A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Resumo Fisiologia Secreção Gastrointestinal

Pré-visualização | Página 3 de 4

– secretada pelas células β 
 Glucagon – secretado pelas células α 
 Somatostatina – secretada pelas células δ 
 Polipeptídio Pancreático – secretado pelas células PP 
 
Estes hormônios regulam o metabolismo celular e afetam a secreção exócrina do pâncreas, 
por mecanismos ainda não completamente elucidados. 
A secreção exócrina tem função digestiva. Considera-se esta secreção em 2 componentes, que 
são secretados simultaneamente durante o processo digestivo, e são sintetizados por 
populações celulares distintas (dos ácinos e ductos): 
 Componente Protéico ou Enzimático (secreção Primária ou Acinar): possui cerca de 20 
precursores de enzimas digestivas, os zimogênios. É secretado pelas células acinares, 
tem pequeno volume e possui concentrações iônicas e tonicidade semelhante às 
plasmáticas. 
O principal estímulo para a secreção enzimática é a CCK (Colecistocinina), liberada da mucosa 
do intestino delgado, em reposta á produtos da hidrólise lipídica e protéica. 
 
 Componente Aquoso: sua composição eletrolítica é determinada pelas células 
epiteliais dos ductos. Este componente é o que fornece o volume da secreção de cerca 
de 1L por dia. É um fluido alcalino, com concentração de HCO₃⁻ superior à plasmática, 
que no duodeno neutraliza o quimo ácido proveniente do estômago. 
O principal estímulo para a secreção aquosa é a Secretina, liberada da musoca do intestino 
delgado pela chegada do quimo ácido proveniente do estômago. O HCO₃⁻ da secreção 
pancreática neutraliza o HCl e gera o ambiente alcalino para a ação das enzimas pancreáticas, 
que agem nessa faixa de pH. 
 
 
Os Ácinos Pancreáticos: representam 82% do peso do pâncreas 
Os Ductos: 4% 
Os Vasos Sanguíneos: 4% 
Os Espaços Intracelulares: 9,5% 
As Ilhotas de Langerhans: 2% 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fisiologia da Secreção Gastrointestinal 
Resumo – Alberto Galdino LoL 
Inervação Pós-Ganglionar: 
 Fibras Vagais: alcançam o pâncreas através da região antral do estômago. Efetuam 
sinapses no interior do parênquima pancreático, de onde partem as fibras pós-
sinápticas colinérgicas para os ácinos, ductos e ilhotas. A inervação vagal colinérgica 
estimula a secreção principalmente de células acinares (secreção enzimática). 
 Fibras Simpáticas para o pâncreas partem dos gânglios celíaco e mesentérico superior 
e correm ao longo das artérias. São fibras noradrenérgicas que provocam 
vasoconstrição e diminuição secundária da secreção. 
 
Ou seja: 
-Colinérgicas (Parassimpática) 
-Noradrenérgicas (Simpática) 
 
O Sistema Parassimpático controla a secreção endócrina do pâncreas 
Fibras Vagais ---------------> ↑secreção pancreática. 
 
 
Ácinos Pancreáticos 
Tem fundo cego e agrupam-se em lóbulos separados por tecido conjuntivo. Possuem entre 15 
e 100 células acinares piramidais, com os ápices voltados para a luz. Os precursores 
enzimáticos e as enzimas ativas encontram-se nos Grânulos de Zimogênio, localizados no 
bordo apical das células acinares, as quais têm o Reticulo Endoplasmático extensamente 
desenvolvido e núcleos basais (Liberação dos grânulos por exocitose, renovação das 
membranas por endocitose). As células dos ductos apresentam microvilosidades, com cerca de 
0,15 μm de diâmetro, formando a borda em escova. As membranas basolaterias destas células 
são bastante amplificadas, característica de células epiteliais transportadoras. 
 
 
 
Região Apical: Liberação dos grânulos por exocitose e renovação das membranas por 
endocitose. 
 
 
Fisiologia da Secreção Gastrointestinal 
Resumo – Alberto Galdino LoL 
Secretagogos Pancreáticos 
 CCK (Colecistocinina) 
 Carbacol - agonista parassimpático (limita os efeitos colinérgicos). 
 GRP 
 VIP – induz o aumento da secreção pancreática 
 CGRP 
ps: SECRETAGOGO+VIP = Potencializa 
 
Vias de tradução de sinal envolvidas no controle da Secreção Pancreática 
Os receptores para CCK e para a Acetilcolina são acoplados às proteínas tetramétricas do tipo 
Gαq, que via IP₃, elevam a concentração citosólica de Ca⁺⁺, ativando as PKC, o DAG e a Cálcio-
Calmodulina (CaM) e elevando a secreção enzimática. 
Os outros receptores das células acinares também têm papeis importantes, estimulando a 
secreção e provavelmente, regulando os processos de síntese protéica. Os receptores para 
VIP e Secretina são acoplados à proteínas G e tem como segundos mensageiros o AMPc e a 
PKA; suas ações podem potencializar a da CCK. 
[CCK e Secretina são liberada no duodeno de forma endócrina (pelo sangue), e vai no pâncreas 
estimular a secreção de solução aquosa e de enzimas.] 
Regulação da Secreção Pancreática 
Três estímulos básicos são importantes na secreção pancreática: 
 Acetilcolina - liberada pelas terminações do nervo vago parassimpático. 
 Colecistocinina – secretada pela mucosa duodenal e do jejuno superior quando o 
alimento entra no intestino delgado. 
 Secretina – também secretada pelas mucosas duodenal e jejunal quando alimentos 
muito ácidos entram no intestino delgado 
 
Fisiologia da Secreção Gastrointestinal 
Resumo – Alberto Galdino LoL 
A Acetilcolina e CCK estimulam as células acinares do pâncreas, levando a produção de 
grandes quantidades de enzimas pancreáticas, mas quantidades relativamente pequenas de 
agua e eletrólitos. A Secretina, em contrapartida, estimula a secreção de grandes volumes de 
solução aquosa de bicarbonato de sódio pelo epitélio do ducto pancreático. 
A secreção pancreática também ocorre em 3 fases: 
 Fase cefálica: desde o ato de pensar no alimento até o ápice quando se coloca o 
alimento na boca. O sistema parassimpático é ativado através da inervação vagal que 
estimula a liberação de acetilcolina (neurotransmissor) o que provoca a secreção 
enzimática. Aproximadamente 20% da secreção total. 
 Fase gástrica: ocorre quando o hormônio gastrina é secretado na mucosa antral o que 
estimula a secreção pancreática enzimática. 5 a 10% do total. 
 Fase intestinal: secreções pancreáticas efetivas, tanto enzimáticas quanto hidreláticas. 
70 a 75% da secreção total. 
 
Enzimas Pancreáticas 
Cerca de 5 a 15g de proteína são lançados pelo pâncreas no duodeno. As células acinares 
secretam cerca de 20 proteínas distintas, a maioria delas com atividade enzimática. Muitas são 
secretadas como pró-enzimas e algumas como enzimas ativas: 
 Tripsina 
 Quimiotripsina 
 Elastases 
 Carboxipeptidases 
 Ribonucleases 
 Desoxirribonucleases 
 α-Amilase 
 Lipase (Triacilglicerol-hidrolase) 
 Colesterol-esterase 
 Fosfolipase-A2 
 Colipase 
Fisiologia da Secreção Gastrointestinal 
Resumo – Alberto Galdino LoL 
 ↓-------------------------------------------↖ 
Enteropeptidase---------------->Tripsinogênio------------------>Tripsina-----↑ 
 ↓ 
 Quimiotripsinogênio --------------------← 
 ↓ 
 Quimiotripsina 
 
Secreção Pancreática Aquosa 
Estimulada pela secretina, ou seja, pelo baixo pH. 
 
O acido carbônico formado (H2CO3) tem uma dissociação imediata em H2O e CO2, sendo que 
o CO2 é absorvido pelo sangue e é eliminado através dos pulmões, o que sobra no duodeno é 
uma solução neutra de NaCl. 
O quimo ácido no duodeno vai ocasionar a secreção de Secretina (solução aquosa alcalina), 
para baixar o pH. 
 
Funções Digestivas do Fígado (Sintese e secreção da Bile)