LIVRO - Redes e Sistemas de Telecomunicações
256 pág.

LIVRO - Redes e Sistemas de Telecomunicações


DisciplinaPropagação e Antenas126 materiais1.651 seguidores
Pré-visualização48 páginas
pela
necessidade de uma lista de distribuição com base na qual uma mensagem
pode ser gravada em um correio de voz ou e-mail e ser enviada para um
grande número de pessoas em curtíssimo espaço de tempo. Na lista de dis-
tribuição, onde algumas pessoas não teriam a caixa de correio de voz, o
modo de alcançá-los seria através de uma chamada telefônica normal para
as residências. A figura 3.31 mostra como funcionaria esse serviço.
Figura 3.31
Unified Messaging também é uma ferramenta de negócio, pois pode forne-
cer uma frente de loja, 24 horas por dia onde as pessoas poderiam fazer
uso do telefone para obter informação ou para fazer transações sem ne-
cessitar se comunicar com as pessoas ao vivo. O telefone e o PC estão se
tornando terminais de transações.
Uma Arquitetura para o Unified Messaging
A plataforma deve ser confiável o bastante para manipular o tráfego tanto
dos provedores de serviços tradicionais (telecomunicações) como dos In-
ternet Service Providers (ISPs). Ela também deve ser escalável de forma a
permitir o crescimento à medida que o mercado cresça. Manter uma ar-
quitetura aberta é essencial, pois minimiza as restrições para o provedor
Redes 117755
quando surgir em necessidades de expansão de serviços ou de adminis-
tração de aplicações. Além de armazenar mensagens de fax e de voz, a
plataforma de unified messaging pode também hospedar mensagens texto
de e-mail. Isso garante acesso em tempo real, como também uma arqui-
tetura mais robusta que atenderia às necessidades dos provedores de ser-
viço, tanto o de telecomunicações como o de Internet. A figura 3.32 ilustra
um servidor de mensagens em um ambiente de unified messaging. Foi
simplificado a fim de focar nos elementos Internet que são requeridos.
Figura 3.32
Exemplos de Cenários de Unified Messaging
Com a tecnologia text-to-speech (conversão de texto em palavras) as pes-
soas poderão ouvir seus e-mails de qualquer telefone. Fazendo uso de
protocolos adequados, poderão ouvir as mensagens através de um PC.
Tomando como exemplo uma pessoa de vendas que esteja em trânsito,
ainda assim pode estar em contato com o escritório, pois com o unified
messaging, está habilitada em verificar as mensagens, e-mail, e faxes por
qualquer terminal telefônico.
Mais e mais pessoas estão assinando serviço de "e-mail at home" pois é
crescente o número de companhias que estão oferecendo o serviço grátis.
Dessa forma, essas pessoas podem se tornar usuários casuais de e-mail,
pois irão fazer uso do serviço de forma não freqüente. Para essas pesso-
as, os provedores de serviços poderiam oferecer um serviço básico de
unified messaging que consistiria de um voice-mail que emite notificações
de chegada de mensagens de e-mail. Esses usuários poderiam ser notifi-
PSTN
Internet
117766 Redes e Sistemas de Telecomunicações
cados sobre qualquer chegada de mensagens de e-mail através de seus
telefones. Isso poderia reduzir um número considerável de logins, elimi-
nando o tempo desperdiçado em entrar no sistema e não ter nenhuma
mensagem recebida.
A maioria dos usuários residenciais Internet, que possuem somente uma
linha telefônica, gastam um bom tempo em cada sessão com a rede. Isto
significa que chamadas telefônicas não serão recebidas durante as cone-
xões com a Internet. Entretanto, com o serviço de unified messaging, as
chamadas podem ser atendidas, pois os usuários não precisam se desco-
nectar da Internet para saberem se uma chamada está chegando. Eles
podem acessar os seus voice mailboxes enquanto estiverem conectados.
Com uma interface visual, quer através do Web browser ou de um e-mail,
eles podem descobrir quem deixou uma mensagem, quando e qual o ta-
manho da mensagem. Eles também têm a opção de escutar suas mensa-
gens através de sistema multimídia, se o desejarem.
Pessoas que preferem usar e-mail devem poder se comunicar com pesso-
as que preferem usar o voice mail, e vice versa. O serviço de Unified mes-
saging pode ser aplicado como uma ponte entre as comunidades de e-mail
e voice-mail, expandindo dessa forma a rede de mensagens.
Um uso deste tipo de serviço poderia ser o caso do estudante que possui
conta de e-mail na escola e desejaria enviar mensagens aos seus pais que
não possuem contas de e-mail, mas possuem assinatura de voice mail.
Com o serviço de unified messaging, o estudante poderia gravar uma
mensagem e enviá-la, via e-mail, para a mailbox dos pais.
Assinantes de telefones wireless digital podem também obter vantagens de
um serviço de unified messaging ao acessar suas mensagens. Pelo dis-
play do handset eles podem acessar suas mailbox e verificar a listagem de
suas mensagens de voz (voice-mail), de fax e de e-mail.
Para os assinantes que gostam de usar máquinas fax, tendo um serviço de
Unified Messaging, lhes será oferecida a funcionalidade de fax.
Não somente eles poderão enviar faxes aos seus destinos, como também
poderão ver seus faxes diretamente em seus PCs. Poderão tratar o fax,
com as funcionalidades de resposta, reencaminhamento e arquivamento.
Poderão ter também a funcionalidade text-to-fax, dirigindo e-mail para fax.
Por exemplo, um treinador de futebol envia ao seu assistente a lista do
novo time. O assistente está impossibilitado de entrar em um PC para ver
Redes 117777
a lista. Liga para o serviço e "escuta" o seu e-mail através da tecnologia
text-to-speech.
Ao invés de escrever todos os nomes em um papel, o assistente direciona
o e-mail para um fax que esteja perto dele.
Tecnologia de Fibra Óptica
Definição
As comunicações por fibra óptica são baseadas no princípio de que a luz
incidente em um meio vítreo pode carregar informação por maiores distân-
cias do que sinais elétricos podem carregar a mesma informação por meio
de cabos coaxiais ou de cobre. A pureza do vidro, combinada com siste-
mas, possibilitam que a fibra transmita sinais luminosos digitalizados além
de 100 km sem amplificação. Com pouca perda de transmissão, com baixa
interferência e alto potencial, no que diz respeito à largura de banda, a
fibra é considerada quase o meio ideal de transmissão de informação.
A Estrutura Básica da Fibra Óptica
A figura 3.33 mostra a estrutura básica de uma fibra onde:
Buffer: é a cobertura de proteção que pode ser de acrolyte ou de plástico.
Cladding: é um revestimento de vidro, com menor índice de refração do
que o core, que fornece a superfície para reflexão.
Core: é o núcleo de vidro por onde a luz viaja.
Figura 3.33
117788 Redes e Sistemas de Telecomunicações
As categorias de Fibra Óptica
Existem duas categorias de fibra óptica: monomodo e multimodo.
Single Mode
Laser
Light
Source
Multi-mode
LED
Light
Source
Figura 3.34
A fibra multimodo foi o primeiro tipo a ser comercializada. Ela tem o núcleo
muito maior do que a fibra monomodo, permitindo centenas de raios (ou
modos) de luz através da fibra simultaneamente. Em adição, um núcleo de
diâmetro maior de fibra multimodo facilita o uso de transmissores e co-
nectores de baixo custo
A fibra monomodo, por outro lado, tem um núcleo bem pequeno o que
permite que somente um modo de luz por vez propague através do núcleo.
Enquanto parece que as fibras multimodo possuem uma maior capacida-
de, o fato é que o oposto é que é verdadeiro. As fibras monomodo são
projetadas para manter a integridade de cada sinal óptico em longas dis-
tâncias, permitindo que mais informação seja transmitida. Sua tremenda
capacidade de transportar a informação com baixa perda intrínseca faz
com que a fibra monomodo seja o meio ideal para muitas aplicações. A
fibra multimodo é usada primariamente em sistemas com distâncias envol-
vidas em transmissões de até 2 km.
O padrão internacional que determina o diâmetro da fibra no tocante ao
vidro de revestimento (cladding) para a maioria das fibras monomodo é de
125 microns (µm), de 245 µm para a capa que recobre a fibra e de 50 a
62.5 microns para o núcleo. O padrão é extremamente importante, pois
garante compatibilidade entre os vários conectores, terminais e ferramen-
tas disponíveis no mercado. O padrão para