Buscar

AVALIANDO DIREITO INTERNACIONAL PUBLICO PARTE 3

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

14/11/2023 15:36 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/ 3/5
Uma arbitragem, conduzida na Argentina segundo as regras da Câmara de Comércio Internacional - CCI,
condenou uma empresa com sede no Brasil ao pagamento de uma indenização à sua ex-sócia argentina. Para ser
executável no Brasil, esse laudo arbitral:
dispensa homologação, por ser laudo arbitral proveniente de país do Mercosul.
dispensa homologação, por não ter sido proferido por autoridade judiciária.
 precisa ser homologado pelo STJ, por ser laudo arbitral estrangeiro.
dispensa homologação pelo STJ, nos termos da Convenção de Nova York.
precisa ser homologado pelo Judiciário argentino e depois, pelo STJ.
Respondido em 07/11/2023 19:04:58
Explicação:
A resposta correta é: precisa ser homologado pelo STJ, por ser laudo arbitral estrangeiro.
Acerto: 0,2  / 0,2
(CESPE-CEBRASPE/2011) Mohamed, �lho concebido fora do matrimônio, requereu, na justiça brasileira,
pensão alimentícia do pai, Said, residente e domiciliado no Brasil. Said negou o requerido e não reconheceu
Mohamed como �lho, alegando que, perante a Tunísia, país no qual ambos nasceram, somente são reconhecidos
como �lhos os concebidos no curso do matrimônio.
A partir dessa situação hipotética, assinale a opção correta à luz da legislação brasileira de Direito Internacional
Privado.
A lei brasileira assemelha-se à da Tunísia, razão pela qual esta deverá ser aplicada.
O juiz, ao julgar a referida relação jurídica, deve obedecer à lei da Tunísia.
Nesse caso, não se aplicam normas de ordem pública, pois se trata de relação jurídica de Direito
Internacional Privado, e não, de Direito Internacional Público.
 O juiz não deverá aplicar, nessa situação, o Direito estrangeiro.
A reserva da ordem pública não está expressa na Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro.
Respondido em 07/11/2023 19:07:08
Explicação:
De acordo com a LINDB, em seus art. 7o e 17, respectivamente, "a lei do país em que domiciliada a pessoa determina
as regras sobre o começo e o �m da personalidade, o nome, a capacidade e os direitos de família"; e "as leis, atos e
sentenças de outro país, bem como quaisquer declarações de vontade, não terão e�cácia no Brasil, quando ofenderem
a soberania nacional, a ordem pública e os bons costumes".
 
Acerto: 0,2  / 0,2
As normas de direito internacional peremptório (jus cogens):
Só podem ser derrogadas por costume internacional.
Podem ser derrogadas por tratado.
Não guardam qualquer relação com o conceito de obrigações erga omnes.
Asseguram total disponibilidade para os Estados agirem individualmente, sem considerar uma ordem
pública internacional.
 Questão / 6
a
 Questão / 7
a

Continue navegando