Comportamento Animal   Yamamoto 2007
300 pág.

Comportamento Animal Yamamoto 2007


DisciplinaEcologia Geral407 materiais5.811 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Comportamento Animal
Comportamento Animal
Maria Emília Yamamoto
Gilson Luiz Volpato
(Organizadores)
Natal, 2007
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
Reitor: José Ivonildo do Rêgo
Vice-Reitor: Nilsen Carvalho F. de Oliveira Filho
Diretor da EDUFRN: Enilson Medeiros dos Santos
Editor: Francisco Alves da Costa Sobrinho
Capa: Edson Lima
Revisão: os Organizadores
Editoração eletrônica: Marcus Vinícius Devito Martines
Supervisão editorial: Alva Medeiros da Costa
Supervisão gráfica: Francisco Guilherme de Santana
Todos os direitos desta edição reservados à EDUFRN \u2013 Editora da UFRN
Campus Universitário, s/n \u2013 Lagoa Nova \u2013 59.078-970 \u2013 Natal/RN \u2013 Brasil
e-mail: edufrn@editora.ufrn.br \u2013 www.editora.ufrn.br
Telefone: 84 3215-3236 \u2013 Fax: 84 3215-3206
Divisão de Serviços Técnicos
Catalogação da Publicação na Fonte. UFRN / Biblioteca Central Zila Mamede
Comportamento animal / Organizado por Maria Emília Yamamoto, 
Gilson Luiz Volpato. \u2013 Natal, RN: EDUFRN \u2013 Editora da UFRN, 2006.
298 p. il.
ISBN 85-7273-323-X
1. Comportamento animal. 2. Perspectiva evolucionista. 3. Evolução 
do comportamento. 4. Etologia. 5. Neurociências. I. Volpato, Gilson Luiz. 
II. Título.
 CDU 591.5
RN/UF/BCZM 2006/72 CDD 591.3
Sumário
Prefácio, 7
Prólogo, 9
Capítulo 1
Percorrendo a História do Estudo do Comportamento Animal: origens e influências, 11
Maria Emília Yamamoto
Capítulo 2
Ciência e Comportamento Animal, 21
Gilson Luiz Volpato
Capítulo 3
Métodos de Estudo do Comportamento Animal, 39
Eliane Gonçalves de Freitas
Silvia Mitiko Nishida
Capítulo 4
Neurociência Cognitiva, 65
Alfredo Pereira Júnior
Capítulo 5
Bases Neurobiológicas do Comportamento, 83
Anette Hoffmann
Percília Cardoso Giaquinto
Capítulo 6
Ritmos Biológicos, 95
Nelson Marques
Luíz Menna-Barreto
Capítulo 7
Comunicação, 115
Charles T. Snowdon
Capítulo 8
Cooperação Animal, 141
Regina H. F. Macedo
Capítulo 9
Agressão, 157
Felicity Ann Huntingford
Sathyabama Chellappa
Capítulo 10
Reprodução, 175
Maria Bernardete Cordeiro de Sousa
Hélderes Peregrino Alves da Silva
Capítulo 11
Emoções, 201
Katsumasa Hoshino
Capítulo 12
Comportamento Humano, 225
Vera Silvia Raad Bussab
Fernando Leite Ribeiro
Emma Otta
Capítulo 13
Bem-Estar Animal, 249
Hilary O. Box
Capítulo 14
Práticas para o Ensino do Comportamento Animal, 271
Arrilton Araújo
Fívia de Araújo Lopes
Maria de Fátima Arruda
Gilson Luiz Volpato
Sobre os Autores, 289
	 7
Prefácio
A Ciência tem percorrido caminhos jamais 
previstos. Revela as entranhas do inimaginável, 
explica o inexplicável, matiza o que nos cerca. 
Mais, a Ciência contribui, a passos largos, para 
desvendar os segredos que nos constroem, para 
desvendar de onde viemos e para onde vamos. 
Projeta o futuro a partir dos efeitos que a nossa 
vida moderna tem causado sobre o ambiente. 
Alerta-nos acerca do que deveríamos moderar 
quanto à nossa expansão unilateral sobre aquilo 
que não nos pertence. Não se trata de fé cega na 
Ciência, mas do único caminho possível. Os fatos 
podem ser interpretados de forma diferente pe-
los diferentes atores, uma vez que a Ciência não 
é neutra, mas, jamais, podem ser tomados para 
sempre sem os questionamentos metodológicos 
que permitam a contínua validação deles. Nem 
o mais singelo jeito de ser do homem, dos bichos 
e das plantas pode ser escondido da Ciência.
O estudo do comportamento do homem 
e dos bichos revela a fragilidade de cada um e 
de todos os organismos que interagem num 
mundo mutável, num mundo ao mesmo tempo 
em construção, num mundo em que os proces-
sos de codificação de comportamentos estão 
por serem explicitados. O que dizer do que foi 
escondido nos ambientes que se construíram e 
evoluíram ao longo de milhões de anos de exis-
tência da vida? O que dizer dos peixes, que estão 
ora misturados a um mundo quase desconheci-
do, o mundo aquático, ora enterrados no lodo 
que o suporta e parece ter dado origem a um 
mundo que a biologia busca, entre outros, co-
nhecer? Ainda que muitos pensem estar os re-
cursos naturais todos disponíveis para nosso uso 
neste momento, não estamos sós. Neste mundo 
coabitam e coabitarão gente, bichos e plantas 
que têm formas e jeitos que conhecemos qua-
se nada; formas, jeitos e comportamentos que 
podem ser profundamente influenciados por 
nossas ações e reações. Ações e reações que defi-
nem o que restará intacto para ser estudado. No 
que tange ao comportamento, a sensibilidade às 
nossas ações e reações são mais críticas, pois há 
um mosaico de fatores que determinam os com-
portamentos de tudo e de todos.
Este livro reflete um esforço sem pre-
cedentes de dois colegas que buscaram reunir 
em torno de uma questão central da Biologia, o 
Comportamento Animal, cientistas com expe-
riência singular. São quatorze capítulos que nos 
tiram o fôlego; que projetam uma luz para além 
da Biologia. Mexem com o \u201ceu\u201d, pois explicitam 
como se comportam os animais. Mexem com o 
\u201ceu\u201d de cada um de nós, porque comportamen-
to também se compara e se questiona. Mexem 
com o nosso \u201ceu\u201d porque evoluímos, mas nossa 
diferenciação enquanto se deu a passos largos 
do ponto de vista morfológico, não aconteceu 
tão significantemente no que tange ao compor-
tamento. Descrevemos de forma mais profunda 
o comportamento dos bichos do que o nosso 
próprio e isso tem nos permitido conhecer me-
lhor. Conhecendo como se comportam os bi-
chos, conhecemo-nos. Não, não porque somos 
iguais aos bichos, mas por que a Ciência permite 
derivar o que vamos explicitando de forma me-
todologicamente correta. A isto se propõe esta 
bela contribuição; busca nos limites do conheci-
do, em raros exemplos da natureza, em observa-
ções delicadamente planejadas em laboratório, 
as explicações para o Comportamento Animal. 
Adalberto Luis Val 
Biólogo \u2013 INPA \u2013 AM
	 \ufffd
Prólogo
O estudo do comportamento animal é 
uma área de pesquisa e investigação consolidada 
na Europa e nos Estados Unidos, que tem suas 
raízes na Teoria da Evolução de Charles Darwin 
e, mais recentemente, na Etologia, proposta por 
Lorenz, Tinbergen e von Frisch. Desde então, 
essa área cresceu e se diversificou, dando origem 
a várias disciplinas e abordagens de investigação, 
entre elas a própria Etologia, a Ecologia Com-
portamental, a Neuroecologia, a Psicologia e a 
Ecologia Fisiológica, a Psicologia Evolucionista, a 
Neurociências, entre outras.
No Brasil, os primeiros estudos foram ini-
ciados na década de 1960 pelo Departamento 
de Psicologia Experimental da Universidade de 
São Paulo, a partir do qual se irradiou para vários 
pontos do país. A mesma diversificação obser-
vada nos países europeus e nos Estados Unidos 
repetiu-se aqui. As várias sociedades científicas 
hoje existentes no Brasil refletem essa diversifi-
cação, como a Sociedade Brasileira de Etologia, 
a Sociedade Brasileira de Neurociências e Com-
portamento (antiga Sociedade Brasileira de Psi-
cobiologia), Sociedade Brasileira de Psicologia, 
Sociedade Brasileira de Sociologia, Sociedade 
Brasileira de Sono, Associação Brasileira de Psi-
coterapia e Medicina Comportamental, Socie-
dade Brasileira de Sexualidade Humana, entre 
outras. No entanto, essa pujança de grupos e in-
vestigações não se repete na produção de livros. 
Nossa produção de livros sobre comportamento 
animal é ainda muito modesta e contrasta com 
o acelerado incremento dos estudos científicos 
nessa área aqui no Brasil. Alguns livros foram 
traduzidos, como Ecologia Comportamental, de 
Krebs e Davies, Explicando o Comportamento 
Animal, de Marian Dawkins, O Estudo do Com-
portamento Animal, de Aubrey Manning, Eto-
logia, de Renné Chauvant etc. Como produção 
própria, no entanto, os livros de abordagem ge-
ral não existem, sendo os títulos geralmente res-
tritos a uma área ou abordagem.