A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
pH

Pré-visualização | Página 3 de 3

diretamente pela equação (2). Verifi ca-se 
que, à medida que a concentração, em mol.L-1, 
aumenta, a queda no valor de pH é mais acentua-
da para o ácido forte com uma variação total de 
duas unidades de pH. Para os ácidos fracos, essa 
variação não passa de uma unidade de pH e dimi-
nui à medida que o pKa aumenta.
Figura 2. Variação da acidez (pH) em função da concentração 
(em mol.L-1) para ácidos monopróticos: (�) ácido forte; (�) 
pKa = 4; (�) pKa = 5 e (�) pKa = 6.
O Método de Newton-Raphson também pode 
resolver a equação (13), assim como polinômios 
de maior grau e é, portanto, mais útil no cálculo 
de valor de pH de ácidos e bases dipróticos em que 
polinômios de grau 4 são originados (Butler, 
1964; Ohlweiler, 1985).
Os mesmos métodos aqui apresentados podem, 
com semelhantes deduções de equações de equilí-
brio, ser aplicados quando se deseja obter o valor 
de pOH de uma base fraca.
Um planilha elaborada em Excel, contendo os 
três métodos apresentados, está disponível com os 
autores.
engenharia.indd 375 15/2/2008, 09:22:47
376   et al. ● Cálculo do valor de pH
Referências bibliográfi cas
ALEXEYEV, V. Análise quantitativa, 1ª ed. Porto: Lopes da 
Silva, 1972.
BACCAN, N.; ANDRADE, J. C.; GODINHO, O. E. S. & 
BARONE, J. S. Química analítica quantitativa elementar, 
2ª ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1979.
BRADY, J. E.; RUSSELL, J. W. & HOLUM, J. R. Química – A 
matéria e suas transformações, 3ª ed., Vol. I. Rio de 
Janeiro: Livros Técnicos e Científi cos, 2003, p. 83.
BROWN, T. L.; LeMAY JUNIOR, H. E.; BURSTEN, B. E. & 
BURDGE, J. R. Química – A ciência central, 9ª ed. São 
Paulo: Pearson Education do Brasil, 2005.
BUTLER, J. N. Ionic Equilibrium: A Mathematical Approach, 
1ª ed. Reading: Addison-Wesley, 1964, p. 118.
EBBING, D. D. Química geral, 5ª ed., Vol. II. Rio de Janeiro: 
Livros Técnicos e Científi cos, 1998, p. 120.
EBERHART, J. G. & SWEET, T. R. J. Chem. Educ., Vol. 37, 
1960, p. 442.
GUENTHER, W. B. Química quantitativa: Medições e 
equilíbrios. São Paulo: Edgard Blücher, 1972.
HILDEBRAND, R. B. Introduction to Numerical Analysis. 
Nova York: McGraw-Hill, 1956, pp. 443-51.
KOTZ, J. C. & TREICHEL JUNIOR, P. Química – Reações 
químicas, 4ª ed., Vol. II. Rio de Janeiro: Livros Técnicos 
e Científi cos, 2002, p. 100.
LEFFLER, A. J. J. Chem. Educ., Vol. 55, 1978, p. 460.
NASSIFF, P. J. & BOYKO, E. R. J. Chem. Educ., Vol. 55, 1978, 
p. 376.
NIELSON, K. L. Methods in Numerical Analysis. Nova York: 
MacMillan, 1964, pp. 11-2.
OHLWEILER, O. A. Química analítica quantitativa, Vol. I, 
3ª ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científi cos, 
1985.
ROZENBERG, I. M. Química geral. São Paulo: Edgard 
Blücher, 2002, p. 570.
RUIZ, A. G. & GUERRERO, J. A. C. Química. São Paulo: 
Pearson Education do Brasil, 2003, p. 498.
SÖRENSEN, S. P. Compt. Rend. Lab. Carlsberg., Vol. 8, 1999, 
p. 1.
VOGEL, A. I. Análise inorgânica quantitativa, 4ª ed. Rio de 
Janeiro: Guanabara Dois, 1981.
VOGEL, A. I. Análise química quantitativa, 6ª ed. Rio de 
Janeiro: Livros Técnicos e Científi cos, 2002, p. 7.
Notas
1 Para efeito de simplicidade nas equações desse texto, o 
termo “a”tividade será substituído por concentração 
(mol.L-1).
2 O produto iônico da água a 25oC é aproximadamente 
1.10-14 mol2.L-2.
3 pKa = -log Ka.
engenharia.indd 376 15/2/2008, 09:22:48