Buscar

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 40 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 40 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 40 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

III Caderno de atividades 
domiciliares de 
Língua Portuguesa 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aluno (a):_____________________________________ 
 
CARIRÉ-CE 
2021 
 
 
9° ano 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Querido alunos 
Querido alunas, 
 
 
 
A alegria e o amor são fundamentais para o sucesso da 
aprendizagem. Entreguem-se a essas atividades com a mesma alegria e o 
mesmo amor com que nos entregamos à criação de todas elas. 
A educação ensina o agir, desperta o pensar e inspira o sentir, 
ajudando a interpretar o mundo com a razão e o coração, para que seja 
possível compreender bem o que acontece ao nosso redor. 
 
 
 
Bons Estudos!!! 
 
 
 
 
Equipe EDUCARE 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1° SEMANA 
TEXTO I 
Antes de ler 
A carta do leitor tem várias finalidades como opinar, agradecer, reclamar, solicitar, elogiar, 
criticar etc. Possui uma função relevante para os meios de comunicação, de modo que a carta 
do leitor assegura uma resposta (feed-back) de seus leitores. Nos textos a seguir você vai 
conhecer mais sobre esse tipo de texto. 
 
 
 
À Folha de São Paulo 
 
 
Em relação à matéria publicada no caderno Mercado em 18.05, em que o Sr. informa 
sobre a proibição do uso de sacolas plásticas como embalagem a partir de 1º de janeiro 
próximo, penso que São Paulo demorou muito a tomar a decisão de transformar em lei a 
proibição. 
Todas as vezes que vou ao supermercado fico indignada com a quantidade de sacolas 
que são utilizadas pelos consumidores que não parecem preocupados com as consequências 
que o uso destas embalagens causa ao meio ambiente. 
Só quero lembrar às autoridades que não basta sancionar a lei. É preciso ter uma 
fiscalização rigorosa e que as multas previstas sejam realmente aplicadas para aqueles que a 
desrespeitarem. Espero que não se torne mais uma estratégia de marketing pré eleitoreira, 
como foi com a lei que proíbe os cidadãos dirigirem alcoolizados. 
No começo fazem blitz, causam um barulho, mas depois de algum tempo tudo volta ao que 
era antes: não há fiscalização para coibir as infrações. 
 
Atenciosamente 
Josilda Cardoso – professora de ensino fundamental- São Paulo 
 
 
TEXTO II 
(341/2004 Aprenda a dizer não 
 
A reportagem tratou sobre o consumismo, um assunto muito importante, principalmente no 
período natalino. Jovens e crianças são atraídos pelo marketing muito bem construído para 
que consumam e deixam os pais sem saber o que fazer como agir e como dizer “não” sem 
ferir os filhos. No entanto, os pais devem impor limites, devem dialogar e explicar o que 
podem e o que não podem fazer. 
S. F. S., CaICÓ, RN 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LEITURA E COMPREENSÃO 
 
01. A respeito do texto I, o gênero do texto é: 
a) editorial, pois o autor defende um ponto de vista do veículo de informação. 
b) carta do leitor, pois existe a presença de um autor-leitor em que deixa seu ponto de vista sobre 
uma matéria veiculada. 
c) carta do leitor, pois o autor do texto dialoga com o leitor. 
d) artigo de opinião, pois o autor apresenta fortes argumentos para defender seu ponto de vista 
sobre a proibição de sacolas plásticas. 
 
02. O trecho do texto que apresenta a ideia principal está em 
a) “...fico indignada com a quantidade de sacolas que são utilizadas pelos consumidores...” 
b) “Só quero lembrar às autoridades que não basta sancionar a lei.” 
c) “... a proibição do uso de sacolas plásticas como embalagem a partir de 1º de janeiro...” 
d) “... mas depois de algum tempo tudo volta ao que era antes...” 
 
03. Uma opinião está em 
a) “... fico indignada com a quantidade de sacolas...” 
b) “É preciso ter uma fiscalização rigorosa...” 
c) “No começo fazem blitz, causam um barulho...” 
d) “... não há fiscalização para coibir as infrações.” 
 
04. Um argumento utilizado pela autora para defender a ideia principal do texto está em 
a) “São Paulo demorou muito a tomar a decisão de transformar em lei a proibição.” 
b) “... não parecem preocupados com as consequências que o uso destas embalagens causa ao 
meio ambiente.” 
 
ferir os filhos. No entanto, os pais devem impor limites, devem dialogar e explicar o que 
podem e o que não podem fazer. 
 
S. F. S., CaICÓ, RN 
 
Dizer não é realmente uma arte. Estamos numa época em que 90% dos pais dizem que tudo 
pode. Filho sem limite significa: criança bater a cabeça na parede ou se jogar no chão de um 
supermercado e adolescentes fugirem de casa, entrar para as drogas ou, pior ainda, matar. 
 
S. a. C. S., SÃo PauLo, SP 
 
Sou mãe e professora, e sei bem quanto dizer não é importante, mas ao mesmo tempo 
sofrido. A reportagem abordou vários elementos e soube respeitar tanto os pais quanto as 
crianças e os adolescentes. Aos pais, cabe a educação moral dos filhos e isso está sendo 
deixado para a escola, o que certamente traz consequências negativas para todos. Essa 
reflexão é importante para a sociedade, pois, a partir dela, pode-se pensar em um futuro 
melhor, com pessoas mais altruístas e conscientes. 
S. M. P. G., CaMPINaS, SP 
 
Cartas. Época. Disponível em: <http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0, 6993,EPT872734-2119,00.html>.acesso 
em: 27 mar. 2019.Tecendo linguagens ,2018 
 
 
 
 
 
 
 
 
c) “Espero que não se torne mais uma estratégia de marketing pré eleitoreira, como foi com a lei 
que proíbe os cidadãos dirigirem alcoolizados.” 
d) “... fico indignada com a quantidade de sacolas que são utilizadas pelos consumidores...” 
 
05. Localize no texto uma solução sugerida pela autora para resolver o problema apresentado por 
ela. 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
06. Leia as cartas do texto II. Qual é o assunto tratado nessas cartas do leitor? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
07. A qual reportagem as cartas se referem? Como você percebeu isso? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
08. Em qual das cartas o leitor não menciona diretamente a reportagem? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
09. Os leitores se manifestam positiva ou negativamente em relação à reportagem? Justifique sua 
resposta. 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
10. A primeira carta enfoca um tópico relacionado ao tema da reportagem que não é citado pelos 
outros leitores. 
a) Qual é ele? _________________________________________________________________ 
b) Você concorda com o modo como o leitor relaciona esse tópico à necessidade de os pais 
dizerem “não”? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
 GRAMÁTICA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
As diferenças entre Frase, Oração e Período são importantes para 
que possamos compreender a sintaxe da língua portuguesa, os 
enunciados e suas unidades. 
Então vamos lá!! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Frases interrogativas: Entonação de pergunta. Geralmente, é finalizada com ponto de 
interrogação (?). Exemplo: Que dia você volta? 
Frases exclamativas: Entonação expressiva, reaçãomais exaltada. Geralmente, finalizada com 
ponto de exclamação ou reticências (! …). Exemplo: Que horror! 
Frases declarativas: Não são marcadas pela entonação expressiva ou intencional. Geralmente 
apresentam declarações afirmativas ou negativas e são finalizadas com o 
ponto final (.). Exemplo: Amanhã não poderei levantar. 
Frases imperativas: Enunciado que traz um verbo no modo imperativo. Geralmente sugere 
uma ordem e é finalizado pelos pontos de exclamação e final (! 
.). Exemplo: Fale mais baixo! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FRASE É todo enunciado linguístico dotado de significado, ou seja, é uma 
comunicação clara, precisa e de fácil entendimento entre os interlocutores, seja na 
língua falada ou escrita. Neste caso, temos a frase nominal e verbal. A frase 
nominal não é constituída por verbo. 
Exemplos: 
– Mas que coisa terrível! – Quanta bagunça... – Que tragédia! 
 
Oração-É todo enunciado linguístico dotado de sentido, porém há, necessariamente, a 
presença do verbo ou de uma locução verbal. Este verbo, por sua vez, pode estar explícito ou 
subentendido. 
Observe alguns exemplos de orações: 
– Corra! – Esses doces parecem muito gostosos. – Chove muito no inverno. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
01. Siga o que se pede: 
 
 
 
 
 
a)A mulher desviou o rosto e piscou os olhos várias vezes._______________________________ 
b)O menino namorava o novo brinquedo o dia inteiro.___________________________________ 
c)A zebra é um animal muito moderno. ______________________________________________ 
d)Eu a adorava de tal modo que me levantava à noite para ficar de joelhos junto à sua cama. 
_____________________________________________ 
e) Ninguém ali me queria, eu não queria ninguém.______________________________________ 
 
 
O período é uma unidade sintática. Trata-se de um enunciado construído por uma 
ou mais orações e possui sentido completo. Na fala, o início e o final do período são 
marcados pela entonação e, na escrita, são marcados pela letra maiúscula inicial e a 
pontuação específica que delimita sua extensão. Os períodos podem ser simples ou 
compostos. Vejamos cada um deles: 
Período simples 
Os períodos simples são aqueles 
constituídos por uma oração, ou seja, 
um enunciado com apenas um verbo e 
sentido completo. 
Exemplo: 
Os dias de verão são muito longos! 
(verbo ser) 
 
Período composto 
Os períodos compostos são aqueles 
constituídos por mais de uma oração, ou 
seja, dois ou mais verbos. Exemplo: 
Mariana me ligou para dizer que não virá 
mais tarde. 
 (Período composto por três orações: 
verbos ligar, dizer e vir.) 
Cada verbo equivale a uma oração. 
I - Circule os verbos e locuções verbais; 
II- Classifique os períodos em simples ou compostos; 
III- Se o período for composto diga quantas orações 
 
 
 
 
 
 
 
02. Leia a tirinha a seguir. 
 
 
a) Nessa tira, temos exemplos de frases sem verbo e de orações. Identifique-as. 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
b) Que locução verbal foi usada em uma das orações da tira? Identifique o verbo principal e o 
verbo auxiliar dessa locução. 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
03. Coloque PS para período simples e PC para período composto: 
( ) Inventei aquela desculpa na hora. 
( ) Você vai sair ou vai ficar em casa? 
( ) Não gosto de mentiras. 
( ) Domingo fui ao clube, corri, nadei e joguei tênis. 
 
 04. Leia esta anedota: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
a) Observe o primeiro e o último período do texto. 
* O primeiro período é simples ou composto? Por quê? 
_______________________________________________________________________________________________ 
* Quantas orações compõem o último período do texto? Quais são elas? 
 
 
— O senhor admite que levou o carro e nega que o tenha roubado. Pode me 
explicar isto? 
— Eu não roubei, senhor juiz. O carro estava parado na porta do cemitério, e eu, 
naturalmente, pensei que o dono tivesse morrido... 
 
(Donaldo Buchweitz, org. Piadas para você morrer de rir. Belo Horizonte: Leitura, 2001. p.101.) 
 
 
 
 
 
 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
05. Observe a tirinha abaixo 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Retire um período simples e um período composto: 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
Leia este poema, de Manuel Bandeira: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ESTUDO DO GÊNERO 
CÉU 
A criança olha 
Para o céu azul. 
Levanta a mãozinha, 
Quer tocar o céu. 
 
Não sente a criança 
Que o céu é ilusão: 
Crê que o não alcança, 
Quando o tem na mão. 
 
Manuel Bandeira. Estrela da vida inteira. 2ª ed. 
Rio de Janeiro: José Olympio, 1970. p. 195. 
06. Observe os períodos e as orações que 
compõem a 1ª estrofe. 
 
a) Qual é o número de períodos? 
______________________________________________
______________________________________________ 
b) Os períodos são simples ou compostos? 
______________________________________________
______________________________________________ 
c) Quantas orações há no 2° período dessa 
estrofe? 
______________________________________________
______________________________________________ 
d)Com relação à 2ª estrofe: 
-Qual é o número de orações existentes nessa 
estrofe? 
______________________________________________
______________________________________________ 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
01. Em que tipo de suporte esse texto é publicado? 
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________ 
02. Quanto ao gênero carta do leitor, marque (V) ou (F) as 
alternativas verdadeiras ou falsas. 
 a) ( ) Apresenta a opinião do leitor sobre fatos, acontecimentos 
ou assuntos de revistas, jornais etc. 
b)( ) Podem ser informativas (comunicado), descritivas 
(descrição de um produto ou serviço), narrativas (narração de um 
evento) ou dissertativas (sugestões e reclamações). 
c)( ) Gênero que circula no contexto jornalístico, em seções 
específicas de revistas e jornais. 
d)( ) Atende a diversos propósitos comunicativos como opinar, agradecer, reclamar, solicitar, 
elogiar, criticar etc. 
e) ( ) Seu discurso está organizado em 1ª pessoa. 
f) ( ) Apresenta marcas de impessoalidade e imparcialidade. 
03. No quadro abaixo, relacione as partes da estrutura da carta do leitor do TEXTO I. 
 
 
 
 
 
 
 
Esse gênero epistolar possui uma função relevante para os meios de comunicação, de 
modo que a carta do leitor assegura uma resposta (feedback) de seus leitores. 
 Esse espaço reservado aos leitores é um importante instrumento de comunicação, pois 
eles podem interagir com o meio de comunicação, expondo assim, seu ponto de vista sobre 
uma notícia, reportagem, pesquisa ou qualquer outro assunto atual. 
 
O gênero em questão parece-nos tão 
familiar que basta apenas folhearmos 
as páginas de alguns jornais ou 
revistas para constatarmos sua 
evidência. Como bem retrata sua 
denominação, a carta do leitor 
constitui-seem um espaço destinado 
somente a ele para que possa deixar 
suas impressões acerca de uma 
matéria com a qual estabeleceu 
contato. 
Quer saber mais sobre esse 
gênero e suas principais 
características? 
Acesse os links abaixo 
https://youtu.be/LTdxxOw983U 
https://www.youtube.com/watc
h?v=nZXiBQvW9AM 
A carta do leitor é um gênero 
textual utilizado quando algum cidadão deseja 
posicionar-se criticamente a respeito de algum 
assunto ou acontecimento do momento. É 
um texto de curto tamanho, com linguagem 
concisa e assertiva. Em sua estrutura, há forte 
presença do tipo textual argumentativo e 
expositivo, buscando defender uma perspectiva 
que converge ou discorda do texto-fonte. 
 
https://youtu.be/LTdxxOw983U
https://www.youtube.com/watch?v=nZXiBQvW9AM
https://www.youtube.com/watch?v=nZXiBQvW9AM
https://brasilescola.uol.com.br/redacao/conceito-generos-textuais.htm
https://brasilescola.uol.com.br/redacao/conceito-generos-textuais.htm
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
04. Com base na leitura do texto apresentado, é correto afirmar que o gênero do discurso Carta 
do Leitor, que abre a edição de várias revistas brasileiras, cumpre, primordialmente, a função de 
 
a)tornar a revista um espaço aberto de diálogo entre jornalistas e leitores. 
 
b)estabelecer um contrato entre o veículo de comunicação e seus leitores, de modo a levá-los a 
assinar a revista. 
 
c)reproduzir um discurso de autoajuda a fim de conduzir o leitor à solução de seus problemas. 
 
d)ser um canal de comunicação entre o veículo de comunicação e o leitor, apresentando a 
missão da revista e estimulando o leitor a ler determinada edição. 
 
05. Marque as assertivas correspondentes às características do gênero carta do leitor. 
I. São elementos estruturais tornaram-se comuns neste gênero textual, como: Local e Data, 
Vocativo, Introdução, desenvolvimento e conclusão. 
II. A carta do leitor é uma pequena seção do veículo de comunicação, a qual pode ser publicada 
na íntegra, ou somente trechos relevantes. 
III. A estrutura da carta do leitor geralmente tem: local e data, saudação ou vocativo, o texto, 
assinatura e despedida. 
IV. Outra característica particular da carta do leitor é a interlocução direta. 
V. Na carta do leitor, o leitor assina seu nome, o qual pode aparecer em forma de sigla. 
 
 
 
Vocativo 
 Folha de São Paulo 
 
Introdução 
Em relação à matéria publicada no caderno Mercado em 18.05, em 
que o Sr. informa sobre a proibição do uso de sacolas plásticas 
como embalagem a partir de 1º de janeiro próximo, penso que São 
Paulo demorou muito a tomar a decisão de transformar em lei a 
proibição 
Desenvolvimento 
 Todas as vezes que vou ao supermercado fico indignada com a 
quantidade de sacolas que são utilizadas pelos consumidores que 
não parecem preocupados com as consequências que o uso destas 
embalagens causa ao meio ambiente. 
 
Conclusão 
[...] 
No começo fazem blitz, causam um barulho, mas depois de algum 
tempo tudo volta ao que era antes: não há fiscalização para coibir as 
infrações. 
 
Despedida Atenciosamente, 
Assinatura Josilda Cardoso 
 
 
 
 
 
 
 
a) Estão corretas I,II e IV. b) Estão corretas I,II ,IV e V. 
c) Estão corretas I,II e V. d) Todas estão corretas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2° SEMANA 
Antes de ler 
Você já leu um texto Dissertativo-Argumentativo? Abaixo você confere um exemplo 
desse tipo de texto, que tem como principal objetivo defender um ponto de vista através 
da argumentação. 
 
 
HÁ INCERTEZA NA MUDANÇA 
 
O FILÓSOFO Bertrand Russel, ao afirmar que “a mudança é indubitável”, mas o 
processo é uma questão controversa”, nos apresenta uma certeza e uma dúvida. A certeza se 
refere ao caráter dinâmico do universo no qual vivemos e a dúvida nos atinge quando 
questionamos se tal mudança será benéfica ou não. 
 Vivemos num universo dinâmico e as mudanças climáticas, junto aos ciclos dos 
movimentos aparentes dos astros, criando dias e noites, talvez sejam as provas mais 
evidentes disso. É interessante perceber como este dinamismo permeia a vida do homem, 
não só individualmente, mas também socialmente. Impérios são criados, conhecem seu 
apogeu e depois são destruídos, cedendo lugar a outros. As formas de vida também sofrem 
alterações através do tempo (teoria da evolução das espécies, de Darwin) e até mesmo os 
minerais, sujeitos à erosão e à ação oxidante da nossa atmosfera, se transformam em outras 
substâncias. 
 
TEXTO III 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LEITURA E COMPREENSÃO 
 
01. O texto dissertativo escolar geralmente apresenta uma estrutura organizada em três parte: a 
introdução, na qual é apresentada a ideia principal ou tese, o desenvolvimento, que fundamenta 
ou desenvolve a ideia principal, e a conclusão. 
 
 
 
 Correto está o filósofo, ao afirmar que “a mudança é indubitável”. Porém a questão do 
progresso, ou seja, uma mudança positiva, deve ser analisada com mais cuidado. A partir da 
definição de progresso como mudança positiva, podemos nos perguntar “positiva sob qual 
ponto de vista?”. Manuel Bonfim, em seu texto “A América Latina: males de origem”, associa 
o progresso social a uma sociedade continuamente mais justa. Por outro lado, a revolução 
industrial, período de significativo progresso tecnológico, condenou mulheres e crianças a 
jornadas de trabalho desumanas, em troca de salários miseráveis. O progresso, nesse caso, 
representa uma mudança positiva apenas para o capitalista. 
Passando da sociologia para a ecologia, podemos perceber, pelo texto “Bad evolution” 
de Alamma Mitchell, como o equilíbrio entre as espécies de uma lagoa pode ser alterado em 
função do aumento da temperatura. Entretanto, um ligeiro aumento na temperatura média do 
planeta pode reduzir o rigor do inverno em países “frios”, aumentando a capacidade de 
produção agrícola desses países. Nesse caso o aumento da temperatura média do planeta 
deve ser considerado uma mudança positiva ou negativa? 
 Deve ficar claro que, muitas vezes, o ser humano não tem condições de avaliar o 
impacto causado por suas atividades. Sabemos que a instalação de uma usina termoelétrica 
provoca o aumento da acidez nas chuvas da região onde se encontra, mas qual o impacto 
sobre o meio ambiente devido a todas as outras atividades humanas? A aplicação de um 
determinado projeto social pode melhorar a vida de algumas pessoas em detrimento de 
outras. Como avaliar se isso é benéfico ou maléfico? 
 As palavras de Bertrand Russel, publicadas em 1959, continuam atuais e talvez nunca 
percam a atualidade. Talvez a humanidade deva continuar mudando sempre, sem nunca 
saber qual o próximo passo. Talvez estejamos condenados a continuar mudando, sem saber 
se caminhamos em direção à perpetuação da vida ou ao seu extermínio. 
 Talvez Herbert Spencer esteja certo... e o progresso seja apenas parte da natureza 
humana. 
 Aldebaran L. do Prado Júnior. In: Vestibular Unicamp-Redações Campinas: Editora da Unicamp, 
p. 51. https://armazemdetexto.blogspot.com/2017/04/textos-de-portugues-do-9ano-com.html 
 
 
 VOCABULÁRIO: 
INDUBITÁVEL: sobre o que não pode haver dúvida; incontestável. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
a) Identifique os parágrafos que constituem essas partes: 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_____ _________________________________________________________________________________________ 
b) Qual é a ideia principal, ou a tese, defendida pelo autor na introdução? 
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 
02. O desenvolvimento é construído em quatro parágrafos. 
a) Que aspecto da tese é desenvolvido no primeiro desses quatro parágrafos? 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________ 
b) Que aspecto é abordado nos outros três parágrafos? 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________ 
03. Os argumentos utilizados para fundamentar a tese podem ser de diferentes tipos: exemplos, 
comparações, dados históricos, dados estatísticos, pesquisas, causas sócio econômicas ou 
culturais, depoimentos – enfim, tudo o que possa demonstrar que o ponto de vista defendido pelo 
autor tem consistência. Quais desses tipos de argumento o autor utilizou em cada um dos 
parágrafos do desenvolvimento? 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_____ _________________________________________________________________________________________ 
04. Observe a conclusão do texto. Trata-se de uma conclusão do tipo síntese ou do tipo 
proposta? 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________ 
05. Observe o título do texto. Você o considera adequado ao texto? Por quê? 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________ 
06. Observe a linguagem do texto: 
a) Que variedade linguística foi empregada?__________________________________________ 
b) Que pessoa gramatical dos verbos e pronomes predomina? 
_______________________________________________________________________________________________________ 
c) A linguagem tende à pessoalidade ou à impessoalidade? Tende à objetividade ou à 
subjetividade? 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_____ _________________________________________________________________________________________ 
07. Quais são as principais características de um texto dissertativo-argumentativo? Responda, 
levando em conta os seguintes critérios: finalidade do gênero, perfil dos interlocutores, 
suporte/veículo, tema, estrutura e linguagem. 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_____ _________________________________________________________________________________________ 
_ 
 
 
 
 
 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
____ _________________________________________________________________________________________ 
08. Sobre o texto dissertativo argumentativo, é correto afirmar que: 
 
a) Trata-se de um tipo de texto que descreve com palavras o que se viu e se observou. Tipo 
textual desprovido de ação, em que o ser, o objeto ou o ambiente são mais importantes. 
Valorização do substantivo e do adjetivo. 
 
b) Tem como principal objetivo contar uma história seja ela real ou fictícia. Apresenta uma 
evolução de acontecimentos, ainda que sem linearidade ou relação com o tempo real. 
 
c) Tipo de texto escrito em prosa sobre determinado tema, que consiste na defesa de uma 
opinião o qual deverá ser apresentar argumentos, provas e exemplos com objetivo de convencer 
o interlocutor da mensagem. 
 
d) Tipo de texto que indica para o leitor os 
procedimentos a serem realizados. Nesse tipo de 
texto, as frases, geralmente, estão no modo 
imperativo. 
 
e) Tipo textual marcado por uma linguagem simples e 
objetiva, sendo que um dos recursos linguísticos 
marcantes desse tipo de texto é a utilização dos 
verbos no imperativo. 
 
 
 
GRAMÁTICA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Quer saber mais sobre 
o texto Dissertativo 
argumentativo? 
Aponte a câmera do 
seu celular para o QR 
code ao lado e 
aproveite!! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O período composto por coordenação é Período aquele cujas orações não dependem 
sintaticamente umas das outras porque são independentes. 
 
A mãe chamou o filho, mas o pai não quis conversar sobre o boletim. 
 
 
 
A primeira oração “A mãe chamou o filho” tem sentido completo e forma um enunciado com 
sentido, assim também é a segunda oração “o pai não quis conversar sobre o boletim”. 
 
Descansei,/ fui à praia/ e visitei lugares maravilhosos. 
 
 
 
Período Composto por Subordinação ao contrário do período composto por coordenação, 
no período composto por subordinação, as orações dependem sintaticamente uma das outras. 
 
 
 
Tudo o que queria/ era a verdade. 
 
 
 
 
Descobrimos/ que ele mente. 
 
 
 
 
Observe que no período composto por subordinação uma oração completa o sentido da outra. 
 
 
 
 
Entre o período composto por coordenação e por subordinação há algumas 
diferenças. Não deixe de conhecê-las, fique atento nos próximos exemplos! 
1° oração 2° oração 
1° oração 2° oração 3° oração 
Oração principal Oração subordinada 
Oração 
principal 
Oração subordinada 
Queria o quê? 
Descobrimos o quê? 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
01-Leia a tirinha abaixo . 
 
a)No primeiro quadrinho, o enunciado da fala da cliente constitui um período composto. Que tipo 
de período composto ele é? 
 _____________________________________________________________________________ 
 
b)No enunciado do segundo quadrinho, há um período composto por coordenação. Identifique-o. 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
c)Justifique por que a frase "O que a senhorita está buscando?" é constituída por um período 
simples. 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
 
02- Observe o trecho abaixo. 
 
 
 
 
a) A quais sujeitos se referem às formas verbais diz, são e compartilham nesse trecho? 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
 
b)Transcreva as orações que compõem esses trecho de acordo com a ordem abaixo. 
 
1° oração O texto diz 
2° oração Que os usuários são responsáveis pelo material. 
3° oração Que compartilham 
 
c) Podemos afirmar que essas orações são sintaticamente independentes e que cada uma tem o 
sentido completa em si mesma? Explique 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
 
 
“O texto diz que os usuários são responsáveis pelo material que compartilham” 
 
 
 
 
 
 
 
03. Observe a tirinha a seguir. 
 
No último quadrinho ocorre: 
 
 
 
 
 
 
 
 
Estão corretas: 
 
a) I e II. b) III e IV. c) III e V. d) II e IV. 
 
04. Classifique os períodos a seguir: 
 
 
 
 
a) O computador apagou-se, dobraram as pastas, o juiz levantou-se. _______________________b) O mormaço adormentara ainda mais o povoado. _____________________________________ 
c) O funcionário não deu explicações e afastou-se. _____________________________________ 
d) O mulherio interveio com grande descabelamento de palavrões. ________________________ 
e) Tio Emílio sabia que o homem tinha vindo para estabilizar o negócio. 
____________________________________________ 
f) Gosto muito do que você me diz. _________________________________________________ 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ESTUDO DO GÊNERO 
1- simples 2-composto por coordenação 3- composto por subordinação 
 
I. Uma oração 
II. Período simples 
III-Duas orações 
IV. Período Composto por subordinação 
V. Período Composto por coordenação. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O texto dissertativo-argumentativo é um tipo textual 
que consiste na defesa de uma ideia por meio de argumentos, opinião e 
explicações fundamentadas. 
Este tipo de texto tem como objetivo central a formação de opinião do 
leitor. Assim, ele é caracterizado por tentar convencer ou persuadir o 
interlocutor da mensagem através da argumentação. 
 
Quer saber mais sobre a estrutura do texto 
Dissertativo-argumentativo? 
Aponte a câmera do seu celular para o QR 
code ao lado e aproveite!! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PROPOSTA DE PRODUÇÃO TEXTUAL 
 
 
 
 
 
 
TESE 
1° ARGUMENTO 
2° ARGUMENTO 
Proposta de 
intervenção: O que 
deve ser feito? 
Proposta de 
intervenção: O que 
deve ser feito? Por 
quem? Como? Para 
que? 
A partir da leitura dos textos motivadores a seguir e com base nos conhecimentos 
construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em 
modalidade escrita formal da língua portuguesa, respeitando as diretrizes dos Direitos 
Humanos, sobre o tema “Racismo velado”. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TEXTO 1 
 
“Por ser negra e mulher, tenho diversas histórias. Racismo e machismo se combinam”, disse 
à reportagem uma universitária, de 27 anos, que preferiu não se identificar. A estudante, que 
já foi vítima de agressão dentro da universidade onde estuda, se recorda de um dia quando, 
ao entrar em um shopping da capital, foi obrigada a apresentar seu documento de identidade. 
No mesmo momento, uma mulher loira da mesma idade, que entrava ao lado, passou direto 
sem ser abordada. 
“Nós temos no Brasil o pior tipo de racismo que existe. É um racismo velado, escondido, que 
ninguém vê, mas que acontece”, critica. “A sociedade está o tempo todo tentando abafar e 
silenciar a opressão, invertendo a situação e culpando o negro”. 
 
https://www.otempo.com.br/cidades/temos-o-pior-tipo-de-racismo-que-existe-o-que-ninguem-ve-1.776003 
 
 
TEXTO 2 
 
 
Numa abordagem direta sobre racismo, muita gente talvez diga que não existe 
discriminação racial no Brasil, ou há quem não se dá conta de seu preconceito velado, 
escondido, tão banalizado socialmente que pode não ser percebido. Aqui o racismo não é 
escancarado, além de ser crime, e talvez por esse motivo, é difícil de ser denunciado e 
superado. O preconceito não fica claro, mas continua ali, mesmo nos dias atuais, implícito 
nos comentários sobre o cabelo e a cor da pele, no medo ao cruzar com um homem de pele 
escura na rua, na visão estereotipada de uma sexualidade diferente. Pior: Quem sofre 
racismo enfrenta obstáculos concretos no acesso a bens, serviços e direitos, além de 
problemas psicológicos gerados por problemas de aceitação e baixa autoestima. 
 
 
 
DICAS PARA ESCREVER UMA BOA DISSERTAÇÃO-ARGUMENTATIVA 
 Jamais use gírias; 
 Não utilize provérbios ou ditados populares; 
 Nunca inclua em sua dissertação (não se deve usar a 1° pessoa do singular),nem se dirija ao 
interlocutor-esses recursos são permitidos apenas na carta argumentativa; 
 Jamais analise o tema proposto movido por emoções exageradas; 
 Não utilize exemplos contando fatos ocorridos com terceiros que não sejam de domínio o 
publico; 
 Não utilize abreviações; 
 Procure evitar a repetição da mesma palavra; 
 Capriche na letra; 
 Não fuja ao tema proposto; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1 
2 
3 
4 
5 
6 
7 
8 
9 
10 
11 
12 
13 
14 
15 
16 
17 
18 
19 
20 
21 
22 
23 
24 
25 
26 
O nosso país foi o que mais recebeu escravos africanos do tráfico, cerca de 5 milhões, 
e o último do Ocidente a abolir a escravidão. A abolição não foi acompanhada por nenhuma 
ação no sentido de integrar os afrodescendentes à sociedade brasileira. Dados do IBGE e do 
Mapa da Violência mostram as estatísticas de cor ou raça no Brasil: os brancos têm maiores 
salários, sofrem menos desemprego, frequentam mais as universidades; enquanto os negros 
são os que sofrem mais com o trabalho infantil e com a violência, também são maioria nas 
cadeias. 
Apesar de os afrodescendentes negros e os brancos historicamente não viverem em 
condições econômicas e sociais igualitárias, a convivência entre eles é aparentemente 
amistosa, o que pode ajudar a dissimular o racismo. 
 
FONTE: https://www2.camara.leg.br/camaranoticias/tv/materias/PARTICIPACAOPOPULAR/565547-O-
RACISMO-VELADO.htm 
 
 
 
 
 
 
 
 
Avalie sua Dissertação-Argumentativa quanto à proposta e o sentido do texto SIM NÃO 
1. Fica claro qual ponto de vista está sendo defendido? 
2. São apresentados argumentos variados e coerentes para sustentá-lo? 
3. O texto está inteligível e interessante para o público a que se destina? 
4. A sequência de ideias está clara e fácil de acompanhar? 
5. Na conclusão, é apresentada síntese ou proposta de intervenção? 
6. Está livre de problemas de ortografia? 
7. Pontos, vírgulas e demais sinais de pontuação foram empregados 
corretamente? 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
27 
28 
29 
30 
3° SEMANA 
Antes de ler 
Há muitos textos nos quais o autor não chega a emitir sua opinião e apenas apresenta os 
fatos. Não é o caso dos artigos de opinião, em que o autor, além de apresentar os fatos, 
defende também um ponto de vista. Daí o nome dado a esse gênero. 
Leia o artigo de opinião a seguir e debata com seus colegas o assunto tratado pelo médico 
Dráuzio Varela, posicionando-se a favor ou contra as ideias que ele apresenta. 
 
 
 
TEXTO IV 
 
Superpopulação carcerária 
O lema “lugar de bandido é na cadeia” é vazio e demagógico. Não temos prisões suficientes 
As fábricas de ladrões e traficantes jogam mais profissionais no mercado do que sonha 
nossa vã pretensão de aprisioná-los. 
Levantamento produzido pela Folha,com base nos censos realizados nas 150 
penitenciárias e nas 171 cadeias públicas e delegacias de polícia, mostra que o estado de São 
Paulo precisaria construir imediatamente mais 93 penitenciárias, apenas para reduzir a 
superlotação atual e retirar os presos detidos em delegacias e cadeias impróprias para 
funcionar como presídios. 
Para Lourival Gomes, o atual secretário da Administração Penitenciária, cuja carreira 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Para Lourival Gomes, o atual secretário da Administração Penitenciária, cuja carreira 
acompanho desde os tempos do Carandiru, profissional a quem não faltam credenciais 
técnicas e a experiência que os anos trazem, o problema da falta de vagas não será resolvido 
com a construção de prisões. Tem razão, é guerra perdida: no mês passado, o sistema 
prisional paulista recebeu a média diária de 121 novos detentos enquanto foram libertadosapenas 100. Ficaram encarcerados 21 a mais todos os dias. 
Como os presídios novos têm capacidade para albergar 768 detentos, seria necessário 
construir mais um a cada 36 dias, ou seja, 10 por ano. 
Esse cálculo não leva em conta o aprimoramento técnico da polícia. Segundo o mesmo 
levantamento,a taxa de encarceramento, que há oito meses era de 413 pessoas para cada 100 
mil habitantes, aumentou para 444. Se a PM e a Polícia Civil conseguissem prender marginais 
com a eficiência dos policiais americanos (743 para cada 100 mil habitantes), seria preciso 
construir uma penitenciária a cada 21 dias. 
Agora, analisemos as despesas. A construção de uma cadeia consome R$ 37 milhões, 
o que dá perto de R$ 48 mil por vaga. Para criar uma única vaga gastamos mais da metade do 
valor de uma casa popular com sala, cozinha, banheiro e dois quartos, por meio da qual é 
possível retirar uma família da favela. 
Esse custo, no entanto, é irrisório quando comparado aos de manutenção. Quantos 
funcionários públicos há que contratar para cumprir os três turnos diários? Quanto sai por mês 
fornecer três refeições por dia? E as contas de luz, água, material de limpeza, transporte, 
assistência médica, jurídica e os gastos envolvidos na administração? 
Não sejamos ridículos, caro leitor. Se nossa polícia fosse bem paga, treinada e 
aparelhada de modo a mandar para atrás das grades todos os bandidos que nos infernizam 
nas ruas, estaríamos em maus lençóis. Os recursos para mantê-los viriam do aumento dos 
impostos? Dos cortes nos orçamentos da educação e da saúde? 
 Então, o que fazer? É preciso agir em duas frentes. A primeira é tornar a Justiça mais 
ágil, de modo a aplicar penas alternativas e facilitar a progressão para o regime semiaberto, no 
caso dos que não oferecem perigo à sociedade, e colocar em liberdade os que já pagaram por 
seus crimes, mas que não têm recursos para contratar advogado. 
A segunda, muito mais trabalhosa, envolve a prevenção. Sem diminuir a produção das 
fábricas de bandidos, jamais haverá paz nas ruas. Na periferia de nossas cidades, milhões de 
crianças e adolescentes vivem em condições de risco para a violência. São tantas que é de 
estranhar o pequeno número que envereda pelo crime. 
Nossa única saída é oferecer-lhes qualificação profissional e trabalho decente, antes 
que sejam cooptados pelos marginais para trabalhar em regime de semiescravidão. 
Há iniciativas bem-sucedidas nessa área, mas o número é tímido diante das proporções 
da tragédia social. É necessário um grande esforço nacional que envolva as diversas esferas 
governamentais e mobilize a sociedade inteira. 
Como parte dessa mobilização, é fundamental levar o planejamento familiar para os 
estratos sociais mais desfavorecidos. Negar-lhes o acesso à lei federal que lhes dá direito ao 
controle da fertilidade é a violência mais torpe que a sociedade brasileira comete contra a 
mulher pobre. 
O lema“lugar de bandido é na cadeia“ é vazio e demagógico. Não temos nem teremos 
prisões suficientes. Reduzir a população carcerária é imperativo urgente. Não cabe discutir se 
estamos a favor ou contra, não existe alternativa. Empilhar homens em espaços cada vez mais 
exíguos não é mera questão de direitos humanos, é um perigo que ameaça todos nós. Um dia 
eles voltarão para as ruas. 
VARELLA, Drauzio. Superpopulação carcerária. Folha de S.Paul. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LEITURA E COMPREENSÃO 
 
01. Podemos afirmar que a linha fina apresenta uma opinião sobre o tema apresentado? 
Justifique sua resposta. 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
02. Para comprovar que não adianta construir novos presídios, o autor citou a opinião de Lourival 
Gomes, secretário da Administração Penitenciária. 
 
a) De que maneira o autor do texto nos faz acreditar que a opinião do secretário pode ser 
considerada confiável? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
b) Provavelmente, com que intenção o autor nos traz informações a respeito do secretário? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
c) Que argumento foi utilizado para reforçar a opinião do secretário? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
03. De que maneira o aprimoramento da polícia complicaria o problema da carceragem no estado 
de São Paulo? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
04. Ao analisar as despesas geradas na construção de uma cadeia, qual é a comparação 
estabelecida pelo autor? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
______________________________________________________________________________ 
 
05. Releia o seguinte trecho: 
 
 
 
 
 
 
VOCABULÁRIO: 
Albergar: abrigar (alguém ou a si mesmo) ,refúgio ou asilo; asilar(-se), recolher(-se). 
Cooptados: agregar, associar, juntar, congregar, admitir, incorporar, integrar, unir. 
Demagógicos: hegemonia política das facções populares. 
Exíguos: diminutos, escassos, minguados, módicos, parcos, pequenos. 
 
 
 
 
 
“Não sejamos ridículos, caro leitor. Se nossa polícia fosse bem paga, treinada e 
aparelhada de modo a mandar para atrás das grades todos os bandidos que nos 
infernizam nas ruas, estaríamos em maus lençóis. Os recursos para mantê-los viriam 
do aumento dos impostos? Dos cortes nos orçamentos da educação e da saúde?” 
 
 
 
 
 
 
 
Que adjetivo é utilizado pelo autor para se referir aos leitores que, eventualmente, não concordem 
com ele? Qual é, provavelmente, a intenção do autor ao fazer uso desse adjetivo? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
06. A conclusão desse texto desenvolve três soluções para o problema de superlotação dos 
presídios. Explique, resumidamente, quais são elas. 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
07. O que essas soluções apresentadas têm em comum? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
08. Por que, segundo o autor, o lema “lugar de bandido é na cadeia” é vazio e demagógico? 
 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________GRAMÁTICA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
As orações coordenadas são orações independentes, ou seja, não há relação 
sintática entre elas. 
Elas são classificadas em dois tipos: orações coordenadas sindéticas e orações 
coordenadas assindéticas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Orações coordenadas assindéticas As orações coordenadas assindéticas são caracterizadas pelo 
período composto justaposto, ou seja, não são ligadas através de nenhum conectivo. 
 
 
Chegamos na praia, nadamos, jogamos, comemos. 
 
 
Pegou a chave, abriu a porta, suspirou fundo. 
 
 
 
 
Orações sindéticas são caracterizadas pelo período composto ligado através de uma conjunção 
ou locução coordenativa. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Observe que as orações destacadas não 
são ligadas uma a outra por meio de 
conjunção. 
ADITIVAS ADVERSATIVAS ALTERNATIVAS 
CONCLUSIVAS EXPLICATIVAS 
Aditivas: estabelecem ideia de adição, soma. 
Exemplo: Não venderemos a casa, nem (venderemos) o carro. 
Adversativas: estabelecem oposição, adversidade. 
Exemplo: Gostaria de ter viajado, mas não tive férias. 
Alternativas: estabelecem alternância. 
Exemplo: Siga o mapa ou peça informações. 
Conclusivas: estabelecem conclusão. 
Exemplo: São todos cegos portanto não podem ver. 
Explicativas: estabelecem explicação. 
Exemplo: Senti frio, porque estava sem agasalho. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
01. Assinale a sequência de conjunções que estabelecem, entre as orações de cada item, uma 
correta relação de sentido. 
1. Correu demais, ... caiu. 
2. Dormiu mal, ... os sonhos não o deixaram em paz. 
3. A matéria perece, ... a alma é imortal. 
4. Leu o livro, ... é capaz de descrever as personagens com detalhes. 
5. Guarde seus pertences, ... podem servir mais tarde. 
 
a) porque, todavia, portanto, logo, entretanto 
b) por isso, porque, mas, portanto, que 
c) logo, porém, pois, porque, mas 
d) porém, pois, logo, todavia, porque 
e) entretanto, que, porque, pois, portanto 
 
02. Todos os períodos dados a seguir são compostos por coordenação. Separe as orações de 
cada um deles e classifique-as. 
 
a) Todos prometeram ajudar; muitos, porém, não cumpriram a promessa. 
_______________________________________________________________________________________________ 
b) “O homem ao meu lado acende outro cigarro, dá uma tragada e joga-o pela janela”. (Stanislaw 
Ponte Preta) 
_______________________________________________________________________________________________ 
c) Ele trabalhava durante o dia e estudava à noite. 
_______________________________________________________________________________________________ 
d) A criança ora cantava,ora se punha a correr pela sala. 
_______________________________________________________________________________________________ 
PRINCIPAIS 
CONJUNÇÕES 
COORDENATIVAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
03. Relacione as colunas: 
 
1- Tentou matar as formigas, mas não conseguiu. 
2- Ele não sabia se trabalhava ou se tentava matar 
as formigas. 
3- Ele queria ter uma casa e plantar uma horta. 
4- Era chamado de vadio, pois trabalhava pouco. 
5- Ele trabalhava pouco; logo era chamado de vadio. 
 
 
04. Observe a relação semântica existente entre as orações de cada item seguinte, reescreva-as 
unindo-as numa única frase. Utilize as conjunções coordenativas. 
 
a) É um bom funcionário. É um pouco distraído.________________________________________ 
b) Pense bem. Aja moderadamente._________________________________________________ 
c) Aquele aluno não estudou de forma correta. Foi reprovado. 
_______________________________________________________________________________________________ 
d) Liguei várias vezes para você. Não atendeu. 
_______________________________________________________________________________________________ 
e) Não pude ir à escola hoje. Jamais me encontraria lá. 
_______________________________________________________________________________________________ 
 
05. Observe que na tira abaixo temos alguns períodos por coordenação: 
 
 
 
 
a) Qual é a oração coordenada explicativa presente no 2º quadrinho? 
_______________________________________________________________________________________________ 
b) Qual o valor semântico da conjunção em destaque na oração “ou pra mostrar ação”? 
_______________________________________________________________________________________________ 
c) Retire do 3º quadrinho uma oração coordenada aditiva e sublinhe a conjunção. 
_______________________________________________________________________________________________ 
( ) relação de conclusão 
( ) relação de contraste, adversidade 
( ) relação de confirmação ou explicação 
( ) relação de alternância 
( ) relação de acréscimo 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
01. Já sabemos que, em um artigo de opinião, o autor tem 
por objetivo expor suas ideias e defender uma tese, ou 
seja, uma opinião, um ponto de vista. Em “Superpopulação 
carcerária“, qual é a tese apresentada pelo autor? 
_______________________________________________
_______________________________________________ 
_______________________________________________
_______________________________________________ 
_______________________________________________
_______________________________________________ 
 
02. Localize no texto e copie em seu caderno exemplos de 
argumento: 
a) de autoridade; 
_______________________________________________
_______________________________________________ 
_______________________________________________
_______________________________________________ 
_______________________________________________
_______________________________________________ 
 
b) por comparação; 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
c) a partir de dados estatísticos; 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
ESTUDO DO GÊNERO 
O artigo de opinião é um gênero textual pertencente ao tipo 
argumentativo e tem como intencionalidade apresentar o ponto de vista 
do(a) articulista — locutor(a) do texto — acerca de algum assunto relevante 
socialmente. Circula, em especial, em jornais, revistas e sites da internet, e 
pode tratar de temas polêmicos, em que são apresentados fatos, dados 
estatísticos e discursos de autoridade para fundamentar a tese apresentada. 
 IMPORTANTE SABER 
Os textos argumentativos 
apresentam características e elementos 
discursivos específicos que os 
diferenciam de outros textos. 
Além de apresentar sua tese, a 
ideia a ser defendida, o autor deve 
apresentar argumentos que a 
sustentem. Exemplos, dados 
estatísticos, alusões históricas, 
comparações, relações de causa e 
consequência, depoimentos e 
declarações. 
 
Quer saber mais sobre o 
gênero artigo de opinião? Acesse os 
links abaixo 
https://youtu.be/V_iWaOsjT0I 
https://www.youtube.com/watch?v
=PzTtPVGHTNo 
 
https://mundoeducacao.uol.com.br/redacao/genero-textual.htm
https://youtu.be/V_iWaOsjT0I
https://www.youtube.com/watch?v=PzTtPVGHTNo
https://www.youtube.com/watch?v=PzTtPVGHTNo
 
 
 
 
 
 
 
d) de causa e consequência; 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________03. Observe as expressões em destaque a seguir: 
 
 
 
 
Que efeito de sentido o autor consegue obter ao utilizar as expressões em destaque? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
04. Preencha o quadro abaixo a partir do gênero estudado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O artigo de opinião 
1. Qual é o público leitor do texto? Pessoas adultas 
2. Qual linguagem empregada? A linguagem empregada em artigos de opinião tende a 
ser mais formal e escrita de acordo com as convenções 
gramaticais 
3.Como o texto está organizado? Organização em parágrafos. 
4. Onde o texto circula? Circula, em especial, em jornais, revistas e sites da 
internet. 
4° SEMANA 
 
[...] É preciso agir em duas frentes. [...] 
[...] É necessário um grande esforço nacional [...] 
[...] é fundamental levar o planejamento familiar para os estratos sociais mais 
desfavorecidos. [...] 
Antes de ler 
Para que você relembre a estrutura de um conto e se inspire, escolhemos um conto de 
Clarice Lispector. Aparentemente é uma história triste, e tem mesmo muitos pontos de 
tristeza... mas a alegria está lá também! Delicie-se com esse texto antes de começar a 
escrever o seu. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TEXTO V 
TENTAÇÃO 
 
Ela estava com soluço. E como se não bastasse à claridade das duas horas, ela era ruiva. 
 Na rua vazia as pedras vibravam de calor - a cabeça da menina flamejava. Sentada nos 
degraus de sua casa, ela suportava. Ninguém na rua, só uma pessoa esperando inutilmente 
no ponto do bonde. E como se não bastasse seu olhar submisso e paciente, o soluço a 
interrompia de momento a momento, abalando o queixo que se apoiava conformado na mão. 
Que fazer de uma menina ruiva com soluço? Olhamo-nos sem palavras, desalento contra 
desalento. Na rua deserta nenhum sinal de bonde. Numa terra de morenos, ser ruivo era uma 
revolta involuntária. Que importava se num dia futuro sua marca ia fazê-la erguer insolente 
uma cabeça de mulher? Por enquanto ela estava sentada num degrau faiscante da porta, às 
duas horas. O que a salvava era uma bolsa velha de senhora, com alça partida. Segurava-a 
com um amor conjugal já habituado, apertando-a contra os joelhos. 
 Foi quando se aproximou a sua outra metade neste mundo, um irmão em Grajaú. A 
possibilidade de comunicação surgiu no ângulo quente da esquina, acompanhando uma 
senhora, e encarnada na figura de um cão. Era um basset lindo e miserável, doce sob a sua 
fatalidade. Era um basset ruivo. 
 Lá vinha ele trotando, à frente de sua dona, arrastando seu comprimento. Desprevenido, 
acostumado, cachorro. 
 A menina abriu os olhos pasmada. Suavemente avisado, o cachorro estacou diante dela. 
Sua língua vibrava. Ambos se olhavam. 
 Entre tantos seres que estão prontos para se tornarem donos de outro ser, lá estava a 
menina que viera ao mundo para ter aquele cachorro. Ele fremia suavemente, sem latir. Ela 
olhava-o sob os cabelos, fascinada, séria. Quanto tempo se passava? Um grande soluço 
sacudiu-a desafinado. Ele nem sequer tremeu. Também ela passou por cima do soluço e 
continuou a fitá-lo. 
 Os pelos de ambos eram curtos, vermelhos. 
 Que foi que se disseram? Não se sabe. Sabe-se apenas que se comunicaram 
rapidamente, pois não havia tempo. Sabe-se também que sem falar eles se pediam. Pediam-
se com urgência, com encabulamento, surpreendidos. 
 No meio de tanta vaga impossibilidade e de tanto sol, ali estava a solução para a criança 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LEITURA E COMPREENSÃO 
 
 
01. Quem são as personagens principais? O que elas têm em comum? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
02. O que a menina fazia sentada na porta de casa, às duas horas da tarde? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
VOCABULÁRIO: 
Basset: raça de cães de caça, de pernas curtas, orelhas compridas e corpo muito longo, 
de pelos curtos ou longos e de cor marrom ou preta. 
Fremia: estremecia, agitava-se lentamente. 
 
 
 
 
Você também pode ouvir o texto narrado, disponível no link abaixo 
ou no QR Code ao lado. 
https://www.youtube.com/watch?v=RBxhDJram7g 
 
 rapidamente, pois não havia tempo. Sabe-se também que sem falar eles se pediam. 
Pediam-se com urgência, com encabulamento, surpreendidos. 
 No meio de tanta vaga impossibilidade e de tanto sol, ali estava a solução para a criança 
vermelha. E no meio de tantas ruas a serem trotadas, de tantos cães maiores, de tantos 
esgotos secos - lá estava uma menina, como se fora carne de sua ruiva carne. Eles se 
fitavam profundos, entregues, ausentes de Grajaú. Mais um instante e o suspenso sonho se 
quebraria, cedendo talvez à gravidade com que se pediam. 
 Mas ambos eram comprometidos. 
 Ela com sua infância impossível, o centro da inocência que só se abriria quando ela 
fosse uma mulher. Ele, com sua natureza aprisionada. 
 A dona esperava impaciente sob o guarda-sol. O basset ruivo afinal despregou-se da 
menina e saiu sonâmbulo. Ela ficou espantada, com o acontecimento nas mãos, numa 
mudez que nem pai nem mãe compreenderiam. Acompanhou-o com olhos pretos que mal 
acreditavam, debruçada sobre a bolsa e os joelhos, até vê-la dobrar a outra esquina. 
Mas ele foi mais forte que ela. Nem uma só vez olhou para trás. 
 
LISPECTOR, Clarice. Felicidade clandestina. 
Rio de Janeiro: Nova Fronteira 
 
https://www.youtube.com/watch?v=RBxhDJram7g
 
 
 
 
 
 
 
03. Onde se passa a história? Retire do texto uma 
frase que apresenta uma característica marcante do 
cenário. 
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________ 
 
 04. De acordo com o texto, como a menina se 
sentia em relação a outras pessoas? Retire do texto 
uma frase para justificar sua resposta. 
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________ 
05. O que o narrador fazia naquele lugar? 
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
 
06. Pode-se dizer que o narrador se identifica com a 
menina? Por quê? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
07. O cão basset provoca uma mudança na cena inicial. Qual a reação da menina e do cão 
quando se veem? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
08. “Mas ambos eram comprometidos.” Segundo o texto, com o que eles eram comprometidos? 
O que isso pode significar? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
09.Qual é o tema central do texto? 
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________ 
 
ORTOGRAFIA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PARA SABER MAIS 
 Clarice Lispector (1920-1977) 
foi uma importante escritora 
brasileira. Sua produção marcou a 
literatura do século XX e seu 
estilo intimista popularizou 
as narrativas psicológicas no Brasil. 
Lispector é um marco em 
nosso Modernismo e suas obras 
continuam entre as mais lidas no 
país. 
 
Quer SABER Mais sobre Clarice 
Lispector? 
Aponte a câmera do seu celular para 
o QR Code ao lado e aproveite!! 
https://www.portugues.com.br/literatura/modernismo-brasileiro.html
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
01. Complete as frases abaixo utilizando: porque, porquê, por que ou por quê: 
 
a) O clima da Terra está se alterando______________ os gases expelidos, sobretudo pelas 
indústrias destroem a camada de ozônio. 
b) _____________há tantos casos de doenças no pulmão nos dias de hoje? 
c) Ele não explicou o_____________ de sua atitude. 
d) Você não foi à nossa casa Por quê? 
e) Não queremos saber_____________ às ruas estão tão esburacadas; queremos que sejam 
consertadas. 
f) O governo deve esclarecer o_____________de tantos impostos. 
 
02. A alternativa incorreta quanto ao emprego do porquê é: 
 
a) Não revelou o motivo por que não foi ao trabalho. 
b) Estavam ansiosos porque o dia já havia amanhecido. 
c) Eis o porquê da minha viagem. 
d) Ele não veio por que estava doente. 
Se existe um conjunto de palavras que mais causa dúvidas na hora de se escrever um texto, 
esse é o dos porquês (porque, porquê, porque, por quê). Muito discutido e com muita 
confusão em torno da sua aplicação, o assunto gera dúvidas até entre os escritores mais 
experientes. Para que o uso dos porquês seja feito da maneira correta, é fundamental 
entender e distinguir cada uma das suas quatros formas. Confira! 
 
 Por que: utilizado em perguntas. Exemplo: Por que não 
voltamos para a casa? 
 
 Porque: utilizado em respostas. Exemplo: Porque agora não 
temos tempo. 
 
 Por quê: utilizado em perguntas no fim das frases. Exemplo: 
Você não gosta dessa matéria, por quê? 
 
 Porquê: possui o valor de substantivo e indica o motivo, a 
razão. Exemplo: Gostaria de saber o porquê dele não falar mais 
comigo. 
 
https://www.stoodi.com.br/blog/2015/09/21/por-que-por-que-porque-e-porque/
 
 
 
 
 
 
 
e) Porque houve um engarrafamento, chegou atrasado ao colégio. 
03-Assinale a opção que completa as lacunas de forma correta. 
Eu não fui à reunião __________ estava cansada e não entendo __________ isso está 
sendo criticado por todos. __________ falam todos sobre isso? __________? 
a) porque, por quê, porquê, por quê. 
b) por que, porquê, por que, porquê. 
c) porque, por que, por que, por quê. 
04. Observe o uso de porque na frase abaixo. Agora, analise as seguintes: 
 
I. Porque deixar de lado uma causa porque lutamos há tanto tempo? 
II. Ninguém sabe o porquê de nossa luta. 
III. Ele vivia tranquilamente, porque tinha uma grande herança. 
IV. O governo não deve mudar, por quê? 
V. Pergunto por que você é tão irresponsável. 
VI. Vivo feliz, porque amo minha esposa. 
 
Assinale a única alternativa correta: 
a) As frases I e III são as únicas corretas. 
b) As frases I, III e V são corretas. 
c) Na frase II, o porquê é um substantivo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ESTUDO DO GÊNERO 
"A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado, porque está na hora." 
Conto Psicológico – É uma narrativa cujo fato principal 
sempre está relacionado às lembranças e sentimentos dos 
personagens, o que acarreta a predominância do tempo psicológico, 
que flui de acordo com as emoções. A apresentação do enredo pode 
não seguir a ordem natural dos acontecimentos, já que o tempo das 
emoções não é linear; o espaço físico também é marcado do ponto 
de vista de como são sentidas as experiências. 
 No Brasil a representante mais importante do conto psicológico 
é Clarice Lispector. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Reflita... Anote suas ideias. Escreva um primeiro esboço. 
 N
A
R
R
A
D
O
R
 
Quem conta a 
história? 
O narrador pode ser um narrador - observador, em terceira pessoa, ou um 
narrador – personagem, em primeira pessoa. Você vai narrar em primeira 
pessoa. 
T
E
M
P
O
 
Quando 
acontecem 
os fatos? 
A proposta 
pede que 
seja daqui a 
50 anos. 
Descreva esse tempo. Imagine como será. O que haverá de novidade? 
E
S
P
A
Ç
O
 
Onde se passa 
a narrativa? 
Descreva o espaço, dê detalhes. Faça o leitor ter a impressão de que 
conhece esse lugar... 
P
E
R
S
O
N
A
G
E
N
S
 
 
Faça um esboço 
de cada 
personagem. 
Quem vai fazer parte da história? 
A narrativa de um conto 
psicológico pode ser apresentada 
em 1° ou em 3° pessoa. O 
narrador colocará em primeiro 
plano o universo íntimo dos 
personagens. 
No conto psicológico, as ações 
externas são apenas o acesso para 
algo que está escondido embaixo 
delas. 
É comum nesse gênero o uso do 
tempo psicológico, que não está 
submetido a duração real dos 
fatos narrados. 
 
 
 
M
O
M
E
N
T
O
S
 D
A
 
N
A
R
R
A
T
IV
A
 
 
Defina o conflito 
gerador e 
estabeleça um 
roteiro: situação 
inicial, 
complicação 
, clímax e 
desfecho. 
Como a história começa? Contextualize. A proposta pede que você fale 
com um adolescente. Como vocês começam a conversar? Quem é ele? 
Onde vocês estão? 
O que acontece que faz com que a história aconteça? 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
______________________________________________________________ 
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
Querido aluno(a), você conheceu o gênero conto psicológico e suas 
características, agora é a sua vez de produzir o seu conto psicológico. 
Sugestão para produção de um conto. 
Você vai se imaginar daqui a 50 anos contando para um adolescente como foi 
que o mundo viveu, enfrentou e venceu a Pandemia provocada pelo coronavírus. Você 
vai contar as suas memórias inventadas! 
Aliás, você já vai contar essa história de superação, só que inventada, usando a 
criatividade! Seu desafio agora será escrever um CONTO. 
 
 
 
 
 
_______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________ 
 
 
 
 
 
 
 Avaliando meu conto psicológico 
 
 
 Está escrito no texto? 
Sim Não 
O conto foi escrito em 3° pessoa? 
A Narrativa é coerente com a situação sugerida 
na proposta? 
 
A narrativa tem um começo, meio e fim? 
O leitor entra em contato com a interioridade 
do protagonista? 
 
A narrativa explora a mudança das emoções ao 
longo do tempo? 
 
O título é coerente com a narrativa? 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Revise seu 
texto. 
Ele tem as 
Características de 
Um conto 
psicológico? 
Verifique também 
a pontuação, a 
concordância e a 
ortografia. 
Combine tudo 
com o (a) 
Professor(a) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Há de haver esperança 
Enquanto o amor pesar 
mais que o mal na balança, 
enquanto existir pureza 
no olhar de uma criança, 
enquanto houver um abraço, 
há de haver esperança. 
Enquanto nosso perdão 
for mais forte que a vingança, 
enquanto se acreditar 
que quem acredita alcança, 
enquanto houver ternura, 
há de haver esperança. 
Enquanto você sorrir 
por uma boa lembrança, 
enquanto você lutar 
com uma força que não cansa, 
enquanto você for forte, 
há de haver esperança. 
 
[...] 
Poesia que transforma-Bráulio Bessa 
 
Para acessar o poema na íntegra aponte a 
câmera do seu celular para o QR Code e 
aproveite! 
Até o próximo caderno!!

Mais conteúdos dessa disciplina