Buscar

TeoriaVirus

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 8 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 8 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

VÍRUS 
 
Os vírus são considerados seres vivos que não 
pertencem a nenhum dos reinos, por não possuírem 
organização celular. 
O termo vírus, em latim, significa veneno. Eles foram 
descobertos em 1935 graças à invenção do microscópio 
eletrônico devido ao seu tamanho reduzido – entre 0,05 
e 0,2 µm. 
 
CARACTERÍSTICAS GERAIS 
 
• Acelulares; 
• Formados por uma cápsula protéica que protege o 
material genético (capsídeo); 
• Possuem DNA ou RNA como material genético; 
• Ametabólicos (não possuem metabolismo próprio); 
• Parasitas intracelulares obrigatórios; 
• Específicos; 
• Visíveis somente ao microscópio eletrônico; 
• Apresentam hereditariedade; 
• Apresentam mutações; 
• Reproduzem-se por montagem (usam o 
metabolismo da célula hospedeira); 
• Quando fora da célula encontram-se em forma de 
cristal (Vírion). 
 
CLASSIFICAÇÃO 
 
O critério utilizado para classificar os vírus é o tipo de 
ácido nucléico que apresentam. Assim temos: 
 
1. Desoxivírus – são vírus de DNA. Ex.: a maioria 
dos vírus que parasitam bactérias (bacteriófagos), 
herpes, hepatite, adenovírus. 
 
 
Adenovírus 
 
 
2. Retrovírus – são vírus de RNA que “têm a 
capacidade” de fazer a transcrição reversa do seu 
ácido. Assim, a partir de seu RNA, conseguem produzir 
o DNA e então controlar o metabolismo da célula que 
estão parasitando. Esses vírus possuem uma enzima, 
que lhes permite fazer esse processo, denominada 
transcriptase reversa. Ex.: vírus da AIDS, gripe, raiva, 
etc. 
 
 
Retrovírus - HIV 
 
3. Arbovírus – são aqueles transmitidos por meio de 
insetos silvestres como acontece com a dengue e a 
febre amarela. A transmissão pode ocorrer para animais 
e para o homem. 
 
4. Envelopados – são os vírus que possuem uma 
proteção lipídica (da célula hospedeira) e projeções 
protéicas (do vírus), externamente ao capsídio. Ex.: 
vírus da gripe. 
 
 
Influenza (gripe) 
 
 
REPRODUÇÃO DOS VÍRUS 
 
Para entendermos mais facilmente como ocorre a 
reprodução de um vírus no interior de uma célula, 
vamos tomar como exemplo a reprodução de um 
bacteriófago. 
 
 
Vírus Bacteriófago T4 
 
 
 
 
 
O processo de reprodução viral se dá em dois 
momentos: o ciclo lítico e o ciclo lisogênico. 
 
1. Ciclo lítico 
Neste caso, o vírus reconhece a célula hospedeira (por 
meio das proteínas do capsídio ou do envelope) e se 
adere na membrana plasmática da célula. Logo após, o 
vírus normalmente injeta apenas o material genético na 
célula. No entanto existem vírus que penetram nas 
células hospedeiras também com a cápsula protéica. 
 Se o vírus for de DNA (desoxivírus), este irá 
transcrever vários RNA e se autoduplicar várias vezes, 
controlando o metabolismo e a síntese protéica da 
célula parasitada. Comandada a síntese protéica 
através do equipamento celular, finaliza-se a montagem 
com a colocação dos novos capsídios nos seus ácidos 
nucléicos. Terminado o processo de montagem, os 
inúmeros vírus formados rompem a membrana 
plasmática da célula (destruindo-a) e estão 
prontos para parasitar novas células. 
 Se o vírus for de RNA (um ribovírus), seu RNA pode 
ser transcrito em várias outras moléculas a partir do 
comando do DNA da célula. No caso do retrovírus a 
ação da transcriptase reversa permite a transcrição e 
formação de novos RNA. A montagem do capsídio e a 
lise celular é a mesma descrita para os desoxivírus 
(DNA). 
Segue abaixo o esquema do ciclo lítico de um vírus 
bacteriófago: 
 
 
Ciclo lítico de um vírus bacteriófago 
 
 O ciclo lítico termina com a morte da célula 
hospedeira após seu rompimento e liberação de novos 
vírus. 
 
 
 
ATENÇÃO: 
 transcrição 
 DNA RNA 
 célula 
 
 transcrição reversa 
 RNA DNA 
 retrovírus 
 
 
2. Ciclo lisogênico 
Após o reconhecimento, o vírus adere à célula 
hospedeira. O DNA viral agora, se acopla ao DNA 
celular, sem intervir no metabolismo da célula. É o 
período que se denomina de latência viral. Chama-se 
provírus ao DNA viral integrado ao DNA celular. 
A célula hospedeira continua realizando seu 
metabolismo normalmente, inclusive sua reprodução. 
Só que, todas as células originadas terão o material 
genético do vírus acoplado ao seu DNA. 
Sob condições determinadas, que são diferentes para 
cada vírus, estes passam a comandar o metabolismo 
celular e provocar a lise de várias células ao mesmo 
tempo, portanto, passando a fazer o ciclo lítico. 
 
Principais Doenças Virais 
Doença 
Vetor / 
Contágio 
Sintomas e 
ciclo no 
hospedeiro 
Profilaxia 
HIDROFOBIA 
(Raiva) 
Mordida de 
animais (cães, 
gatos, 
morcegos). 
 
Doença mortal. 
O vírus penetra 
pelo ferimento 
da mordida (se 
encontra na 
saliva do 
animal), atinge 
o cérebro, onde 
se multiplica 
causando 
danos 
irreversíveis ao 
sistema 
nervoso. 
 
Vacinar 
anualmente 
cães e gatos a 
partir de 03 
meses de 
idade. Retirada 
de cães e 
gatos das ruas, 
pois estes não 
tem donos e 
dificilmente 
serão 
vacinados. 
GRIPE / 
RESFRIADO 
Gotículas de 
saliva no ar ou 
pelas roupas 
e objetos 
contaminados. 
São viroses que 
atacam as vias 
respiratórias 
superiores 
(raramente 
atingem os 
pulmões). 
Causam dores 
de cabeça, 
febres, dores 
musculares, 
fotofobia, 
corrimento 
nasal, etc. 
 
 
A gripe 
espanhola 
(começo do 
século) e 
asiática (anos 
50), são casos 
de gripes que 
mataram 
milhões de 
pessoas, e sua 
profilaxia se 
baseia em 
vacinação e 
evitar contato 
com pessoas 
contaminadas 
ou locais 
fechados. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
DENGUE 
Picada do 
mosquito 
Aedes aegypti 
Virose que 
provoca febres 
altas, dores 
musculares, 
dores nos 
ossos e 
articulações e 
hemorragias 
generalizas, 
podendo ser 
fatal. 
 
NÃO HÁ 
TRATAMENTO 
NEM VACINA 
CONTRA A 
DENGUE. A 
principal forma 
de combate é a 
destruição das 
larvas do 
mosquito que 
se 
desenvolvem 
em água 
parada em 
pneus velhos, 
latas e caixas 
d'água 
destampadas 
. 
FEBRE 
AMARELA 
 
Urbana - 
Picada do 
mosquito 
Aedes aegypti 
 
 
Virose grave 
que entra no 
corpo com a 
saliva do 
mosquito. O 
vírus entra no 
sangue e vai 
até o fígado, 
rins ou baço 
causando 
erupção na 
pele, náuseas e 
hemorragias 
nos órgãos. 
 
VACINAÇÃO e 
combates aos 
focos que 
favorecem o 
desenvolviment
o das larvas do 
mosquito (água 
parada). 
Silvestre - 
Picada do 
mosquito 
Haemagogus 
sp 
POLIOMIELIT
E 
(Paralisia 
Infantil) 
Vírus 
penetram pela 
boca e se 
reproduzem 
no intestino. 
 
Os vírus 
chegam ao 
sistema 
nervoso pela 
corrente 
sanguínea 
afetando as 
células 
nervosas 
causando 
PARALISIA E 
ATROFIA DA 
MUSCULATUR
A geralmente 
nos membros 
inferiores. 
 
A vacinação 
está acabando 
com essa 
doença no 
mundo inteiro. 
HPV 
(Condiloma 
Acuminado) 
O principal 
meio de 
transmissão é 
através de 
contato sexual 
com pessoas 
infectadas. 
Entretanto, a 
possibilidade 
de 
contaminação 
através de 
objetos como 
toalhas e 
roupas 
íntimas 
também é 
possível 
 
 
 
O vírus provoca 
verrugas pelo 
corpo. 
Enquanto 
alguns tipos de 
HPV se 
desenvolvem 
melhor em 
determinadas 
áreas do corpo 
como mãos ou 
pés, outros têm 
preferência pela 
área genital. A 
verruga genital 
costuma se 
desenvolver na 
vulva, vagina, 
colo do útero, 
pênis e região 
próxima ao 
ânus. 
 
Uso de 
preservativos. 
Redução do 
número de 
parceiros, 
evitar 
compartilhar 
objetos de uso 
íntimo e 
pessoal. 
VACINAÇÃO 
das mulheres. 
CATAPORA 
É muito 
comum em 
época de 
chuva e frio, 
quando as 
pessoas se 
juntam em 
locais 
fechados com 
maior 
frequência. A 
transmissão 
se dá pelo ar. 
 
Começam com 
pontinhos 
vermelhos 
espalhados 
pelo corpo que 
se parecem 
com picadas de 
inseto. Essas 
manchas, 
depois de dois 
ou três dias, 
tornam-se 
vesículas 
(folhas cheias 
de um líquido 
transparente). 
Além da coceiraintensa, o 
contagiado 
pode 
apresentar 
febre baixa e 
dor de cabeça. 
 
A principal 
medida é evitar 
o contato com 
pessoas 
contaminadas. 
Existe vacina 
contra a 
catapora, 
apesar de não 
ser obrigatória. 
SARAMPO 
O contágio 
ocorre através 
de secreções 
respiratórias, 
gotículas de 
saliva, espirro 
ou tosse, 
podendo 
ocorrer com 
mais 
frequência na 
infância. 
 
Caracteriza-se 
pelo 
aparecimento 
das manchas 
avermelhadas 
na pele. Os 
primeiros sinais 
aparecem de 7 
a 10 dias após 
o contágio. Os 
sintomas são: 
febre alta, tosse 
intensa, coriza, 
conjuntivite e 
mal-estar. 
A prevenção 
do sarampo é 
realizada com 
a 
administração 
da vacina em 
duas doses (9 
e 15 meses) e 
isolamento dos 
doentes. 
RUBÉOLA 
O contágio 
ocorre através 
da inalação de 
gotículas de 
secreção 
nasal de 
pessoas 
contaminadas 
que tem o 
vírus ou via 
sanguínea 
para o feto, a 
partir da mãe 
grávida. 
 
A apresentação 
inicial é em 
geral 
indistinguível de 
uma gripe 
comum e dura 
de 7 a 10 dias 
com febre, 
dores nos 
músculos e 
articulações, 
dores de 
cabeça e 
corrimento 
nasal. Segue o 
surgimento das 
ínguas e 
posteriormente 
o “rash” 
(manchas na 
pele), que 
duram 3 dias e 
desaparecem 
sem deixar 
sequelas. 
 
Para diminuir a 
circulação do 
vírus da 
rubéola, a 
vacinação é 
muito 
importante, 
recomendada 
de rotina aos 
15 meses de 
idade (vacina 
MMR) e para 
todos os 
adultos que 
ainda não 
tiveram contato 
com a doença. 
 
 
 
 
A I D S 
(Síndrome da 
Imunodeficiênci
a Adquirida) 
O HIV é um 
Retrovírus 
que tem uma 
enzima 
especial 
chamada 
transcriptase 
reversa que 
permite a 
produção de 
DNA a partir 
de RNA. O 
contágio se dá 
por relações 
sexuais, leite 
materno, 
transfusões 
de sangue e 
uso de 
seringas e 
agulhas 
compartilhada
s. 
O HIV ataca o 
LINFÓCITO T4. 
O vírus se liga 
á proteína CD4 
presente no 
linfócito. Desta 
forma, cai a 
produção de 
anticorpos e a 
taxa imunitária 
cai 
drasticamente, 
abrindo 
caminho para 
as chamadas 
doenças 
oportunistas, 
como herpes, 
tuberculose, 
pneumonia, 
infecções 
fúngicas, 
toxoplasmose, 
citomegaloviros
e, etc. 
 
NÃO HÁ 
VACINA 
CONTRA A 
AIDS. O mais 
novo 
tratamento da 
doença é o 
COQUETEL 
TRÍPLICE. Os 
doentes 
medicados 
obtiveram uma 
diminuição em 
98,9% da 
quantidade de 
HIV no 
organismo. O 
coquetel é 
formado por 
AZT e 3TC 
(inibidores da 
enzima 
transcriptase 
reversa), e 
uma droga 
conhecida com 
inibidora da 
protease. 
 
 
EXERCÍCIOS 
 
1. (PUCRJ) Os seres vivos são descendentes de um 
ancestral unicelular que surgiu há, 
aproximadamente, 4 bilhões de anos. Devido a sua 
ancestralidade comum, os organismos, com 
exceção dos vírus, compartilham algumas 
características não encontradas no mundo 
inanimado. 
a) Descreva as características compartilhadas pelos 
organismos. 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________ 
 
b) Quais são as exceções que levam os cientistas a 
terem dúvidas se os vírus podem ser classificados 
como seres vivos? 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________ 
 
2. (UFG) O vírus H1N1, apesar de infectar as 
hemácias humanas, não consegue se multiplicar 
nessas células. Isso ocorre, principalmente, porque 
as hemácias são desprovidas de: 
a) receptores celulares. 
b) transcriptase reversa. 
c) DNA cromossomial. 
d) DNA mitocondrial. 
e) capsídeos. 
 
3. (CFTMG) Dois dos vírus reemergentes mais 
perigosos do mundo – o da dengue e o da febre 
amarela – são transmitidos pelo mesmo inseto, o 
Aedes aegypti. A composição química 
predominante na membrana plasmática das células 
desse inseto é: 
a) lipídios e proteínas. 
b) vitaminas e sais minerais. 
c) carboidratos e sais minerais. 
d) ácido ribonucleico e proteínas. 
 
4. (Unesp) Dirigido por Cao Hamburger, o filme 
brasileiro Xingu, de 2012, traz um enredo baseado 
na expedição dos irmãos Villas-Bôas, nos anos 
1940, pelo Brasil Central. Em contato com os índios 
Kalapalos, os Villas-Bôas vivenciam a primeira 
tragédia: um surto de gripe, trazida por eles 
mesmos, que quase dizima toda a aldeia. Pelo rádio, 
os irmãos solicitam o envio de penicilina, mas o 
antibiótico não chega. No filme, o narrador da cena 
informa: “– A gripe levou metade da aldeia e se 
espalhou por todo o Alto Xingu”. 
 
 
 
Explique por que a gripe teria dizimado quase toda a 
aldeia, mas não os que faziam parte da expedição. 
Considerando o agente causador da gripe, de que 
maneira a penicilina, caso tivesse chegado a tempo, 
poderia ter reduzido o número de mortes entre os 
índios? 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________ 
 
5. (UFSJ) Martha Chase, nascida em 1927 na cidade 
de Cleveland, nos Estados Unidos da América, foi 
uma importante geneticista de nosso século ao 
contribuir significativamente na compreensão do 
processo de hereditariedade. Ela foi coautora do 
 
 
 
 
trabalho com Alfred Hershey (1908-1997), publicado 
em 1952. Na época, ela era assistente de laboratório 
na Universidade da Carolina do Sul. 
O experimento, conhecido como o “Experimento do 
Liquidificador”, foi elaborado para responder a uma 
questão bastante presente na época. Já há algumas 
décadas os cientistas se dedicavam ao estudo de 
um certo tipo de vírus (bacteriófagos ou fagos) que 
infectava bactérias para se reproduzir. Com esses 
estudos os cientistas procuravam avançar na 
compreensão das moléculas envolvidas na 
transmissão de características genéticas. A 
pergunta da época, de Martha Chase, era: qual é o 
componente que permite a reprodução dos vírus 
bacteriófagos (ou fagos)? Isso porque esses vírus 
são organismos bem simples, compostos 
basicamente de uma molécula de DNA e uma 
cápsula de proteína. Então: Qual dessas duas 
estruturas estaria envolvida na reprodução? 
Martha Chase participou dos experimentos no 
grupo de Hershey. Eles adicionaram fagos com 
marcação diferencial no DNA e na cápsula proteica 
a uma cultura de bactérias, permitindo que os vírus 
infectassem as bactérias. Então, eles agitaram essa 
mistura de vírus e bactéria em um liquidificador bem 
controlado para separar os vírus das bactérias sem 
estourar as membranas celulares delas. Ao final do 
experimento, Hersey e Chase examinaram apenas 
as bactérias separadas, procurando as porções 
marcadas. Eles encontraram dentro da bactéria 
partes marcadas do DNA do vírus e não 
encontraram partes marcadas da cápsula proteica 
do vírus. “Esses resultados permitiram concluir que 
apenas o DNA do fago penetra na bactéria quando 
ocorre a infecção e que, a partir do DNA, é 
produzida toda uma geração de novos fagos com 
DNA e proteínas típicos da espécie de fagos 
utilizada. Portanto, podia-se concluir que a fonte 
das informações hereditárias é o DNA, pois, a partir 
dele, pode-se produzir tanto DNA quanto proteínas 
virais.” 
Disponível em: http://www.biomol.org/historia/identiffagos.shtml 
 
Sobre as conclusões do experimento de Hershey e 
Chase, é INCORRETO afirmar que, 
a) para as conclusões, foram consideradas apenas as 
porções marcadas de cápsula proteica e DNA virais 
presentes nas bactérias não lizadas. 
b) para se reproduzirem, os fagos injetaram apenas seu 
DNA nas bactérias e, a partir do DNA viral, produziram 
DNA e proteínas virais. 
c) para o experimento, foram selecionadas as bactérias 
infectadas que não foram lizadas pelos fagos. 
d) ao invadir asbactérias, os fagos incorporaram o DNA 
das bactérias para reproduzir seu material genético. 
 
6. (UNESP) Em 2012, assim como em anos 
anteriores, o Ministério da Saúde promoveu a 
campanha para vacinação contra a gripe. A seguir, o 
cartaz informativo da campanha. 
 
 
 
No cartaz, lemos que devem ser vacinadas 
“Pessoas com 60 anos ou mais”. 
Essa recomendação aplica-se a todos os que têm 
mais de 60 anos, independentemente de terem sido 
vacinados antes, ou somente àqueles que têm mais 
de 60 anos e que não tinham sido vacinados em 
anos anteriores? Justifique sua resposta, tendo por 
base as características antigênicas do vírus da 
gripe, e explicando como a vacina protege o 
indivíduo contra a doença. 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________ 
 
7. (CFTMG) A dengue é uma virose humana que 
aumenta sua incidência nos períodos chuvosos. A 
relação entre esse crescimento e o fator ambiental 
citado causa a(o): 
a) prejuízo das obras de saneamento. 
b) redução da imunidade das crianças. 
c) veiculação do vírus por meio da água. 
d) multiplicação de criadouros para os vetores. 
 
8. (UFSJ) “Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a 
aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem 
apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. 
Mas podem transmitir o vírus a outros pelas 
relações sexuais desprotegidas, pelo 
compartilhamento de seringas contaminadas ou de 
mãe para filho durante a gravidez e a amamentação. 
Por isso, é sempre importante fazer o teste e 
proteger-se em todas as situações. 
O corpo reage diariamente aos ataques de 
bactérias, vírus e outros micróbios por meio do 
sistema imunológico. Muito complexa, essa barreira 
é composta por milhões de células de diferentes 
tipos e com diferentes funções, responsáveis por 
garantir a defesa do organismo e por manter o 
corpo funcionando livre de doenças. 
O Sistema Imunológico: entre as células de defesa 
estão os linfócitos T CD4+, principais alvos do HIV, 
vírus causador da aids, e do HTLV, vírus causador 
de outro tipo de doença sexualmente transmissível. 
São esses glóbulos brancos que organizam e 
comandam a resposta diante dos agressores. 
Produzidos na glândula timo, aprendem a 
memorizar, reconhecer e destruir os micro-
 
 
 
 
organismos estranhos que entram no corpo 
humano. 
O HIV liga-se a um componente da membrana dessa 
célula, o CD4, penetrando no seu interior para se 
multiplicar. Com isso, o sistema de defesa vai 
pouco a pouco perdendo a capacidade de 
responder adequadamente, tornando o corpo mais 
vulnerável a doenças. Quando o organismo não tem 
mais forças para combater esses agentes externos, 
a pessoa começa a ficar doente mais facilmente e 
então se diz que tem aids. Esse momento 
geralmente marca o início do tratamento com os 
medicamentos antirretrovirais, que combatem a 
reprodução do vírus”. 
Disponível em www.aids.gov.br. 
 
Sobre o sistema imunológico e a AIDS, é 
INCORRETO afirmar que: 
a) o vírus HIV enfraquece o sistema imunológico por 
utilizar a maquinaria genética do Linfócito T para se 
multiplicar. 
b) os vírus HIV utilizam os componentes de membrana 
CD4 dos linfócitos T para duplicarem seu material 
genético. 
c) o vírus HIV se ancora na membrana dos linfócitos T 
pelo reconhecimento do CD4 e introduz nesse linfócito 
seu material genético. 
d) o vírus HIV e a doença AIDS não são sinônimos. A 
AIDS só se estabelece com a progressão das taxas de 
multiplicação dos vírus e a destruição dos linfócitos T, 
pela alteração do DNA desses linfócitos e sua 
destruição levando ao enfraquecimento do sistema 
imunológico do hospedeiro que passa a ter 
imunodeficiência. 
 
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: 
Você já ouviu falar no vírus Nipah? Pois ele quase 
provocou uma tragédia na Malásia, em 1998. Ele foi 
encontrado em morcegos que se alimentavam de 
frutos (frugívoros). As fazendas de criação de 
porcos invadiram o ambiente natural dos morcegos. 
Instalados sob as árvores, os chiqueiros ficaram 
cheios de frutas mordidas, fezes e urina infectada. 
Os porcos adoeceram e as pessoas foram 
contaminadas pela carne ou excrementos dos 
animais – dos infectados, 50% morreram. 
Fonte: Disponível em 
<http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/UMA+AMEAÇA+A+M
ENOS>. Acesso em: 20 de jul. 2012. (adaptado) 
 
9. (UFSM) Para evitar que um desastre semelhante 
ao da Malásia se repita, é importante que os países 
com potencial para esse risco 
I. promovam campanhas frequentes de combate a 
morcegos frugívoros. 
II. desestimulem a criação de porcos em larga 
escala. 
III. apoiem atividades econômicas com avaliação do 
impacto ambiental. 
 
Está(ão) correta(s): 
a) apenas I. 
b) apenas II. 
c) apenas III. 
d) apenas II e III. 
e) I, II e III. 
 
10. (UDESC) Assinale a alternativa correta em 
relação aos vírus. 
a) Os vírus não têm estrutura celular, são menores que 
as bactérias, possuem uma cápsula de proteína 
chamada capsídeo e ácido nucleico em seu interior. 
b) Os vírus possuem organelas celulares, por isso são 
classificados dentro dos cinco reinos. 
c) O bacteriófago é uma estrutura bacteriana e não faz 
parte da organização viral. 
d) Algumas doenças são causadas por vírus, como 
Aids, cólera e sífilis. 
e) Para combater todos os vírus, o ser humano deve 
tomar doses de antibióticos e anti-helmínticos. 
 
11. (UFRN) Tendo completado, neste ano, três 
décadas da descoberta do vírus da AIDS e de 
muitas pesquisas sobre essa doença, a produção de 
uma vacina se mantém como uma esperança ainda 
não viável. Paradoxalmente, esse vírus tem sido 
empregado como um instrumento em terapia gênica 
para o tratamento de outras doenças genéticas, 
como a talassemia (deficiência de produção de 
cadeias da hemoglobina) e a adrenoleucodistrofia 
(distúrbio no metabolismo de ácidos graxos, 
retratada no filme O Óleo de Lorenzo). Ambos os 
tratamentos foram baseados na utilização do HIV 
como vetor para a “correção” de genes de células-
tronco da medula óssea dos pacientes. 
a) Qual é a dificuldade em se desenvolver uma 
vacina para a AIDS? 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________ 
 
b) Quais as diferenças ao se aplicar a terapia gênica 
utilizando células-tronco e utilizando células 
somáticas? 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________ 
 
12. (UEM) Sobre a Síndrome da Imunodeficiência 
Adquirida (Aids), assinale a(s) alternativa(s) 
correta(s). 
01) Existem diferentes tipos de células no sistema 
imunitário, dentre os quais, os macrófagos, que são 
capazes de fagocitar partículas estranhas, e os 
linfócitos, que podem produzir antígeno. 
02) Crianças são infectadas com o HIV (Human 
Immunodeficiency Virus) durante a gestação, no parto 
ou na amamentação. 
04) Uma importante característica do HIV é a frequência 
de mutações em seu patrimônio genético, o que 
determina o aparecimento de tipos ligeiramente 
diferentes, dificultando a obtenção de vacinas eficazes. 
 
 
 
 
08) A imunossupressão causada pelo HIV é decorrente 
da produção de grande quantidade de linfócitos T ou 
linfócitos T auxiliadores. 
16) Os linfócitos T, produzidos na medula, coordenam a 
resposta imunológica contra as infecções, por meio da 
produção de interleucinas. 
 
13. (UESPI) Apesar do coquetel anti-HIV, a AIDS 
ainda é responsável por grande mortandade no 
planeta. Considerando o que se sabe sobre o ciclo 
replicativo do vírus HIV,ilustrado abaixo, é correto 
afirmar o que segue. 
 
 
a) O vírus é formado por moléculas de DNA envoltas 
por um capsídeo e um envelope lipoproteico. 
b) Glicoproteínas do envelope viral fazem a adesão aos 
receptores CD8 da membrana celular. 
c) O RNA viral é inserido no núcleo pela enzima 
integrase que o fusiona ao DNA celular. 
d) O DNA viral é transcrito e traduzido formando 
proteases que degradam o DNA celular. 
e) Drogas que inibem a ação da transcriptase reversa 
viral impedem a produção dos provírus. 
 
14. (UNESP) Em 2008, a Secretaria Estadual de 
Saúde e pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz, 
ambas do Rio de Janeiro, confirmaram um caso de 
dengue adquirida durante a gestação. A mãe, que 
havia adquirido dengue três dias antes do parto, 
deu à luz uma garotinha com a mesma doença. O 
bebê ficou internado quase um mês, e depois 
recebeu alta. Pode-se afirmar corretamente que 
esse caso: 
a) contradiz a hipótese de que a criança em gestação 
receba, por meio da barreira placentária, anticorpos 
produzidos pelo organismo materno. 
b) contradiz a hipótese de que a dengue é uma doença 
viral, uma vez que pode ser transmitida entre gerações 
sem que haja a participação do Aedes aegypti. 
c) confirma que a dengue é uma doença 
infectocontagiosa, que só pode ser transmitida de 
pessoa para pessoa através de um vetor. 
d) demonstra a possibilidade da transmissão vertical, de 
pessoa para pessoa, através do contato da pessoa 
sadia com secreções da pessoa doente. 
e) demonstra a possibilidade de o vírus da dengue 
atravessar a barreira placentária, sem que seja 
necessária a presença de um vetor para sua 
transmissão. 
 
15. (UFPE) Recentemente, o Ministério da Saúde 
havia limitado a 48 semanas o fornecimento gratuito 
da droga “interferon”, através do Sistema Único de 
Saúde (SUS), para pacientes infectados com o vírus 
da hepatite C (HCV). Depois, aumentou este prazo 
para 72 semanas, beneficiando pacientes que não 
obtiveram a cura da doença no prazo anterior. 
Considerando que este é um vírus com material 
genético de RNA fita simples (cadeia positiva), 
protegido por um capsídio envelopado, observe a 
figura abaixo e analise as proposições a seguir. 
 
 
( ) São possíveis formas de transmissão das 
hepatites as tatuagens, transfusões sanguíneas, 
picadas de inseto e relações sexuais desprotegidas. 
( ) Após o desnudamento viral (1), o HCV sintetiza 
proteínas do capsídio (2), e um RNA intermediário de 
cadeia negativa (b) serve de molde para replicação do 
RNA viral de cadeia positiva (a). 
( ) O ciclo viral mostrado é lítico, uma vez que, após 
a síntese dos componentes da partícula viral, ocorre 
montagem (3) e liberação dos vírions (4) para o meio 
extracelular. 
( ) A hepatite é uma doença hepática aguda ou 
crônica; assim a detecção de anticorpos anti- HCV pode 
indicar uma infecção atual ou anterior. 
 
 
 
 
( ) Vacinas utilizadas para prevenir infecções virais 
induzem a produção de anticorpos e células B de 
memória, enquanto o tratamento com interferon impede 
a entrada do vírus nas células alvo. 
 
GABARITO 
 
1: a) Consistem em uma ou mais células; contêm 
informação genética: usam a informação genética para 
se reproduzir; são geneticamente relacionados e 
evoluem; podem converter moléculas obtidas a partir do 
seu ambiente em novas moléculas orgânicas; podem 
extrair energia do ambiente e usá-la para o trabalho 
biológico; podem regular seu ambiente interno. 
b) Não são formados por células. São formados por 
cápsulas de proteína ou outras substâncias (ex.: lipídios 
e glicídios) que contém material genético. Não realizam 
funções fisiológicas por si só, mas parasitam para que o 
maquinário das células hospedeiras faça essas funções 
por eles, incluindo reprodução. 
 
2: [C] 
A ausência de núcleo nas hemácias sugere a falta de 
DNA cromossomial. 
Não havendo núcleo o DNA viral fica impedido de 
incorporar no DNA celular o que torna impossível a 
multiplicação viral. 
 
3: [A] 
As membranas observadas nas células constituintes 
dos seres vivos são formadas por um mosaico de 
proteínas distribuídas em uma bicamada fluida de 
lipídeos. 
 
4: Os expedicionários não foram dizimados porque 
apresentam imunidade adquirida contra os vírus 
causadores da gripe. A penicilina é um antibiótico que 
não tem efeito contra vírus. Dessa forma, o 
medicamento não poderia reduzir o número de mortes 
entre os índios. 
 
5: [D] 
Os vírus bacteriófagos introduzem apenas o seu DNA 
no interior das bactérias que infectam. 
 
6: A recomendação aplica-se a indivíduos de todas as 
idades. Os vírus da gripe sofrem mutações, produzindo 
novas variedades, daí a necessidade da vacinação 
periódica. 
 
7: [D] 
O mosquito transmissor da dengue se desenvolve na 
água. Por esse motivo, nos períodos chuvosos, ocorre a 
multiplicação de criadouros para os vetores. 
 
8: [B] 
O vírus HIV, causador da AIDS, é um retrovírus, isto é, 
ele é capaz de produzir DNA a partir de seu RNA. Para 
tanto, o vírus transporta e utiliza a enzima transcriptase 
reversa. O HIV utiliza os receptores CD4, presentes na 
membrana dos linfócitos T, para penetrar nas células 
hospedeiras. 
 
9: [C] 
[I] FALSA: O combate aos morcegos frugívoros dificulta 
a dispersão das sementes dos frutos que lhes serve de 
alimento. 
[II] FALSA: A criação de porcos soltos pode causar a 
disseminação da doença pelo contato desses animais 
com as fezes dos morcegos. 
 
10: [A] 
Os vírus são organismos acelulares com dimensões 
nanométricas e envolvidos por um capsídeo proteico 
que encerra o seu ácido nucleico. 
 
11: a) O HIV apresenta elevada taxa de mutação, o que 
altera a composição de seus antígenos de superfície e, 
dessa forma, o vírus consegue escapar das células de 
defesa específicas e dos anticorpos (sistema 
imunológico). 
b) A terapia com células-tronco é mais eficiente, pois 
essas células, por serem indiferenciadas, apresentam 
maior capacidade de divisão celular e diferenciação em 
outros tipos celulares. Por sua vez, a terapia com 
células somáticas tem ação limitada, pois essas células 
já são diferenciadas, têm menor capacidade de divisão 
e não possuem a capacidade de dar origem a outras 
linhagens celulares diferentes. 
 
12: 02 + 04 + 16 = 22. 
Os linfócitos são glóbulos brancos capazes de 
reconhecer antígenos e induzir a produção de 
anticorpos e células de memória. A imunossupressão 
causada pelo HIV é decorrente da destruição dos 
linfócitos T4 (CD4) auxiliadores. 
 
13: [E] 
O coquetel antiaids contém fármacos capazes de inibir 
a ação da enzima transcriptase reversa. Essa enzima 
liberada pelo vírus HIV é responsável pela formação de 
DNA a partir do RNA viral introduzido nas células 
hospedeiras. 
 
14: [E] 
A situação referida no texto revela que é possível a 
transmissão do vírus da dengue da mãe para o filho, via 
placenta, sem que haja a presença do mosquito vetor 
para a passagem do agente etiológico para o 
hospedeiro humano. 
 
15: F - V - V - V - F. 
A hepatite é uma infecção virótica não transmissível 
pela picada de mosquitos. O tratamento com interferon 
dificulta a entrada e a multiplicação dos vírus em suas 
células alvo e ativa os mecanismos que levam à 
destruição das células infectadas por vírus.