A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Estado e jurisdição - TGP

Pré-visualização | Página 1 de 1

TEORIA GERAL DO 
PROCESSO 
 Tipo de Estado que se é reflete no tipo de 
processo que se tem 
JURISDIÇÃO 
 PODER – DEVER 
PODER: Manifestado pelos juízes de órgãos 
do Estado; 
DEVER: Inafastável – fundamentação da 
decisão 
 
 SUBSTUTIVO DAS PARTES – 
(Estado) aplicação do direito objetivo ao 
caso concreto (CHIOVENDA) 
 ATIVIDADE DE JUSTA 
COMPOSIÇÃO DA LIDE 
(CARNELUTI) 
PRINCÍPIO DA INÉRCIA DA JURISDIÇÃO 
 O magistrado somente atua quando 
provocado pelas partes; 
 A jurisdição faz surgir o veto para que as 
partes resolvam conflitos de modo 
coercitivo 
APÓS II GUERRA MUNDIAL 
• Tipos de litigiosidade se alteraram 
• Insuficiência da jurisdição 
• Emergência de novos direitos 
• Função contra majoritária 
JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL 
CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE 
Todo juiz em qualquer grau de jurisdição tem o 
compromisso de fazer valer a Constituição, e 
logo, os direitos fundamentais 
CONTROLE CONCENTRADO 
STF como guardião da Constituição Federal 
CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE 
Compromisso de aplicar direitos humanos 
previstos em Tratados e Convenções 
Internacionais 
SUBDIVISÕES HISTÓRICAS TEORIA DO 
PROCESSO 
PRIMITIVA: Sincretismo de direito material 
penal e direito material civil – forma mais 
primitiva de resolução de conflitos: 
AUTOTUTELA – confusão entre vingança e 
justiça (ex: lei das XII tábuas) 
FASE JUDICIALISTA: BOLONHA, 
Glosadores (séc. XII e XIII) o magistrado decidia 
por LIBERDADE DE CONVICÇÃO – 
inexistência de sistema de provas legais – 
valorização da dialética e convencimento (ex: 
caça às bruxas) 
FASE DOS PRÁTICOS: (sécs. XVI – XIX) – a 
opinião dos práticos (praxistas) tinha o condão 
de sobrepor os preceitos legais – direito não era 
visto como ciência e sim como uma arte da 
dialética 
PROCEDIMENTALISTA: FRANÇA, pós Rev. 
Francesa e Código de Napoleão – começam os 
estudos sobre organização judiciária, 
competências e procedimento – separação 
de normas materiais e processuais 
PROCESSUALISMO: (XIX) – científico 
germânico – OSKAR BULOW – processo a 
partir do direito público- movimento científico, 
três pilares AÇÃO, JURISDIÇÃO e PROCESSO 
PARADIGMAS ESTATAIS NO PROCESSO 
Estado Liberal de Direito: Liberalismo 
processual; 
Estado Social de Direito: Socialização 
processual – direitos de 2ª geração; 
Estado Democrático de Direito: 
Democratização do processo. 
 
Brasil não representa nenhum dos três plenamente

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.