A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Roteiro e Passo a Passo - OBTURAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Fase de Obturação 
Após a instrumentação total do canal, 
realizar a CONOMETRIA (provar o cone 
principal) e a OBTURAÇÃO. 
Como checar se está bom para obturar? 
 
• Para verificar a limpeza apical 
satisfatório e moldar antes de 
obturação. 
• Para ver se há espaço suficiente 
para a compactação da guta 
percha. Selecionar um o 
espaçador digital. (tamanho: amarelo ou o vermelho) Canais largos- azul. 
• Colocar um cursor de borracha no espaçador - 1 a 2mm aquém do CT. 
• Posicioná-lo sem pressão e verifique se ele entra- Cuidado não PRESSIONAR. 
Se entrou passivamente o seu preparo apical está satisfatório e terá espaço para condensar a guta percha 
 
Técnica da Condensação Lateral = A técnica de condensação lateral a frio consiste da associação de cones de guta 
percha, principal e secundário e cimento obturador endodôntico, valendo-se dos espaçadores digitais para a condensação 
lateral da guta percha. 
1. Prova do cone principal 
 Selecionar um cone principal de diâmetro igual a lima mestra. Medi-lo com a Regua milimetrada com a medida do CT. 
 Desinfetar o cone principal e os secundários, colocando-os na Placa de Petric repleto de 
solução irrigadora por 1 minuto. (Somente na clinica) .A seleção do cone principal de 
obturação é condicionada aos testes visual, táctil e radiográfico, como segue: 
Prova do cone - Teste Visual Radiográfico 
 Prosseguir com a escolha do cone principal conferindo o comprimento real de 
trabalho - CT , utilizando a pinça clínica e régua endodôntica milimetrada. Em 
seguida levar o cone em posição e através do teste visual verificamos se o cone 
chega ao CT visualizando-o na referência oclusal ou incisal, o qual não deve 
ultrapassá-la mesmo quando forçado em direção apical. 
 
 
 Caso o cone principal esteja ultrapassando o CT, restabelecer novamente a odontometria, 
novo batente apical aumentando lima mestra e reinstrumentação, depois nova prova do cone. 
 
 
 Caso o cone principal não esteja no CT, verificar se houve 
impactação de dentina checar o batente apical com lima mestra, 
repetindo o recuo progressivo e provar novamente o cone 
principal. 
 
 Realizar a tomada radiográfica do cone. 
 
 
2. Secagem do canal. 
Temos preferência pelos cones de papel absorvente Cell Packs (1ª. e 2ª. Série) embalados e previamente esterilizados 
ENDODONTIA Roteiro: Obturação do canal 
 
Etapas 
Prova do 
Cone e 
Secagem 
Obturação (condensação lateral) Corte dos Cones e 
(condensação 
vertical) 
 
 
Materiais 
necessários 
 
Caixa de 
Cone 
Principal ( 1 
e 2 série) 
Pinça Clinica. 
Régua 
milimetrada. 
placa de 
Petric 
 
Caixa de Cones Acessórios : R7, R8 
ou RS, ou Fine , ou Fine Medium. 
Caixa de cones de papel 
Cimento Endodôntico: EndoFill ou 
Sealer 26(fornecido pela faculdade) 
Espátula 24, Placa de Vidro, 
Espaçadores Digitais. 
(importantíssimo) 
Condensadores de Mcspaden (n45, 
50 ou 55) 
Lamparina, isquiero, 
Condensadores de 
Paiva jogo de 4 
condensadores) 
(importantíssimo) 
 
 
Algodão com álcool 
(fornecido pela 
faculdade) 
O cone não chegou até o CT 
O cone ultrapassou o CT 
Normalmente utiliza-se no máximo 3 cones de papel de mesmo calibre do instrumento do preparo apical para secar 
adequadamente o canal. 
 
3. Obturação 
Para a. manipulação do cimento endodôntico EndoFill ou 
Sealer 26 utilizar placa de vidro estéril e espátula 24. 
No momento da obturação, os cones principais e 
secundários devem estar secos com gaze, antes de ser 
aplicado o cimento obturador. 
 
4. Inserção do cimento 
 O cone principal ou a lima mestra deve ser 
utilizada para levar o cimento para o 
interior do conduto. 
 Um pouco de cimento, é levado na ponta do 
cone, ao interior do canal radicular, 
pincelando as paredes do conduto de apical 
para cervical 
 Posicionar o cone principal na medida do CT 
 
5. Condensação lateral 
 Iniciar a condensação lateral após a inserção do cone principal 
 Após inserção do 1o. cone secundário envolto por cimento, nova condensação 
 Introduzir o cone secundário envolto com cimento rapidamente após remoção do 
espaçador 
 Repetir a condensação e introdução de mais cones secundários 
 
IMPORTANTE Vale lembrar que, os cones secundários devem ter conicidade ligeiramente 
inferior aos espaçadores utilizados, normalmente é utilizado o de número 25 (vermelho) 
no terço apical, 30 (azul) terço médio e 35 (verde) do terço médio para o cervical. 
Realizar a Radiografia de Qualidade da obturação 
 
Se necessário realizar mais condensação lateral. 
 
6. Cortes dos cones e Condensação Vertical 
 Selecionar o condensador de Paiva de tamanho compatível à entrada do canal. 
 Aquecer ao rubro o condensador de Paiva, utilizando a lamparina, e em seguida cortando os cones, aproximadamente 
2 mm abaixo do colo clínico, ou seja no limite amelo-cementário nos dentes anteriores e pré-molares e ao nível do 
assoalho da câmara pulpar nos molares. 
 Calcadores frios e de menor calibre do que a entrada do canal, realizar a manobra de condensação vertical. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7. Limpeza da Cavidade - Limpar o 
excesso de cimento da câmara 
pulpar com bolinhas de algodão 
embebidas em álcool. 
8. Radiografia final 
 Organizar as Radiografas na cartela 
 Preencher corretamente a Ficha de 
Endodontia. 
Lemo
s E