A maior rede de estudos do Brasil

Explique as gerações dos direitos fundamentais.


8 resposta(s)

User badge image

Nelivia Brazao

Há mais de um mês

Enquanto os direitos de primeira geração (direitos civis e políticos) – que compreendem as liberdades clássicas, negativas ou formais – realçam o princípio da liberdade e os direitos de segunda geração (direitos econômicos, sociais e culturais) – que se identificam com as liberdades positivas, reais ou concretas
Enquanto os direitos de primeira geração (direitos civis e políticos) – que compreendem as liberdades clássicas, negativas ou formais – realçam o princípio da liberdade e os direitos de segunda geração (direitos econômicos, sociais e culturais) – que se identificam com as liberdades positivas, reais ou concretas
User badge image

Priscila Durães

Há mais de um mês

Os direitos de primeira geração, que tem como marco as revoluções liberais do século XVIII, são os direitos de liberdade em sentido amplo, sendo os primeiros a constarem dos textos normativos constitucionais, a saber, os direitos civis e políticos. São direitos a prestações preponderantemente negativas, nas quais o Estado deve proteger a esfera de autonomia do indivíduo. São denominados também “direitos de defesa”, pois protegem o indivíduo contra intervenções indevidas do Estado (dever de abstenção). Dentre eles, estão os direitos às liberdades, à vida, à igualdade perante a lei, à propriedade, à intimidade, etc.[1]Os direitos de segunda geração, por sua vez, nasceram a partir do início do século XX, introduzidos pelo constitucionalismo do Estado social (Constituição Mexicana de 1917 e de Weimar de 1919) e compõem-se dos direitos de igualdade em sentido amplo, a saber, os direitos econômicos, sociais e culturais, cujo adimplemento impõe ao poder público a satisfação de um dever de prestação preponderantemente positiva, consistente num facere. São os reconhecidos direitos à saúde, à educação, à previdência, etc.Os direitos de terceira geração são os direitos da comunidade, ou seja, têm como destinatário todo o gênero humano, como os difusos e coletivos, que se assentam na fraternidade ou solidariedade. Dentre eles, destaque-se o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, assim como os direitos ao desenvolvimento, ao patrimônio comum da humanidade e à paz.Segundo o brasileiro Paulo Bonavides, por exemplo, os direitos fundamentais de quarta geração seriam aqueles resultantes da globalização e são exemplos o direito à democracia (sobretudo direta), à informação, ao pluralismo e, para alguns (como Norberto Bobbio), a bioética.Paulo Bonavides também desenvolve sua quinta geração de direitos fundamentais, tendo como destaque o reconhecimento da normatividade do direito à paz. O autor critica Vasak que teria, inicialmente, inserido a paz no âmbito dos direitos de terceira geração (fraternidade).Bernardo Gonçalves[4] cita, ainda, uma suposta sexta geração de direitos fundamentais, consistente no direito à água potável. O próprio autor, contudo, reconhece a desnecessidade de tal construção, já que estaria suficientemente abarcada pelo direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado (terceira geração).
User badge image

Felipe Farias

Há mais de um mês

A proposta de triangulação dos direitos fundamentais transmitidos de geração em geração é atribuída a Kasel Vasak, que a apresentou em uma reunião da Sociedade Internacional de Direitos Humanos (Estrasburgo) em 1979, e foi inspirada no lema da Revolução Francesa ( liberdade, igualdade e fraternidade), a partir da institucionalização do processo histórico. O direito de primeira geração da icônica revolução liberal do século XVIII é o direito à liberdade em sentido amplo. É o primeiro direito à liberdade no texto normativo da constituição, a saber, direitos civis e direitos políticos. São direitos com interesses principalmente negativos, nos quais o Estado deve proteger o âmbito da autonomia individual. Eles também são chamados de "direitos de defesa" porque podem proteger os indivíduos da intervenção estatal indevida (renúncia). Estes incluem os direitos de liberdade, vida, igualdade perante a lei, direitos de propriedade, intimidade, etc.Por outro lado, a segunda geração de direitos nasceu no início do século 20. Foi introduzida pelo sistema constitucional do estado social (a Constituição mexicana em 1917 e Weimar em 1919) e, em um sentido amplo, consiste na igualdade de direitos, ou seja, direitos econômicos. , Direitos sociais e culturais, sua atuação impõe ao poder público a principal obrigação de atuação ativa de manifestação. São direitos reconhecidos, como saúde, educação e seguridade social. Esses direitos originalmente se referiam à área de normas constitucionais planejadas

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes