A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
65 pág.
Aula - Vedação vertical 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

Vedações verticais: 
conceitos básicos
Construção Civil II
Vedações verticais
Vedação vertical é um subsistema do 
edifício, constituído pelos elementos 
que:
1) Definem e limitam verticalmente o edifício e seus 
ambientes internos
2) Controlam a passagem de agentes atuantes
Elementos de divisão interna e de 
controle de acesso
Elementos de divisão interna e de 
controle de acesso
Alvenaria de blocos de concreto
Alvenaria de blocos de concreto
Alvenaria de bloco cerâmico
Gesso acartonado
Painéis de fachada
Paredes de concreto moldadas no 
local
Vedações verticais: elementos 
constituintes
� VEDO – o elemento que caracteriza a 
vedação vertical
� ESQUADRIA – permite o controle de 
acesso aos ambientes
� REVESTIMENTO - elemento que 
possibilita o acabamento decorativo da 
vedação (pode incluir o “sistema de 
pintura”)
Vedações verticais: funções
PRINCIPAL:
- Criar (junto com as esquadrias e os 
revestimentos) condições de habitabilidade
para o edifício protegendo os ambientes 
internos contra a ação indesejável dos 
diversos agentes atuantes, controlando-os.
Ex.: Calor, frio, sol, chuva, vento, umidade, 
ruídos, intrusos 
Vedações verticais: funções
ACESSÓRIA:
- Servir de suporte para os sistemas 
prediais e servir de proteção, quando 
os mesmos forem embutidos
Suporte e proteção de sistemas 
prediais
Suporte e proteção de sistemas 
prediais
Suporte e proteção de sistemas 
prediais
Suporte e proteção de sistemas 
prediais
Suporte e proteção de sistemas 
prediais
Importância econômica
� Custos das vedações verticais no 
orçamento de um edifício 
convencional: vedo + esquadrias + 
revestimentos ~ 20% do total da obra
� Custo do vedo no orçamento de um 
edifício convencional: ~ 4% a 6% do 
total da obra.
Importância da racionalização das 
vedações verticais
� Representam um dos maiores volumes de 
materiais e serviços no canteiro
� Definem uma parte importante da 
seqüência executiva da obra
� Liberam frente para a execução de diversos 
serviços
Importância econômica
� A vedação vertical concentra o maior 
desperdício de materiais e mão-de-
obra
� A vedação vertical influencia em 10 % 
a 40% do custo do edifício.
Importância econômica
� As vedações verticais possuem 
interfaces com vários subsistemas:
- Estruturas
- Instalações elétricas e hidráulicas
- Impermeabilização
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Importância econômica
Eficiência de uma obra
Vedações verticais: desempenho
� A vedação vertical contribui decisivamente para 
o desempenho do edifício:
- Desempenho térmico (principalmente isolamento)
- Desempenho acústico (principalmente isolamento)
- Estanqueidade à água e controle da passagem de ar
- Proteção e resistência contra ação do fogo
- Desempenho estrutural (estabilidade dimensional, resistência 
mecânica e capacidade de absorver deformação)
Vedações verticais: desempenho
- Controle de iluminação
- Controle de raios visuais (privacidade)
- Durabilidade
- Custos inicial e de manutenção
- Padrões estéticos (de conforto visual)
- Facilidade de limpeza e higienização
Desempenho: problemas patológicos 
devem ser evitados
Desempenho: problemas 
patológicos devem ser evitados
Desempenho: problemas 
patológicos devem ser evitados
Desempenho: problemas patológicos 
devem ser evitados
Desempenho: problemas patológicos 
devem ser evitados
Vedações verticais: classificação
1) Quanto à posição no edifício: externa, interna.
2) Quanto à técnica de execução: por 
conformação, por acoplamento a seco.
3) Quanto à densidade superficial: leve, pesada.
4) Quanto à estruturação: auto-suporte, 
estruturada, outras.
5) Quanto à continuidade supercial: monolítica, 
modular.
Quanto à posição no edifício: 
externa
� Externa (de fachada): vedação 
envoltória do edifício.
� Uma das faces está em contato com o 
meio ambiente (externa do edifício)
Quanto à posição no edifício: 
externa
Quanto à posição no edifício: 
interna
� Vedação interna do edifício: 
- De compartimentação→ divisão interna à
unidade do edifício
- De separação→ divisão entre unidades ou
entre unidades e a área comum de um 
edifício.
Quanto à posição no edifício: 
interna
Quanto à técnica de execução: por 
conformação
� Vedações obtidas por moldagem a 
úmido no local e, para isso, emprega 
materiais com plasticidade obtida pela 
adição de água
Quanto à técnica de execução: por 
conformação
Quanto à técnica de execução: por 
acoplamento à seco
� Vedações obtidas por montagem 
através de dispositivos (pregos, 
parafusos, rebites, cunhas, etc).
� É uma técnica conhecida como “DRY 
CONSTRUCTION” não emprega 
materiais obtidos com adição de água.
Quanto à técnica de execução: por 
acoplamento à seco
Quanto à técnica de execução: por 
acoplamento à seco
Quanto à densidade superficial: leve 
ou pesada
� LEVE: vedação de baixa densidade 
superficial. O limite convencionado é
em torno de 60kg/m2 (NBR 11.685) a 
100 kg/m2. Não tem função estrutural.
� PESADA: vedação com densidade 
superior ao limite convencionado. 
Podem ou não ter função estrutural.
Vedação leve: esquadrias de vidro 
para fachadas
Vedação leve: fachadas cortina
Vedação pesada: painéis pré-fabricados de 
concreto para vedação de fachadas
Vedação pesada: painéis pré-fabricados de 
concreto para vedação de fachadas
Vedação pesada: painéis pré-fabricados de 
concreto para vedação de fachadas
Quanto à estruturação: auto-portante, 
estruturada, outras
� AUTO-PORTANTE (ou auto-suporte) → não 
possui estrutura complementar. A vedação 
se sustenta. (Alvenaria)
� ESTRUTURADA → possui uma estrutura 
reticular para suporte dos componentes de 
vedação. (vedação de gesso acartonado)
� OUTRAS→ ex: Pneumática – vedação na 
qual o suporte é fornecido por pressão de ar 
interno superior à pressão atmosférica
Vedação tipo auto-portante
Vedação tipo estruturada
Vedação tipo estruturada
Vedação tipo pneumática 
Vedação tipo pneumática
Quanto à continuidade superficial: 
monolítica ou modular
� Relaciona-se à visibilidade das juntas
� MONOLÍTICA→ sem juntas aparentes 
(vedação de alvenaria e de gesso 
acartonado).
� MODULAR→ com juntas aparentes. 
(divisória leve modulada; painéis pré-
fabricados de fachada)
Vedações monolíticas: sem juntas
Vedações moduladas: modular e 
removível
Vedações verticais: terminologia usual
� PAREDE→ tipo de vedo mais utilizado, se 
auto-suporta, é monolítico e moldado no 
local, definitivo, pode ser exterior ou interno.
� DIVISÓRIA → vedo interno ao edifício com 
a função de subdividir o edifício em diversos 
ambientes, geralmente leve e pode ser 
removido com mais facilidade.
Paredes: de alvenaria e maciças
� De alvenaria: de bloco de concreto, de 
bloco cerâmico, de bloco sílico-
calcário, de bloco de concreto celular, 
de bloco de solo cimento, de pedra, 
etc.
� Maciças: de concreto, de concreto 
celular, de solo-cimento, de taipa, etc
Paredes: subclassificação
� Parede estrutural: é parte de elemento estrutural (ex. 
residência unifamiliar) ou próprio elemento estrutural. 
� Parede resistente: quando não dimensionada através de 
cálculo racional
� Parede de contraventamento: tem função estrutural de 
contraventamento (sendo ou não dimensionada para 
isto) de uma estrutura reticulada.
� Parede de vedação: não tem qualquer função estrutural 
no edifício, sendo dimensionada (por cálculo racional ou 
não) apenas para suportar o seu próprio peso e para 
resistir às ações atuantes sobre ela.