A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
105 pág.
Banco de Questões Av1, AV2, AV3 e simulados   105 páginas

Pré-visualização | Página 4 de 20

de gesso, escória de alto forno, 
pozolana e o filer compõe os diversos tipos de cp. Estas substancias soa estocadas separadamente antes de 
entrar no moinho de cimento. Depois é moído o clinquer, o gesso, e mais algum aditivo que resulta no cimento 
que conhecemos. O cp é estocado em silos. 
 
11) Em que fase da produção de cimento se faz adição de gipsita? E qual percentual e por que motivo? 
 
Se faz a adição após a saída do clinquer do resfriador na etapa de moinho, no percentual de 1,5 a 3% para 
retardar o tempo de pega. 
 
12) Qual a importância da superfície específica do cimento no comportamento da mistura final e no 
endurecimento da mesma? 
 
Quanto maior a superfície especifica do cimento, mais fino, mais resistente, geram mais trabalhabilidade e 
coesão. Maior impermeabilidade, menor exsudação, e menor retração, cura mais lenta gerando uniformidade 
na hidratação. 
 
13) O que é o processo de exsudação na pasta de cimento? 
 
É um fenômeno de separação dos grãos de cimento da água dentro da pasta, devido à diferença de densidade e 
o grau de permeabilidade da mistura. Os grãos tendem a sedimentar no fundo e a água vai aflorar, gerando 
assim uma desuniformidade na mistura prejudicial ao seu desempenho esperado, trazendo perda na 
resistência. 
 
14) Instabilidades podem acontecer na cura da pasta de cimento, gerando expansões volumétricas. Quais 
substâncias podem causar este efeito? 
 
Cal livre, Gesso livre e Magnésio livre. 
 
15) Quais fatores influem na retração da misturas de cimento? 
 
• Cimento - mais fino, maior retração nas primeiras horas; 
• Traço – maior quantidade de agregados, menor retração; 
• Qtd. água de amassamento - mais água, maior retração; 
• Aditivos retardadores aumentam a retração; 
• Dimensões das peças – mais volumosas, mais retração; 
• Procedimentos de Cura - mais tempo, menor retração; 
• Umidade média do ar – mais seco, mais retração. 
 
16) Que cuidados precisam ser tomados com a água a ser utilizada nas misturas de cimento? Diferencie águas 
puras, águas salobras, águas sulfatadas e águas termais. 
 
Deve-se analisar a origem e a qualidade da água usada na mistura, pois algumas águas podem reagir com o 
cimento de forma negativa. 
• Águas puras (fonte naturais, de degelo e especialmente provenientes de rochas graníticas) atacam 
dissolvendo a cal. 
• As águas ácidas (chuva, industriais, de charcos) atacam a cal por reação desta com o CO2, formando 
expansões. Atacam dissolvendo a cal e depois os demais constituintes. 
• Água sulfatada – fontes minerais e termais ataca o cimento por reação com aluminato, gerando intensa 
expansão. 
• Água do mar tem vários sais que atacam o cimento: sulfato de cálcio, sulfato de magnésio e cloreto de sódio, 
que é o principal, pois aumenta a solubilidade da cal. 
 
 
17) Quais vantagens do uso das escórias no processo produtivo de cimento? E quais as vantagens como aditivo 
as argamassas ou concretos de cimento? 
 
Vantagens no processo produtivo: 
• Geram economia na produção do cimento. 
• Consome resíduo industrial nocivo ao meio ambiente. 
 
Vantagens como aditivo: 
• Tem capacidade de aglomerante hidráulico 
• Presença de C2S e C3S 
• Melhoram a durabilidade e a resistência final. 
 
 
 
 
 
 
18) Fale sobre o cimento do tipo CPII-Z: o que é, composição, tempo de pega e utilização. 
 
• CP II-Z - Cimento Portland composto com pozolana 
• tem em sua composição de 6 a 14% de pozolana, e pode ter fíler carbonático entre 0 a 10%. 
• tem diversas possibilidades de aplicação sendo um dos cimentos mais utilizados no Brasil. Suas propriedades 
atendem desde estruturas em concreto armado até argamassas de assentamento e revestimento, concreto 
massa e concreto para pavimentos. Ideal para obras subterrâneas devido à menor permeabilidade conferida 
pela pozolana. 
• Início de pega: >= 1h, Fim de pega: <= 10 h. 19) Explique porque o CPIII é dito como o tipo mais ecológico de 
cimento. Além da preservação das jazidas naturais e pelo menor lançamento de CO2 na atmosfera, aproveita o 
rejeito das siderúrgicas, a escória, economizando assim energia. O CP III comporta adições de 35 a 70% de 
Escória e até 5% de material cabornático e de 25 a 65 de clínquer. 20) Explique as vantagens da escória nas 
pastas de cimento. 
 • Geram economia na produção do cimento. 
 • Consome resíduo industrial nocivo ao meio ambiente. 
• Tem capacidade de aglomerante hidráulico • Presença de C2S e C3S 
 • Melhoram a durabilidade e a resistência final. 
 
 21) Quais cuidados precisam ser tomados na armazenagem do cimento, se for em embalagens? O cimento deve 
ser armazenados a 10 cm do chão e da parede, empilhados em paletes em no máximo 10 sacos de altura. Assim 
evita-se a ação da umidade e mantem a características no cimento. Utilizar em no máximo 3 meses. 
 
 22) É possível transporte do cimento a granel?Quais cuidados são necessários? Sim, através de trens de ferros e 
veículos próprios para o transporte de cimento a granel. Na hora do carregamento deve-se tomar cuidado para 
não entrar umidade e na hora do transporte deve ficar bem lacrado. 
 
 23) O cooprocessamento é uma prática ecológica e favorável à produção de cimento. Quais são as vantagens? 
É opção segura para a destruição definitiva de resíduos industriais e passivos ambientais, como pneus, em 
fornos de cimento. Além dos benefícios ao meio ambiente, a atividade contribui para a economia de 
combustíveis fósseis não renováveis, gera empregos diretos e indiretos e é regulamentada pelo Conselho 
Nacional de Meio Ambiente (Conama) e pelas agências ambientais estaduais. 
 
 24) No cooprocessamento podem ser substituídos matéria-prima e combustíveis do processo produtivo normal 
do cimento. Diferencie as duas situações e exemplifique produtos que são utilizados em cada uma das 
situações, ao menos 3 exemplos. No processo produtivo o cooprocessamento pode ser visto no caso do cp com 
escória. E no caso dos combustíveis o bagaço da cana de açúcar e o cimento, substituem o uso de combustíveis 
fosseis não renováveis. 
 
 25) Quais são as propriedades físicas do cimento? Depois de citar todas fale sobre duas delas: o que são e seu 
efeito na pasta de cimento. 
 • Densidade 
 • Finura 
• Tempo de pega: É o tempo necessário para o enrijecimento da pasta de cimento; a evolução das 
propriedades mecânicas da mistura desde o início do endurecimento até o final da cura, em razão das 
propriedades químicas. Pega ou presa é a passagem do estado plástico para o sólido. 
• Precisa ser controlada ou não – com ou sem aditivos – depende da necessidade 
• Medido em laboratório 
 • Consistência da pasta de cimento 
 • Resistência : A resistência mecânica dos cimentos é expressa pela relação entre a carga de ruptura e a área 
da seção transversal de corpos de prova normalizados pela ABNT. No Brasil os corpos de prova tem 5 cm de 
diâmetro e 10 cm de altura e são cilíndricos. Moldam-se corpos de prova com argamassa de consistência 
normal, com areia normal traço 1:3. São curados em câmara úmida por 24 h, depois vão ser imersos em água. • 
Rompimentos à compressão: 1,3,7,15 e 28 dias, para atingir: 8 Mpa aos 3 dias, 15 Mpa aos 15 dias e 25 Mpa – 
aos 28 dias. • Exsudação 
 
 26 ) Fale como é a hidratação do cimento. • No processo de hidratação, os grãos de cimento que inicialmente 
se encontram em suspensão vão-se aglutinando paulatinamente uns aos outros, por efeito de floculação, 
conduzindo à construção de um esqueleto sólido, finalmente responsável pela estabilidade da estrutura 
geral. O prosseguimento da hidratação em subseqüentes idades conduz ao endurecimento responsável pela 
aquisição permanente de qualidades mecânicas, características do produto acabado. 
 
 27) O que é resistência mecânica do cimento? A resistência mecânica dos cimentos é expressa pela relação 
entre a carga de ruptura e a área da seção transversal de corpos de prova normalizados