A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
43 pág.
Concurseiro Social - Código de Ética Comentado - Decreto nº 1171 de 1994

Pré-visualização | Página 12 de 13

a 
que pertençam, porque a representação tem de ser feita contra servidor. 
d) não têm por função conhecer de consulta sobre norma ético-profissional. 
e) têm competência para aplicar a pena de advertência. 
 
27 - Não têm a obrigação de constituir as comissões de ética previstas no Decreto nº 
1.171/1994 (Código de Conduta do Servidor Público Civil do Poder Executivo 
Federal): 
a) as autarquias federais. 
b) as empresas públicas federais. 
c) as sociedades de economia mista. 
d) os órgãos do Poder Judiciário. 
e) os órgãos e entidades que exerçam atribuições delegadas pelo poder público. 
 
(CESPE/Unb – Ministério do Esporte – Agente Administrativo/2008) Julgue 
os itens que se seguem, acerca da ética no serviço público. 
 
31. São deveres do servidor público a manutenção da limpeza e a organização do 
local onde executa suas funções. 
 
32. A rapidez de resposta ao usuário pode ser caracterizada como uma atitude ética 
na administração pública. 
 
33. Documentos encaminhados para providências podem ser alterados em situações 
específicas. 
 
34. Informações privilegiadas obtidas no serviço, desde que não sejam utilizadas em 
benefício próprio, devem ser fornecidas pelo servidor quando solicitadas por pessoas 
idôneas. 
 
35. É desnecessária a autorização legal para a retirada de documentos que 
pertençam ao local de trabalho do servidor no órgão público. 
 
 
www.concurseirosocial.com.br
36
 
(CESPE/2004 - ANALISTA JUNIOR) De acordo com o Decreto nº 1.171/1994, 
julgue os itens a seguir. 
 
74. Respeitar a hierarquia e participar de estudos que visem a melhoria do exercício 
da função do servidor, tendo por escopo a realização do bem comum, fazem parte 
dos deveres fundamentais do servidor público. 
 
75. O uso, pelo servidor, de informações privilegiadas obtidas no âmbito interno de 
seu serviço, em benefício próprio, de parentes, de amigos ou de terceiros, apesar de 
ser um ato não ético, não consta das vedações a atos do servidor público presentes 
no referido decreto. 
 
76. As funções da Comissão de Ética não incluem fornecer aos organismos 
encarregados da execução do quadro de carreira dos servidores os registros sobre 
conduta ética, com vistas à fundamentação de promoções do servidor público. 
 
77. (TRE/GO 2004 PSICÓLOGO) Assinale a opção correta acerca do 
comportamento ético do servidor público: 
a) O servidor que, no exercício de suas funções, trata mal ou atende de má vontade 
o usuário de seu serviço, está cometendo ao mesmo tempo uma ação antiética e um 
dano moral contra o cidadão. 
b) Em sua conduta diária o servidor deve viabilizar o acesso público ao conteúdo de 
qualquer ato administrativo, a não ser quando e exclusivamente quando, a 
publicidade deste ato vier contra os interesses ou bem-estar do próprio funcionário. 
c) É dever do servidor priorizar o atendimento ao cidadão, recusando seu direito à 
greve quando a paralisação do serviço implicar demora, atraso ou formação de filas 
no serviço. 
d) Durante o exercício de cargos de chefia, o funcionário tem direito a receber 
doações ou vantagens diferentes daquelas previstas oficialmente para o cargo, até 
que deixe de ocupar a referida posição, seja por qual motivo for. 
e) Quando a verdade fere a dignidade do cidadão interessado ou do Estado, ela pode 
ser falseada ou omitida pelo servidor em prol de um beneficio maior. 
 
(ANA 2006 Especialista) O Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil 
do Poder Executivo federal afirma que a função pública deve ser tida como exercício 
profissional e, portanto, se integra na vida particular de cada servidor público. Assim, 
os fatos e atos verificados na conduta do dia-a-dia em sua vida privada poderão 
acrescer ou diminuir o seu bom conceito na vida funcional. Ele estabelece, ainda, 
que, salvo os casos de segurança nacional, investigações policiais ou interesse 
superior do Estado e da administração pública, a serem preservados em processo 
previamente declarado sigiloso, nos termos da lei, a publicidade de qualquer ato 
administrativo constitui requisito de eficácia e moralidade, ensejando sua omissão 
comprometimento ético contra o bem comum, imputável a quem a negar. 
Considerando esses e outros dispositivos do Decreto nº 1.171/1994, julgue os itens 
seguintes. 
 
 
www.concurseirosocial.com.br
37
 
18. Infere-se do texto que a consecução da esperada e desejável transparência dos 
atos administrativos implica a sujeição do servidor público aos ditames da 
propaganda governamental, que é o meio adequado para que as decisões do poder 
público sejam plenamente conhecidas pela sociedade. 
 
19. Equiparando servidores públicos e trabalhadores da iniciativa particular, o 
referido código enfatiza a absoluta distinção entre as esferas da vida pública e 
privada, uma não podendo interferir na outra, independentemente da natureza de 
trabalho profissional que se exerça. 
 
20. Situações excepcionais, definidas e tipificadas por norma legal, permitem que 
determinados atos administrativos possam ser resguardados do conhecimento 
público. 
 
21. Ainda que toda pessoa tenha direito à verdade, ao servidor é permitido omiti-la 
ou falseá-la desde que esteja em jogo a segurança do Estado, notadamente em se 
tratando de cenário de guerra externa ou de grave insurgência interna. 
22. Princípios como os da impessoalidade, moralidade e eficácia são considerados 
fundamentais para o correto desempenho do serviço público, estando sujeito a 
penalidades diversas o servidor público que deles se descuidar ou a eles infringir. 
 
23. O princípio constitucional da estabilidade no serviço público impôs ao Código de 
Ética o silêncio quanto à eventual negligência, imprudência ou à sucessão de desvios 
por parte do servidor público, já que a Carta Magna inviabiliza a adoção de medidas 
mais drásticas contra o servidor incurso nessas falhas. 
 
24. O citado código defende a tese de que o trabalho desenvolvido pelo servidor 
público perante a comunidade deve ser compreendido como acréscimo ao seu 
próprio bem-estar, porque, como cidadão, integrante da sociedade nacional, o êxito 
desse trabalho pode ser considerado também como seu patrimônio. 
 
(ANA 2006 ANALISTA ADM) A Constituição Federal determina que a 
administração pública direta e indireta de qualquer dos poderes da União, dos 
estados, do Distrito Federal e dos municípios obedeça aos princípios da legalidade, 
impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Em seu primeiro capítulo, 
quando discorre sobre as regras deontológicas, o Código de Ética Profissional do 
Servidor Público Civil do Poder Executivo federal afirma que a dignidade, o decoro, o 
zelo, a eficácia e a consciência dos princípios morais são primados maiores que 
devem nortear o servidor público, seja no exercício do cargo ou função, ou fora dele, 
já que refletirá o exercício da vocação do próprio poder estatal. Seus atos, 
comportamentos e atitudes serão direcionados para a preservação da honra e da 
tradição dos serviços públicos. 
A partir desses textos legais e considerando aspectos próprios à ética e à moral, 
notadamente quanto a princípios, valores e exercício da função pública, julgue os 
itens que se seguem. 
 
 
www.concurseirosocial.com.br
38
 
18. Do ponto de vista prático, a Constituição e, sobretudo, o código de ética 
profissional acima mencionado eximem os ocupantes de cargos de confiança da 
observância a determinadas obrigações éticas quando no exercício de suas 
atividades justamente porque, não pertencendo ao quadro permanente da 
administração pública, são passíveis de demissão a qualquer momento. 
 
19. Ao afirmar que o agente da administração pública deve se pautar, entre outros, 
pelo princípio da publicidade, a Constituição Federal sugere — ainda que não tenha 
sido essa a intenção do legislador — nítida identificação entre funções de Estado