A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
51 pág.
Algoritmo

Pré-visualização | Página 9 de 12

ou 
real: V(1:100), M(1:50, 1:50) 
37 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
EXERCÍCIOS PROPOSTOS 
1. Para cada um dos itens abaixo faça um algoritmo que: 
a) Armazene números em dois vetores de cinco elementos cada, calcule e escreva o vetor resultante da 
soma desses dois vetores. 
b) Armazene 15 números em um vetor V e escreva uma listagem numerada contendo o número e uma 
das mensagens: par ou ímpar. 
c) Dados um vetor A composto por números inteiros, gerar e escrever um vetor B, em que, cada 
elemento é o quadrado do elemento, da respectiva posição do vetor A. 
d) Dados dois vetores de números inteiros, calcule e escreva o vetor resultante da soma desses vetores. 
e) Dados dois vetores de números inteiros, calcule e escreva vetor resultante da diferença entre esses 
dois vetores. 
f) Dado um vetor composto por N valores inteiros, calcule e escreva o resultado da soma desses N 
valores. 
2. Fazer um algoritmo que leia uma sequência arbitrária de N valores, e escreva apenas os números 
pares desta sequência, caso haja. 
3. Dados 10 valores inteiros, faça um algoritmo que realize a escrita desses números organizados de 
forma crescente. 
4. Fazer um algoritmo que, dado um conjunto arbitrário de 20 números reais, informe calcule a média 
aritmética entre os 20 valores lidos. 
5. Fazer um algoritmo que, dados um vetor composto por N números quaisquer, escreva apenas os 
valores que estiverem nas posições pares do vetor. 
6. Dado um vetor V, composto por 10 valores inteiros, escreva os vetores P e I, sendo P um vetor 
compostos pelos elementos pares de V, e I o vetor composto pelos elementos ímpares de V. 
7. Dado um vetor A de 5 posições, escrever um vetor B composto apenas pelos elementos de A que não 
estão repetidos. 
8. Fazer um algoritmo que leia dois conjuntos de números inteiros, um tendo 10 elementos e outro 20 
elementos, escrever os elementos comuns aos dois conjuntos. 
9. Faça um algoritmo que leia dois vetores A e B, contendo, cada um, 25 elementos inteiros. Intercale 
esses dois conjuntos (A[1]/B[1]/A[2]/B[2]/...), formando um vetor V de 50 elementos e o escreva. 
10. Fazer um algoritmo que faça a leitura de vários números inteiros e escreva quantos números dentre os 
lidos são iguais ao último (anterior ao zero). O limite de números é 100. 
11. Faça um algoritmo que leia um vetor VET1 do tipo inteiro, com 20 posições, onde pode haver valores 
repetidos. A partir de VET1, gere um vetor VET2 contendo somente os elementos de VET1 retirando 
as repetições, ou seja, quando houver valor repetido em VET1, ele aparecerá apenas uma vez em 
VET2. 
38 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
12. Fazer um algoritmo que leia um vetor VC, de tamanho qualquer, escreva o vetor, ordene este vetor de 
modo crescente, e escreva o vetor VC após a ordenação. 
13. Fazer um algoritmo que leia um vetor VD, de tamanho qualquer, escreva o vetor, ordene este vetor de 
modo decrescente, e escreva o vetor VD após a ordenação. 
14. Faça um algoritmo que leia um vetor VET1, de tamanho qualquer, escreva o vetor VET1, gere o vetor 
PAR, apenas com os elementos pares de VET1, escreva o vetor PAR, gere o vetor CRES, com os 
elementos de PAR ordenados de forma crescente, escreva CRES. 
15. Faça um algoritmo que leia um vetor VET2, de tamanho qualquer, escreva o vetor VET2, gere o vetor 
IMPAR, apenas com os elementos ímpares de VET2, escreva o vetor IMPAR, gere o vetor DEC, com 
os elementos de IMPAR ordenados de forma decrescente, escreva DEC. 
16. Faça um algoritmo que, dada uma matriz Anxn, escreva: 
a) Os elementos da diagonal principal; 
b) Os elementos da diagonal secundária; 
c) Os elementos que estão acima da diagonal principal; 
d) Os elementos que estão abaixo da diagonal principal; 
e) Os elementos que estão acima da diagonal secundária; 
f) Os elementos que estão abaixo da diagonal secundária. 
g) Os elementos que ocupam as posições em que seus índices, quando somados, resultam num 
número par. 
h) Os elementos que ocupam as posições em que seus índices, quando somados, resultam num 
número ímpar. 
17. Dada uma matriz M, de ordem qualquer, composta por elementos do tipo inteiro, faça um algoritmo 
que, escreva a matriz lida, escolha duas linhas quaisquer (LA e LB) da matriz M e realize a troca entre 
elas (trocar LA com LB), e escreva e mesma matriz M, após a realização das trocas das linhas LA e 
LB. 
18. Dada uma matriz R, de ordem qualquer, composta por elementos do tipo inteiro, faça um algoritmo 
que, escreva a matriz lida, escolha duas colunas quaisquer (CA e CB) da matriz R e realize a troca 
entre elas (trocar CA com CB), e escreva e mesma matriz R; após a realização das trocas das colunas 
CA e CB. 
19. Dadas duas matrizes A e B, quaisquer; calcule e imprima o resultado da multiplicação dessas duas 
matrizes (atentar às regras da multiplicação usual de matrizes). 
20. Dizemos que uma matriz quadrada inteira é um “quadrado mágico” se a soma dos elementos de cada 
linha, a soma dos elementos de cada coluna e a soma dos elementos das diagonais principal e 
secundária são todas iguais. A matriz abaixo é um exemplo de quadrado mágico: 
39 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
8 0 7
4 5 6
3 10 2
 
 
 
 
 
 
Sendo assim, faça um algoritmo que, dada uma matriz quadrada Anxn, verifica se A é um quadrado 
mágico. 
21. Faça um algoritmo que, leia uma matriz C, de ordem qualquer, e verifique se ela é ou não uma matriz 
identidade. A matriz abaixo é um exemplo de matriz identidade de ordem 3: 
1 0 0
0 1 0
0 0 1
 
 
 
 
 
 
22. Pode-se gerar uma matriz triangular inferior de ordem N, a partir de um dado valor inteiro X, com o 
seguinte esquema: 
 O primeiro elemento de cada linha e os elementos da diagonal principal é igual a X; 
 Cada elemento abaixo da diagonal principal (excluindo o primeiro da linha e o da própria diagonal) é 
calculado somando dois elementos da linha anterior: o imediatamente acima e o que está à esquerda 
deste; 
 Todos os elementos acima da diagonal são nulos. 
Veja o exemplo para N = 6 e X = 2: 
2 0 0 0 0 0
2 2 0 0 0 0
2 4 2 0 0 0
2 6 6 2 0 0
2 8 12 8 2 0
2 10 20 20 10 2
 
 
 Deste modo, faça um único algoritmo que, dados os valores de N e X (N indica a ordem da matriz 
triangular a ser gerada e X o valor a ser utilizado para gerar a matriz): 
a) Calcula os elementos da matriz a matriz A, que é a matriz triangular de ordem N, gerada da 
forma descrita acima. 
b) Escreva a matriz A gerada, da seguinte forma (ou seja, sem os zeros): 
Elementos não nulos da linha 1: 2 
Elementos não nulos da linha 2: 2 2 
Elementos não nulos da linha 3: 2 4 2 
Elementos não nulos da linha 4: 2 6 6 2 
Elementos não nulos da linha 5: 2 8 12 8 2 
Elementos não nulos da linha 6: 2 10 20 20 10 2 
 
 
10 = 2 + 8 
40 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
 
 SSUUBBAALLGGOORRIITTMMOOSS 
 
 
 
 
Problemas complexos exigem algoritmos com uma estruturação um pouco