A maior rede de estudos do Brasil

Qual é a diferença entre culpabilidade e imputabilidade no direito penal para o caso de psicopatas homicidas?


3 resposta(s)

User badge image

Eva Bezerra

Há mais de um mês

Existe a diferença entre responsabilidade penal e imputabilidade. Enquanto a primeira se trata da obrigação jurídica de responder pelo ato delituoso, a segunda se trata da condição pessoal do agente. E enquanto a culpabilidade possui mutações com o decorrer dos anos, e não é apenas uma caracterização jurídica, mas social, em razão de se basear nos quesitos da vida social das pessoas

Existe a diferença entre responsabilidade penal e imputabilidade. Enquanto a primeira se trata da obrigação jurídica de responder pelo ato delituoso, a segunda se trata da condição pessoal do agente. E enquanto a culpabilidade possui mutações com o decorrer dos anos, e não é apenas uma caracterização jurídica, mas social, em razão de se basear nos quesitos da vida social das pessoas

User badge image

Alessandra Abadio

Há mais de um mês

psicopatia, quais suas causas e as diferenças entre o transtorno de ... que o Direito Penal utiliza para constatar o transtorno de personalidade e quais as ... extremamente fundamental para que se analise qual é a melhor forma de punir um ... culpabilidade e imputabilidade, possibilidade de conhecimento da ilicitude e.

User badge image

Cássio Camaleão

Há mais de um mês

A psicopatia é considerada um transtorno de personalidade; o psicopata nem sempre virá a ser um assassino em série, bem como nem todos os assassinos em série podem ser considerados psicopatas. O presente trabalho busca elucidar de que forma os assassinos em série diagnosticados como portadores de psicopatia são punidos dentro do sistema penal brasileiro, mencionando as penas possivelmente aplicadas, questões de imputabilidade penal e qual seria uma alternativa hábil para penalizar tais criminosos. Atualmente, são considerados imputáveis ou então semi-imputáveis, conforme o disposto no artigo 26 do Código Penal Brasileiro. Porém será demonstrado que os psicopatas são indivíduos que não possuem senso ético; apesar de conhecerem as normas, saberem o que é certo e errado, agirão conforme seu desejo, não se importando de que forma seus atos atingirão as pessoas a sua volta. O estudo foi feito por meio de revisão bibliográfica, utilizando opiniões convergentes e divergentes de diversos autores. Ao final, se percebe que é imprescindível a criação de normas que regularizem a punição de psicopatas, ou programas específicos envolvendo profissionais capacitados para lidar com portadores de tal transtorno.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes