52_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

52_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia1.933 materiais34.609 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
38
\u2206t = 0,002733 \u2013 7,343 sen (F) + 0,5519 cos (F) \u2013 9,47 sen(2F)
\u2013 3,03cos(2F) \u2013 0,3289sen(3F) \u2013 0,07581cos(3F)
\u2013 0,1935sen(4F) \u2013 0,1245cos(4F), (I.9.3)
Essa expressão é útil, especialmente quando se usam microcomputadores.
Fig. I.17 - Variação anual da declinação do Sol e da equação do tempo.
A hora solar verdadeira, em um dado instante e data, pode ser facilmente obtida, para o
meridiano central de qualquer fuso, aplicando-se diretamente a equação I.9.2. De fato: conhe-
ce-se h (a hora solar média) e \u2206t (I.9.3), restando determinar h*.
Quando o local em questão não se acha sobre o meridiano central do seu fuso, deve-se
incluir uma correção de longitude (\u2206\u3bb), na equação I.9.2 que passa a ser:
h* = h + \u2206 t + \u2206\u3bb. (I.9.4)
A correção \u2206\u3bb será positiva, se o local estiver a oeste do meridiano central do fuso (pois
o meio-dia solar verdadeiro local vai ocorrer mais tarde que nesse meridiano), ou negativa se
estiver a leste (o meio-dia solar verdadeiro local vai ocorrer mais cedo). Também é claro que
\u2206\u3bb deverá ser expresso como um intervalo de tempo, levando-se em consideração a velocida-
de angular de rotação da Terra (15o/hora). Assim, para uma diferença de longitude de 5o a cor-
reção será de \u201320 ou +20 minutos, conforme o local esteja a leste ou a oeste do meridiano
central do seu fuso, respectivamente.