Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Normas e Princípios Tributários

Pré-visualização|Página 1 de 1

Normas e Princípios Tributários

1. O elevado montante de tributos pagos pelas pessoas jurídicas requer um adequado e constante gerenciamento dos gastos com impostos ao longo de todo o ano calendário, pois podem representar altos custos e uma fatia expressiva do lucro anual.

Nesse contexto, o gerenciamento dessa atividade é exercido pela área de:

a. Gerencial.

b. Custos.

c. Tributária.

d. Pública.

e. Societária.

*Comentário: O gerenciamento das atividades tributárias exige conhecimentos técnicos das regras e normas que regem o Sistema Tributário Nacional.


2. (Exame de Suficiência – CRC) Com relação à legislação tributária, julgue os itens abaixo como Verdadeiro (V) ou Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção correta:

I. Qualquer tributo, uma vez instituído por Lei, pode ser modificado por Decreto, que são normas jurídicas elaboradas pelo Poder Executivo.

II. Medidas Provisórias são editadas pelo Presidente da República. Caso o Congresso não aprecie a matéria em 60 dias, prorrogável por mais 60, fica convertida, automaticamente, em Lei.

III. As leis complementares serão aprovadas por maioria absoluta.

a. F; F; V.

b. F; V; F.

c. F; V; V.

d. V; V; F.

e. V; V; V.

*Comentário: De acordo com princípio da legalidade, nenhum tributo pode ser instituído, nem aumentado, a não ser através de Lei (CF. Art. 150, Inc. I). Entende-se que o tributo instituído em lei é tributo consentido. O instituto da MP de uso exclusivo do presidente da República, segue pré-requisitos de “urgência e relevância” para sua edição, uma MP, ao ser editado já passa a vigorar, embora passe a ser apreciado pelo Congresso Nacional e os efeitos jurídicos deixam de existir e passa arcar com responsabilidade por deixar de cumprir prazos.

3. Sobre a hierarquia das normas do Sistema Jurídico Brasileiro, direcionada ao âmbito tributário é correto afirmar que:

a. Leis ordinárias não são atos legais que praticados que fundamentam a instituição e cobrança dos tributos.

b. Decretos são atos para atribuir competência na instituição de tributos.

c. Instruções Normativas são atos praticados no congresso nacional para esclarecer a aplicabilidade das normas editadas.

d. A lei complementar é a lei que sistematiza a cobrança dos tributos.

e. Constituição Federal não é a instância máxima das leis.

*Comentário: A lei complementar se refere a normas complementares que tem por objetivo sistematizar as regras para cobrança dos tributos.


4. (Exame de Suficiência – CRC) A norma jurídica encarregada de dispor (falar) sobre conflitos de competência em matéria tributária entre a União, os Estados, o Distrito Federal e Municípios é:

a. A Lei Ordinária.

b. O Decreto Regulamentar.

c. A Constituição Federal.

d. A Lei complementar.

e. A Medida provisória.

*Comentário: Quando há conflito de competência tributária, caberá à Lei Complementar dar direção à questão, conforme o Art. 146, como cabem a ela outros pontos específicos como as limitações constitucionais ao poder de tributar. 


5. Em relação aos tributos podemos afirmar que a Constituição Federal:

a. É responsável por instituir, criar regras e normas para os tributos.

b. Não cria nenhum tributo, somente atribui competência para instituí-los.

c. Está abaixo das normas ordinárias que instituem os tributos.

d. É a lei máxima do país, mas não rege os atos jurídicos do Poder Legislativo.

e. Não pode ser alterado em seus dispositivos e por nenhuma outra norma.

*Comentário: A Constituição Federal é a lei máxima que rege todos os atos jurídicos praticados pelos poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. E ela não cria nenhum tributo apenas atribui competência ao ente da federação em instituir os tributos. 


6. Os artigos que respectivamente dão poderes para que Municípios, Estados e União instituam os tributos no âmbito de suas competências serão, respectivamente:

a. Art. 150, Art. 151 e Art. 152.

b. Art. 156, Art. 153 e Art. 155.

c. Art. 156, Art. 155 e Art. 153.

d. Art. 155, Art. 156 e Art. 157.

e. Art. 160, Art. 161 e Art. 162.

*Comentário: De acordo com a Constituição Federal de 1988, os artigos que são poderes para instituir os tributos são: para os Munícipios Art. 156; para o Estado Art. 155 e União Art. 153.


7. Na hierarquia do sistema Jurídico Brasileiro, a norma que tem finalidade alterar dispositivos da Constituição e de complementarem a norma constitucional, são respectivamente:

a. Constituição Federal e Instrução Normativa.

b. Lei Ordinária e Emendas Constitucional.

c. Decreto e Parecer Normativo.

d. Emendas Constitucionais e Lei Complementar.

e. Lei complementar e Decreto.

*Comentário: São as emendas constitucionais que alteram os dispositivos da Constituição e as Leis Complementares são as que complementam.


8. Na da Constituição Federal há princípio da Legalidade. No contexto tributário, a questão da legalidade se refere ao fato de que:

a. O tributo pode ser cobrado no mesmo ano que ele foi instituído.

b. Todos os tributos podem ser instituídos em aprovação de Lei, mesmo em situações de calamidade.

c. Legalidade do tributo é por não ser cobrado de forma cumulativa.

d. Tributos são legais por não estarem sujeitos aos demais princípios.

e. Os tributos só podem ser instituídos através de Lei.

*Comentário: Os tributos só podem ser instituídos por Lei e são sujeitos às normas previstas nos demais princípios para iniciar a sua cobrança.


9. Se refere a um ato de inconstitucionalidade quando:

a. A lei complementar sancionada por um Município para instituição do ISS tem o efeito de sobrepor todas as normas previstas na Constituição Federal.

b. O Decreto Estadual limita-se ao fato de apenas explicitar o que foi determinado pela lei.

c. A União sistematiza a cobrança do IRPJ através de Lei complementar.

d. Os Atos declaratórios publicados pela Prefeitura visam melhor esclarecer a aplicabilidade e alcance das normas.

e. Emendas Constitucionais alteram dispositivos da Constituição que permitem aos Estados determinar o responsável pelo recolhimento do ICMS.

*Comentário: A lei complementar sancionada pelo qualquer ente jamais seu efeito poderá sobrepor as normas estabelecidas na Constituição Federal.


10. A Constituição Federal não cria tributos, apenas atribui competência para instituí-los, isto é, poderes para que os Entes (União, Estado e Municípios) possam cobrar um tributo. Assinale a alternativa correta:

a. Compete à União instituir imposto sobre renda e proventos de qualquer natureza, o qual será informado pelos critérios da generalidade, da universalidade e da progressividade, nos termos de lei complementar. Todavia, é facultado ao Poder Executivo, atendidas as condições e os limites estabelecidos na lei, alterar suas alíquotas.

b. Nenhum tributo proveniente de fato gerador ocorrido durante o ano de 2010 poderá ser cobrado no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que o instituiu, salvo se a cobrança for feita depois de decorridos noventa dias da data que os instituiu.

c. O constituinte, contrário à ideia de confisco, proibiu a cobrança de tributos com esse efeito. Trata-se de princípio corolário do direito de propriedade, que continua reinando absoluto, assim como ocorreu nas constituições anteriores.

d. É da competência da União instituir impostos sobre grandes fortunas, o que só poderá ser feito nos termos de lei federal.

e. Segundo a Constituição Federal, é vedado à União, aos estados, ao DF e aos municípios cobrar tributos em relação a fatos geradores ocorridos antes do início da vigência da lei que os houver instituído ou aumentado. Todavia, existe a possibilidade de a lei atribuir a sujeito passivo de obrigação tributária condição de responsável pelo pagamento de imposto ou contribuição, cujo fato gerador deva ocorrer posteriormente ao pagamento, assegurada a imediata e preferencial restituição de quantia paga, caso não se realize o fato gerador presumido.

*Comentário: É na Constituição Federal em que são definidas regras que os entes federados devem seguir. Portanto, somente através de Lei Complementar podem-se as criar as regras de como será cobrado o tributo.