A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Cálculo do Frete

Pré-visualização | Página 3 de 4

do autônomo e de sua família. Então para não correr riscos, o ideal é fazer 
sempre o seguro do veículo.
Para calcular essa despesa é bem simples, basta dividir o valor da apólice do seguro 
pelo período de sua validade.
Depreciação do veículo R$ 833,33
Salários R$ 1.000,00
IPVA, Licenciamento e Seguro 
Obrigatório
R$ 183,33
Despesas Administrativas e 
Previdenciárias
R$ 802,50
Manutenção Preventiva R$ 133,33
TOTAL R$ 2.952,49
19
• 2º Passo – Calculando os custos variáveis
a) Combustível
O combustível é um custo imprescindível 
para o cálculo do valor do frete. Quanto 
maior a distância que o veículo percorrer 
para fazer o frete, maior será o seu gasto 
com combustível, por isso essa despesa 
está contemplada no custo variável. 
Segundo especialistas, o gasto com 
combustível representa mais de 50% do 
valor do frete.
Para calcular o gasto com combustível é bem simples, basta o autônomo saber qual a 
média de quilômetros que o seu veículo faz por litro e o valor do combustível (diesel).
Por exemplo:
Vamos imaginar que o veículo faça uma média de 3,5 km por litro e que o valor do 
diesel seja de R$ 2,00.
Assim basta dividir o valor do litro do combustível pela média que o veículo faz.
O gasto com combustível será de R$ 0,57 por quilômetro rodado.
b) Pneus
Os pneus representam o segundo ou terceiro maior custo do transporte de frete, por 
isso todos os cuidados com manutenção (como rodízio, troca e recapagem) devem ser 
tomados.
Para calcular o custo com o desgaste dos pneus o autônomo precisa somar o valor dos 
pneus com o valor da recapagem dos pneus.
Neste exemplo vamos imaginar que o autônomo faça apenas 1 recapagem em cada 
pneu a um custo de R$ 300,00 e que o valor do pneu novo é de RS 1.100,00.
20
Valor do pneu novo: R$ 1.100,00
Valor da Recapagem: R$ 300,00
Total: R$ 1.400,00
O custo total com a compra e recapagem do pneu será de RS 1.400,00. Esse valor deve 
ser dividido pela vida útil dos pneus, ou seja, quantos quilômetros estimamos que esse 
pneu irá rodar com uma recapagem. Para esse exemplo consideraremos 150.000 km.
Então:
Valor do pneu + recapagem: (vida útil estimada do pneu)
R$ 0,009 (Custo por km de cada pneu)
Num veículo com 10 pneus termos:
0,009 ×10 pneus
R$ 0,09 (Custo por km para os 10 pneus)
Esse valor de R$ 0,09 deve ser multiplicado pelos quilômetros rodados em cada viagem. 
Assim o autônomo terá o custo do desgaste dos pneus em cada frete.
Alguns cuidados são fundamentais para auxiliar na ampliação da vida útil do pneu e 
consequentemente na redução dos gastos. Conheça alguns deles:
• Mantenha sempre a pressão correta nos pneus. Para a calibragem correta, 
verifique a orientação do fabricante;
• Verifique a cada 15 dias a pressão dos pneus e sempre antes de viagens longas;
• Só faça inspeção nos pneus quando estiverem frios;
• Faça o rodízio dos pneus conforme recomendação do fabricante. Os pneus 
dianteiros e traseiros dos veículos trabalham com cargas e frenagens diferentes 
ocasionando desgastes desiguais.
21
c) Manutenção Corretiva
A manutenção corretiva é aquela realizada quando o veículo apresenta algum defeito 
ou avaria, como em peças ou equipamentos.
Esse gasto pode ser muitas vezes evitado se o autônomo realizar corretamente a 
manutenção preventiva. Entretanto, nem sempre a manutenção preventiva é garantia 
de que o veículo não apresentará defeitos, pois eventualidades podem ocorrer.
Por isso, é importante reservar sempre a cada frete/viagem um valor para eventuais 
problemas mecânicos.
Como já dito anteriormente, a manutenção representa um gasto médio de 1,6% 
do valor do veículo e, para fins de cálculo, devemos considerar 50% desse valor 
para manutenção preventiva, e 50% para o cálculo da manutenção corretiva, como 
apresentaremos no exemplo a seguir:
Considerando um veículo de R$ 200.000,00, teremos que 1,6% será equivalente a R$ 
3.200,00 e que a manutenção corretiva representará 50% desse gasto, ou seja, R$ 
1.600,00.
Esse valor terá que ser diluído em 12 meses para que tenhamos o custo mensal com a 
manutenção corretiva.
Para calcularmos o custo da manutenção por quilômetro, teremos que dividir esse 
valor pela média de quilômetros rodados por mês. Para esse exemplo vamos imaginar 
que o autônomo rode por mês 10.000 km.
Sendo assim:
O custo por quilômetro rodado com manutenção corretiva será de R$ 0,013.
22
d) Lubrificantes
O custo variável com lubrificantes inclui todos os tipos de óleos (motor, câmbio 
diferencial etc.) e vai variar conforme a quantidade de quilômetros rodados pelo 
veículo.
Para calcular essa despesa o autônomo deve considerar a capacidade do reservatório 
(no caso do motor/cárter, a capacidade será de 20 litros) e somar ao remonte, o óleo 
necessário para completar o cárter quando ele baixa de nível entre duas trocas. Esse 
número deve ser multiplicado pelo preço do óleo (nesse caso, vamos estimar o valor 
de R$ 7,00 por litro).
20 litros + 10 litros (remonte) = 30 litros
30 litros x R$ 7,00
R$ 210,00
Para saber o gasto com lubrificantes por quilômetro rodado, basta dividir esse valor 
pelo intervalo de troca. Vamos supor que com esse óleo o veículo rode 10.000 km até 
a próxima troca.
R$ 0,021 será o custo com lubrificante por km.
 e
Nesse exemplo, foi calculado apenas o curso do óleo de motor. 
Além desse, o autônomo tem que calcular os demais, como: óleo 
de câmbio e diferencial. Para fazer esse cálculo, o autônomo 
deve somar a capacidade dos dois reservatórios, multiplicar 
pelo valor do óleo e dividir pela quilometragem de troca.
23
e) Lavagem
O último dos custos variáveis é o da 
lavagem do veículo, que apesar de ser 
menos importante que os demais gastos, 
também precisa ser considerado.
Uma lavagem para caminhão tem em 
média um custo de R$ 100,00 a R$ 120,00, 
para esse exemplo vamos arbitrar o 
valor de R$ 100,00. Alguns postos de 
combustível oferecem esse serviço 
gratuitamente para seus clientes, entretanto, como isso não é uma regra, o autônomo 
precisa considerar essa despesa.
Então, vamos estimar que a cada 5.000 km o autônomo faça a lavagem do seu veículo.
Então, termos que o custo com a lavagem do veículo será de R$ 0,02 por km rodado.
Para melhor visualização vamos lançar todos os valores dos custos variáveis na tabela 
para descobrir qual será o custo variável do autônomo por quilômetro.
No exemplo utilizado, o autônomo terá um custo variável por quilômetro de R$ 0,71.
Custo Variável por km: R$ 0,71
A cada viagem-frete o autônomo terá que somar o custo fixo (que nesse exemplo ficou 
em RS 369,06) + o custo variável por quilômetro (RS 0,71).
Combustível RS 0,57
Pneus R$ 0,09
Manutenção corretiva (oficina) R$ 0,013
Lubrificantes R$ 0,021
Lavagens RS 0,02
TOTAL R$ 0,71
24
Então como fica o valor do km do frete?
Imaginemos que o autônomo tenha sido contratado para fazer uma viagem de SP para 
o RJ e que nesse percurso o autônomo fará 430 km para ir e 430 km para voltar (viagem 
redonda), num total de 860 km.
Seu custo para esse frete será:
Custo FIXO: RS 369,06
Custo VARIÁVEL: R$ 0,71 x 860 km = RS 610,60
Total do Custo do Frete (Viagem Redonda): R$ 369,06 + R$ 610,60 = R$979,66
Sendo assim, para realizar essa viagem o autônomo não poderá cobrar menos do que 
R$ 979,66, senão estará trabalhando no prejuízo.
Procuramos descrever e calcular as principais despesas do frete, mas nada impede que 
o autônomo tenha outras a serem computadas. Caso isso ocorra, é fundamental que 
ele inclua também no cálculo do valor do frete para não ter prejuízos.
É comum que o autônomo esqueça certos 
valores – não porque sejam baixos, mas 
sim porque é mais conveniente esquecer-
se de sua existência. Normalmente esses 
valores não saem do seu bolso durante 
um transporte de cargas.
Esses custos são gerados pelo caminhão 
a cada quilômetro rodado, um dinheiro 
que aparenta ter “sobrado”, mas que na 
realidade é do gasto com pneus, desvalorização do caminhão, peças que

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.