Lista ProdCustos2
10 pág.

Lista ProdCustos2


DisciplinaMicroeconomia I8.914 materiais220.081 seguidores
Pré-visualização4 páginas
PRODUÇÃO
1. O que é uma função de produção? Em que uma função de produção de longo prazo difere de uma função de produção de curto prazo?
Uma função de produção representa a forma pela qual os insumos são transformados em produtos por uma empresa. Em geral, considera-se o caso de uma empresa que produz apenas um tipo de produto e agregam-se todos os insumos ou fatores de produção em uma de algumas categorias, tais como: trabalho, capital, e matérias-primas. No curto prazo, um ou mais fatores de produção são fixos. Com o passar do tempo, a empresa torna-se capaz de alterar os níveis de todos os insumos. No longo prazo, todos os insumos são variáveis.
2. Por que o produto marginal do trabalho tende a apresentar uma elevação inicial no curto prazo, conforme mais insumo variável é empregado?
O produto marginal do trabalho tende a apresentar uma elevação inicial porque, quando há mais trabalhadores, cada um pode se especializar em um aspecto do processo de produção para o qual ele esteja mais capacitado. Por exemplo, pense em um estabelecimento de fast-food comum. Se houver apenas um trabalhador, ele terá de preparar os lanches, as batatas fritas, pegar os refrigerantes nas máquinas, bem como anotar os pedidos. Apenas um determinado número de clientes pode ser atendido em uma hora. Com dois ou três trabalhadores, cada um é capaz de se especializar e o produto marginal (número de clientes atendidos por hora) tende a aumentar ao se aumentar o número de trabalhadores de um para três. Em determinado ponto, haverá trabalhadores suficientes e não haverá a especialização não oferecerá mais ganhos; nesse ponto, o produto marginal diminuirá
3. Por que, no curto prazo, a produção acaba apresentando rendimentos marginais decrescentes no que diz respeito à mão-de-obra?
O produto marginal do trabalho acaba diminuindo porque há pelo menos um fator de produção fixo, como o capital. Com este insumo fixo, o local de trabalho se tornará tão lotado que a produtividade de trabalhadores adicionais diminuirá. Além disso, com o capital fixo, à medida que mais trabalhadores forem adicionados, eles precisarão compartilhar o capital fixo, o que acabará fazendo o produto marginal do trabalho diminuir, pois o capital será dividido entre trabalhadores demais. Pense, por exemplo, em um escritório com apenas três computadores. À medida que cada vez mais trabalhadores precisarem compartilhar os computadores, o produto marginal de cada funcionário diminuirá.
4. Você é um empregador interessado em preencher uma posição vaga em uma linha de montagem. Será que estaria mais preocupado com o produto médio ou com o produto marginal do trabalho em relação à última pessoa contratada? Caso observe que seu produto médio está começando a diminuir, você deveria contratar mais funcionários? O que tal situação significaria em termos de produto marginal do último funcionário contratado?
Ao preencher uma posição vaga, você deveria estar preocupado com o produto marginal do último funcionário contratado, pois o produto marginal mede o efeito dessa contratação sobre a produção total. Isso, por sua vez, ajuda a determinar a receita gerada pela contratação de outro funcionário, que pode ser comparada com o custo dessa contratação.
O ponto a partir do qual o produto médio começa a diminuir é aquele em que o produto médio é igual ao produto marginal. Quando o produto médio diminui, o produto marginal do último funcionário contratado é menor que o produto médio dos trabalhadores contratados anteriormente.
Apesar de o aumento do número de trabalhadores causar a redução do produto médio, o produto total continua a aumentar, de modo que a contratação de um funcionário adicional pode ser vantajosa.
5. Qual é a diferença entre uma função de produção e uma isoquanta?
Uma função de produção descreve a produção máxima que pode ser alcançada com qualquer combinação de insumos. Uma isoquanta identifica todas as combinações diferentes de insumos que podem ser utilizadas para produzir determinado nível de produção.
6. Defrontando-se com condições que mudam constantemente, por que uma empresa teria interesse em manter algum insumo fixo? o que determina se um insumo é fixo ou variável?
O fato de um insumo ser fixo ou variável depende do horizonte de tempo em questão: todos os insumos são fixos no curtíssimo prazo e variáveis no longo prazo. Conforme explicado no texto: \u201cTodos os insumos fixos no curto prazo correspondem aos resultados de decisões anteriores de longo prazo baseadas em estimativas das empresas daquilo que poderiam produzir e vender com lucro". Alguns insumos são fixos no curto prazo, independentemente da vontade da empresa, simplesmente porque mudar o nível das variáveis requer tempo. Por exemplo, a empresa pode estar legalmente presa a um imóvel por um contrato de aluguel, alguns funcionários podem ter contratos que precisam ser cumpridos ou a construção de novas instalações pode levar alguns meses. Lembre que o curto prazo não é definido em termos de um número específico de meses ou anos, mas em termos do período durante o qual a quantidade de alguns insumos não pode ser modificada por motivos como os apontados acima.
7. As isoquantas podem ser convexas, lineares ou em forma de L. O que cada uma dessas formas lhe diz quanto à natureza da função de produção? E sobre a TMST?
Isoquantas convexas implicam que, dentro de determinada magnitude, uma quantidade de um insumo pode ser substituída por uma unidade do outro insumo e a produção pode ser mantida no mesmo nível. Neste caso, a TMST diminui à medida que nos movemos para baixo ao longo da isoquanta. Isoquantas lineares implicam que a inclinação, ou a TMST, é constante. Isso significa que o mesmo número de unidades de um insumo pode sempre ser substituído por uma unidade do outro insumo e a produção pode ser mantida. Os insumos são substitutos perfeitos. As isoquantas em forma de L implicam que os insumos são complementos perfeitos ou que a empresa está produzindo com um tipo de tecnologia de proporções fixas. Neste caso, a empresa não pode trocar um insumo pelo outro e, ainda assim, manter o mesmo nível de produção. Por exemplo, a empresa pode precisar exatamente de 4 unidades de capital para cada unidade de trabalho; situação em que um insumo não pode ser substituído pelo outro. 
8. Uma isoquanta pode ser uma curva ascendente? Explique.
Não. Isso significaria que, se você diminuísse a quantidade de ambos os insumos, a produção permaneceria a mesma. Como regra geral, se as empresas utilizarem uma quantidade maior de todos os insumos, elas poderão produzir mais.
9. Explique o termo \u201ctaxa marginal de substituição técnica\u201d. O que uma TMST = 4 significa?
A TMST é a quantidade em que se pode reduzir um insumo quando se aumenta o outro em uma unidade, com o nível de produção mantendo-se constante. Se a TMST é 4, um insumo pode ser reduzido em 4 unidades enquanto o outro aumenta 1 unidade e a produção é mantida constante.
10. Explique por que a taxa marginal de substituição técnica tende a diminuir à medida que o trabalho é substituído pelo capital.
À medida que as quantidades dos insumos são alteradas, o produto marginal de cada um deles se altera. À medida que se acrescenta cada vez mais trabalho, o produto marginal do trabalho tende a diminuir. Como o capital foi reduzido, cada unidade do capital remanescente tende a ser mais produtiva. Portanto, serão necessárias mais unidades de trabalho para substituir cada unidade de capital. Além disso, à medida que nos movemos para baixo e para a direita ao longo de uma isoquanta ao longo da qual a TMST é decrescente, para que a produção seja mantida constante temos de abrir mão de menos capital para cada unidade de trabalho adicionada.
11. Rendimentos decrescentes de escala para um único fator de produção e rendimentos constantes de escala não se contradizem. Discuta.
Em qualquer processo produtivo, é possível observar, para algum nível de insumo, a ocorrência de rendimentos decrescentes para um único fator
Vinicius
Vinicius fez um comentário
Na verdade,as respostas da 2a colocam cadeiras como trabalho e funcionarios como produtos. É ao contrário.
0 aprovações
Carregar mais