A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Perspectivas para o Biodiesel no Nordeste

Pré-visualização | Página 1 de 11

114 | Vende-se uma região: o marketing territorial público e privado do Litoral Norte da Bahia
RATZEL, F. Politische Geographie. 3. ed. München; Berlin: R. Oldenburg,
1923. [1. ed. de 1897].
RODRIGUES, R. A terra é nossa. Folha de São Paulo, São Paulo, 3 jul. 2010.
Caderno Mercado, p. B11.
SANTOS, M. Salvador e o deserto. Revista Brasileira dos Municípios, Rio de
Janeiro, v. 11, n. 43/44, p. 155-156, jul./dez. 1958.
______; SILVEIRA, M. L. O Brasil: território e sociedade no início do século
XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.
SCHOLZ, C. Frankfurt – eine Stadt wird verkauft. Stadtentwicklung und
Stadtmarketing – Image am Beispiel Frankfurt. Frankfurt am Main: ISP
Verlag, 1989.
SUPERINTENDÊNCIA DE ESTUDOS ECONÔMICOS E SOCIAIS DA BAHIA (SEI).
Base Digital de Municípios do Estado da Bahia. Salvador, 2006. Disponível
em: <http://www.sei.ba.gov.br >. Acesso em: 30 jun. 2006.
SILVA, S.B. de M.; CARVALHO, S.S. Transportes, acessibilidade e interação no
litoral norte da Bahia: Uma contribuição à política territorial. In: COLÓQUIO
INTERNACIONAL DE GEOCRÍTICA, 11., Buenos Aires, 2010. Anais... Buenos
Aires: UBA, 2010.
______; SILVA, B.C.N. Estudos sobre globalização, território e Bahia. 2. ed.
Salvador: Mestrado em Geografia da UFBA, 2006.
______; ______; CARVALHO, S.S. Metropolização e turismo no Litoral Norte
de Salvador: de um deserto a um território de enclaves? In: CARVALHO, I.;
PEREIRA, G.C. Como anda Salvador. 2. ed. Salvador: EDUFBA, 2008.
p.189-212.
Revista Desenbahia nº 14 / mar. 2011 | 115
Resumo
A produção de biodiesel tem sido sempre abordada sob uma perspectiva ampla,
mas poucas considerações foram verdadeiramente debatidas em relação à
região Nordeste do Brasil, como os impactos de sua regulamentação, gargalos
de mercado e tecnológicos e, principalmente, o modelo de negócios apropriado
capaz de transformar “boa vontade” em realidade. O objetivo deste artigo é
avaliar o lento desenvolvimento da produção de biodiesel na região Nordeste,
após a aprovação da Lei Nº 11.097, de janeiro de 2005. Do ponto de vista da
metodologia, trata-se de um estudo exploratório. A análise dos dados levantados
aponta que os resultados alcançados até o presente momento são ínfimos, as
expectativas socioeconômicas e ambientais foram frustradas e a inclusão deste
biocombustível na matriz energética local não se concretizou plenamente.
Conclui-se que as potencialidades desta região precisam ser avaliadas sob a
ótica de perspectivas de desenvolvimento local, bem como o planejamento
setorial seja submetido a melhorias significativas para fortalecer a capacidade
organizacional da região, mediante a criação de arranjos produtivos eficientes.
Palavras-chave: Biodiesel. Gargalos tecnológicos. Modelos de negócio. Políticas
de mercado. Cadeia produtiva.
6 PERSPECTIVAS PARA O BIODIESELNO NORDESTE
Gilson de Queiroz Junior*
Alzir Antonio Mahl**
*
Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Salvador e Mestre em Análise Regional
pela Universidade Salvador. Gerente Financeiro da empresa Movitec Brasil. Consultor na área
de projetos, com ênfase em energias renováveis e captação de recursos, além de desenvolver
projetos de saneamento e tratamento de água. Professor do Centro Universitário Jorge
Amado (Unijorge) e da Faculdade Batista Brasileira (FBB). gilson.queiroz@gmail.com
**
 Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná e Mestre em
Economia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Participa do Núcleo de Política e Administração
em Ciência e Tecnologia (NACIT) do Curso de Administração da UFBA. Professor da Faculdade de
Artes, Ciências e Tecnologia (FACET) e Instituto Baiano de Ensino Superior (IBES).
alzir@fapesb.ba.gov.br
116 | Perspectivas para o biodiesel no Nordeste
Abstract
Biodiesel production has always been addressed under a general perspective,
but few considerations were truly discussed considering the Northeast Region
of Brazil, such as the impacts of its regulations, market and technological
drawbacks, and especially, an appropriate business model capable of
transforming “goodwill” into reality. The objective of this study is to assess the
slow development process of Biodiesel production in the Northeast Region of
Brazil since the application of Law Nº 11,097, of January 2005. It was applied
an exploratory study methodology and data analysis reveals poor results until
today. Socio-economic and environmental expectations were frustrated and
the inclusion of this type of biofuel in the local energy matrix was not totally
possible. It is necessary to evaluate the production chain under a potential
scenario for local development, contrasting with the slow development of the
results achieved so far.
Keywords: Biodiesel. Technology drawbacks. Business model. Market policy.
Production chain.
116 | Perspectivas para o biodiesel no Nordeste
Abstract
Biodiesel production has always been addressed under a general perspective,
but few considerations were truly discussed considering the Northeast Region
of Brazil, such as the impacts of its regulations, market and technological
drawbacks, and especially, an appropriate business model capable of
transforming “goodwill” into reality. The objective of this study is to assess the
slow development process of Biodiesel production in the Northeast Region of
Brazil since the application of Law Nº 11,097, of January 2005. It was applied
an exploratory study methodology and data analysis reveals poor results until
today. Socio-economic and environmental expectations were frustrated and
the inclusion of this type of biofuel in the local energy matrix was not totally
possible. It is necessary to evaluate the production chain under a potential
scenario for local development, contrasting with the slow development of the
results achieved so far.
Keywords: Biodiesel. Technology drawbacks. Business model. Market policy.
Production chain.
Revista Desenbahia nº 14 / mar. 2011 | 117
Introdução
Admitindo-se que a região Nordeste necessita de iniciativas para expandir a
atividade econômica e mitigar os efeitos nocivos relativos ao alto índice de
pobreza, a cadeia produtiva do biodiesel permite combinar aspectos relacionados
à diversificação da matriz energética com a necessidade de geração de emprego
e renda. Isto porque a capacidade de expansão da fronteira agrícola, a mão de
obra disponível e carente de oportunidades, subprodutos comerciáveis e mercado
consumidor local favorecem o desenvolvimento de um ambiente propício para
o desenvolvimento de diversos projetos na região.
O biodiesel é um combustível produzido a partir de oleíferas (óleos vegetais ou
OGR1) e álcool (metanol ou etanol), adicionado de um catalisador no processo;
é um substituto com características físico-químicas similares ao diesel, sem
necessidades de adaptações nos motores, além de ser muito menos poluente
e de base renovável (QUEIROZ JUNIOR, 2005). Este autor apoia-se em Dabdoub-
Labs para afirmar:
O biodiesel é um bom substituto quando puro ou um componente (quando
misturado) ao diesel, porém produzido a partir de materiais de base renovável,
como os óleos vegetais e um álcool. O biodiesel é quimicamente conhecido
como ésteres de alquila, de metila ou etila, que podem ser obtidos por reações
de transesterificação utilizando para tanto Metanol (tóxico, venenoso e
originário de fontes fósseis), ou Etanol (álcool de cana), na presença de uma
substância química (catalisador), que promove a transformação química desses
reagentes. (QUEIROZ JUNIOR, 2005, p. 28).
A Figura 1 permite visualizar-se uma representação funcional do processo
produtivo do biodiesel:
1
 Óleos e gorduras residuais, a exemplo de resíduo de óleo utilizado em frituras (restaurantes),
alguns resíduos de esgoto, sebo animal, entre outros tipos.
Fonte: Queiroz Junior (2005, p. 25).
Figura 1
Processo produtivo do biodiesel
118 | Perspectivas para o biodiesel no Nordeste
A ideia principal relacionada com a produção de biodiesel é sua utilização em
substituição ao diesel fóssil, em parte