A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
255 pág.
Redes e Sistemas de Telecomunicações

Pré-visualização | Página 20 de 48

em somente 4 canais; range
para 60 km, requer LOS e é
afetado por multivia (Nota 2).
MDS1 2150–2156 MHz Canal simples de 6 MHz; veja
MMDS.
MDS2 2156–2162 MHz Canal simples de 6 MHz; veja
MMDS.
110000 Redes e Sistemas de Telecomunicações
NOME FREQÜÊNCIA NOTAS
MDS2A 2156–2160 MHz MDS2 truncado em um lado de
4 MHz
WCS 2305–2320 MHz Em blocos de 5- ou 10-MHz.
WCS 2345–2360 MHz Em blocos de 5- ou 10-MHz.
ITFS 2500–2690 MHz Canais de 6-MHz compartilha-
dos com MMDS
Low-power
Television Service
(LPTV)
54–72 MHz
78–88 MHz
174–216 MHz
470–806 MHz
Difusão em baixa potência;
canais de 6-MHz.
Baixa potência que pode ser
de 50-Kwatts em potência efe-
tivamente irradiada (Effective
Radiated Power (ERP)) inclu-
indo-se o ganho da antena.
Operação em LOS é aconse-
lhada.
LMDS 27500–28350 MHz
31000–31300 MHz
Pequeno alcance, 5 kms, ca-
nais de 20-MHz.
Propagação é afetada pela
chuva.
ISM 902–928 MHz
2,400–2,483.5 MHz
Pequeno alcance (800 metros)
em spread spectrum omnidire-
cional.
Pequeno alcance, similar ao
900 MHz, mas também pode ir
além de 25 kms ponto-a-ponto
como via de retorno para sis-
tema cable-modem.
Nota 2: Multivia é a recepção de 2 ou mais sinais por diferentes caminhos. O
sinal direto pode combinar com uma reflexão, no teto, em uma parede, ou outra
superfície qualquer, refração sobre árvores, ou na camada de inversão atmosfé-
rica. O sinal recebido se torna um vetor-soma de 2 sinais criando uma mudança
de fase e amplitude. A distorção pode mover rapidamente pela freqüência da
banda.
Wireless 110011
Recepção do Sinal no Usuário
A banda de freqüência determina o tipo de antena receptora e de downconver-
ter (se for necessário). Sinais LPTV são recebidos pelo cable modem usando a
saída normal da antena de TV, possivelmente com um amplificador, mas pres-
tando mais atenção no nível de sinal do que com o conjunto de TV analógica. O
nível deve ser mais próximo do range aceitável para o modem.
MMDS, MDS, e WCS requerem uma pequena antena integrada com o
downconverter montado no teto ou ao lado do prédio.
As antenas devem ser do tipo flat arrays, 1 pé2 (929 cm2) com 17-dB de
ganho, ou de formato parabólico com características similares. Outros pro-
dutos usam parábolas parciais, com 2 pés (0,3048 m) de diâmetro, ou an-
tenas do tipo Yagi, com mesmas dimensões (2 pés). A maioria dos down-
converters permite a escolha do ganho interno como também do ganho da
antena, de tal forma que o nível do sinal de saída possa ser o mais próxi-
mo possível de 0 dBmV para o modem.
Personal Communications Service-PCS
Definição
PCS é uma nova geração de tecnologia telefônica wireless que introduz
um leque de novas características e serviços que vai além do que os atu-
ais sistemas wireless oferecem, tanto os analógicos como os digitais. O
PCS fornece ao usuário final um telefone wireless (all in one) que incorpora
a parte de fonia, a de paging, a de mensagem e serviço de dados, tendo
uma grande melhoria no tempo de standby da bateria.
Resumo da Tecnologia PCS
A especificação IS-136 da Telecommunications Industry Association (TIA)
é a base da tecnologia interface ar TDMA PCS. O IS–136 é projetado para
operar nas bandas de 800 MHz e de 1900 MHz.
Digital Control Channel (DCCH)
O DCCH forma o centro da especificação IS–136 e é a primeira melhoria
implementada na tecnologia TDMA digital-wireless. É um novo mecanismo
de controle de canal adicionado aos já existentes Analog Control Channel
(ACC), Analog Voice Channel (AVC), e Digital Traffic Channel (DTC) da
110022 Redes e Sistemas de Telecomunicações
interface ar do TDMA. A tecnologia DCCH forma a plataforma básica para
o PCS, introduzindo novas funcionalidades e suportando novas caracterís-
ticas que tornam o PCS um poderoso sistema digital.
Operação Dual-Band Dual-Mode
Os telefones PCS dual-band operando em 800 MHz e 1900 MHz possibili-
tam que os usuários recebam de forma completa as novas características
e serviços PCS oferecidos pelos sistemas IS–136, mesmo em situação de
roaming. A capacidade dual-mode fornece a continuidade do serviço e a
interoperabilidade entre redes digitais e analógicas, o que dá como resul-
tado que um telefone PCS pode prover acesso para todos os serviços wi-
reless existentes, bem como pode ser usado em um sistema fechado pri-
vado e também servir como um simples fone cordless digital.
A tabela abaixo mostra um resumo das características e capacidades do
sistema PCS:
CARACTERÍSTICA CAPACIDADE
Modo sleep Estende o tempo de standby do telefone au-
mentando o tempo de vida da bateria.
Short Message Serv-
ice (SMS)
Transfere mensagens alfanuméricas entre celu-
lares e PCS.
Privacidade de voz e
dados
Aumenta a resistência contra escutas clandesti-
nas.
Qualidade superior de
serviço
Resulta em menor ruído nas conversações e
poucas quedas de chamada.
Rescan inteligente Permite um forte controle de seleção do sistema.
IDs de sistemas resi-
denciais e privados
Fornece serviço de escritório wireless e caracte-
rísticas de estação base pessoa de forma mais
simplificada e mais controlada
Roaming transparente Possibilita o roaming entre freqüências usando
telefones dual-band e dá suporte à roaming in-
ternacional
Ambiente hierárquico Fornece suporte para operação macro-célula –
micro-célula.
Wireless 110033
CARACTERÍSTICA CAPACIDADE
Suporte a dados por
circuito comutado
Provê transmissão de dados com alta confiabilida-
de para e-mail, fax e acesso à Internet wireless.
Autenticação Aumenta a segurança do telefone e diminui o
risco de clonagem.
Identificação do número
chamador (Calling Num-
ber Identification-CNI)
Permite que o assinante chamado identifique o
número chamador antes de atender.
Indicador de chegada de
mensagem (Message
Waiting Indicator-MWI)
Notifica o usuário à chegada de mensagem de
e-mail.
Serviço de despacho
de texto
Operadores recebem as mensagens e as enviam
para os telefone PCS.
Comparação entre espectros Celular e PCS
A figura 2.18 retrata o espectro de 800 MHz do wireless celular e o espec-
tro de 1900 MHz do PCS:
110044 Redes e Sistemas de Telecomunicações
CELULAR
Transmissão do Fone Transmissão da Base
A” A B A’ B’ A” A B A’ B’
PCS
Transmissão do Fone
A D B E F C
Transmissão da Base
A D B E F C
Figura 2.18
O Ambiente DCCH
Um canal de rádio consiste de duas freqüências dentro de um espectro de
rádio freqüência (RF) que são separados por uma distância fixa. Essas
duas freqüências possibilitam que um site de célula e um telefone wireless
possam transmitir e receber sinais simultaneamente. Os sites de células se
comunicam como os telefones, usando dois canais de rádios diferentes,
sendo um canal de voz e um canal de controle.
Em sistemas TDMA, cada canal de rádio digital pode levar até três chama-
das de voz pela multiplexação, no tempo, do tráfego de voz em time slots.
Um DCCH é introduzido no sistema TDMA pela reprogramação de um
desses canais de tráfego chamados de DTCs, a fim de adaptar o DCCH na
freqüência que contém os DTCs existentes.
Wireless 110055
A figura 2.19 mostra o par de slot DTC (1, 4) usado para um DCCH, e tam-
bém mostra cada célula dividida em setores (A, B, C). Somente um par de
slot é requisitado para um DCCH em cada setor de célula, indiferente-
mente do número de rádios digitais no setor.
Figura 2.19
Princípio Operacional
A informação transportada no DCCH flui em duas direções sobre a interfa-
ce ar: do sistema para o telefone (downlink), e do telefone para o sistema
(uplink). Perceba-se que, na figura 2.19, a estação base (base station) re-
presenta o sistema.
Os telefones PCS monitoram um DCCH em cada setor de um sistema wi-
reless que suporta serviços IS–136. Um telefone PCS pode fazer um