A maior rede de estudos do Brasil

. O problema de distribuição de chaves, inerente ao uso de cifras simétricas, pode ser resolvido com o uso do protocolo de Diffie-Hellman.


1 resposta(s)

User badge image

Roberto Alves

Há mais de um mês

troca de chaves de Diffie-Hellman é um método de criptografia específico para troca de chaves desenvolvido por Whitfield Diffie e Martin Hellman e publicado em 1976. Foi um dos primeiros exemplos práticos de métodos de troca de chaves implementado dentro do campo da criptografia. O método da troca de chaves de Diffie-Hellman permite que duas partes que não possuem conhecimento a priori de cada uma, compartilhem uma chave secreta sob um canal de comunicação inseguro. Tal chave pode ser usada para encriptar mensagens posteriores usando um esquema de cifra de chave simétrica.

Tal conceito foi originalmente inventado por Malcolm Williamson, um funcionário do Government Communications Headquarters (GCHQ) no Reino Unido, alguns anos antes de Whitfield Diffie e Martin Hellman, porém o GCHQ decidiu não tornar pública a descoberta pois tratava-se de assunto de segurança nacional. Somente em 1997 foi revelado o trabalho mas não teve muita repercussão na pesquisa em universidades. O trabalho de Malcolm Williamson não incluía o conceito de assinatura digital.[1] Em 2002, Hellman sugeriu que o algoritmo fosse chamado de troca de chave de Diffie-Hellman-Merkle, em reconhecimento às contribuições de Ralph Merkle para a invenção da criptografia de chave pública. Martim Hellman escreveu:

"O sistema é conhecido desde então como troca de chave de Diffie-Hellman. Enquanto tal sistema foi descrito em um artigo por mim e Diffie, ele é um sistema de distribuição de chave pública, um conceito desenvolvido por Merkle, e desta forma deveria ser chamado de 'troca de chave de Diffie-Hellman-Merkle'. Eu espero que esta pequena contribuição ajude na jornada para reconhecer as contribuições de Merkle na invenção da criptografia de chave pública."

O método foi seguido pelo RSA, uma outra implementação de criptografia de chave pública usando algoritmos assimétricos.

troca de chaves de Diffie-Hellman é um método de criptografia específico para troca de chaves desenvolvido por Whitfield Diffie e Martin Hellman e publicado em 1976. Foi um dos primeiros exemplos práticos de métodos de troca de chaves implementado dentro do campo da criptografia. O método da troca de chaves de Diffie-Hellman permite que duas partes que não possuem conhecimento a priori de cada uma, compartilhem uma chave secreta sob um canal de comunicação inseguro. Tal chave pode ser usada para encriptar mensagens posteriores usando um esquema de cifra de chave simétrica.

Tal conceito foi originalmente inventado por Malcolm Williamson, um funcionário do Government Communications Headquarters (GCHQ) no Reino Unido, alguns anos antes de Whitfield Diffie e Martin Hellman, porém o GCHQ decidiu não tornar pública a descoberta pois tratava-se de assunto de segurança nacional. Somente em 1997 foi revelado o trabalho mas não teve muita repercussão na pesquisa em universidades. O trabalho de Malcolm Williamson não incluía o conceito de assinatura digital.[1] Em 2002, Hellman sugeriu que o algoritmo fosse chamado de troca de chave de Diffie-Hellman-Merkle, em reconhecimento às contribuições de Ralph Merkle para a invenção da criptografia de chave pública. Martim Hellman escreveu:

"O sistema é conhecido desde então como troca de chave de Diffie-Hellman. Enquanto tal sistema foi descrito em um artigo por mim e Diffie, ele é um sistema de distribuição de chave pública, um conceito desenvolvido por Merkle, e desta forma deveria ser chamado de 'troca de chave de Diffie-Hellman-Merkle'. Eu espero que esta pequena contribuição ajude na jornada para reconhecer as contribuições de Merkle na invenção da criptografia de chave pública."

O método foi seguido pelo RSA, uma outra implementação de criptografia de chave pública usando algoritmos assimétricos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes