A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Resumo - 2ª prova MICOLOGIA

Pré-visualização | Página 4 de 6

tecido morto) 
 Punção 
 Biópsia 
 Aspiração Traqueal 
 Expectoração 
 Fricção 
 Aspiração Bronquica 
 Outros 
 
 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
15 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Diagnóstico Micológico 
 Exame Direto 
 Cultura 
 Histopatológico 
 Imunológico 
 Biologia Molecular 
 
 Amostras Clínicas 
 Vias respiratórias 
 Pus ganglionar 
 LCR 
 Sangue 
 Escarro 
 Fragmento de tecido 
 
 Exame Direto 
 A fresco: Sem clarificação ou corante 
 Clarificado: KOH, NaOH 
 Corado: Giemsa, PAS... 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
*SE VERÁ CÉLULAS LEVEDURIFORMES COM MEMBRANA BIREFRINGENTE E MULTIBROTANTE 
*Padrão Ouro: células multibrotantes com duplo contorno refrigente. 
 (Células Mickey Mouse, Roda de Leme, Catenulada). 
*PB não permite forma filamentosa em Parasitismo, são Termodimórficos 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
16 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Cultura 
 Ágar Sabouraud 
 Ágar BHI (temperatura 25°C a 37°C) 
 Ágar Sab+BHI (acompanhamento 5 a 30 dias) 
*Cloranfenicol ou Cicloheximida (antibióticos para o meio) 
*FASE LEVEDURIFORME – aspecto cerebriforme 
*FASE FILAMENTOSA – aspecto de pipoca 
 
 
 
 Histopatológico 
 Reação inflamatória 
 Parasito (células leveduriformes com brotação múltipla) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Teste Imunológico 
 Pesquisa de Antígenos 
 Pesquisa de Anticorpos 
- Imunodifusão dupla evidenciando linha de 
precipitação 
- Auxilia diagnóstico e no acompanhamento clínico 
- Apresenta quase 100% de especificidade e 
sensibilidade 
- Casos de falsos + e falsos - (H. capsulatum) 
 
 Diagnóstico Molecular 
 Ácidos nucléicos 
 DNA 
 PRIMER 
 
 Tratamento 
 ANFOTERICINA B 
 SULFAMÍDICOS (Trimetropim+Sulfametazona) 
 AZÓLICOS 
 
 Teste de Susceptibilidade à Antifúngicos 
- Não existe um método de referência padronizado para P. braziliensis 
- Resistência microbiológica é rara 
- Altos CIM para Itraconazol e fluconazol tem sido reportado para alguns isolados 
- Em geral, baixo CIM tem sido retratado para Anfotericina B, Citoconazol, Fluconazol, 
Voriconazol, Itraconazol. 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
17 
Alberto Galdino - Biomedicina 
HISTOPLASMOSE 
Histoplasma capsulatum (termodimórfico) 
Histoplasma capsulatum var. capsulatum 
Histoplasma capsulatum var. duboisii 
 
*Fase Infectante (FILAMENTOSA) 
*Forma Patogênica (LEVEDURIFORME) 
*histoplasmina 
 
37°C: leveduras ‘ovais’ multibrotantes 
 
 Fontes de Infecção 
-Solo habitat natural (sapróbia) 
-Tropismo por locais que abriguem alto teor de ácido úrico e outros compostos 
nitrogenados (Excretas de aves e morcegos) 
 
 Distribuição Geográfica 
- Cosmopolitas - Predomina na América do Norte - Brasil (todas as regiões) 
 
 Patogênese 
-Inalação de microconídios; 
-Nos alveólos, são fagocitados pelos macrofágos (fase leveduriforme) - multiplicação; 
-Ao vencer barreiras de defesa pode disseminar por via linfo-hematogênica; 
-Paciente com deficiência de imunidade - doença com caráter progressivo de 
gravidade variável. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 FORMAS CLÍNICAS 
 Assintomática 
 Pulmonar 
 Disseminada 
 
 Assintomática 
-90-95% dos casos de histoplasmose; 
-Teste da histoplasmina (teste cutâneo do – para +); nódulos pulmonares calcificados 
-Alguns casos: focos de calcificação nos pulmões – Sintomas semelhante a um 
processo gripal - Cura espontânea. 
 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
18 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Pulmonar 
-Sintomas de gripe podem persistir e torna-se mais graves: 
 tosse, perda de peso, eritema. 
 
 Disseminada 
-1 para cada 50.000 casos de infecção pulmonar; 
-Mais frequente em pacientes com AIDS e outras patologias como linfomas e 
leucemias; 
-Mortalidade nos imunossuprimidos chega a 90%. 
 
Sintomas Clínicos 
o Febre 
o Perda de peso 
o Hepatoesplenomegalia 
o Anemia 
o Linfoadenopatia 
o Leucopenia 
o Lesões cutâneas da pele 
 
 Diagnóstico 
- Exame Direto - Cultura - Imunológico - Histopatológico 
 
 Tratamento 
-Anfotericina B e seus derivados lipossomais; -Elevada toxicidade 
-Tratamento domiciliar – Itraconazol. 
 
*FUNGO MAIS ACOPLADO À VIDA INTRACELULAR 
*Th1: resposta efetora 
*Th2: severidade da doença 
 
 
COCCIDIOIDOMICOSE 
 Descrita como uma protozoose (Coccidium) por muitos anos; 
Coccidioides sp. (fungo dimórfico) 
C. immitis X C. posadasii 
(morfologicamente idênticos, diferenças genéticas) 
 Clima semi-árido, estiagem, vegetação xerófila e solos alcalinos 
 
 
*Fase Filamentosa (artroconídeos) Pedúnculos 
“dejuntores” são mais facilmente dispersos. 
*Não é termodimórfico 
*Esporos e Esférula 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
19 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Distribuição Geográfica 
-Doença do Novo Mundo; 
-Geograficamente limitada aos continentes da América do Norte, Central e do Sul; 
-Brasil - NE: PI, BA e CE: caçadas a tatus. 
 
 Vias de Infecção 
-Inalatória: Respiratória -Tegumentar: Traumatismo -Digestiva 
 
 Ciclo 
1. Solo (filamentoso – artroconídio) 
2. Desarticulação 
3. Dispersão pelo vento 
4. Inalação 
5. Forma leveduriforme 
6. 1 artrosporo se transforma em 
esférula (imatura  madura) 
7. Ruptura da esférula 
8. Liberação de 
artrosporos/endosporos 
 
 
 
 Quadro Clínico 
 Micose sistêmica, predominantemente 
pulmonar, podendo, também, 
comprometer pele, laringe, ossos, 
articulação, meninges. 
 Após a contaminação, 60% dos indivíduos 
apresentam infecção primária 
assintomática. 
 1 a 3 semanas após contágio – febre, dor 
torácica, tosse, hemoptises. 
 Reumatismo do deserto – conjuntivite, 
artrite, eritema nodoso. 
 Forma progressiva (rara) – associação de 
hiporexia, emagrecimento, dispnéia. 
 
 
 Diagnóstico 
- Exame Direto -Cultura -Imunológico -Histopatológico 
 
 Tratamento 
- Anfotericina B - Dificuldade de tratamento nas meninges 
 
 Diagnóstico Diferencial 
-Tuberculose 
-Leishmaniose 
-Neoplasia 
-Doença granulomatosa 
-Entre micoses -Outras patologia 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
20 
Alberto Galdino - Biomedicina 
MICOSES OPORTUNISTAS 
São doenças fúngicas causadas por fungos contaminantes acometendo indivíduos 
imunossuprimidos. 
 Sistema imunológico do indivíduo está comprometido (Resposta Imune) 
 Imunossupressão transitória ou permanente 
 
 Equilíbrio Parasito-Hospedeiro 
 Não são fungos patogênicos 
 Imunocomprometidos (imunossuprimidos/imunodeficientes) 
 Patogenicidade Discutida 
 
 Agentes Etiológicos 
o DIFERENCIAÇÃO 
 Fungos Patógenos (lesões atípicas no couro cabeludo e nariz por 
Paracoccidioides braziliensis) 
 Fungos de comportamento oportunista (micetoma no esterno, lesões 
geradas por pitiríase) 
 Fungos Oportunistas 
 Fungos Contaminantes (presentes no ambiente; parede mofada, 
inalação por imunossuprimidos gera micose oportunista). 
*Difícil diagnostico 
 - SED (Síndrome do Edifício Doente) 
 
 Características do Fungo 
- Adesinas (adesão do fungo às células do hospedeiro) 
- Adaptação à temperatura corpórea 
- Enzimas 
- Quantidade de propágulos fúngicos 
- Toxinas 
 
 Micoses Sistêmicas e Imunodiagnóstico 
o CARACTERÍSTICAS 
 Importância dos fatores predisponentes 
 Diversidade das espécies 
 Aumento da incidência 
 Relação H/P 
 Faz parte da microbiota normal 
 
 Fatores Predisponentes 
o Intrínsecos: idade, fatores nutricionais, doenças de base, transplante 
o Extrínsecos: terapias imunossupressoras, antibioticoterapia prolongada, 
dispositivos médico-hospitalares invasivos