Buscar

A ORIGEM DA CORTINA DE FERRO

Prévia do material em texto

Países participantes da Cortina de Ferro
Origem da cortina de ferro
A origem da cortina de ferro data de 1946, quando foi usada pela primeira vez
em um discurso do então primeiro-ministro da Inglaterra Winston Churchill. Ele
fazia referência à divisão entre capitalismo e socialismo ou, mais
explicitamente, ao controle exercido pelos Estados Unidos e pela União
Soviética sobre vários países depois do fim da Segunda Guerra Mundial.
O discurso de Churchill, em 1946, foi o
que popularizou a cortina de ferro,
porém o termo não é de sua autoria, e
sim do escritor russo Vasily Rozanov.
Todavia, foi o primeiro-ministro inglês
que o propagou ao tentar alertar os
demais países sobre o avanço da
União Soviética no continente
europeu. Posteriormente, esse alerta
passou a ser também apoio bélico em
confrontos internos de diversas
nações que passaram a contar com
contribuições econômicas e militares
para impedirem o avanço da URSS em
seus territórios.
A própria Inglaterra de Churchill
interveio na guerra civil da Grécia,
que aconteceu entre os anos de 1946
e 1949, ajudando os gregos a
expurgarem os comunistas. Assim, o
mundo ocidental começava suas
primeiras intervenções na política
interna de outros países e a cortina
de ferro não mais tratava de
questões ideológicas mas também
físicas, já que barreiras começaram a
ser construídas, como na Hungria (a
primeira). A mais famosa delas foi o
Muro de Berlim.
Geografia 
Discurso de Churchill Os países participantes da cortina de ferro foram:
Alemanha Oriental, Polônia, Hungria, Tchecoslováquia,
Bulgária, Ucrânia, Armênia, os países bálticos (Estônia,
Lituânia e Letônia) e o Cazaquistão do lado Leste, ou seja,
soviético.
A cortina de ferro começou a ruir em 1989, quando caiu o
Muro de Berlim. Seu fim definitivo foi em 1991, com o fim
do governo de Gorbachev na URSS.
Ele foi responsável pela perestroika e pela glasnost,
nomes pelos quais ficaram conhecidas as medidas de
abertura econômica e política da União Soviética.
Com esse processo, as tensões entre capitalistas e
socialistas já estavam diminuindo, até que, naquele
ano, terminou o regime iniciado em 1917. A URSS
voltou a ser Rússia, a Guerra Fria acabou e, junto
dela, a cortina de ferro.
 
Queda da cortina de ferro
p r o f e s s o r a E d j a n i a 
https://mundoeducacao.uol.com.br/historiageral/capitalismo.htm
https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/o-socialismo.htm
https://mundoeducacao.uol.com.br/historiageral/queda-muro-berlim.htm
https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/russia.htm

Mais conteúdos dessa disciplina