Buscar

PASTO DIFERIDO, CAPINEIRAS E CONSERVAÇÃO DE FORRAGEM ENSILAGEM E FENAÇÃO

Prévia do material em texto

PASTO DIFERIDO, CAPINEIRAS E
CONSERVAÇÃO DE FORRAGEM: ENSILAGEM E
FENAÇÃO
Sumário
OBJETIVO
INTRODUÇÃO
PASTO DIFERIDO
CAPINEIRAS 
ENSILAGEM 
FENAÇÃO
OBJETIVO
APRESENTAR MEIOS QUE POSSA SER
APREVEITADO A FORRAGEM, CAPINEIRAS EM
PERIODOS DE BAIXA PRODUÇÃO, E COMO SÃO
ARMAZENADOS OU CONSERVADOS ESTAS
FORRAGEIRAS. 
INTRODUÇÃO
No Brasil a produção animal de ruminantes, baseia-se em um
modelo de criação de caráter extensivo, onde os animais são
criados soltos, a pasto
Tendo em vista essa problemática de escassez de alimentos
em períodos de estiagem, a solução então seria a produção
específica de forragens para serem armazenas e usadas
quando necessário.
INTRODUÇÃO
Nas pastagens, a produção de forragem não é
constante durante o ano.
“Época da seca”Época das águas
INTRODUÇÃO
Pastejo diferido
O que é:
Consiste em selecionar determinadas áreas da propriedade e
excluí-las do pastejo, geralmente no fim do verão e, ou, no
outono, garantindo produção de forragem para ser pastejada
durante o período de escassez.
Diferimento
VANTAGEM:
Uma das alternativas de conservação de forragem
para utilização na época da seca 
Finalidade é o acúmulo de forragem para uso no
período crítico do ano.
Evitar perda de peso dos animais
Uso no método de pastejo rotativo
Fim do período das
águasPeríodo das águas
+ 30 % da área de pastagem
Aspectos importantes
à época de vedação;
à escolha da forrageira; 
à qualidade da forragem acumulada.
AÇÕES DE MANEJO EM PASTAGENS
DIFERIDAS
Escolha da espécie
forrageira
Suplementação do
pasto diferido
Adubação nitrogenada
Altura do pasto no início do
diferimento
Período de diferimento
Diferimento escalonado
MANEJO
Escolha da espécie forrageira
Menor altura
Reduzido florescimento
durante o diferimento
Menor redução no valor
nutritivo com
o desenvolvimento
Talo fino
Alta relação folha/talo
Boa produção de
forragem no outono
Características
desejáveis em
forrageiras 
ATENÇÃO 1:
PONTO IDEAL DE UTILIZAÇÃO
ACÚMULO DE
MASSA
TOMBAMENTO DA
PLANTA
DIFICULTA A DESFOLHA
BAIXA APROVEITAMENTO
Escolha da espécie forrageira
POTENCIAL DE CRESCIMENTO 
MANTER VALOR NUTRITIVO
Remoção de
forragem velha e
morta
Melhoria da
rebrotação
subsequente
Obtenção de pasto
diferido de melhor
qualidade
Objetivos :
ATENÇÃO 2
A vedação assegura massa de forragem, porém de baixa
qualidade.
Pasto vedado deve ser destinado às categorias animais de
menor exigência nutricional.
Necessidade de suplementação para a obtenção de melhores
resultados.
DIFERIMENTO
O diferimento da pastagem é estratégia de manejo
relativamente simples e de baixo custo que permite o
acúmulo de forragem para o período de escassez
CAPINEIRA
O que é:
Local plantado com forrageiras para corte
que produz grande quantidade de
matéria vegetal. são geralmente
utilizadas na época da seca.
Área cultivada com gramíneas que
apresentam elevada produtividade, que
são cortadas e picadas para uso como
suplemento alimentar para manutenção
da produtividade dos animais.
Localização e solo 
Solos bem drenados e profundos, 
Escolha da forrageira
Adaptada ao clima e ao solo do local 
Apresentar uma produção forrageira de alta qualidade
Panicum maximumPennisetum purpureum
Preparo da área
Vai depender da forrageira e do número de vacas a serem
suplementadas. Para calcular a área da capineira, consideram-se as
seguintes condições:
A área da capineira atenderá 25% do consumo diário das vacas (a
pastagem fornecerá os 75% restantes).
Forragem verde com 25% de matéria seca.
Vaca com 450 kg de peso vivo.
Consumo total diário das vacas é 10% do peso vivo ou seja 45
kg/vaca/dia. Logo, a fração do consumo total diário de forragem verde
a ser suprida pela capineira é de 11,2 kg (25% de 45 kg).
 Consumo anual de forragem verde de uma vaca é 11,2 kg x 365 dias =
4.088 kg.
Preparo da área
Área deve ser preparada no final do período seco (novembro a
dezembro);
 Limpeza da vegetação, aração e gradagem ou simplesmente
gradagem (grade aradora e niveladora) do solo.
Como fazer o plantio
Plantio deve ser feito logo após as primeiras chuvas. 
O material de propagação é o colmo.
Para assegurar maior índice de pega, 
Colmos do capim devem ser retirados de plantas matrizes com
rebrote de 90 a 120 dias.
Como fazer o plantio
As estacas ou os colmos inteiros são plantados longitudinalmente,
um após outro, distanciados 10 cm entre si, em sulcos de
profundidade de 10 cm. A distância entre sulcos pode ser de 1m.
Tempo de estabelecimento, intervalos entre
cortes e talhões
O tempo de estabelecimento dos capins recomendados é de
cerca de 90 dias após o plantio. 
Os cortes devem ser efetuados a intervalos entre 35 a 42 dias.
O corte deve ser feito quando o capim-elefante tiver 1,50-1,80 m
de altura.
Fornecimento aos animais
Deve ser triturada em partículas de 1 a 2 cm e fornecida. 
Resposta animal
Ao longo do ano, o fornecimento de forragem de capineira é uma
valiosa suplementação de vacas em regime de pastagem de
baixa a média qualidade.
SILAGEM
Produção de silagem
O processo de armazenamento da forragem verde em silos, para
ser utilizada no período seco.
A silagem é o resultado do processo de ensilagem após as
mudanças sofridas pela forragem através da fermentação.
Teor de umidade;
Quantidade e qualidade de carboidratos;
 Teor de proteína, seu poder tampão e os microrganismos
presentes;
Matéria seca da silagem entre 30 e 35%
8 e 10% de carboidratos solúveis (adequada fermentação)
Produção de uma boa silagem
Forrageiras indicadas
possuem alto conteúdo de carboidratos solúveis
32 a 37% MS
FARINÁCEOS
30%MS 
FARINÁCEOS
33%MS
CORTE 60 A 70 DIAS
PRÉ-MURCHA
Abertura do silo e fornecimento
Após 21 dias do enchimento do silo, o material ensilado é
considerado silagem, podendo ser fornecido aos animais, no
período seco. 
O fornecimento da silagem aos animais deve ser feito
diretamente no cocho e pode-se adicionar uréia para melhorar o
nível de proteína da ração.
SILOS
trincheirasuperfície fardo
SILOS
Material é depositado e compactado acima
do plano do terreno. 
Mais barato de se construir;
Elevadas quantidades de forragem podem
ser depositadas;
Manejo relativamente simples;
Dificulta a compactação da massa;
Pode apresentar maiores perdas quando
comparado ao trincheira;
Maior dependência do filme plástico 
Superfície
SILOS
precisa de uma embutidora;
mais simples variam de 30 a 60 metros,
podem armazenar de duas a seis
toneladas de silagem;
Apresenta menores perdas.
Investimento inicial em equipamentos é
elevado
Manejo complexo
fardo ou "bag"
SILOS
Mais utilizado no Brasil;
boa taxa de compactação;
Menor gasto de lona por tonelada de
silagem armazenada; 
Baixo custo de construção da trincheira; 
Manejo relativamente simples;
 Apresenta menores perdas; 
Alto custo inicial caso seja de alvenaria;
Grande exposição da massa de silagem ao
oxigênio atmosférico;
Trincheira
Principais problemas da silagem
Efluentes (fermentação butírica);
baixa umidade dificulta a compactação (gases);
Fungos ( aflatoxinas e micotoxicose )
FENAÇÃO
FENAÇÃO
É uma técnica de conservação de forragem que consiste em
reduzir o teor de umidade da planta para valores entre 10 e 20%. 
O produto assim obtido chama-se feno.
VANTAGENS
Manutenção de um bom valor nutritivo (e a manutenção ou
melhora do ganho de peso no período das chuvas);
 A melhora da palatabilidade para algumas forrageiras, a
substituição do uso de concentrados, a praticidade do processo e
de armazenamento.
Forrageiras indicadas
mais importante a considerar é o clima, pois o sucesso da operação
vai depender da ausência de chuva e da baixa umidade relativa do
ar.
buffel corrente leucena guandu
Etapas de fenação
Fonte: Adaptado de Jones & Harris (1979)
ARMAZENAMENTO
Podem ser aproveitadas as construções já existentes na
propriedade, ou construir galpões rústicos;
O feno pode ser acondicionado em:
medas fardos solto 
Fatores que interferem no valor nutritivo e
perdas
O valor nutritivo do feno dependedo valor da forragem cortada e
dos tratos culturais, particularmente adubações
A ocorrência de chuvas durante a secagem no campo pode
ocasionar perdas de até 100% da matéria seca.
As perdas mecânicas, durante o processamento no campo,
podem ocorrer em virtude do dilaceramento de folhas e caules,
no momento do corte, considerando-se que essas frações
fragmentadas não serão recolhidas pela enfardadeira.
Um bom feno deve possuir coloração esverdeada, cheiro agradável, boa
porcentagem de folha, ser macio, livre de impurezas, como terra, ervas daninhas e
elementos tóxicos como, fungos "MOFOS", e ter bom consumo e digestibilidade.
CONCLUSÃO