Buscar

Aula - Operacionalização de ações de saúde bucal no contexto universitário

Prévia do material em texto

Aula - Operacionalização de ações de saúde bucal no contexto universitário 
1.1 As potencialidades e os desafios do processo de planejamento em saúde 
Potencialidades do Planejamento em Saúde 
• Melhoria da eficiência e eficácia: permite uma alocação mais eficiente dos 
recursos disponíveis 
• Visão de longo prazo: visão mais ampla sobre as necessidades e demandas da 
população 
• Participação e engajamento da comunidade: fortalece o vínculo, aumentando a 
aceitação e adesão às intervenções propostas 
• Priorização de necessidades: identificar e priorizar o que é mais urgente e 
relevante para população 
• Monitoramento e avaliação: inclui a definição de indicadores de desempenho e 
métodos de avaliação para acompanhar e avaliar a eficácia das intervenções e 
realizar ajustes quando necessário. 
Desafios do Planejamento em Saúde 
• Complexidade e dinamicidade do contexto: é preciso considerar os diversos 
fatores que influenciam na saúde da população 
• Limitações de recursos: a escassez de recursos financeiros, materiais e humanos 
• Desigualdades de acesso e equidade: as desigualdades podem impactar na 
distribuição de acesso aos serviços de saúde, dificultando a implementação das 
ações 
• Desafios na articulação interinstitucional: envolve a articulação e colaboração 
entre diferentes instituições e setores, o que nem sempre é fácil devido a interesses 
divergentes, burocracia e falta de comunicação efetiva entre os atores envolvidos 
• Falta de capacitação e qualificação: pode ser um obstáculo para o 
desenvolvimento e implementação dos planos de saúde. 
 
1.2 A saúde no contexto universitário 
 
Má alimentação 
▪ Hábitos alimentares dos universitários: o consumo excessivo de 
alimentos ultraprocessados, baixo consumo de frutas, verduras e 
legumes, e frequência de refeições fora de casa. Frequência 
relativamente alta de doces, salgados, biscoitos, fast foods e 
refrigerantes. 
Distúrbios do Sono 
 
https://portal.fiocruz.br/noticia/dormir-bem-e-fundamental-para-saude-alertam-especialistas 
 
https://portal.fiocruz.br/noticia/dormir-bem-e-fundamental-para-saude-alertam-especialistas
Falta de atividade física 
Prevalência de sedentarismo e o baixo engajamento em práticas esportivas. 
 
https://www.univates.br/noticia/23414-41-dos-estudantes-universitarios-sao-
sedentarios#:~:text=Segundo%20o%20estudo%2C%20atualmente%20o,em%20outra
s%20regi%C3%B5es%20do%20pa%C3%ADs. 
Distúrbios musculoesqueléticos 
Devido à natureza do curso de odontologia, os estudantes passam longos 
períodos em posições desconfortáveis, o que pode levar ao 
desenvolvimento de distúrbios musculoesqueléticos, como dores nas 
costas, pescoço e ombros. 
Problemas Oculares 
O tempo prolongado gasto na leitura de livros, artigos científicos e em frente 
a telas de computador pode contribuir para o desenvolvimento de problemas 
oculares, como fadiga ocular, olhos secos e dificuldade de foco. 
Doenças Ocupacionais 
Exposição a materiais odontológicos, instrumentos cortantes e agentes 
biológicos pode aumentar o risco de acidentes ocupacionais e transmissão 
de doenças entre os estudantes de odontologia. 
Tabagismo e etilismo 
https://www.univates.br/noticia/23414-41-dos-estudantes-universitarios-sao-sedentarios#:~:text=Segundo%20o%20estudo%2C%20atualmente%20o,em%20outras%20regi%C3%B5es%20do%20pa%C3%ADs
https://www.univates.br/noticia/23414-41-dos-estudantes-universitarios-sao-sedentarios#:~:text=Segundo%20o%20estudo%2C%20atualmente%20o,em%20outras%20regi%C3%B5es%20do%20pa%C3%ADs
https://www.univates.br/noticia/23414-41-dos-estudantes-universitarios-sao-sedentarios#:~:text=Segundo%20o%20estudo%2C%20atualmente%20o,em%20outras%20regi%C3%B5es%20do%20pa%C3%ADs
 
https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/artigos/uso-de-drogas-por-
universitarios 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/artigos/uso-de-drogas-por-universitarios
https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/artigos/uso-de-drogas-por-universitarios
 
https://www.foar.unesp.br/#!/projeto-viver-bem/o-que-e/ 
Ações de promoção e prevenção ligados ao câncer de boca 
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), Incidência de Câncer 
no Brasil, triênio 2020-2022: 
O câncer de boca ocupa a 5a posição entre os tipos de cânceres mais 
incidentes em homens e a 13a entre as mulheres.; 
Esse tipo de câncer é causado principalmente por fatores como exposição 
solar sem proteção, exposição ao tabaco em suas diversas formas (cigarros, 
charutos, narguilés, dispositivos eletrônicos para fumar), consumo de 
álcool, etc; 
As pessoas que consomem álcool e tabaco concomitantemente possuem 
maior chance no desenvolvimento do câncer de boca em suas formas 
malignas. 
Hábitos de higiene 
Exemplos de ações de educação em saúde bucal: 
▪ Técnicas em escovação; 
▪ Orientações de higiene oral; 
▪ Higienização correta das mãos 
Técnicas em escovação e fio dental 
A escolha da técnica de escovação deve ser apresentada e adequada de 
acordo com a idade da criança ou adolescente e com a habilidade motora. 
O cuidado em saúde bucal deve ser ampliado, com uso mais frequente de fio 
dental, para que não haja inflamação gengival. 
Orientações de higiene oral 
A higiene oral, além dos efeitos benéficos em relação a diminuição dos 
agravos de saúde bucal, colabora com o bem-estar dos indivíduos. 
https://www.foar.unesp.br/#!/projeto-viver-bem/o-que-e/
Diariamente, um conjunto de bactérias e outros microrganismos se 
acumulam na cavidade bucal e na superfície dos dentes formando o biofilme 
dentário. 
Esse biofilme é nutrido por resíduos de alimentos, principalmente aqueles 
ricos em açúcar. 
Caso não haja sua remoção por meio da escovação e da redução do 
consumo de alimentos açucarados e ultraprocessados, o biofilme vai se 
ampliando. 
Higienização correta das mãos 
Diversos microrganismos estão em superfícies em que as mãos entram em 
contato, sendo muito importante a higiene das mãos para evitar a 
contaminação e o desenvolvimento de diversas doenças. 
A higiene das mãos deve ser feita, preferencialmente, por lavagem com água 
e sabão/detergente ou por meio de solução alcoólica 70%, principalmente 
antes de comer, antes de realizar a higiene oral e depois de utilizar o banheiro. 
A higiene das mãos nesse momento é muito importante porque durante 
essas ações muitas vezes levamos as mãos na boca, podendo assim levar 
os microrganismos que estão em sua superfície. 
ISTs - Infecções Sexualmente Transmissíveis 
Grupo vulnerável em função de suas condutas sexuais; 
Diálogo e ações educativas podem favorecer a mudança de atitude, além de 
contribuir para a redução da ocorrência das ISTs. 
Entendimento que o comportamento é fruto uma construção social, para 
além da vontade individual. 
 
Estresse e Ansiedade 
O estresse e a ansiedade estão associados a uma variedade de problemas 
de saúde mental, incluindo depressão, transtornos de ansiedade e síndrome 
de burnout. 
Os estudantes podem experimentar sentimentos de desesperança, 
irritabilidade, baixa autoestima e falta de motivação devido ao estresse e à 
ansiedade persistentes. 
Transtornos Mentais 
Além do estresse e ansiedade, os estudantes de odontologia podem estar 
em risco de desenvolver outros transtornos mentais, como depressãoe 
burnout, devido à carga acadêmica exigente e às pressões do ambiente de 
trabalho. 
Desordens Alimentares 
Estudantes universitários, incluindo os de odontologia, podem estar sujeitos 
a desordens alimentares, como compulsão alimentar, anorexia e bulimia, 
especialmente devido às pressões sociais e preocupações com a imagem 
corporal. 
Autoestima e Imagem Corporal 
A pressão social e os padrões de beleza podem afetar a autoestima e a 
imagem corporal dos estudantes, especialmente em uma área onde a 
estética é valorizada, como a odontologia. Preocupações com a aparência 
dos dentes e sorriso podem influenciar a autoimagem e o bem-estar 
psicológico dos estudantes. 
Equilíbrio entre a Vida Acadêmica e Pessoal 
O equilíbrio entre vida acadêmica e pessoal é fundamental para a saúde 
mental dos estudantes. O estresse relacionado às demandas acadêmicas, 
juntamente com as responsabilidades pessoais e sociais, pode levar a 
sentimentos de sobrecarga, frustração e dificuldade em manter um 
equilíbrio saudável entre trabalho, estudo e lazer. 
 
Preconceito Racial e Étnico 
Jovens universitários de odontologia podem enfrentar preconceito racial ou 
étnica em suas interações acadêmicas e profissionais. 
Abordagem: Promover a diversidade e a inclusão por meio de programas 
educacionais, workshops e políticas institucionais que valorizem a igualdade 
e o respeito à diversidade. 
Preconceito Relacionado à Orientação Sexual e Identidade de Gênero 
Estudantes LGBT+ podem enfrentar estigma e discriminação dentro do 
ambiente acadêmico e profissional. 
Abordagem: Implementar políticas antidiscriminação, oferecer recursos de 
apoio e criar espaços seguros para discussão e suporte para estudantes 
LGBT+. 
Preconceito Relacionado a Condições de Saúde Crônicas ou 
Incapacitantes 
Abordagem: Fomentar uma cultura de empatia e compaixão, oferecer apoio 
acadêmico e acessibilidade para estudantes com necessidades especiais, e 
promover a inclusão de pessoas com diferentes capacidades. 
Preconceito em Relação à Origem Socioeconômica 
Estudantes de origens socioeconômicas desfavorecidas podem enfrentar 
estigma e discriminação devido à sua situação financeira. 
Abordagem: Implementar programas de assistência financeira, bolsas de 
estudo e oportunidades de desenvolvimento profissional para promover a 
igualdade de oportunidades. 
Profissão de Odontologia: Importância e Diversidade da Profissão 
Educar a comunidade sobre a importância e diversidade da profissão 
odontológica, destacando seu papel na promoção da saúde e bem-estar 
geral. Além disso, promover uma cultura de respeito e valorização mútua 
entre diferentes profissões e áreas de atuação. 
 
Impacto Ambiental dos Resíduos Odontológicos 
• minimização da geração de resíduos; 
• maximização da reutilização e reciclagem ambientalmente 
adequadas; 
• seleção de processos industriais que gerem materiais menos 
agressivos; 
• adoção de formas de destinação final ambientalmente adequadas; 
• expansão dos serviços relacionados ao lixo por toda a população. 
O gerenciamento inadequado de resíduos químicos perigosos causa graves 
problemas de saúde e afeta diretamente o meio ambiente7,15-16. Diante 
desse contexto, os dados encontrados relativos ao descarte do revelador e 
fixador chamam a atenção, já que a maior parte desses efluentes é 
descartada em esgoto comum sem nenhum tratamento. O simples ato da 
diluição em água, não propicia vantagem alguma, pois não há a neutralização 
dos metais pesados. Um total de 22,5% cirurgiões-dentistas afirmou fazer 
uso desse método para o descarte do revelador e fixador. 
KASTER, Flávia Pôrto de Barros; LUND, Rafael Guerra; BALDISSERA, Elaine de Fátima 
Zanchin. Gerenciamento dos resíduos radiológicos em consultórios odontológicos da 
cidade de Pelotas (RS, Brasil). Arquivos de Odontologia, Belo Horizonte, v. 48, n. 4, p. 
[paginas], out./dez. 2012. 
Uso Sustentável de Recursos Naturais 
• Manter a água da cuspideira fechada enquanto não estiver utilizando; 
• Usar de forma consciente sugadores e outros produtos que geram 
vácuo, já que utilizam água da rede; 
• Na hora de limpar os instrumentos, feche a torneira e abra-a só 
quando necessário; 
• Mantenha banheiros, pias e outras torneiras sempre com a 
manutenção em dia; 
• Troque descargas e torneiras que prejudicam a economia.

Continue navegando