Buscar

DIREITO ADMINISTRATIVO PROVA

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 5 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Com base no entendimento do Superior Tribunal de Justiça, admite-se a delegação às 
entidades administrativas de direito privado das seguintes atividades que envolvem o 
exercício do poder de polícia: 
 
 
 
Legislação e Sanção. 
 
Fiscalização e Sanção. 
 Legislação e fiscalização. 
 
Consentimento e Sanção. 
 Consentimento e fiscalização. 
 
 
 
 2. 
 
Pontos: 1,00 / 1,00 
 
(FGV/2022) O Secretário Estadual de Segurança Pública do Estado Alfa, no regular 
exercício de suas funções legais, removeu João, servidor ocupante do cargo efetivo de 
Técnico de Nível Superior, do departamento A para o B, em ato publicado no diário 
oficial do dia 10/01/22, com efeitos a contar do dia 1º/02/22. Ocorre que, diante da 
aposentadoria voluntária de três servidores lotados no departamento A na segunda 
quinzena de janeiro, o Secretário considerou que não era mais oportuna e conveniente 
a remoção de João para o departamento B, razão pela qual, no dia 30/01/22, praticou 
novo ato administrativo, revogando seu anterior ato de remoção e mantendo João 
lotado no departamento A. O ato de revogação praticado pelo Secretário está baseado 
diretamente no princípio da administração pública da 
 
 
 
motivação, pois os motivos do ato anterior de remoção não são mais válidos, pela 
aplicação da teoria dos motivos determinantes. 
 
impessoalidade, pois levou em conta os atributos pessoais de João para mantê-lo 
no departamento A. 
 autotutela, pois pode revogar seu anterior ato, de forma discricionária, para 
atender ao interesse público. 
 
eficiência, pois a Administração Pública deve procurar praticar os atos mais 
produtivos, prestigiando os órgãos com maior demanda e a revogação praticada 
constitui um ato vinculado. 
 
publicidade, pois antes de surtirem os efeitos do ato de remoção publicado no 
diário oficial, o Secretário declarou sua invalidade, por vício sanável. 
 
 
 
 
 
EM2120120 - AGENTES PÚBLICOS 
 
 
 3. Ref.: Pontos: 1,00 / 1,00 
 
 (FEPESE - 2018 - CIS - AMOSC - SC - Auxiliar Administrativo) 
Os servidores titulares de cargos públicos efetivo e em comissão, com regime jurídico 
estatutário geral ou peculiar e integrantes da Administração Direta, das autarquias e das 
fundações públicas com personalidade de Direito Público são os: 
 
 
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%207661096.');
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%205418462.');
 
Empregados Públicos. 
 Servidores públicos em sentido estrito. 
 
Contratados por tempo determinado. 
 
Terceirizados. 
 
Agentes políticos. 
 
 
 
 4. Ref Pontos: 0,00 / 1,00 
 
(DEPSEC - 2018 - UNIFAP - Assistente em Administração) 
Em relação aos deveres e proibições do servidor público federal, em consonância ao 
disposto na Lei 8112/1990, é CORRETO afirmar: 
 
 
 
Deve o servidor público federal, em todo caso, levar ao conhecimento da 
autoridade superior as irregularidades de que tiver ciência em razão do cargo. 
 O servidor público federal possui o dever de atender com presteza a expedição de 
certidões requeridas para defesa de direito ou esclarecimento de situações de 
interesse pessoal. 
 
Não é permitido ao servidor federal opor qualquer resistência ao andamento de 
documento e processo ou execução de serviço. 
 É dever do servidor público federal, representar, pela via por ele escolhida, contra 
ilegalidade, omissão ou abuso de poder. 
 
É proibido ao servidor público federal participar de gerência ou administração de 
empresa privada, de sociedade civil, ou exercer o comércio, exceto na qualidade 
de acionista, cotista ou comanditário. 
 
 
 
 
 
EM2120332 - LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS 
 
 
 5. Ref.: Pontos: 1,00 / 1,00 
 
Suponha que o Estado tenha contratado, mediante prévio procedimento licitatório, a 
construção de unidade hospitalar voltada ao atendimento básico e de urgência à 
população. No curso da execução do contrato, ficou constatada a necessidade de 
modificação do projeto, para melhor adequação técnica aos seus objetivos. 
Considerando as disposições aplicáveis da Lei nº 8.666/1993, o Estado: 
 
 
 
Deverá celebrar outro contrato específico, com o mesmo contratado, com 
dispensa de procedimento licitatório, para inclusão dos eventuais acréscimos 
necessários. 
 
Poderá alterar o objeto do contrato, independentemente da anuência do 
contratado, observado o limite de 50% do valor original atualizado. 
 
Não poderá efetuar qualquer alteração quantitativa ou qualitativa no contrato, sob 
pena de ofensa ao princípio da vinculação ao edital. 
 Poderá aditar o contrato celebrado, promovendo o reequilíbrio econômico-
financeiro a favor do contratado se aumentados os seus encargos originais. 
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%205418576.');
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%205437661.');
 
Deverá proceder à rescisão do contrato, em razão de fato superveniente, com a 
correspondente indenização do contratado, por custos incorridos e lucros 
cessantes. 
 
 
 
 6. Ref.: Pontos: 0,00 / 1,00 
 
Acerca do regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos, 
previsto na Lei nº 8.987/1995 e suas alterações posteriores, é correto afirmar que: 
 
 
 
A concessão de serviço público consiste na delegação, a título precário, da 
prestação de serviços públicos, feita pelo poder concedente (União, estados, 
Distrito Federal e municípios) à pessoa física ou jurídica que demonstre 
capacidade para seu desempenho, por sua conta e risco. 
 Toda concessão de serviço público, precedida ou não da execução de obra 
pública, será objeto de prévia licitação, nos termos da legislação própria e com 
observância dos princípios da legalidade, moralidade, publicidade, igualdade, do 
julgamento por critérios objetivos e da vinculação ao instrumento convocatório. 
 A permissão de serviço público corresponde à delegação de sua prestação, feita 
pelo poder concedente (União, estados, Distrito Federal e municípios) à pessoa 
jurídica ou ao consórcio de empresas que demonstre capacidade para seu 
desempenho, por sua conta e risco e por prazo determinado. 
 
Não se caracteriza como descontinuidade do serviço a sua interrupção em 
situação de calamidade pública, emergência, grave perturbação da ordem ou 
ainda, após prévio aviso, quando motivada por razões de inadimplemento do 
usuário, falta justificada de pessoal ou greve. 
 
O serviço adequado é aquele que satisfaz as condições de regularidade, 
continuidade, eficiência, segurança, atualidade, generalidade e cortesia na sua 
prestação, ainda que exija do usuário, a título de contraprestação, tarifa de caráter 
elevado. 
 
 
 
 
 
EM2120333 - INTERVENÇÃO DO ESTADO NA PROPRIEDADE PRIVADA E BENS PÚBLICOS 
 
 
 7. Ref.: Pontos: 0,00 / 1,00 
 
No tocante às restrições e intervenções na propriedade, o tratamento dado ao assunto 
pelo Direito brasileiro: 
 
 
 
Prevê que sempre haverá indenização em favor do particular, pelo simples uso de 
sua propriedade, caso seja ela requisitada em virtude de iminente perigo público. 
 
Admite a desapropriação sem pagamento prévio de indenização, caso se trate de 
imóvel urbano não edificado, subutilizado ou não utilizado, desde que tal imóvel se 
situe em área definida pela lei federal como de especial interesse social. 
 
Impede a desapropriação de bens de família. 
 Permite que um particular seja sujeito ativo da desapropriação judicial em face de 
outro particular cujo imóvel seja objeto da expropriação. 
 Não admite hipótese de expropriação de bens destituída de justa indenização. 
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%205437670.');
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%205437677.');
 
 
 
 8. 
 
Pontos: 1,00 / 1,00 
 
Acerca da desapropriação, podemos afirmar que: 
 
 
 
Os bens desapropriados não serão objeto de venda ou locação, por vedação 
expressa da lei. 
 
O aproveitamento do bem improdutivo ou sem correspondência com asnecessidades de habitação não poderá ser considerado de interesse social. 
 
Não se consideram interesse social para fim de desapropriação o estabelecimento 
e a manutenção de colônias ou cooperativas de povoamento e trabalho agrícola. 
 A desapropriação por interesse social será decretada para promover a justa 
distribuição da propriedade ou condicionar seu uso ao bem-estar social, conforme 
a Constituição Federal de 1988. 
 
O expropriante tem o prazo de quatro anos, a partir da decretação da 
desapropriação por interesse social, para efetivar a aludida desapropriação e 
iniciar as providências de aproveitamento do bem expropriado. 
 
 
 
 
 
ENSINEME: ATOS ADMINISTRATIVOS 
 
 
 9. Pontos: 0,00 / 1,00 
 
(FAFIPA/2021) São elementos dos atos administrativos: a competência, o objeto, o 
motivo, a forma e a finalidade. No que diz respeito à competência, assinale a alternativa 
CORRETA: 
 
 
 É um elemento vinculado que inadmite delegação, excetuando a edição de atos de 
caráter normativo, a decisão de processo administrativo e as matérias de 
competência exclusiva do órgão ou autoridade. 
 
É um elemento vinculado que admite delegação, excetuando a edição de atos 
vinculados de caráter normativo, a decisão que analisa recurso administrativo e as 
matérias de competência de órgão ou autoridade. 
 
É um elemento discricionário que inadmite delegação, excetuando a edição de 
atos vinculado normativo, a decisão de processo administrativo e as matérias de 
competência de órgão ou autoridade. 
 É um elemento vinculado que admite delegação, excetuando a edição de atos de 
caráter normativo, a decisão de recurso administrativo e as matérias de 
competência exclusiva do órgão ou autoridade. 
 
É um elemento discricionário que admite delegação, excetuando a edição de atos 
de caráter normativo, a decisão de recurso administrativo e as matérias de 
competência de órgãos ou autoridades. 
 
 
 
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%205437666.');
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%207660724.');
 10. 
 
Pontos: 0,00 / 1,00 
 
(CESPE-CEBRASPE/2021) Considere que a administração pública, após ter 
identificado vício parcial em determinado ato administrativo, tenha retirado a parte 
viciada do ato e a substituído por uma parte válida, aproveitando o ato original. Nesse 
caso, houve a: 
 
 
 ratificação do ato administrativo. 
 
invalidação do ato administrativo. 
 conversão do ato administrativo. 
 
repristinação do ato administrativo. 
 
ab-rogação do ato administrativo. 
 
javascript:alert('C%C3%B3digo%20da%20quest%C3%A3o:%207661791.');

Outros materiais