Buscar

Aplicação de enzimas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

· 
· 
Aplicação de enzimas: o que é, para que serve e como é feita
A aplicação de enzimas é um tratamento estético indicado para perda de gordura localizada na barriga, culote, costas, braços ou parte interna das coxas, além de papada, perda de peso, flacidez, ou celulites.
Esse tratamento é feito aplicando enzimas sob a pele, que quebram as células de gordura ou estimulam a produção de colágeno, sendo uma opção de tratamento estético para mulheres ou homens que desejam melhorar a aparência e o contorno corporal sem cirurgia.
Existem diferentes tipos de enzimas, que variam de acordo com o objetivo do tratamento, e devem ser aplicadas pelo dermatologista ou um profissional especialista em estética. 
Para que serve
A aplicação de enzimas é indicada para:
· Eliminar gordura localizada na barriga, culote, costas, parte interna da coxa, braços ou abaixo das nádegas;
· Ajudar na perda de peso;
· Diminuir celulite;
· Reduzir a papada;
· Diminuir a flacidez e rugas da pele;
· Calvície.
A aplicação de enzimas deve ser feita pelo dermatologista ou esteticista, podendo ser aplicadas diferentes enzimas de acordo com o objetivo do tratamento, de forma individualizada.
Quando é indicada
A aplicação de enzimas é indicada para mulheres ou homens que desejam perder gordura localizada ou emagrecer, e melhorar o contorno corporal e a aparência sem necessidade de cirurgia.
Além disso, é indicada para pessoas que desejam reduzir a celulite, rejuvenescer a pele ou tratar a queda de cabelo.
Como funciona
As enzimas aplicadas sob a pele funcionam de diferentes formas, que incluem:
· Promover a quebra de gordura;
· Estimular o metabolismo;
· Melhorar a circulação sanguínea local;
· Hidratar a pele e estimular a produção de colágeno;
· Reduzir o inchaço da pele, melhorando o aspecto da celulite;
· Promover a diminuição do apetite;
· Estimular o crescimento de novos fios de cabelo.
Dependendo do objetivo do tratamento podem ser indicadas pelo médico ou esteticista a aplicação de diferentes enzimas, como liase, lipase, hialuronidase, colagenase ou ácido deoxicólico, ou um coquetel de enzimas, por exemplo.
Como é feita
A aplicação de enzimas é feita através de injeções intradérmicas ou subcutâneas, com uma agulha fina, aplicadas sob a pele, na região a ser tratada.
Além disso, no caso da aplicação de enzimas para redução do apetite, a aplicação é feita por via intramuscular, ou seja, no músculo glúteo.
Antes de aplicar as enzimas, o médico ou o esteticista, fazem a limpeza da pele, com álcool 70% ou outros produtos antissépticos para evitar infecções no local da injeção. 
Em seguida, a região a ser tratada é marcada com um lápis e depois são feitas as aplicações das enzimas.
Geralmente, a aplicação de enzimas sob a pele dura cerca de 30 minutos. Já no caso da aplicação no músculo, é mais rápido, durando cerca de 5 a 10 minutos, pois são feitas 1 aplicação em cada glúteo, e a pessoa já pode ir para casa.
Quantas sessões são necessárias?
A quantidade de sessões de aplicação de enzimas varia de acordo com o tratamento a ser realizado.
Para gordura localizada, geralmente, são recomendadas de 5 a 10 sessões, com intervalos de 1 a 2 semanas entre as aplicações.
Como potencializar a aplicação de enzimas?
Para potencializar os resultados da aplicação de enzimas para gordura localizada, celulites, flacidez ou perda de peso, é importante manter uma alimentação balanceada, beber cerca de 2 litros de água por dia, além de praticar exercícios físicos regularmente.
Além disso, é importante massagear levemente a região tratada ou fazer uma drenagem linfática, por pelo menos uma semana após a sessão, para melhorar a circulação sanguínea e linfática no local, reduzindo o inchaço. Veja como fazer a drenagem linfática em casa.
Outros tratamentos estéticos, como criolipólise, radiofrequência ou carboxiterapia também podem ajudar a potencializar os resultados da aplicação das enzimas.
Cuidados após a aplicação
Alguns cuidados são importantes após a aplicação das enzimas, como:
· Passar protetor solar diariamente, de FPS 30 ou mais, na região tratada, reaplicando sempre que necessário;
· Evitar tomar remédios anti-inflamatórios;
· Evitar usar piscina, banheira ou sauna.
Além disso, pode ser recomendado pelo médico ou esteticista reduzir a prática de exercícios físicos por pelo menos 48 horas após o procedimento.
Riscos da aplicação de enzimas
A aplicação de enzimas é considerada um procedimento estético seguro quando feito pelo dermatologista ou um profissional especialista em estética, avaliando as condições de saúde da pessoa antes do procedimento.
No entanto, como é um procedimento feito com aplicação de enzimas, podem ocorrer inchaço, dor, vermelhidão ou hematomas, que geralmente duram de 1 a 2 dias.
Além disso, pode ocorrer infecções ou formação de nódulos na região tratada, que devem ser comunicadas ao médico para avaliação e orientação.
Quem não deve fazer
A aplicação de enzimas não deve ser feita em crianças, mulheres grávidas ou em amamentação, ou por pessoas que têm infecções, pressão alta ou alergia às enzimas utilizadas ou aos frutos do mar.
Além disso, a aplicação de enzimas não deve ser feita em pessoas que têm problemas cardíacos, renais ou do fígado, doenças cardiovasculares, doenças que afetam o sistema imunológico como AIDS ou lúpus, por exemplo.
A aplicação de enzimas também não deve ser feita em pessoas em tratamento com remédios anticoagulantes, devido ao maior risco de sangramentos.

Outros materiais