A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Cidadania no Transporte de Passageiros

Pré-visualização | Página 1 de 5

Cidadania no 
Transporte de 
Passageiros
SEST – Serviço Social do Transporte
SENAT – Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte
ead.sestsenat.org.br 
CDU 656.025.2
35 p. :il. – (EaD)
Curso on-line – Cidadania no Transporte de Passageiros – 
Brasília: SEST/SENAT, 2017.
1. Transporte de passageiros. 2. Transporte de 
passageiros - direitos e deveres. I. Serviço Social do 
Transporte. II. Serviço Nacional de Aprendizagem do 
Transporte. III. Título.
3
Sumário
Apresentação 4
Unidade 1 | Noções de Cidadania no Transporte de Passageiros 5
1 Direitos e Deveres do Cidadão no Trânsito 6
2 Cidadania e Conceitos Relacionados 7
3 A Interação do Indivíduo com a Sociedade 8
4 A Questão das Diferenças Individuais 9
Atividades 11
Referências 12
Unidade 2 | Relacionamento Interpessoal no Transporte de Passageiros 14
1 O Que é o Relacionamento Interpessoal? 15
2 A Relação entre o Cidadão e o Trânsito 16
3 O Respeito Mútuo no Transporte de Passageiros 17
4 Como Evitar Situações de Conflito no Transporte de Passageiros 18
Atividades 21
Referências 22
Unidade 3 | Trânsito e Meio Ambiente 24
1 Meio Ambiente e Ecologia 25
2 A Relação entre o Trânsito e o Meio Ambiente 25
3 Veículos Poluidores 27
4 Cuidados com o Veículo 28
5 Fazendo sua Parte na Proteção ao Meio Ambiente 29
Atividades 31
Referências 32
Gabarito 34
4
Apresentação
Prezado(a) aluno(a),
Seja bem-vindo(a) ao curso Cidadania no Transporte de Passageiros!
Neste curso, você encontrará conceitos, situações extraídas do cotidiano e, ao final de 
cada unidade, atividades para a fixação do conteúdo. No decorrer dos seus estudos, 
você verá ícones que têm a finalidade de orientar seus estudos, estruturar o texto e 
ajudar na compreensão do conteúdo.
Este curso possui carga horária total de 15 horas e foi organizado em 3 unidades, 
conforme a tabela a seguir.
Fique atento! Para concluir o curso, você precisa:
a) navegar por todos os conteúdos e realizar todas as atividades previstas nas 
“Aulas Interativas”;
b) responder à “Avaliação final” e obter nota mínima igual ou superior a 60;
c) responder à “Avaliação de Reação”; e
d) acessar o “Ambiente do Aluno” e emitir o seu certificado.
Este curso é autoinstrucional, ou seja, sem acompanhamento de tutor. Em caso de 
dúvidas, entre em contato através do e-mail suporteead@sestsenat.org.br.
Bons estudos!
Unidades Carga Horária
Unidade 1 | Noções de Cidadania no Transporte de 
Passageiros
5h
Unidade 2 | Relacionamento Interpessoal no Transporte de 
Passageiros
5h
Unidade 3 | Trânsito e Meio Ambiente 5h
5
UNIDADE 1 | NOÇÕES DE 
CIDADANIA NO TRANSPORTE 
DE PASSAGEIROS
6
Unidade 1 | Noções de Cidadania no Transporte de 
Passageiros
1 Direitos e Deveres do Cidadão no Trânsito
Para entender as noções de cidadania no 
transporte de passageiros, é necessário, 
antes, conhecer os direitos e deveres do 
cidadão no trânsito. De acordo com o 
disposto no Código de Trânsito Brasileiro 
– CTB (BRASIL, 1997), podem-se elencar 
os direitos e obrigações do cidadão no 
trânsito, incluindo-se, aqui, o transporte 
rodoviário de passageiros.
• Dever:
- Transitar sem constituir perigo ou obstáculo aos demais elementos do trânsito. 
Esse dever é derivado do disposto no art. 26 do CTB, e de seu conceito derivam 
todas as demais regras.
• Direitos:
- Usar vias seguras e sinalizadas. No caso, por exemplo, de sinalização inexistente 
ou deficiente, a autoridade com jurisdição sobre a via deve responder e ser 
responsabilizada (CTB, art. 1o, §2o e §3o).
- Propor alterações a qualquer artigo ou norma do CTB e receber respostas, 
assim como solicitar alterações em sinalização, fiscalização e equipamentos de 
segurança e ser atendido ou receber respostas (CTB, arts. 72 e 73).
- Requerer das autoridades a educação para o trânsito (CTB, art.74), que 
constitui um dos pilares da cidadania.
7
2 Cidadania e Conceitos Relacionados
Para Torbi (2014), a cidadania é o exercício pelo cidadão, dos 
direitos e deveres que lhe são outorgados pelo Estado e pela 
sociedade.
Ainda, para o mesmo autor, o profissional que trabalha com o transporte rodoviário de 
passageiros – seja no sistema coletivo, táxi, transporte escolar, entre outros – deve ser 
conhecedor de algumas definições que acercam o tema de cidadania: indivíduo, grupo 
social e sociedade.
Indivíduo: relaciona-se à pessoa. Cada 
pessoa é um ser único, o que determina 
a sua individualidade. A individualidade 
é constituída pela conjugação das 
características herdadas e das 
adquiridas do ambiente, ao longo da 
vida.
Grupo social: corresponde ao conjunto de pessoas com as quais o indivíduo 
tem contato pessoal direto. A individualidade é o fator que motiva cada pessoa 
a tornar-se parte de grupos com os quais apresenta afinidade.
Sociedade: representa um conjunto maior no qual estão inseridos os grupos 
sociais. Ao contrário do grupo social, na sociedade tem-se um relacionamento 
indireto e impessoal. A identificação com uma sociedade ocorre, por exemplo, 
pelo fato de as pessoas pertencerem a uma mesma nação – ter uma identidade 
cultural, valores e princípios comuns. Isso faz com elas sejam semelhantes, 
mesmo a pessoas estranhas ao relacionamento individual.
Mas, como nascem os direitos e deveres em uma sociedade?
Com o passar do tempo, o crescimento dos grupos sociais, o aprimoramento e 
as inovações das relações humanas, as sociedades acabaram sistematizando e 
padronizando normas de conduta em prol da preservação dos valores sociais.
8
 e
O conjunto de valores sociais preservados por uma sociedade 
em benefício de seus componentes denomina-se bem comum 
(TORBI, 2014).
Dessas relações surgiram os conceitos de direitos e deveres. Nas sociedades atuais, 
o homem tem direito à proteção, ao crescimento, a ser reconhecido e tratado com 
dignidade, à justiça e igualdade de oportunidades, sem qualquer tipo de preconceito 
ou discriminação.
Por outro lado, em compensação e em nome do bem comum, o homem deve cumprir 
com os seus deveres – de reconhecer o direito das demais pessoas e acatar as normas 
impostas pela coletividade, sem as quais seria impossível a própria existência da 
sociedade atual.
3 A Interação do Indivíduo com a Sociedade
Para Torbi (2014) e a Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP, 2015), alguns 
indivíduos somente se dão conta dos benefícios que a vida em sociedade proporciona 
quando eles lhes faltam ou são prestados com má qualidade. Como exemplo, tem-se 
a falta de água por horas ou dias, que é suficiente para gerar caos e indignação. E se 
forem interrompidos os serviços de transporte de passageiros? O mesmo poderia ser 
dito para uma variedade considerável de outros serviços que os indivíduos de uma 
sociedade utilizam diariamente.
Por outro ângulo, a vida em sociedade gera sobre o indivíduo uma série de pressões 
anônimas, sobre as quais ele tem pouco ou quase nenhum controle. Com isso, nem 
todas as pessoas conseguem sentir-se verdadeiramente protegidas e amparadas pela 
sociedade.
 c
Por muitos anos e décadas a fio, as sociedades humanas 
experimentaram diversos modelos de desenvolvimento, porém, 
ainda estão longe da forma ideal de sociedade, aquela que 
propicie justiça e igualdade para todos.
9
Tal distância entre a sociedade idealizada e a sociedade em que se vive é facilmente 
percebida por meio dos noticiários, jornais e manifestações de rua, em que as 
necessidades particulares, de subsistência e sobrevivência de determinados grupos 
acabam se sobrepondo aos anseios da coletividade.
4 A Questão das Diferenças Individuais
De acordo com Torbi (2014) e ANTP (2015), por conter todos os tipos possíveis de 
indivíduos – o que é positivo –, a sociedade se beneficia da diversidade, a qual garante 
inovações e criatividade, fatores contribuintes para que não ocorra a estagnação da 
sociedade.
As diferenças individuais constituem a marca registrada da sociedade e está carimbada 
em tudo que os indivíduos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.