A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
direito constitucional 2° bimestre

Pré-visualização | Página 3 de 24

as demais deliberações, salvo se estas tiverem prazo constitucionalmente determinado.
Art. 64. A discussão e votação dos projetos de lei de iniciativa do Presidente da República, do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores terão início na Câmara dos Deputados.
§ 1º O Presidente da República poderá solicitar urgência para apreciação de projetos de sua iniciativa.
§ 2º Se, no caso do § 1º, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal não se manifestarem sobre a proposição, cada qual sucessivamente, em até quarenta e cinco dias, sobrestar-se-ão todas as demais deliberações legislativas da respectiva Casa, com exceção das que tenham prazo constitucional determinado, até que se ultime a votação.  .
§ 3º A apreciação das emendas do Senado Federal pela Câmara dos Deputados far-se-á no prazo de dez dias, observado quanto ao mais o disposto no parágrafo anterior.
§ 4º Os prazos do § 2º não correm nos períodos de recesso do Congresso Nacional, nem se aplicam aos projetos de código.
Portanto quando tem a solicitação de urgência pelo Presidente da republica, único legitimado, a apreciação do projeto de lei deverá ocorrer no prazo máximo de 90 dias, sendo ampliado mais 10 na hipótese de emenda do senado.
 PROCESSOS LEGISLATIVOS ESPECIAIS- emenda constitucional tem o papel de reformar a constituição, a emenda é a materialização da manifestação do poder constituinte derivado, seu tramite está previsto no art. 60 CF. como é um ato legislativo com maior força tem certas limitações que a constituição impõe no seu tramite, todos previstos no art. 60§ 4 da CF:
Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta:
I - de um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal;
II - do Presidente da República;
III - de mais da metade das Assembleias Legislativas das unidades da Federação, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus membros.
§ 1º A Constituição não poderá ser emendada na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio.
§ 2º A proposta será discutida e votada em cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, três quintos dos votos dos respectivos membros.
§ 3º A emenda à Constituição será promulgada pelas Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, com o respectivo número de ordem.
§ 4º Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir:
I - a forma federativa de Estado;
II - o voto direto, secreto, universal e periódico;
III - a separação dos Poderes;
IV - os direitos e garantias individuais.
§ 5º A matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada não pode ser objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa.
 -Limitações de ordem formal: diz respeito ao processo, procedimento. 
Somente legitimados podem da iniciativa a emenda constitucional, como o presidente da republica, 1/3 dos deputados e senadores e mais da metade mais uma das assembleias legislativas da maioria relativa. A aprovação precisa de 3/5 dos membros de cada casa. Emenda é promulgada no congresso, não precisa da sanção do presidente da republica.
No caso de proposta emendada pelo presidente da republica, a casa iniciadora será acamara dos deputados. A discussão proposta apresentada por mais da metade das assembleias poderá ter inicio o senado. As propostas apresentadas por pelo menos um terço dos membros de cada casa terão inicio na respectiva casa.
-De ordem material: cláusula pétrea, núcleo protegido pela clausula pétrea não pode ser alterado nem por emenda constitucional, só é possível abolir clausula pétrea com uma nova constituição.
 -limitação circunstancial: existem três circunstancias ondem não podem ter aprovação de emenda constitucional, intervenção federal, estado de sitio e estado de defesa não pode haver emenda constitucional. Art. 60§ 
-Limitação temporal: 60§5: não pode ser reapresentado o projeto de emenda rejeitado pelo prazo de um ano (na mesma seção). 
LEI COMPLEMENTAR- Art. 69. As leis complementares serão aprovadas por maioria absoluta.
Mesmo tramite da lei Ordinária, mas há necessidade da Maioria Absoluta para aprovação, pois esta vai complementar a lei constitucional. Duas correntes uma fala que a lei complementar é superior à lei ordinária, pois é aprovada por maioria absoluta. 
As leis complementares se diferenciam das leis ordinárias por dois aspectos, formais: pois o quórum mínimo para aprovação de lei ordinária é maioria simples enquanto a complementar é maioria absoluta. A diferença material: a lei complementar deve regular apenas matérias previstas na constituição e a lei ordinária tem campo residual, podem tratar matérias que não estejam reservadas a outras espécies normativas.
Quando a constituição atribui à determinada matéria à reserva de lei complementar, essa não poderá ser regulamentada por lei ordinária, medida provisória ou lei delegada.
DECRETO LEGISLATIVO
Objetivo: veiculares matérias de competência exclusiva do Congresso Nacional art. 49- tem objetivo de materializas as competências de exclusividade do Congresso nacional pelo decreto legislativo e o procedimento é o Regimento Interno. É um ato normativo primário elaborado para a veiculação de matérias de competência exclusiva do Congresso nacional, o procedimento de elaboração do decreto é disciplinado pelo congresso nacional. 
A iniciativa depende o presidente da republica ou de membros ou comissão do próprio congresso nacional, o quórum da aprovação é de maioria relativa. 
Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Nacional:
I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional;
II - autorizar o Presidente da República a declarar guerra, a celebrar a paz, a permitir que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente, ressalvado os casos previstos em lei complementar;
III - autorizar o Presidente e o Vice-Presidente da República a se ausentarem do País, quando a ausência exceder a quinze dias;
IV - aprovar o estado de defesa e a intervenção federal, autorizar o estado de sítio, ou suspender qualquer uma dessas medidas;
V - sustar os atos normativos do Poder Executivo que exorbitem do poder regulamentar ou dos limites de delegação legislativa;
VI - mudar temporariamente sua sede;
VII - fixar idêntico subsídio para os Deputados Federais e os Senadores, observado o que dispõem as artes. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I;  
VIII - fixar os subsídios do Presidente e do Vice-Presidente da República e dos Ministros de Estado, observado o que dispõem as artes. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º.
IX - julgar anualmente as contas prestadas pelo Presidente da República e apreciar os relatórios sobre a execução dos planos de governo;
X - fiscalizar e controlar, diretamente, ou por qualquer de suas Casas, os atos do Poder Executivo, incluídos os da administração indireta;
XI - zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros Poderes;
XII - apreciar os atos de concessão e renovação de concessão de emissoras de rádio e televisão;
XIII - escolher dois terços dos membros do Tribunal de Contas da União;
XIV - aprovar iniciativas do Poder Executivo referente a atividades nucleares;
XV - autorizar referendo e convocar plebiscito;
XVI - autorizar, em terras indígenas, a exploração e o aproveitamento de recursos hídricos e a pesquisa e lavra de riquezas minerais;
XVII - aprovar, previamente, a alienação ou concessão de terras públicas com área superior a dois mil e quinhentos hectares.
Maneira de Manifestação ao presidente da republica 
RESOLUÇÃO 
Objetivo veicular matérias de competência privativa de cada casa e também do congresso nacional (art. 51 e 52) procedimentos de Regimento Interno
São atos normativos primários, elaborados pela câmara dos deputados, o senado ou congresso, veicular determinadas