A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
203 pág.
Química Orgânica - Apostila Resumida

Pré-visualização | Página 16 de 32

e o hidrogênio 
no carbono menos substituído. 
 A estereoquímica trans de H e X é normalmente encontrado no produto 
de reação. 
 Os X2 como o bromo e o cloro também se adicionam a alcinos para 
produzindo compostos com uma estereoquímica Trans. 
 
CH3CH2C CH
Br2 C C
CH3CH2
Br
Br
H
Br2 CH3CH2CBr2CHBr2
1-butino (E)-1,2-dibromo-1-buteno 1,1,2,2-tetrabromobutano
 
92 
 
 
b) Reação de hidratação: Como os alcenos os alcinos podem ser hidratados 
por dois métodos. A adição direta de água catalisada por íon mercúrio (II) 
produzindo um composto que segue a regra de Markovnikov. E adição indireta 
de água por hidroboração/oxidação, produz como produto um composto com 
adição anti-Markovnikov (que não será discutida). 
 Os alcinos quando hidratados tem como produto final a formação de 
uma cetona. 
CH3(CH2)3C CH CH3(CH2)3C CH
OH H
CH3(CH2)3C
O
CH3
1-hexino Enol intermediário 2-hexanona
 
 
c) Reação de hidrogenação: Os alcinos são facilmente hidrogenados a 
alcanos pela adição de H2 sobre um catalisador metálico, com mecanismo 
idêntico ao já visto nos alcenos. A reação ocorre em duas etapas, por meio de 
um alceno intermediário. 
HC CH
H2 H2C CH2
H2
H3C CH3
 
 
12. Álcool 
 
 Os alcoóis são compostos que apresentam grupos hidroxila ligados a 
átomos de carbono saturados com hibridização sp3. São compostos derivados 
da água da qual um dos átomos de hidrogênio é substituído por um grupo 
orgânico: H-O-H versus R-O-H. 
 Os alcoóis estão entre os compostos orgânicos mais versáteis, sendo 
abundantes na natureza. Além disso, os álcoois são muito importantes 
industrialmente e apresentam uma química muito rica. O metanol e o etanol, 
por exemplo são alguns dos produtos químicos mais importantes. 
 O metanol é uma substância tóxica aos seres humanos, causando 
cegueira pela ingestão de pequenas doses (aproximadamente 15 mL) e morte 
em grandes quantidades (100-250 mL). Industrialmente, o metanol é usado 
como solvente e como material de partida para a produção de formaldeído 
93 
 
(CH2O), de ácido ácético (CH3CO2H) e do aditivo de gasolina éter tert-butílico e 
metílico [MTBE, CH3O(CH3)3]. 
 O etanol foi um dos primeiros compostos orgânicos a ser preparado e 
purificado. A produção de etanol por meio da fermentação de grãos e açúcar é 
conhecida desde a antiguidade e a purificação pela destilação teve seu início 
no século XII. O etanol (com exceção do etanol para uso em bebidas 
alcoólicas) é obtido pela hidratação do etileno catalisada por ácido. Possui 
grande utilização como solvente ou como reagente intermediário em outras 
reações industriais. 
 
H2C=CH2 + H2O → CH3CH2OH 
 
12.1. Propriedades dos alcoóis 
 
 Os alcoóis são um pouco diferentes dos hidrocarbonetos e dos haletos 
de alquila estudados anteriormente. Além de a química dos alcoóis ser mais 
rica, as propriedades físicas também são diferentes. Observando os pontos de 
fusão e ebulição de alcoóis, alcanos e haletos de alquila com o mesmo número 
de carbonos, verificamos que os alcoóis tem temperaturas de fusão e ebulição 
mais elevadas. Por exemplo, o 1-propanol (MM=60), o butano (MM=58) e o 
cloroetano (MM=65) têm massas molares semelhantes, porém a temperatura 
de ebulição do 1-propanol é de 97 ºC, se comparado com -0,5 ºC para o alcano 
e 12,5ºC para o cloroalcano. 
 Os alcoóis têm temperaturas de ebulição elevadas em decorrência da 
formação de ligações de hidrogênio no estado líquido, como ocorre com a 
água. O átomo de hidrogênio –OH polarizado positivamente de uma molécula é 
atraído pelo par de elétrons isolados de um átomo de oxigênio polarizado 
negativamente de outra molécula. Isso resulta em uma força intermolecular que 
une as moléculas. Para que as moléculas passem do estado líquido para o 
estado gasoso, essas atrações intermoleculares devem ser rompidas, por isso 
a temperatura de ebulição é maior. 
 
H3PO4 
250º 
94 
 
O
R
H H
R
O
H
R
O
H
R
O
H
R
O
H
R
O
H
R
O
H
R
O
δ-
δ+
 
 
12.2. Propriedades químicas de Alcoóis: acidez e basicidade. 
 
 Como a água, os alcoóis são fracamente ácidos (eletrófilos) e básicos 
(nucleófilos). Como bases fracas, os alcoóis são reversivelmente protonados 
pelo tratamento com ácidos fortes formando o íon oxônio, ROH2+: 
 
O
R H H X O
H
R H
+ X-+ +
Álcool Íon oxônio
 
 
 
 Como ácidos fracos, os alcoóis se dissociam fracamente em solução 
aquosa diluída, doando um próton para a água, formando H3O+ e um íon 
alcóxido, RO-, ou um íon fenóxido, ArO-: 
 
O
R H O
H
H H
++ +
Álcool Íon Hidrônio
O
H H R O
-
Íon Alcóxido
 
 
 A força de um ácido é a capacidade com que esse composto tem de se 
dissociar em solução, e essa propriedade pode ser expressa pela constante de 
acidez, Ka: 
 
+HA H3O
+ A-
H2O Ka =
[A-][H3O+]
[HA]
pKa = -log Ka
 
95 
 
 
 Os compostos com valores de Ka baixos (ou valores de pKa elevados) 
são menos ácidos, enquanto os compostos com valores de Ka elevados são 
mais ácidos. A tabela abaixo mostram a acidez de alguns alcoóis: 
álcool pKa Característica 
(CH3)3COH 18,00 Fraco 
CH3CH2OH 16,00 
HOH (Água) 15,74 
CH3OH 15,54 
CF3CH2OH 12,43 Médio 
Fenol 9,89 Forte 
 
 O efeito da substituição de grupos alquílicos na acidez dos alcoóis deve-
se principalmente à solvatação do íon alcóxido resultante da dissociação. 
Quanto mais facilmente o íon alcóxido é solvatado pelas moléculas de água, 
mais estável e mais energeticamente favorável é sua formação e, 
conseqüentemente, maior sua acidez. Por exemplo, o átomo de oxigênio de um 
íon alcóxido desprotegido, como o metanol, é estericamente acessível e 
facilmente solvatado pela água, como o álcool tert-butila, é menos facilmente 
solvatado e, portanto, menos estabilizado. 
 
C O
H
H
H
C O
H3C
H3C
H3C
Estericamente 
acessível
mais facilmente
solvatado
Estericamente menos 
acessível, menos 
facilmente solvatado
 
 
 Os efeitos indutivos também são importantes na determinação da acidez 
dos alcoóis. Os substituintes retiradores de elétrons, como, por exemplo, os 
halogênios, estabilizam o íon alcóxido, pois distribuem a carga negativa sobre 
toda a molécula, tornando o álcool mais ácido. Compare, por exemplo, a acidez 
do etanol (pKa = 16,00) com o 2,2,2-trifluoroetano (pKa = 12,43). 
 
96 
 
C CH2
H
H
H
OH C CH2
F
F
F
OH
 
 Uma vez que são muito menos ácidos em comparação aos ácidos 
carboxílicos ou ácido minerais, os alcoóis não reagem como bases fracas, 
como com as aminas ou com o íon bicarbonato. Também reagem de maneira 
limitada como os hidróxidos metálicos, como NaOH. Os alcoóis, entretanto, 
reagem com os metais alcalinos e com as bases fortes, como o hidreto de 
sódio (NaH), o amideto de sódio (NaNH2) e os reagentes de Grignard (RMgX). 
Os alcóxidos são bases e, portanto, muito utilizados como reagentes em 
química orgânica. 
 
12.3. Preparação de alcoóis 
 
 Os alcoóis ocupam uma posição central na química orgânica. Podem ser 
preparados a partir de vários tipos de compostos (alcenos, haletos de alquila, 
cetonas, ésteres, aldeídos, entre outros). Os alcoóis também podem ser 
igualmente transformados em uma variedade de compostos diferentes. 
 
ROH
Alcoóis
C C
R
R
H
H
RX
C
O
R H
C
O
R R´
C
O
R OH
C
O
R OR´
R O R´
Alcenos
Haletos de
alquila
Aldeídos
Cetonas
Ác. carboxílicos
Ésteres
Éter
 
 
12.4. Alcoóis a partir da redução de compostos carbonílicos 
97 
 
 
Redução de aldeídos e cetonas 
 
 Os aldeídos e cetonas podem ser facilmente reduzidos a alcoóis. Os 
aldeídos são convertidos em álcoois primários, enquanto as cetonas são 
convertida em alcoóis secundários.