pois não irá levar a uma quantidade grande de emprego.

b>I e II são verdadeiras e a II é resposta para I.

Política fiscal: é um conjunto de políticas públicas que servem para arrecadar impostos e realizar despesas que compra três ações: estabilizar macroeconomicamente promovendo o crescimento econômico, distribuir renda de forma igualitária e alocar os recursos, ou seja, fornecer serviços públicos.

Teoria geral de Kaynes: a obra desafia os conceitos tradicionais da economia, como por exemplo o longo prazo de ciclos econômicos e valor monetário. A teoria argumenta que assumir mercados competitivos é errado, pois não irá levar a uma quantidade grande de emprego.

User badge image

Diogo Saraiva

Há mais de um mês

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da I.

User badge image

Jonathan Silva

Há mais de um mês

  • Nos ensinam Vasconcellos e Garcia que o “produto interno bruto (PIB) é o somatório de todos os bens e serviços finais produzidos dentro do território nacional num dado período, valorizados a preço de mercado, sem levar em consideração se os fatores de produção são de propriedade de residentes ou não-residentes. Entretanto, para produzir o PIB, utilizamos fatores de produção que pertencem à não-residentes, cuja remuneração é remetida a seus proprietários no exterior, na forma de juros, lucros e royalties. Os juros representam o pagamento pela utilização do capital monetário externo (isto é, da dívida externa); as remessas de lucros são a remuneração pelo capital físico de propriedade das empresas estrangeiras instaladas no país; e os royalties representam o pagamento pela utilização da tecnologia estrangeira. Também existem residentes que possuem fatores de produção fora do país e recebem, portanto, renda do exterior (extração de petróleo pela Petrobras, grandes construtoras brasileiras no exterior etc.). Somando ao PIB a renda recebida do exterior e subtraindo a renda enviada ao exterior, tem-se o produto nacional bruto (PNB), que é a renda que efetivamente pertence aos residentes do país.” 
    VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de; GARCIA, Manuel Enriquez. Fundamentos de Economia. 4º ed. São Paulo: Saraiva, 2008, p. 154
    Considerando os seus conhecimentos sobre PIB e PNB, avalie as afirmações a seguir.
    I. O produto interno bruto é uma medida que reflete efetivamente a riqueza produzida por empresas brasileiras localizadas no Brasil ou no exterior.
    II. No cômputo do PNB devem ser considerados, por exemplo, as receitas recebidas por empresas brasileiras do exterior, como oriundas de construtoras por exemplo, menos os valores referentes a royalties, como direitos autorais.
    III. Empresas brasileiras localizadas no exterior tem a sua riqueza computada no PIB dos países onde se localizam
    É correto o que se afirma em

    Resposta Selecionada:  

    II e III, apenas.

    Resposta Correta:  

    II e III, apenas.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Exato! O PIB é uma medida que reflete a riqueza produzida por empresas localizadas dentro do território brasileiro apenas, independentemente se o fator de produção pertence a residentes ou não residentes.

  • Pergunta 2

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    BC corta juros para 6,5% ao ano e indica nova redução em maio
    É o menor piso histórico da taxa; queda ocorre em cenário de inflação controlada
     
    Na 12ª redução seguida da taxa básica de juros, o Banco Central decidiu, nesta quarta (21), cortar a Selic em 0,25 ponto percentual, para 6,5% ao ano. Com isso, o juro atinge um novo piso histórico no país. No comunicado, o BC prevê mais uma redução na próxima reunião em maio.  O Copom vê como "apropriada" uma flexibilização monetária moderada adicional, de modo que a inflação convirja para a meta. 
     
     
    Fonte: Banco Central
     
    A decisão veio em linha com o esperado pelo mercado. Dos 43 analistas e casas ouvidos pela agência Bloomberg, 41 apostavam na queda da Selic para 6,5%. Apenas dois viam a taxa estável em 6,75% ao ano.
     
    Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/03/banco-central-corta-juros-pela-12a-vez-e-selic-cai-para-65-ao-ano.shtml  acessado em 04/04/2019 às 10:54
     
    A partir do texto, avalie as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.
     
    I. O governo reduziu as taxas de juros porque observou uma situação de controle da inflação; assim, ao analisar o gráfico, durante todo período estudado, desde a atuação do ex-ministro Armínio Fraga, pode-se dizer que a política monetária tem sido expansionista.
    PORQUE 
    II. A política monetária expansionista se dá com reduções esporádicas das taxas de juros, sempre diante de uma situação de perspectiva de inflação tendendo a se elevar.
     
    A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

    Resposta Selecionada:  

    As asserções I e II são proposições falsas.

    Resposta Correta:  

    As asserções I e II são proposições falsas.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Ambas as assertivas são falsas. Em primeiro lugar, no gráfico se verifica que os ex-ministros Henrique Meirelles e Alexandre Tombini elevaram as taxas de juros, o que se faz diante de uma perspectiva de alta inflacionária, o que já explica a incorreção da segunda assertiva.

  • Pergunta 3

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    Leiam a seguinte notícia:
    São Caetano estima renúncia fiscal de R$ 100 mi com incentivo à GM
    A Prefeitura de São Caetano do Sul divulgou nesta terça-feira, 19, os detalhes do programa de incentivo fiscal que criou para garantir a permanência e os investimentos da General Motors (GM) na cidade. Com as concessões, a Prefeitura estima uma renúncia fiscal de R$ 100 milhões em oito anos, com cerca de R$ 12,5 milhões em cada ano. No entanto, o retorno esperado ao município, a partir do aumento da produção e dos investimentos, é de R$ 1,1 bilhão para os oito anos. O programa de incentivos foi batizado de ProAuto (Programa de Incentivo à Indústria Automobilística) e foi enviado na tarde desta terça, às 15h30, para a Câmara dos Vereadores, por meio de dois projetos de lei. O programa oferece às empresas do setor isenção no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), redução na alíquota do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), de 5% para 2%, e descontos nas tarifas de água e esgoto. Estes últimos vão representar uma perda de R$ 1 milhão por ano para o caixa da Prefeitura. Segundo a Prefeitura, o retorno à cidade será maior do que os incentivos por causa do Índice de Participação dos Municípios (IPM), que significa o quanto cada município recebe do Estado em repasses do ICMS. Quanto mais cresce a relevância econômica do município, maior é a fatia do bolo a qual o município tem direito. A Prefeitura acredita que, com o aumento de produção que se espera com os investimentos da GM, São Caetano terá direito a repasses maiores do ICMS, mais do que compensando o que o município vai perder de arrecadação no IPTU e do ISSQN. 
    https://cgn.inf.br/noticia/1923/sao-caetano-estima-renuncia-fiscal-de-r-100-mi-com-incentivo-a-gm acessado em 09/04/2019 às 11:40
    A partir do texto, avalie as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.
     
                         I.A proposta do governo de São Caetano é adotar uma política econômica com a finalidade de gerar empregos através de um mecanismo que se chama renúncia fiscal, caracterizada como sendo de caráter expansionista.
     
    PORQUE 
     
                       II. É necessário a adoção de políticas econômicas que tenham como finalidade o equilíbrio das contas públicas pois o crescimento da economia somente é possível com instrumentos que gerem credibilidade quanto a capacidade dos governos de gerir as próprias contas. 
     
    A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

    Resposta Selecionada:  

    As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa correta da I.

    Resposta Correta:  

    As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa correta da I.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Boa resposta! De fato, ambas asserções são verdadeiras mas não estão vinculadas pois a primeira caracteriza uma ação de política fiscal expansionista enquanto a segunda sinaliza para uma ação fiscal de caráter restritivo.

  • Pergunta 4

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    BC simplifica recolhimento obrigatório e libera R$ 2,7 bilhões
    Publicado em 22/11/2018 - 11:05 Por Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil  Brasília
    O Banco Central (BC) simplificou as regras dos recolhimentos compulsórios e, com isso, liberou no mercado R$ 2,7 bilhões. As alterações produzirão efeitos no final do ano. O compulsório é a parcela dos depósitos que os bancos são obrigados a manter em uma conta no BC e representa uma das ferramentas da autoridade monetária para regular a quantidade de dinheiro em circulação na economia. Em nota, o banco informou hoje (22) que fez ajustes nos recolhimentos compulsórios sobre depósitos à vista (dinheiro disponível para saque pelo cliente a qualquer momento) e a prazo (quando o dinheiro fica parado no banco, rendendo por determinado período). “As mudanças estão no âmbito do pilar Crédito mais Barato da Agenda BC+ [formada por medidas para tornar o crédito mais barato, aumentar a educação financeira, modernizar a legislação e tornar o sistema financeiro mais eficiente] e fazem parte do trabalho de simplificação das regras do recolhimento compulsório, permitindo uma redução dos custos para o sistema financeiro”, diz o BC. Segundo BC, foram editadas duas circulares que consolidaram regras antes dispersas em 17 documentos. Foi antecipado para dezembro de 2018 o fim de deduções nos compulsórios que acabariam no final de 2019. Para compensar as alterações nas deduções, a alíquota sobre recursos a prazo foi reduzida de 34% para 33% e a sobre recursos à vista de 25% para 21%, gerando uma liberação residual da ordem de 0,6% do recolhimento total (R$ 435,906 bilhões). Além disso, acrescenta o BC, foram atualizados os valores de algumas deduções como as baseadas no nível I do Patrimônio de Referência das instituições financeiras nos recolhimentos sobre recursos a prazo e como as que incidem sobre os valores médios do recolhimento compulsório sobre recursos à vista (sobe de R$ 200 milhões para R$ 500 milhões). De acordo com o BC, as alterações nos compulsórios sobre recursos à vista e a prazo fazem com que oito instituições de menor porte passem a não ter mais obrigatoriedade desses recolhimentos. Ainda segundo o BC, diminui também a exigência mínima diária de cumprimento da exigibilidade de 80% para 65% sobre os montantes de exigibilidade sobre recursos à vista, permitindo maior flexibilidade aos bancos e garantindo melhores condições de funcionamento do mercado monetário. 
    Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2018-11/bc-simplifica-recolhimento-obrigatorio-e-libera-r-27-bilhoes acessado em 09/04/2019 às 15:25
     
    A partir do texto, avalie as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.
     
    I.    O texto mostra uma disposição do governo em realizar ações que buscam de alguma maneira promover o reaquecimento da economia visto o elevado contingente de desempregados no Brasil, que estavam a época da notícia em mais de 12 milhões de pessoas. Para tal, a proposta foi adotar uma política fiscal de caráter expansionista
    PORQUE 
    II.   Somente através desse ajuste seria possível reduzir o custo da moeda de tal forma a gerar impacto significativo que pudesse reconduzir o país a uma situação de investimento, crescimento econômico e consequentemente melhora na situação do nível do emprego.
     
    A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

    Resposta Selecionada:  

    As asserções I e II são proposições falsas.

    Resposta Correta:  

    As asserções I e II são proposições falsas.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Isso mesmo! O texto fala do recolhimento compulsório, que é uma porcentagem de todos os depósitos que as instituições financeiras são obrigadas a recolher ao Banco Central diariamente. Os bancos utilizam o que chamam de “saldo médio” desses depósitos como lastro para suas operações de crédito e, quanto menor for esse percentual, maior a quantidade de recursos financeiros disponível para o banco emprestar, o que seria uma política monetária expansionista. Cumpre observar que apenas o recolhimento compulsório não é suficiente para conduzir o país ao crescimento econômico: é importante observar que outras ações são necessárias, como redução dos impostos, investimentos em infraestrutura e redução das taxas de juros.

  • Pergunta 5

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    Leiam o seguinte trecho do discurso do Ministro da Economia Paulo Guedes, ao tomar posse em 02 de janeiro de 2018
     
    O diagnóstico é muito simples. Foi elaborado aqui. Eu quero enfatizar porque é importante: o teto de gastos foi fundamental exatamente por isso, ou seja, a dimensão fiscal foi sempre o calcanhar de Aquiles de todas as nossas tentativas de estabilização. O descontrole sobre a expansão de gastos públicos é o mal maior. Esse descontrole sobre a expansão de gastos públicos nós já enfrentamos sob diversas variantes. [...] Sempre o descontrole de gastos que era em torno de 18% do PIB há 4 décadas e subiu monotonicamente sem interrupção. É uma expansão contínua de gastos públicos em relação ao PIB ininterrupta por 4 décadas. E nós experimentamos todas as disfunções financeiras como consequência desse processo: hiperinflação, moratória externa, crises cambiais recorrentes e finalmente, agora, nós estamos respirando, aparentemente à sombra de uma tranquilidade, mas é uma falsa tranquilidade, porque é uma tranquilidade à sombra da estagnação econômica. Por que esse descontrole de gastos nos levou à estabilizar a inflação de que forma? Subindo impostos, juros altos o tempo inteiro, câmbio sobrevalorizado e finalmente o endividamento em bola de neve, que é um pesadelo [...] O Brasil foi corrompido pelo excesso de gastos e o Brasil parou de crescer pelo excesso de gastos. A reforma do estado é, portanto, a chave para correção desse fenômeno. E essa reforma do Estado, na verdade, tem várias dimensões. É um ataque ao problema fiscal. Nós vamos atacar o problema fiscal, ele tem várias dimensões.”
    Fonte: https://static.poder360.com.br/2019/01/Discurso-Paulo-Guedes-1.pdf acessado em 18/04/2019 às 16:16 
     
    Considerando o discurso do Ministro Paulo Guedes, é notório observar que:
     
    I.                     A política fiscal expansionista adotada em governos anteriores somente foi corrigida com aumentos das taxas de juros e desvalorização cambial.
    II.                   Paulo Guedes aponta o problema fiscal como sendo o principal agente causador do pífio crescimento da economia brasileira nas últimas quatro décadas.
    III.                 É observável que Paulo Guedes atacará o problema fiscal através da redução do tamanho do Estado, o que gerará a esperada redução de gastos.
     
    É correto o que se afirma em

    Resposta Selecionada:  

    II e III, apenas.

    Resposta Correta:  

    II e III, apenas.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Isso mesmo, anteriormente o governo não adotou exatamente uma política fiscal expansionista porque nunca realizou ações que visasse a redução da carga tributária, ao contrário, nas últimas 4 décadas e notadamente nos 13 anos do governo Lula-Dilma, acentuou-se o aumento de gastos no aparelhamento do Estado.

  • Pergunta 6

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    Nos ensinam Vasconcellos e Garcia que “os bancos comerciais, além de possuírem os chamados encaixes técnicos (o caixa dos bancos comerciais), são obrigados a depositar no Banco Central um percentual determinado por este sobre os depósitos à vista. Basta o Banco Central aumentar ou diminuir o percentual do depósito compulsório para influir no volume ofertado de empréstimos bancários de depósitos ou moeda escritural). 
    VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de; GARCIA, Manuel Enriquez. Fundamentos de Economia. 4º ed. São Paulo: Saraiva, 2008, p. 204-205
     
    Observe o gráfico abaixo:
     
     
    Fonte: Banco Central do Brasil
     
    O gráfico mostra a evolução dos recolhimentos compulsórios entre os períodos de março de 2008 a março de 2016. Considerando a sua análise, é contundente observar que:
    I.    A partir de março de 2010 até setembro de 2011 o governo federal praticou uma política monetária expansionista considerando o aumento do fator compulsório, mas que começou a decrescer após esse período em função de medidas de combate a inflação.
    II.   O período em destaque se refere a reação do governo a crise dos mercados Subprime dos EUA, no caso, caracterizando uma política monetária expansionista
    III. É verificável que entre setembro de 2011 e março de 2012 o governo praticou uma política monetária restritiva, a mais rígida considerando os três anos posteriores.
    É correto o que se afirma em

    Resposta Selecionada:  

    II e III, apenas.

    Resposta Correta:  

    II e III, apenas.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Isso mesmo, entre março de 2010 até setembro de 2011 o governo adotou uma política monetária restritiva no que tange aos recolhimentos compulsórios. É observável que é uma das ferramentas mais efetivas na oferta de crédito na economia.

  • Pergunta 7

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    O mercado de trabalho, os impactos da tecnologia e as tendências de carreiras
    Por André Salerno*
    Olhando para trás, especialmente nos séculos 19 e 20, as novas tecnologias exerceram um grande papel de mudança nos negócios e na forma de emprego de inúmeras pessoas. Boa parte delas trabalhavam na lavoura quando algumas máquinas foram introduzidas, forçando-as a se movimentarem em direção ao setor industrial. Não tardou e um novo movimento foi observado nas indústrias quando a automatização delas fez com que os trabalhadores fossem deslocados para o setor de serviços. Como forma de explicitar esse movimento, na década de 50 nos Estados Unidos o setor industrial representava cerca de 40% dos empregos, hoje esse número não supera a marca dos 5%. No Brasil, especialmente na década de 80, grandes transformações tecnológicas foram experimentadas, e um grande exemplo desse movimento foi o setor bancário. Era o setor de serviços experimentando as grandes transformações propagadas pela tecnologia. Isso resultou na implantação de inúmeros caixas eletrônicos, Internet Banking, aplicativos e demais funcionalidades. Mesmo com uma forte expansão que o setor bancário experimentou nesse período, não foi possível conter a redução do quadro de funcionários, que desde então caiu pela metade.
     Fonte: https://canaltech.com.br/carreira/O-mercado-de-trabalho-os-impactos-da-tecnologia-e-as-tendencias-de-carreiras/ acessado em 10/04/2019 às 09:33
     
    A partir do texto, avalie as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.
                         I.O desemprego é infelizmente uma realidade no Brasil a décadas. Muito embora tenha atingido níveis administráveis no início dos anos 2000 decorrente do crescimento da economia brasileira impulsionado pela alta das commodities, a época da reportagem chegou a atingir mais de 12 milhões de pessoas. No caso, o texto se refere ao desemprego friccional
     
    PORQUE 
     
                       II. O desenvolvimento de novas tecnologias é um dos fatores que provocaram a redução de quadros e a extinção de muitas funções dentro das empresas. Só para citar um exemplo, uma agencia bancária que antes demandava o emprego de 30 pessoas para funcionar atualmente pode funcionar com menos de 10 pessoas. 
    A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

    Resposta Selecionada:  

    A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

    Resposta Correta:  

    A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa: você fez uma leitura bem atenta ao texto. Embora a primeira assertiva tenha informações verdadeiras, o tipo de desemprego citado, o friccional, é aquele onde voluntariamente as pessoas saem de seus empregos para buscar algo que esteja mais alinhado aos seus sonhos, aos seus objetivos pessoais de vida.

  • Pergunta 8

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    A economia pós-guerra do Japão desenvolveu-se a partir dos resquícios de uma infraestrutura industrial que sofreu destruição generalizada durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1952, ao final da ocupação dos aliados, o Japão era um “país menos desenvolvido”, com um consumo per capita de cerca de um quinto do consumo dos Estados Unidos. Ao longo de duas décadas, o Japão alcançou um crescimento anual médio de 8%, possibilitando que o país se tornasse o primeiro a passar do status de “menos desenvolvido” para “desenvolvido” na era pós-guerra. As razões para isso ter acontecido incluem altas taxas tanto de poupança individual como de investimentos em iniciativas do setor privado, uma força de trabalho com grande ética laboral, o amplo fornecimento de petróleo a baixo custo, tecnologias de inovação, e uma intervenção governamental efetiva nas indústrias do setor privado. O Japão foi o principal beneficiário do rápido crescimento atrelado à economia do mundo pós-guerra segundo os princípios de livre comércio promovidos pelo Fundo Monetário Internacional e pelo Acordo Geral de Tarifas e Comércio. Em 1968, a economia japonesa já havia se tornado a segunda maior do mundo, depois da economia dos Estados Unidos.
    Entre 1950 e 1970, a porcentagem de japoneses que viviam nas cidades passou de 38% para 72%, aumentando expressivamente a força de trabalho industrial. O potencial competitivo da indústria japonesa cresceu de forma robusta, com um aumento médio de 18,4% ao ano nas exportações durante os anos 60. Depois da segunda metade da década de 60, o Japão alcançou anualmente um superávit na balança de transações correntes, com exceção de alguns poucos anos depois da crise do petróleo de 1973. Nessa fase, o crescimento econômico teve o apoio de fortes investimentos em iniciativas do setor privado, os quais eram baseados na alta taxa de poupança individual. Ao mesmo tempo, ocorreram mudanças significativas na estrutura industrial do Japão, com uma mudança de foco nas principais atividades econômicas, passando da agricultura e indústria de pequeno porte para a indústria de grande porte. As indústrias de ferro e aço, construção de navios, maquinário, veículos motorizados e dispositivos eletrônicos passaram a dominar o setor industrial.
    Em dezembro de 1960, o Primeiro-Ministro Ikeda Hayato anunciou um plano para dobrar a renda, estabelecendo a meta de 7,8% de crescimento anual durante a década de 1960-1970. O planejamento econômico do governo direcionado para a expansão da indústria de base se provou extremamente bem sucedido e, em 1968, a renda nacional havia dobrado, alcançando um crescimento anual médio de 10%. 
    Fonte: < https://www.br.emb-japan.go.jp/cultura/economia.html > Acesso em 11/04/2019 às 16:05
     
    A partir do texto, avalie as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.
     
    I.  O crescimento da economia japonesa desde o pós-guerra até os dias atuais se dá em função da capacidade de gerar poupança e pela intensificação da produção de bens de alto valor agregado.
     
    PORQUE 
     
    II. Quanto mais trabalho se incorpora a um bem, mais valioso se tornará, aumentando a riqueza de quem o produz, o que está alinhado ao pensamento de Adam Smith, que dizia ser o trabalho a verdadeira fonte de riqueza das nações.
     
    A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

    Resposta Selecionada:  

    As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da I.

    Resposta Correta:  

    As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da I.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Isso mesmo, a economia japonesa cresceu exponencialmente face a intensificação de bens de maior valo agregado, como a construção de maquinário, navios, automóveis, etc.

  • Pergunta 9

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    Conforme Vasconcellos e Garcia, o PIB “é o somatório de todos os bens e serviços finais produzidos dentro do território nacional num dado período, valorizados a preço de mercado, sem levar em consideração se os fatores de produção são de propriedade de residentes ou não-residentes”.
    VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de; GARCIA, Manuel Enriquez. Fundamentos de Economia . 4º ed. São Paulo: Saraiva, 2008, p. 154
    A partir do texto, avalie as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.
     
    I. O PIB é uma forma de medição da renda nacional, podendo ser contabilizado em termos reais e em termos nominais, sendo que o primeiro é o que efetivamente mostra a real geração de riqueza.
     
    PORQUE 
      
    II. O PIB em termos reais é calculado descontando-se a inflação medida no período em que foi analisado.
     
    A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

    Resposta Selecionada:  

    As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da I.

    Resposta Correta:  

    As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da I.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. Realmente o PIB em termos reais é aquele contabilizado descontando-se os efeitos da inflação sobre os preços. Dessa forma, é um dado que mostra efetivamente se houve e de quanto foi a geração de riqueza.

  • Pergunta 10

    0,25 em 0,25 pontos

       
     

    Vasconcellos e Garcia explicam que a política fiscal “refere-se a todos os instrumentos de que o governo dispõe para arrecadar tributos (política tributária) e controlar suas despesas (política de gastos). A política tributária, além de influir sobre o nível de tributação, é utilizada, por meio da manipulação da estrutura e alíquotas de impostos, para estimular (ou inibir) os gastos de consumo do setor privado.” 
    VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de; GARCIA, Manuel Enriquez. Fundamentos de Economia. 4º ed. São Paulo: Saraiva, 2008, p. 130.
    Considere que o país está passando por um período suficiente para caracterizar uma situação inflacionária: empregos vem sendo perdidos pela retração da demanda provocada pela perda do poder de compra da moeda, no que se chama como sendo “espiral inflacionária”. Que ações deveriam ser tomadas no que tange à área fiscal?
    I. O governo deveria realizar reformas que levassem a redução dos gastos públicos, uma vez que essa é umas das principais causas da inflação.
    II. O governo deveria promover reduções graduais e constantes dos impostos que incidem diretamente sobre o consumo, como o IPI e o ICMS.
    III. O governo deveria realizar operações de compra de divisas estrangeiras, o que promoveria um fortalecimento das reservas estrangeiras, consequentemente da capacidade do governo de gastar.
    É correto o que se afirma em

    Resposta Selecionada:  

    I, apenas.

    Resposta Correta:  

    I, apenas.

    Feedback da resposta:

    Resposta certa. A política fiscal se refere à gestão que o governo possui sobre suas receitas e despesas. Dessa forma, diante de uma situação de espiral inflacionária, no que tange à política fiscal, o governo precisa aumentar impostos e cortar gastos.

User badge image

tayana leonarda

Há mais de um mês

uma expansão contínua de gasto público em relação ao PIB por 4 décadas

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas