A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
RELATÓRIO TÉCNICO ADUBOS

Pré-visualização | Página 1 de 2

RELATÓRIO TÉCNICO - ADUBOS E CORRETIVOS
Alunos: Felipe Henrique Silva Batista 
Pablo Franco Resende Assunção
Vitor Hugo dos Santos Silva
Raul Victor Santana
Engenharia Agronômica
Professor Orientador: Profª Drª Marise Conceição Marques
Ituiutaba
Fevereiro/2022
RELATÓRIO TÉCNICO - ADUBOS E CORRETIVOS
Trabalho apresentado como parte das atividades da disciplina de Adubos e Corretivos do curso de Engenharia Agronômica da Universidade do Estado de Minas Gerais – Unidade Ituiutaba.
Ituiutaba
Fevereiro/2022
1 – INTRODUÇÃO 
 	A razão pela qual algumas plantas não estão crescendo, florescendo ou permanecendo firmes e fortes pode ser a falta de nutrientes no solo. O fertilizante caseiro é uma ótima maneira de usar sobras de alimentos que seriam desperdiçados, como cascas de banana e casca de ovo, e também deixa suas plantas mais bonitas. Como estamos na era da sustentabilidade, devemos reaproveitar ao máximo, e o fertilizante caseiro é um exemplo. Para produzi-lo, basta usar alguns restos de comida que seriam jogados no lixo.
O trabalho estudado levou em sua formulação casca de ovo, casca de banana, café e carvão.
 	A casca do ovo é um ingrediente muito utilizado como fertilizante por ser rico em cálcio, macronutriente importante para o desenvolvimento saudável das plantas. A presença de cálcio ajuda no crescimento das raízes e na absorção de molibdênio e outros micronutrientes. Cascas de ovos de plantas são usadas trituradas e contêm três nutrientes principais: cálcio, potássio e magnésio. O cálcio é o maior ponto positivo, com 2.400 mg, cerca de oito vezes mais do que um copo de leite.
 	As cascas de banana são ricas em potássio, manganês e outros minerais como sódio, cálcio e ferro. Mais de 90% das cascas são formadas a partir de matéria orgânica rica em nutrientes composta por lipídios vegetais essenciais, proteínas, fibras e carboidratos. O potássio é o mineral mais abundante nas cascas de banana e ajuda a transportar água e nutrientes entre as células vegetais. Também ajuda a fortalecer os caules e proteger as plantas de doenças. É usado para auxiliar o processo de floração e é pensado para melhorar a qualidade dos frutos da planta.
 	A borra de café é um excelente fertilizante para as plantas. Possui muitos benefícios, como maior resistência a pragas e crescimento mais rápido. O pó de café é rico em nitrogênio, e os três principais macronutrientes que as plantas precisam são NPK (nitrogênio, fósforo e potássio). No entanto, o excesso de café pode prejudicá-las. Além do nitrogênio, o pó de café também contém outros elementos que não são muito bons para as plantas, como a cafeína.
 	O carvão contém muitos elementos que contribuem para a vida das plantas, especialmente o potássio. É amplamente utilizado na jardinagem devido à sua forma porosa que absorve grandes quantidades de líquido. Este carvão atuará como uma camada de segurança, absorverá a água derramada no vaso ao regar e evitará que ela se acumule no fundo, encharcando as raízes.
2 – OBJETIVOS 
- Testar a recomendação em pelo menos três plantas. 
- Fazer o registro de como estas plantas estavam antes da aplicação. 
- Acompanhar a resposta da adubação com registro de datas, fotos e anotações das observações.
3 – PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS 
3.1 – MATERIAIS 
- Balança
- Faca
- Recipientes para a mistura dos produtos 
- 100 gramas de casca de banana seca e triturada
- 100 gramas de casca de ovo triturada
- 100 gramas de borra de café
- 100 gramas de carvão vegetal
3.2 – MÉTODOS
- Foram preparados e picados os matérias para o preparo do adubo. Com o auxílio de uma balança, pesados 100 gramas de cada e realizada a mistura dos produtos até a obtenção de uma mistura homogênea. 
- Com a mistura pronta, foi coloca a mesma ao redor do caule de 2 rosas do deserto (Adenium obesum) e uma parreira (Vitis sp.)
- Foi feita a medição e análise visual das plantas testadas.
- Foram expostas as mesmas condições ambientais. 
- As plantas foram analisadas após 10 e 20 dias da aplicação do adubo para acompanhar a resposta da adubação.
 
Produtos misturados até chegar a uma forma visual homogênea.
Produtos para o preparo do adubo já processados e pesados.
Planta 2- Rosa do deserto saudável medindo 24 cm.
Planta 1- Rosa do deserto saudável medindo 34 cm.
Planta 3- Parreira saudável 
Planta 3- Parreira saudável medindo 114 cm.
Adubo aplicado na Planta 2
Adubo aplicado na Planta 1
Adubo aplicado na Planta 3
4 – RESULTADOS E DISCUSSÕES
 
 	Após 10 dias de aplicação do adubo, foi feita a primeira análise das plantas, no qual as rosas do deserto (1 e 2) não mostraram modificações significativas, sem queimas em suas folhas, sem deterioração de caule, não houve alteração de cor, sem estimulo a floração e nem melhoria em seu desenvolvimento. Já na videira, não houve alterações significativas em suas folhas e caules, ocorrendo um aumento em sua estatura.
Planta 3- Parreira mostrando um crescimento em relação ao início.
Planta 3- Parreira mostrando um crescimento de 114 cm para 151 cm.
Planta 2- Rosa do deserto sem alterações comparado ao início da adubação.
Planta 1- Rosa do deserto sem alterações comparado ao inicio da adubação.
 	Aos 20 dias de aplicação do adubo as plantas foram analisadas novamente. As rosas do deserto (1 e 2) continuaram sem alterações tanto positivas quanto negativas, não mostrando um efeito visível do adubo sobre as mesmas.
 	A videira houve um considerável crescimento, atingindo a marca de x centímetros, y centímetros a mais que desde o começo da observação. Não houve danos a planta e nem uma melhora em seu vigor que pudesse ser observada visualmente. 
5 – CONCLUSÃO 
 	Após as análises de 10 e 20 dias, não foi observado danos causados em nenhuma das 3 plantas analisadas após a aplicação do adubo estipulado, mantendo-as saudáveis como no início do estudo. 
 	Nas rosas do deserto (Adenium obesum), não foi observado melhoria em sua estatura e nem início de flores, o que pode ser explicado pelo lento crescimento e floração dessas espécies. 
 	Na parreira (Vitis sp.), foi observado um crescimento de 37 centímetros na análise de 10 dias após a aplicação e em 20, um crescimento de (x) centímetros. Sem aparecimento de flores e frutos. O crescimento pode ser explicado pelo rápido desenvolvimento da espécie, não sendo possível analisar o grau de interferência da adubação. A falta de florescimento e frutos é explicada pela planta analisada ser jovem. 
6 – BIBLIOGRAFIA 
TROPICAL ESTUFAS. Casca de banana pode ser um rico adubo orgânico. Disponível em: https://tropicalestufas.com.br/casca-de-banana-pode-ser-um-rico-adubo-organico Acesso em: 26 de jan. de 2022
LIFESTYLE. Fertilização caseira. Aprenda a fazer adubo com cascas de banana. Disponível em: https://lifestyle.sapo.pt/casa-e-lazer/decoracao-e-jardins/artigos/fertilizacao-caseira-aprenda-a-fazer-adubo-com-cascas-de-banana. Acesso em: 26 de jan. de 2022
CASA VOGUE; G1. Casca de ovo nas plantas: saiba como fazer e para que serve, 2021. Disponível em: https://casavogue.globo.com/Arquitetura/Paisagismo/noticia/2021/10/casca-de-ovo-nas-plantas-saiba-como-fazer-e-para-que-serve. Acesso em: 26 de jan. de 2022
CASA E JARDIM, G1. Borra de café como adubo para plantas, use com moderação, 2018. Disponível em: https://revistacasaejardim.globo.com/Casa-e-Jardim/Paisagismo/noticia/2018/05/borra-de-cafe-como-adubo-para-plantas-use-com-moderacao. Acesso em: 28 de jan. de 2022.
AGRICULTURA E MAR. Artigo de opinião de Rosa Moreira, Eng.ª Agronômica. Aprenda a fazer adubo om borra de café, 2020. Disponível em: https://agriculturaemar.com/incrivel-aprenda-a-fazer-adubo-com-borra-de-cafe-para-a-sua-horta/. Acesso em: 28 de jan. de 2022.
A SENHORA DO MONTE. Disponível em: https://asenhoradomonte.com/2017/10/19/adubo-caseiro-de-carvao/. Acesso em: 28 de jan. de 2022.
JARDIM DAS IDEIAS. Carvão vegetal na jardinagem. 27 de jan. de 2021. Disponível em: https://www.jardimdasideias.com.br/carvao-vegetal-na-jardinagem/. Acesso em: 28 de jan.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.