Buscar

libano


Prévia do material em texto

REPÚBLICA DO LÍBANO
Território: 10.400  km²
População: 7 481 744
Governo: República Parlamentarista 
A língua oficial é o árabe, embora muitas
pessoas falem o inglês e o francês.
 LA REPUBLIQUE
DU LIBAN
FONTE
Além das carnes, frutas, verduras e legumes, a
cozinha libanesa tradicional utiliza muitas
especiarias como: açafrão, canela, gergelim,
pimenta, cravo, noz moscada, cominho,
páprica, coentro, cebolinha, salsa e hortelã,
muitas das quais, antigamente, valiam quase
que seu peso em ouro, e deram origem às
grandes navegações nos séculos XV e XVI.
Os cedros de Deus são os últimos sobreviventes
das imensas florestas que cobriam as cercanias
do  Monte Líbano  antigamente. Sua madeira
foi explorada pelos assírios, babilônios e
persas, assim como pelos fenícios. Foi utilizada
por  Salomão  para construir o primeiro
Templo de Jerusalém. Desde 1998 está na lista
do Patrimônio Mundial, da UNESCO.
https://countrymeters.info/pt/Lebanon
https://www.voyagesphotosmanu.com/populacao_libano.html
http://fuievolteipracontar.blogspot.com/2011/01/culinaria-libanesa-um-capitulo-parte.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cedros_de_Deus.
https://www.suapesquisa.com/paises/libano/
https://internacional.estadao.com.br/blogs/gustavo-chacra/libano-comemora-65-anos-de-independencia/
https://www.infoescola.com/asia/libano/
https://www.jornalopcao.com.br/colunas-e-blogs/imprensa/libano-de-todos-nos-75-anos-de-independencia-
149404/
São 75 anos que condensam mais de sete mil anos de História. 
O Líbano é o lar histórico dos fenícios, negociantes semitas cujo marítimo
cultura floresceu há mais de 2.000 anos (entre 2700 e 450 a.C). Nos séculos
posteriores, as montanhas do Líbano foram um refúgio para os cristãos, e
os cruzados estabeleceram ali várias fortalezas. Após o colapso do Império
Otomano na Primeira Guerra Mundial, a Liga das Nações determinou que
as cinco províncias que compõem o atual Líbano fossem administradas
pela França. A moderna constituição do Líbano, elaborada em 1926,
especificou um equilíbrio do poder político entre os diversos grupos
religiosos. O país ganhou a independência em 1943, e as tropas francesas se
retiraram em 1946.
A história do país desde a independência é marcada por períodos de
turbulência política intercalados com prosperidade construída em posição
de Beirute como um centro regional de finanças e comércio. Durante os
anos 1960, o Líbano viveu um período de relativa calma e Beirute
prosperou como um refinado destino turístico. Outras áreas do país,
porém, nomeadamente a sul, norte e Vale do Bekaa, permaneceram pobre
em comparação.
Na década de 70 começam os tumultos que ainda ressoam na política e na
sociedade libanesa. É nesse momento que a OLP, Organização para a
Libertação da Palestina se estabelece no território libanês. Em 1975 inicia-
se a guerra civil que irá destruir o país envolvendo cristãos e muçulmanos,
terminando apenas em 1990.
Ao mesmo tempo em que a guerra atingia o seu auge, questões como a dos
refugiados palestinos, o crescimento do fundamentalismo islâmico,
intervenções dos EUA, Síria, além da ocupação por parte de Israel de uma
faixa de terra ao sul do país, são outros problemas que deixavam a
estabilidade do estado em xeque.  O período de 1995 a 2002 é de
reconstrução, no qual os EUA e Israel irão se retirar do território libanês, a
OLP irá transferir o seu quartel-general para o norte da África, mas,
permaneceriam as questões dos refugiados palestinos, a intromissão síria
nos assuntos internos libaneses, e o fundamentalismo islâmico, cujo
representante maior e mais conhecido é a organização Hezbollah, acusada
de assassinar o primeiro-ministro Rafic Hariri, em 2005.

Continue navegando